quinta-feira, 28 de junho de 2018

Diversão garantida e despedidas dignas

Por Victor de Andrade
Fotos: Getty Images.com/Fifa.com

O jogo foi bem divertido, já que as duas equipes procuraram atacar o tempo todo

Jogos de Copa do Mundo que envolvem dois times que não são cotados nem para brigar pela classificação para as oitavas tendem a ser ou muito ruim, por falta de qualidade, daqueles 0 a 0 de dar sono, ou um jogo muito disputado, aberto, com as equipes buscando o ataque, mesmo com as dificuldades, que ao menos é divertido de se ver. Assim foi a vitória da Tunísia, de virada, sobre o Panamá, por 2 a 1, nesta quinta-feira, dia 28, na Mordovia Arena, em Saransk.

Antes de começar a falar do jogo, eu já presenciei inloco um jogo mais ou menos deste estilo na Copa de 2014. Foi um Equador 2, Honduras 1, em Curitiba. E a viagem até a capital paranaense naquele dia valeu muito a pena, desde o clima muito legal na arquibancada até pelo jogo, onde os dois times buscaram a vitória o tempo todo. O que eu vi hoje pela televisão de Tunísia e Panamá me lembrou bastante aquela noite na Arena da Baixada.

O Panamá abriu o marcador no primeiro tempo

Apesar de as duas equipes estarem eliminadas da competição, o jogo poderia trazer um pouco de emoção por causa de algumas marcas. O Panamá buscava duas: com apenas um gol feito até antes da partida, a seleção tinha o pior ataque entre os 32 times do torneio. Além disso, os panamenhos buscavam a primeira vitória ou, pelo menos, o primeiro ponto na história das Copas.

Já pelo lado tunisiano, a sede era por um triunfo, já que a única vitória que conseguiram na história dos Mundiais foi justamente na primeira participação, em 1978, um 3 a 1 sobre o México. Era a chance de acabar com um tabu que durava 40 anos. Aliás, o feito foi o primeiro de uma seleção africana em uma Copa do Mundo.

Apesar de ser duas equipes de nível baixo, a partida tinha sim um favorito: a Tunísia. Porém, além do risco de estarem com apenas um goleiro apto para a partida, Mathlouthi (Ben Mustapha e Hassen se machucaram ao longo da competição), os panamenhos começaram melhor no jogo e abriram o marcador aos 33 minutos, em chute de José Luís Rodriguez, que desviou em Meriah antes de balançar as redes. A arbitragem deu gol contra do defensor tunisiano. Aliás, vale lembrar que este gol entrou para a história. Pela primeira vez, todas as seleções participantes de uma edição de Copa do Mundo fizeram, ao menos dois gols.

Khazri fez o gol da vitória tunisiana

No segundo tempo, a situação mudou. A Tunísia impôs sua melhor qualidade e passou a dominar as ações, tanto que aos 6', a seleção do norte da África empatou com Ben Youssef. Foi outro gol histórico: o de número 2.500 das Copas do Mundo! A pressão tunisiana aumentou bastante e 15 minutos depois, Khazri virou o jogo, após bela jogada de sua equipe. O tabu de 40 anos estava chegando ao fim.

Nos últimos giros do cronômetro, o Panamá foi em busca do gol de empate, mas acabou não conseguindo. A vitória ficou com a Tunísia, que acabou com o tabu de 40 anos sem vitórias em Copas. Já os panamenhos voltarão para casa sem fazer ponto neste Mundial, mas as duas seleções se despediram dignamente da Rússia. Que se inspirem e voltem no Catar, em 2022.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações