terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Em jogo atrasado da quinta rodada da A3, Nacional e Linense ficam no 1 a 1

Foto: Bruno Ulivieri / Nacional AC

A partida foi equilibrada e terminou empatada em 1 a 1

Em jogo que foi adiado na semana passada, devido às chuvas que inundaram o gramado do Estádio Nicolau Alayon, pela quinta rodada do Campeonato Paulista da Série A3 2020, o Nacional recebeu o Linense, em São Paulo. Ao contrário da semana passada, céu aberto e calor durante os 90 minutos da partida, que terminou empatada em 1 a 1.

Pela sexta rodada, que foi realizada no final de semana, o Nacional jogou fora de casa e foi derrotado pelo Barretos, por 1 a 0, sofrendo o gol no último lance da partida. Já o Linense atuou em seus domínios e venceu o Noroeste por 3 a 2, quebrando a invencibilidade do adversário.

As duas equipes começaram a partida se revezando no comando do jogo. Atuando diante do seu torcedor, o Nacional tentava ser mais incisivo, mas o Linense conseguir ir ao ataque. E o Elefante que abriu o marcador: aos 34 minutos, Jean cobrou pênalti e marcou 1 a 0 para os visitantes. O time da casa ainda tentou buscar o empate, mas não conseguir marcar até o fim do primeiro tempo.


Na segunda etapa, foi uma grande pressão do Nacional em busca do empate. O time ferroviário paulistano tentou de todas as formar balançar as redes e o gol só saiu aos 38 minutos. Após boa jogada de Alan pela direita, Índio recebeu no meio da área, limpou o marcador e mandou a bola para o fundo das redes: 1 a 1 no Nicolau Alayon e assim terminou a partida.

Pela sétima rodada do Campeonato Paulista da Série A3 de 2020, o Linense volta a campo na sexta-feira, dia 21, quando encara o Batatais, às 20 horas, no Estádio Dr. Osvaldo Scatena, em Batatais. Já o Nacional joga no sábado, dia 22, às 16 horas, enfrentando o Noroeste, no Alfredo Castilho, em Bauru.

Com cinco anos no futebol árabe, preparador Antônio Carlos Cobal fala sobre a experiência

Foto: divulgação Khaleej Club

Antônio Carlos Cobal está, atualmente, no Khaleej Club

Nos últimos 20 anos, cada vez mais tem aumentado o número de atletas brasileiros que se transferem para o mundo árabe e isso não se limita a jogadores. Treinadores e até preparadores físicos são alvos de clubes dos países do oriente, como é o caso de Antônio Carlos Cobal, que já trabalhou nos  Emirados Árabes e agora está na Arábia Saudita, trabalhando no Khaleej Club.

“A experiência adquirida nos primeiros anos foi muito importante para desempenhar a preparação física nos Emirados Árabes. Não foi fácil a adaptação, mas graças a Deus correu tudo bem e acabei ficando nesta mesma equipe por quatro anos e agora estou na Arábia Saudita”, explica Cobal.

Cobal ficou por quatro anos no Al Wasl, maior clube dos Emirados Árabes, onde teve sua primeira experiência e sofreu com o problema da preparação física dos jogadores, onde teve que implantar uma nova metodologia.

“A preparação física não é muito diferente da nossa no Brasil, mas temos que ter alguns cuidados a mais, pois a estrutura muscular é diferente. Acrescento aos poucos mais carga e intensidade para não sobrecarrega-los e então desenvolver a preparação física da melhor forma possível, fazendo muitos trabalhos de prevenção de lesão com uma programação detalhada e feita por etapas.”


No Brasil, Cobal tem passagens por diversos clubes do Distrito Federal, como o Brasiliense, Brasília, Sobradinho e Cruzeiro, além de ter passagens por Manaus e Uberlândia. Com contrato até o final de maio com o Khaleej, seu clube na Arábia Saudita, o preparador não descarta e revela vontade de voltar ao seu país.

“No futuro próximo quero voltar a trabalhar no Brasil, não somente em Brasília onde trabalhei em mais clubes. Meu contrato se encerra no final de maio e tenho possibilidade de ficar por aqui, mas se por acaso aparecer alguma proposta por Brasília ou qualquer outra cidade de Brasil que seja boa para mim, com certeza irei pensar com carinho já que quero ficar perto da minha família.”

AA Itararé inicia preparação para a Segundona Paulista 2020

Foto: divulgação AA Itararé

Jogadores da AA Itararé se apresentaram nesta segunda-feira

Nesta segunda-feira, dia 17, a Associação Atlética Itararé iniciou os trabalhos de preparação para a disputa do Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 2020. No mesmo dia, a Caçula ficou sabendo que estreará em casa na competição, contra o Mauaense, dia 19 de abril.

A equipe, que será comandada por Rodrigo Casa Grande, o mesmo que dirigiu o time em 2019, teve rostos conhecidos do torcedor em sua apresentação, como o do meia Pequeno, volante Daniel e os zaqueiros Diego e Naninho. As atividades do primeiro dia foram realizadas no Centro de Treinamento Pinguim, o CT do Itararé.

Grupo - Indo para a quarta temporada seguida de atividades no Campeonato Paulista da Segunda Divisão, o Itararé estará, em 2020, no Grupo 6, ao lado de Taboão da Serra, Elosport, Mauaense, Mauá Futebol, Jabaquara e Osasco FC. A equipe continuará mandando suas partidas no Estádio Vergínio Holtz.


Campanha - Depois de um tempo licenciado, o Itararé voltou às competições profissionais da Federação Paulista de Futebol e sempre conseguiu, ao menos, passar pela primeira fase. Em 2017, a Caçula foi a quarta colocada no Grupo 3 e na segunda etapa foi a terceira do Grupo 6, sendo eliminada.

Em 2018, a equipe foi ainda mais longe, sendo a terceira do Grupo 5 na primeira fase, passando pela segunda fase como vice-líder do Grupo 7 e caindo apenas na terceira fase, como quarto do Grupo 10. Já no ano passado, o Itararé foi o segundo do Grupo 4 e caiu na segunda fase, como terceiro do Grupo 9.

Léo Souza estreia no Urawa Reds continuando com sua característica no Japão: marcando gols

Foto: divulgação Urawa Reds

Léo Souza comemora um de seus gols na vitória do Urawa Reds por 5 a 2 sobre o Vengalta Sendai

O atacante brasileiro Léo Souza vem se destacando no futebol japonês desde 2018, quando na J-League 3, defendendo o Gainare Tottori, marcou 24 gols em 33 jogos. Na temporada passada, ele foi para o Albirex Niigata, da J-League 2 e balançou as redes 28 vezes em 38 jogos, sendo o atleta que mais marcou em todo o Japão. Neste ano, ele foi contratado pelo Urawa Red Diamonds, da elite nipônica, e mostrou que está com a pontaria calibrada. Estreando pela equipe, contra o Vengalta Sendai, na J-League YBC Levai Cup, a Copa da Liga, ele marcou duas vezes na vitória de sua equipe por 5 a 2, no domingo, dia 16.

Apesar dos gols feitos nas outras divisões japonesas, Léo Souza, que na base passou por Red Bull Brasil, Corinthians, Ituano e, profissionalmente, atuou no Santos B e no Rio Verde de Goiás, disse que estava apreensivo pela estreia por uma equipe da elite local. "Com certeza a expectativa estava muito grande. Mas também tinha muita confiança para entrar em campo e fazer um bom jogo".

Ele explicou que havia sim uma certa pressão para que desse certo no Urawa Red Dimanonds. "Pressão existe em todos os lugares e sentidos, mas eu estava tranquilo e com a cabeça boa, por que sabia da minha qualidade e que poderia entrar em campo e fazer uma ótima partida".

Léo Souza fala que fazer gols logo na estreia dão mais confiança para o que ele fez nos últimos anos repetir no resto da atual temporada. "Os gols representam muito. Me dá ainda mais confiança para junto da equipe ir em busca dos objetivos".

O atacante também fala o porque deixou o futebol brasileiro e foi para o Japão, mesmo que no início atuou nas divisões de acesso. "Todos nós sabemos como as coisas andam no Brasil para um jogador que não teve oportunidade de subir da base para a equipe profissional. Então, eu precisava buscar outros objetivos na minha carreira, e por isso topei vim para o Japão para crescer ano a ano".


Sobre as altas médias de gols no futebol japonês, Léo Souza afirma que isto já vinha nas categorias de base no Brasil. "Graças a Deus, na minha carreira toda, desde a categoria de base, eu sempre tive médias altas de gols. Então tinha total confiança que ia chegar e dar conta do recado".

Agora, no Urawa Red Diamonds, os objetivos são grandes. A equipe quer lutar pelos títulos no Japão. "Nós temos no planejamento deste ano vencer as competições que disputamos. Sabemos que é muito difícil, por ter muitas equipes qualificadas, mas temos uma grande equipe e vamos em busca dos títulos. Eu espero ajudar a equipe ao máximo, tenho objetivo de ser artilheiro da competição e do clube no ano", finalizou.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Com mais de 7 mil pessoas na Vila, Sereias vencem o Cruzeiro

Foto: Flavio Hopp

Comemoração em um dos gols da Sereias
(ATENÇÃO: Proibida a utilização da imagem sem a prévia autorização do fotógrafo)

A noite de segunda-feira (17) foi de muita festa para as Sereias! Contando com o apoio de 7.700 torcedores na Vila Belmiro, as santistas fizeram um duelo bem disputado com o Cruzeiro e acabaram vencendo por 2 a 0, seguindo no topo da tabela do Campeonato Brasileiro Feminino de 2020. Os gols do Santos FC foram anotados por Jajá (contra) e Brena.

As duas equipes venceram os dois jogos que fizeram na competição até o momento. O Santos estreou goleando o Flamengo, por 4 a 0, no Estádio Ulrico Mursa, e depois fez 3 a 0 no Iranduba, em Manaus. Já o Cruzeiro, primeiro, venceu o São Paulo, por 1 a 0, em casa, e depois bateu o São José, por 3 a 0, como visitante.

Atuando em casa e com o apoio da torcida, as Sereias partiram pra cima do Cruzeiro. Logo aos 2 minutos, Ketlen cruzou da esquerda e Cristiane testou firme, mas parou na goleira Mary Camilo. No ataque seguinte, foi a vez de Rita Bove cruzar pela esquerda na direção de Thaisinha, mas a arqueira cruzeirense salvou mais uma vez.


Aos 15, Brena subiu mais que todo mundo após cobrança de escanteio pela direita e cabeceou forte, mas mandou por cima da meta. O Cruzeiro, por sua vez, assustava nos contra-ataques e quase abriu o placar com Kim, que não avançou contra a goleira Michelle.

Melhores em campo, as Sereias chegaram ao primeiro gol aos 24 minutos, quando Thaisinha cruzou da direita e a zagueira Jajá desviou contra a própria meta, fazendo 1 a 0 na Vila Belmiro. Mesmo na frente, as comandadas de Guilherme Giudice seguiram melhores em campo. Aos 38, Giovanna cruzou pela direita e Cristiane apareceu entre as zagueiras para desviar. O toque da camisa 11, porém, acabou saindo fraco e Mary Camilo defendeu.


A segunda etapa seguiu com as Sereias dominando as ações no meio de campo e buscando ampliar o marcador. Aos 8 minutos, Thaisinha aproveitou rebote dentro da área e aplicou um chapéu na marcação. Porém, a zaga do Cruzeiro agiu rápido e afastou o perigo.

Mas equipe mineira não conseguiu segurar a pressão. Aos 20 minutos, Ketlen desviou cobrança de escanteio e a bola ficou livre para Brena mandar para o fundo das redes, abrindo dois de vantagem. Após o segundo tento, as santistas seguiram dominando as ações, mas não ampliaram o marcador e a partida terminou mesmo com triunfo alvinegro por 2 a 0 na Vila Belmiro.


Com o resultado, as comandadas de Guilherme Giudice chegaram aos 9 pontos, mantendo o 100% no torneio nacional. Além disso, as Sereias também não tiveram sua rede balançada até o momento. São 9 gols pró e nenhum contra.

O Cruzeiro só volta a campo no dia 29 de fevereiro, um sábado, quando encara o Palmeiras, às 17 horas, no Estádio das Alterosas, em Belo Horizonte. Já as Sereias jogam no dia seguinte, 1º de março, domingo, às 14 horas, contra o Grêmio, no Vieirão, em Gravataí, no Rio Grande do Sul.

Gamarra no Internacional

Matéria reproduzida da Revista do Inter nº 35
Foto: Revista Placar

Gamarra em ação pelo Internacional. Já fez fama de grande zagueiro pelo colorado

Durante o ano de 1997, com seus 88 anos de história, o Sport Club Internacional apresentava à torcida um time promissor, dotado de inegáveis virtudes. No gol, tinha a segurança de André, nas laterais as presenças de Luciano e Enciso, no meio – campo os incansáveis Fernando e Anderson, aliados à criatividade de Sandoval. A dupla infernal, Fabiano e Christian, completavam a equipe colorada. Porém, meses antes das camisas 7 e 9 virarem a febre vermelha em Porto Alegre, o torcedor já idolatrava a número 4, que pertencia a ninguém menos que Carlos Alberto Gamarra Pavón. Mais um grande zagueiro na vida do Internacional.

O magnetismo que existe entre a Academia do Povo e defensores estrangeiros não é novidade para os colorados. O Clube já conviveu com o chileno Figueroa, nos anos 70 e o uruguaio Oscar Aguirregaray, na década de 80. O primeiro fez o gol iluminado contra o Cruzeiro, que deu o primeiro título em Brasileiros para o Internacional. O segundo integrou a equipe que venceu o Gre-Nal do Século. Gamarra surgiu em 1996 apenas para confirmar isso. O paraguaio chegou ao Inter sem muito alarde, depois de ter sido contratado junto ao Cerro Porteño.

Na época com 25 anos, Gamarra desembarcou bem recomendado por Paulo César Carpegianni e de forma tímida jogou para se eternizar no coração dos colorados. A estréia aconteceu no confronto entre Internacional e Goiás, pelo Campeonato Brasileiro de 1996. O resultado foi 1x1, mas os milhares de torcedores que tomaram o Gigante testemunharam o nascimento de uma nova idolatria. 

Dali adiante, Gamarra já mostrava as credenciais que o levariam para a Seleção do Paraguai e em pouco tempo conquistou para si a braçadeira de capitão. Dentro de campo demonstrava força e alta qualidade técnica que o transformariam num dos defensores mais leais do futebol mundial. Possuía imposição na bola aérea e facilidade para sair com a bola dominada. Atualmente, em conversas de futebol, Gamarra é alçado como parâmetro para definir a qualidade de um zagueiro. Em 1997, o Internacional conquistou o Campeonato Gaúcho contra o Grêmio. Fabiano Souza aparece para os holofotes com um belíssimo gol em cima de Danrlei. Aquele jogo, ao seu final, expressava dois extremos: a alegria pelo título e a consternação pela saída ídolo paraguaio do Clube.


Num último esforço, os colorados em coro pediam que Gamarra permanecesse no Internacional. A taça já não importava mais e sim a preservação de um futebol aguerrido e de qualidade, algo poucas vezes visto quando fala-se em zagueiros no Brasil. Após a passagem pelo Internacional, Gamarra esteve na Copa de 1998, defendendo seu país. Mostrou ao mundo como se joga 360 minutos de uma competição sem cometer uma única falta. Enfrentou, com o braço machucado, a pressão da seleção francesa composta Zinedine Zidane, Barthez e Thuram. Ao longo da carreira, ele acumula passagens por grandes times brasileiros, como Flamengo, Corinthians e Palmeiras, entretanto, ele se diz torcedor de apenas dois Clubes: Cerro Porteño e Sport Club Internacional.

FPF divulga tabela e regulamento da Segunda Divisão Paulista 2020

Com informações da FPF


Está definida a tabela de jogos do Campeonato Paulista Sub-23 Segunda Divisão de 2020. A competição começa no sábado, dia 18 de abril, com três jogos às 15 horas. A primeira rodada será completada no domingo, dia 19, às 10 horas. Todas as partidas do campeonato terão transmissão ao vivo da FPF TV.

As informações foram divulgadas pela Federação Paulista de Futebol na tarde desta segunda-feira, dia 17.

Confira os jogos da primeira rodada:

Sábado, 18 de abril
15h
Manthiqueira x Barcelona
Atlético Mogi x Joseense
Mauá x Jabaquara

Domingo, 19 de abril
10h
Francana x Inter de Bebedouro
Itararé x Mauaense
Santacruzense x União Barbarense
Amparo x Brasilis
Andradina x Araçatuba
Tanabi x Bandeirante
Assisense x XV de Jaú
São-carlense x América
Independente x Vocem
Mogi Mirim x Guarulhos
Osasco x Elosport
Osvaldo Cruz x Grêmio Prudente
Itapirense x Jaguariúna
Matonense x Taquaritinga
União Suzano x União Mogi


Confira abaixo a tabela completa e o regulamento:




Competição - O Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 2020 contará com 42 equipes, divididas em seis grupos de sete equipes cada. Os dois primeiros de cada chave e os quatro melhores terceiros colocados estarão no mata-mata e, no mínimo, com vaga assegurada na Série B1 de 2021. Os dois primeiros colocados subirão para a Série A3. Já os times que forem eliminados na etapa inicial jogarão a Série B2 em 2021.

Eltinho valoriza preparação do Juventude para duelo na segunda fase da Copa do Brasil

Foto: Arthur Dallegrave/Juventude

Eltinho valoriza o tempo de preparação para a segunda fase da Copa do Brasil

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou na última sexta-feira as datas de alguns confrontos da segunda fase da Copa do Brasil. Um dos duelos agendados é XV de Piracicaba x Juventude no próximo dia 26 de fevereiro, às 16h30, no estádio Barão da Serra Negra.

Como não chegou entre os semifinalistas do turno do Campeonato Gaúcho, o Juventude fez a sua última partida no dia 08 de fevereiro no empate em 0 a 0 com o Ypiranga. Em resumo, os comandados de Marquinhos Santos terão mais de duas semanas de preparação para o duelo decisivo em solo paulista.

Na opinião de Eltinho, uma das lideranças do elenco alviverde, o longo período será bastante benéfico. Ontem (domingo), por exemplo, o Juve goleou o Brasil de Farroupilha por 4 a 0 num jogo-treino. “Não tivemos um começo de estadual como esperávamos, mas ao menos passamos de fase na Copa do Brasil. Essa parada está servindo para melhorarmos em vários aspectos. Estamos treinando bastante e aproveitando para corrigir erros”, comentou o lateral que foi titular na atividade diante do Brasil de Farroupilha.


O Juventude tem um histórico positivo na Copa do Brasil. Em 1999 foi o campeão superando o Botafogo na final. No ano passado, o Jaconero chegou até as oitavas de final e durante a competição eliminou América Mineiro e Botafogo, dois times da Série A. Eltinho, que estava no elenco de 2019, crê que o Juventude novamente pode fazer uma bela campanha na competição nacional.

“Estamos muito confiantes para uma classificação para a terceira fase. Respeitamos a equipe do XV de Piracicaba até porque jogarão na casa deles. Já eliminaram o Londrina e tem qualidade. No entanto, acredito que temos totais condições de ir buscar um grande resultado em São Paulo e manter essa tradição de boas campanhas do Juventude na Copa do Brasil”, finalizou o camisa 6.

Ex-santista Derlis González reestreia pelo Olimpia com gol

Foto: divulgação Club Olimpia

Derlis vibra com o gol marcado neste domingo diante do 12 de Octubre, em Assunção

Não poderia ter sido melhor a reestreia de Derlis González com a camisa do Olimpia. O atacante marcou um dos gols da vitória por 4 a 0 sobre o 12 de Octubre, em partida disputada na noite deste domingo no Estádio Manuel Ferreira, em Assunção, pela quinta rodada do Campeonato Paraguaio.

“Fui muito bem recebido por todos no clube, o que facilitou bastante minha adaptação com o elenco, mesmo com o pouco tempo de treinamento. Recomeçar minha trajetória com vitória, e ainda marcando gol, é motivo de muita alegria”, declarou o avançado da seleção paraguaia, que atuou pelo Olímpia em 2014 e disputou 54 jogos pelo Santos entre 2018 e 2019.

Superclássico no domingo - Com o triunfo sobre o 12 de Octubre, o Olímpia passou a somar 10 pontos ganhos, ocupando o quarto lugar do campeonato nacional, três pontos atrás do líder Guarani. O time de Derlis González volta a campo no próximo domingo, no superclássico do Paraguai com o Cerro Porteño.


Ataque com nomes conhecidos - Derlis González terá trabalho para conquistar o seu espaço no ataque do Olimpia. Tudo porque o clube conta com dois grandes nomes do futebol mundial, apesar de veteranos. Um é o paraguaio Roque Santa Cruz, de 38 anos, conhecido por sua passagem pelo Bayern de Munique. O outro foi contratado recentemente e é o togolês Emmanuel Adebayor, de 36 anos, que defendeu diversos clubes europeus.

Libertadores - O Olimpia estará na Copa Libertadores da América 2020 e Derlis González enfrentará o seu ex-clube, já que os paraguaios estão no mesmo grupo do Santos, o G. Além das duas equipes, a chave conta com o argentino Defensa y Justicia e o equatoriano Delfin.

Primavera tem o seu pior inicio de temporada nos últimos 12 anos

Por Giovanni Romão
Fotos: Lucas Menezes / EC Primavera

A equipe do Primavera: apenas uma vitória e pior início nos últimos 12 anos

O Campeonato Paulista da Série A3 de 2020 caminha para sua 7ª rodada e a essa altura é possível ver quem brigará pelo acesso a Série A2 e aqueles que lutarão contra o rebaixamento a Série B1 do ano seguinte. Campeão da Segunda Divisão de 2018 e 9° colocado na A3 do ano anterior, o Primavera tem superado todas as expectativas de seu torcedor, só que negativas. Nem o mais pessimista primaverino imaginava que o clube amargaria a lanterna da competição após seis rodadas de disputa, ainda mais com o anúncio do Deco sendo seu gestor. 

Historicamente, o Esporte Clube Primavera sempre foi um clube que realizou boas campanhas na quarta divisão estadual, porém o mesmo não se repete quando chega ao terceiro escalão do futebol paulista. A temporada de 2020 marca como a 19ª aparição primaverina na terceira divisão estadual. Seu melhor desempenho na divisão ocorrera na temporada de 1981, quando chegou até o hexagonal final, ao lado de Bandeirante de Birigui, Cruzeiro FC (campeão), Guaçuano, Grêmio Novorizontino e Tupã FC.


No século XXI, o Fantasma da Ituana chegou perto de sonhar com a Série A2 nos anos de 2004 e 2015, quando se classificou para a fase final, porém foi lanterna de sua chave nas duas oportunidades. Exceto essas campanhas, o time sempre esteve brigando para não cair, além de 2007 e 2016, quando foi rebaixado. Entretanto, nem nos anos em que caiu, o começo de campeonato foi tão desastroso como está sendo em 2020. Tanto em 2007 quanto em 2016, nos seis primeiros jogos o Tricolor havia vencido 2 jogos, empatado 2 e perdido outros 2. Em 2020, até o momento foram 4 derrotas em 6 jogos, com apenas 1 vitória e 1 empate. 

A última vez que o Primavera havia iniciado o campeonato de forma tão ruim foi em 2008, na disputa da Segunda Divisão, quando nos 6 primeiros jogos foi derrotado em 5, vencendo apenas um. Ressaltando que o ano de 2008 foi a pior temporada da história do clube na era profissional. 

No século XXI, o Tricolor está disputando a Terceira Divisão pela 8ª vez (2004-07, 2015, 2016, 2019 e 2020), até o último jogo disputado esse ano, foram 140 partidas realizadas, com 35 vitórias, 41 empates e 64 derrotas, marcando 169 gols e sofrendo 202 gols. Se pegarmos apenas os últimos 40 jogos disputados, foram apenas 8 vitórias, o que é muito pouco para um clube que sonha em ascender a Série A2, divisão que não disputa desde 1987. 

O único registro positivo ficou na vitória na estreia, no triunfo por 1 a 0 sobre o Capivariano no clássico regional. Após isso, quase todo jogo marcou uma nova quebra de marca.

Desportivo Brasil 4 x 1 Primavera
Primeira derrota para o clube portofelicense desde 2012, e a primeira partida em que sofre no mínimo 4 gols desde 2015, na derrota por 5 a 2 para o Barretos, pela 2ª fase da Série A3 daquele ano.

Primavera 0 x 3 Rio Preto
Nesse jogo foram quebradas 4 marcas de uma vez: 
  • O fim da sequência de 16 jogos sem derrotas dentro de casa, sendo essa a 3ª maior marca na era profissional; 

  • A primeira partida que o Primavera sofre no mínimo 3 gols dentro de casa desde 2013, na derrota por 3 a 2 para o SEV/Hortolândia, na 1ª fase da Segunda Divisão daquele ano; 

  • A primeira derrota do Primavera em casa por no mínimo 3 gols desde 2010, na derrota por 3 a 0 para o Taboão da Serra, na fase final da Segunda Divisão daquele ano; 

  • A primeira troca de treinador com campeonato em andamento desde 2016. Nos anos de 2017 (Luis dos Reis), 2018 (Paulo Pereira) e 2019 (Fernando Souza) o Fantasma começou e terminou o campeonato com o mesmo técnico; 
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas praticando esportes e atividades ao ar livre
Grêmio Osasco 1 x 0 Primavera 
Primeira derrota primaverina em Osasco desde 2005, até então eram 7 jogos (3 vitórias e 4 empates) em território osasquense sem perder, e a primeira derrota para o GEO;

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre
Primavera 0 x 1 Batatais
Primeira derrota primaverina em casa para o Batatais em partidas oficiais; 

Até a 6ª rodada, o Primavera acumulou 3 derrotas seguidas, algo que não acontecia desde 2015, na 2ª fase da Série A3, e a sequência de 4 jogos sem marcar gols. A maior sequência do Primavera sem balançar as redes ocorreu na temporada de 1986, quando ficou 7 gols sem saber o que é marcar um gol. Essa marca chegou perto de ser quebrada na temporada anterior, quando o clube ficou 6 jogos sem balançar as redes. 

A próxima partida acontece no sábado que vem (22), também em casa, contra o EC São Bernardo, que briga por uma vaga no G8 da competição. O time do técnico Paulo Pereira tem uma semana para trabalhar e mostrar reação para ao menos conseguir assegurar a permanência na divisão para 2021, se não cada vez mais o rebaixamento será uma realidade ao Tricolor Indaiatubano.
Proxima  → Inicio

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações