quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

O início de Romário no Olaria

Por Lucas Paes
Foto: arquivo Olaria

Romário jogou na base do Olaria

Romário é um dos maiores nomes da história do futebol mundial. O baixinho ficou conhecido ao longo de sua carreira como o "Rei da Pequena Área" e marcou época no futebol brasileiro jogando por Vasco, Flamengo e Fluminense, além de passagens ótimas por PSV e Barcelona na Europa. Além de tudo isso, o Baixinho ainda foi protagonista direto do quarto título mundial da Seleção Brasileira. Neste dia 29, o ex-jogador completa 54 anos. Muito antes de começar a jogar pelo Vasco, ainda um garoto, Romário jogou na base pelo Olaria.

O irreverente e ousado Baixinho começou sua trajetória do futebol no Estrelinha, time de bairro fundado por seu pai, onde começou a desenvolver sua habilidade e velocidade, que o davam vantagem sobre zagueiros maiores. Ao perceber o talento do garoto, seu pai, Sr. Edevair, levou Romário para fazer um teste no Vasco, onde o baixinho acabou não sendo aprovado. Acabou sendo levado por um olheiro para o Olaria, então, com apenas 13 anos, em 1979, entrando na categoria infantil. 

Em seu primeiro ano no Olaria, Romário foi artilheiro e campeão do Campeonato Carioca de sua categoria. Continuou tendo desempenho bom no ano de 1980. No início de 1981, acabou sendo procurado pelo Vasco de Gama, para onde acabou "se transferindo", não sem antes acabar envolvido numa problemática causada pelas circunstâncias da época. Como não havia na época nenhum tipo de vínculo entre Romário e Olaria, o Vasco simplesmente o levou para treinar na base cruzamaltina.


Se sentido prejudicado, porém, o Olaria usou do direito que tinha de reclamar sobre ser prejudicado na transferência do Baixinho, fazendo com que Romário ficasse um ano inteiro sem poder jogar pelo Vasco. Há quem diga também que tal fato teve a ver com a idade, já que ele não poderia se profissionalizar ou ter um "passe" até os 16 anos, além de ser muito mais novo que os jogadores de sua categoria, já que jogava um campeonato "sub-15" com apenas 13 anos. De qualquer jeito, ele ficou um ano sem jogar pela base vascaína. 

Depois de um ano de molho, Romário passou a jogar pelas categorias de base do Vasco, onde completa sua formação até 1986, quando finalmente passa a jogar pelo time profissional do Cruzmaltino. O resto, como nós todos sabemos, é história, uma das mais brilhantes do futebol mundial, recheada de gols e de momentos onde o Baixinho deu alegria ao torcedor. 

Brasil complica jogo fácil, mas vence a Bolívia e avança antecipadamente no Pré-Olímpico

Foto: divulgação Conmebol

Brasil complicou um jogo fácil, mas venceu por 4 a 3

Em partida realizada na noite desta terça-feira, dia 28, terminando já na madrugada de quarta, no horário de Brasília, o Brasil teve tudo para golear a Bolívia, no Estádio Olímpico, em Armênia, na Colômbia, pelo Torneio Pré-Olímpico. Chegando a estar vencendo por 4 a 1, o time canarinho vacilou, tomou dois gols bolivianos, mas ainda assim fez um no final e triunfou pelo placar de 5 a 3.

O Brasil folgou na rodada anterior, mas vinha e duas vitórias: 1 a 0 contra o Peru e 3 a 1 sobre o Uruguai, quando fez boa apresentação. Já a Bolívia não jogou na abertura do grupo e depois perdeu para o Paraguai, por 2 a 0, e venceu o Uruguai por 3 a 2.

O time canarinho começou o jogo em ritmo acelerado e abriu o marcador logo no segundo minuto de partida, com Antony, após cruzamento de Paulinho. Aos 15', saiu o segundo, com Matheus Cunha, em posição de impedimento. Vale ressaltar que não tem VAR no Pré-Olímpico.

A Bolívia até esboçou uma reação e diminuiu aos 19', com Abrego, após bom passe de Vaca. Porém, o Brasil dominava a partida e chegou ao terceiro gol aos 38 minutos, com Guga, após jogada de Matheus Henrique. Assim, a partida foi para o intervalo com o placar de 3 a 1.

Na segunda etapa, a Seleção Brasileira não diminuiu o ritmo e ampliou o marcador aos 15 minutos. Em contra-ataque, Antony serviu Paulinho, que deu um passe preciso para Reinier fazer mais um: 4 a 1 para o time canarinho.


A Bolívia voltou a acordar na partida e marcou duas vezes. A primeira aos 25 minutos, com Abrego, após passe de John García, e a segunda aos 33', com Reyes, após cruzamento de Saldías. O ímpeto boliviano diminuiu a partir dos 42', quando Vaca foi expulso, após entrada maldosa em Antony.

O time brasileiro ainda teve tempo pra fazer mais um: aos 49', Pepê balançou as redes, após passe de Caio Henrique. E assim, mesmo se complicando em uma partida que parecia fácil, o Brasil venceu por 5 a 3 e garantiu sua classificação antecipada para o quadrangular decisivo da competição.

A última rodada do Grupo B da primeira fase do Torneio Pré-Olímpico para Tóquio 2020, na Colômbia, acontece nesta sexta-feira, dia 31. Às 20 horas, a Bolívia encara o Peru, enquanto às 22h30, o Brasil terá pela frente o Paraguai. Os jogos serão realizados no Estádio Centenário, em Armênia.

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Velo Clube vence a primeira e dorme na liderança do Paulista A3

Foto: Pedro Sarti

Comemoração em um dos gols do Velo Clube na partida

O Velo Clube venceu pela primeira vez no Campeonato Paulista da Série A3 de 2020. O time de Rio Claro recebeu o Rio Preto, no Benitão, pela partida que abriu a segunda rodada da competição, e conquistou vitória por 2 a 0.

Como empatou sem gols com o Olímpia na estreia, o Velo Clube chega agora aos quatro pontos e dorme na liderança da competição. No entanto, quatro clubes com três pontos e outros cinco com um ainda jogam na rodada e podem ultrapassar a equipe rio-clarense. O Rio Preto fica estacionado nos três pontos. O time tinha batido o Comercial por 1 a 0 na estreia e agora conheceu sua primeira derrota.

O jogo começou equilibrado e com o Rio Preto criando as principais chances de gol, mas o goleiro Filipe Garça garantiu que o placar não fosse movimentado nos primeiros minutos.

Quando respondeu, no entanto, o Velo Clube foi fatal. Aos 23 minutos, o volante Eurico pegou a sobra de bola rebatida pela defesa e acertou um lindo chute da entrada da área para abrir o placar.

Na segunda etapa, o time da casa seguiu perigoso, principalmente nas jogadas pelo lado direito, e ampliou aos 27 minutos com Rodney. Ele tabelou com Lucas Negueba, invadiu a área e bateu cruzado para fazer um bonito gol e sacramentar a vitória.


O Rio Preto ainda tentou responder nos minutos finais, mas não teve forças para buscar uma reação. Aparentando maior vigor físico, o Velo Clube administrou a vantagem e controlou a partida sem sustos até o apito final.

Os dois times voltam a campo no próximo sábado (1), pela terceira rodada da Série A3. O Rio Preto recebe o Noroeste, no Anísio Haddad, enquanto o Velo Clube joga contra o Desportivo Brasil, no Benitão, em Rio Claro.

No Rio Branco, Felipe Nunes fala do início no Campeonato Paranaense

Foto: divulgação Rio Branco

Felipe Nunes defendendo o Rio Branco de Paranaguá

Felipe Nunes fala do início no Campeonato Paranaense contra os times grandes e projeta classificação para a próxima fase. Apesar de ter apenas dois pontos em três jogos, a equipe mostrou grande desempenho nas partidas.

Três rodadas do Campeonato Paranaense passaram e o Rio Branco, do meio-campista Felipe Nunes, está na nona posição com apenas dois pontos, mas apesar de não ter vencido ainda, a equipe arrancou empates contra o Paraná e Coritiba.

“O desempenho da equipe nesses três jogos foi muito bom, demonstramos contra times de tradição que temos qualidade e que podíamos ter vencido os jogos”, comentou o meia.

Agora, o Rio Branco vai ter seis jogos seguidos contra times que detém o mesmo nível de investimento, podendo começar a vencer e subir na tabela para conseguir a classificação para as quartas de final da competição. O meia espera que a equipe possa ganhar os próximos jogos.


“Enfrentamos times de tradição do estado e agora vamos jogar mais quatro jogos em casa e dentro de casa nós somos mais fortes. Com a ajuda do nosso torcedor nós temos totais condições de conseguir essa vaga”, finalizou. O jogador tem um gol na competição marcado contra o Coritiba no Couto Pereira.

O próximo jogo do Rio Branco é nesta quarta-feira, dia 29, às 16 horas contra o Cascavel CR. A partida está marcada para o Estádio Nelson Medrado Dias, em Paranaguá.

Liga de Futebol divulga calendário da Taça Paulista 2020

Foto: divulgação Liga de Futebol Paulista

Palco da premiação dos torneios em 2019

A Liga de Futebol Paulista, filiada à Liga Nacional de Futebol do Brasil, presidida pela advogada Gislaine Nunes, divulgou o calendário de competições da entidade no ano de 2020. A pretensão é organizar seis torneios na temporada.

De acordo com a divulgação, o calendário será aberto com a Taça Paulista, nas categorias Sub-17 e Sub-20, que estão previstos para iniciarem em 22 de março, com a final sendo realizada em 21 de junho. Já a Taça Paulista, nas categorias Sub-13, Sub-15 e Sub-23 (profissional), tem previsão de começar em 23 de agosto, com as finais em 22 de novembro.

Sub-17 e Sub-20 - Além da previsão de início da Taça Paulista, nas categorias Sub-17 e Sub-20, a Liga também divulgou algumas informações sobre a competição. A primeira é que haverá premiações: o campeão vai faturar R$ 10 mil e o vice R$ 5 mil, em ambas as categorias, além de troféus e medalhas.

A expectativa da entidade é que a competição tenha de 16 a 24 equipes envolvidas. Entre os possíveis participantes estão Vila Nova de Marília, Jaboticabal Atlético, Bebedouro SC, Rádium de Mococa, Jalesense AC, Rose'n Boys de Franca, Matão EC, Arujaense EC, MSA de Mogi Guaçu, Valparaíso FC, AFF de SJ Rio Preto,Grêmio BV Rio Claro, Peruíbe EC, T. Esportes Mauá, Corinthians de Presidente Prudente, Raça de Hortolândia, Agudos, Botucatu, Sertãozinho, Montealtense e Tietê estariam se preparando para disputarem os dois torneios.


De acordo com a Liga de Futebol Paulista, a entidade conta atualmente com 40 clubes filiados, sendo que alguns estão licenciados. Porém, para 2020 há mais oito clubes que estão em fase de filiação. "Clubes de tradição no futebol paulista", segundo uma fonte.

2019 - Na temporada passada, a Liga de Futebol Paulista organizou dois torneios: a Taça Paulista, nas categorias Sub-16 e Sub-19. O Jalesense, na primeira, e o Garça, na segunda, foram os grandes campeões das competições, que tiveram as finais sendo realizadas no Pacaembu, na capital do estado, em 4 de agosto.

Torcedores do interior de São Paulo e Santos foram impedidos de ver seu time em campo

Por Lula Terras
Foto: Ivan Storti/Santos FC

Guarani e Santos, em Campinas, foi com torcida única

Está cada vez mais difícil acompanhar o futebol brasileiro, principalmente para quem ama a modalidade que, a cada ano, perde espaço para outras modalidades, como o voleibol e o futebol de salão, que lotam as quadras e já tem seu espaço cativo na mídia televisiva. Além da qualidade sofrível demonstrada em campo, temos a lamentar, outro absurdo quem vem acontecendo, a imposição, por parte das autoridades polícias para a realização de partidas, com torcida única, como aconteceu neste final de semana, em Araraquara e Campinas. 

Válidos pela segunda rodada do Campeonato Paulista da Série A, em Araraquara o jogo entre Palmeiras 0 a 0 São Paulo e, em Campinas, Guarani 1 a 2 Santos, os torcedores são paulinos e santistas, mesmo os que residem nas redondezas dessas cidades, ficaram proibidos de assistir o jogo de seu time, no estádio. 

Para mim, a imposição, que vem desde 2016, atingindo os quatro grandes de São Paulo, em seus estádios, está sendo extrapolada, por parte dos responsáveis pela segurança, atingindo agora, o Interior do Estado, onde residem milhares de torcedores das grandes equipes paulistas. O argumento de evitar os confrontos entre os torcedores no estádio, não cola, é só acompanhar os noticiários pós-jogo, que mostra os confrontos, acontecendo em outras localidades, geralmente, convocadas pelos líderes de gangues, através das redes sociais.


Fica então uma sugestão à Federação Paulista de Futebol, que recebe muito dinheiro, durante suas competições. Uma vez que as autoridades, sob o argumento de não ter homens o suficiente para o serviço, não permitem jogos com duas torcidas por que então não contrata empresas especializadas em segurança, com funcionários capacitados para controlar situações de risco e deixa para a Polícia Militar, a função que já é sua, de colocar seu serviço de inteligência para, um trabalho preventivo, como monitorar os grupos violentos, através de suas redes sociais, e garantir a segurança nas ruas próximas ao estádio. Se houver outras medidas mais eficientes que as coloquem em prática, é sempre melhor do que manter os torcedores longe dos estádios. 

A continuar assim, muito em breve não teremos mais jogos abertos à qualquer torcedor, como sempre foi sua essência.

Fausto, o 'Maravilha Negra', no Barcelona

Foto: arquivo Barcelona

Fausto com a camisa do Barcelona: um dos primeiros brasileiros no clube catalão

Neste 28 de janeiro de 2020, está completando 115 anos do nascimento de um dos maiores jogadores da fase de transição entre o amadorismo e profissionalismo do futebol brasileiro. Estamos falando de Fausto, que ficou conhecido como o 'Maravilha Negra'. O volante, ao lado do goleiro Jaguaré, foi o primeiro brasileiro a atuar no Barcelona.

Nascido no Rio de Janeiro, Fausto começou no Bangu, onde já se tornou um dos grandes jogadores do Rio de Janeiro, mas também ficou conhecido por sua vida boêmia. Em 1928, foi para o Vasco, onde tornou-se um dos líderes do time campeão carioca de 1929. Estas atuações o fizeram ir à Copa do Mundo de 1930, onde recebeu o apelido de 'Maravilha Negra', dado pelos uruguaios, mesmo com o Brasil não indo tão bem na competição.

Mas a história dele com o Barcelona começou em 1931. O Vasco da Gama foi o primeiro time do Rio de Janeiro a excursionar na Europa. O cruzmaltino encarou o time catalão e perdeu por 3 a 2 em 28 de junho daquele ano. No dia seguinte houve a revanche e os brasileiros levaram a melhor, ganhando por 3 a 2.

O Vasco voltou ao Brasil em alta, pois tinha vencido um time europeu e com a Copa Myrurgia na bagagem. Porém, dois jogadores acabaram ficando na Catalunha: o goleiro Jaguaré e o volante Fausto. E aí começava a história da 'Maravilha Negra' pelo Barcelona.

Fausto fez grandes atuações pelo Barcelona. Chegou a, inclusive, a receber um elogio da revista France Football quando a sua equipe se apresentou em Paris. “Ele faz com espantosa facilidade o que outros fariam com um esforço sobre-humano. Fausto, com seu futebol maravilhoso, veio ensinar à Europa como deve jogar um center-half”, dizia a reportagem.


Pelo Barcelona, Fausto chegou a ser campeão catalão, mas as noitadas da fase Rio de Janeiro, que continuava na cidade catalã, começaram a cobrar o jogador. Aliás, antes de ir para a Espanha, ele já teve um aviso, quando foi cortado de um jogo da Seleção Brasileira contra o Uruguai por causa de uma "forte gripe". Era os primeiros indícios da tuberculose.

Já em 1932, Fausto não apresentava mais o vistoso futebol que fez o Barcelona contratá-lo. Uma derrota para um clube húngaro foi a gota d'água e ele acabou dispensado do clube catalão. O 'Maravilha Negra' chegou a atuar dois meses pelo Young Fellows, da Suíça, e voltou ao Brasil.

No Rio de Janeiro, retornou ao Vasco onde melhorou de saúde, foi campeão carioca de 1934 e só não foi à Copa do Mundo por causa da briga entre entidades profissionais e amadoras do futebol brasileiro. Ainda defendeu Nacional do Uruguai e Flamengo, onde encerrou a carreira em 1938. No ano seguinte, mais precisamente em 28 de março, faleceu devido ao agravamento da tuberculose.

FFERJ suspende agremiações acusadas em escândalo de manipulação de resultados

Foto: Gabriel Farias / FutRio

Atlético Carioca, que teve Acosta, e São José foram denunciados por manipulação de resultados

No último domingo, dia 26 de janeiro, o programa Esporte Espetacular, da Rede Globo de Televisão, apresentou uma longa reportagem denunciando um esquema de manipulação de resultados no Campeonato Carioca da Série C de 2019, o quarto estágio do futebol local. A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FFERJ) suspendeu os envolvidos e seus respectivos clubes das atividades.

Baseado em investigações da Delegacia de Defraudações da Polícia Civíl e pelo Grupo de Atuação Especializada do Desporto e Defesa do Torcedor do Ministério Público do Rio de Janeiro (GAEDEST), a reportagem divulgou áudios e vídeos, mostrando, principalmente, o envolvimento de dirigentes e alguns jogadores de dois clubes que estavam no Grupo C da competição: Clube de Futebol São José e Esporte Clube Atlético Carioca.

A reportagem foi a fundo, mostrou vídeos dos jogos das duas equipes, apontando lances duvidosos. Também deixou claro quem seriam os suspeitos de estarem envolvidos no esquema. Tudo isto para que pessoas levassem vantagem em apostas que envolvem os resultados e até mesmo alguns dados estatísticos da partida, como número de escanteios.

Apesar da reportagem ter sido baseada na investigação do São José e Atlético Carioca, a própria polícia deixou claro que a investigação está indo além e que há indícios de que até oito ou nove clubes que participaram da competição podem estar envolvidos no esquema.

Com isto, a FFERJ resolveu suspender os dirigentes do São José e Atlético Carioca citados na reportagem, que são Adilson Faria de Souza; Maurício Pelegrini e Emerson Silvano da Silva, sócio administrador, diretor das categorias de base e investidor, todos do São José. Pelo Atlético Carioca, a entidade que rege o futebol do estado aplicou a decisão para Maicon Vilela e Thiago dos Santos Soeiro, presidente e auxiliar-técnico do clube, além das próprias agremiações.

Confira o trecho do documento divulgado pela entidade confirmando o ato:

A FFERJ resolve:
Decretar a SUSPENSÃO PREVENTIVA DESPORTIVA das pessoas naturais e jurídicas abaixo descritas. Suspensão esta que deve abranger todas as atividades relacionadas ao futebol dentro do chamado sistema FIFA:
1) Clube de Futebol São José (clube empresa com razão social: Itaperuna Empreendimentos Esportivos Ltda.);
2) Adilson Faria de Souza (Sócio Administrador do Clube de Futebol São José);
3) Maurício Pelegrini (Diretor das Categorias de Base do Clube de Futebol São José);
4) Emerson Silvano da Silva (Investidor do Clube de Futebol São José);
5) Esporte Clube Atlético Carioca (clube associativo);
6) Maicon da Silva Vilela (Presidente do Esporte Clube Atlético Carioca);
7) Thiago dos Santos Soeiro (Auxiliar Técnico do Esporte Clube Atlético Carioca).
Remeter expediente ao Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol do Estado do Rio de Janeiro (TJD/RJ) solicitando a ratificação da suspensão preventiva desportiva imposta, bem como a denúncia dos envolvidos e apuração sobre a existência de quaisquer outros agentes no episódio de manipulação de resultados noticiado.
Esclarecer que o Clube de Futebol São José e o Esporte Clube Atlético Carioca não possuem atletas registrados no momento, o que afasta a necessidade de liberação dos atletas em razão da suspensão preventiva desportiva ora aplicada. Esta resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições em contrário.


As duas equipes estavam no Grupo C do Campeonato Carioca da Série C de 2019. O São José foi o quarto colocado na chave, com 10 pontos ganhos, e o Atlético Carioca foi o quinto e último colocado, fazendo apenas cinco pontos. As duas equipes foram eliminadas na primeira fase.

Outros casos - Vale ressaltar que a última divisão do Campeonato Carioca não é a única que teve escândalo de manipulação de resultados divulgado. Ainda no ano passado pelo Paulista da A3 e Sub-20, o Batatais foi envolvido em caso semelhante, chegando a ser julgado no TJD-SP e STJD e, apesar da punição em multa, foi suspenso apenas na Copa Paulista, voltando ao terceiro escalão do futebol do estado (onde estava) nesta temporada.

Um caso que ficou famoso no país foi em 2005, revelado pela Revista Veja, onde envolvia as elites do Campeonato Paulista e Brasileiro, conhecido como "Máfia do Apito", onde árbitros manipulava resultados. Em outros esportes há vários casos, sendo que o tenista brasileiro João Olavo de Souza, o Feijão, foi banido da sua modalidade no último sábado, dia 25, por manipulação de resultados.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

No apagar das luzes, Santos bate o Guarani e vence a primeira no Paulistão

Por Lucas Paes
Foto: Ivan Storti/SFC


No jogo 100 com a camisa santista, Eduardo Sasha passou em branco

No apagar das luzes, o Santos foi buscar a vitória contra o Guarani no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, na noite desta segunda-feira, dia 27, em jogo válido pela segunda rodada do Campeonato Paulista. O Bugre lutou muito, mesmo com um jogador a menos no segundo tempo inteiro praticamente, mas o Alvinegro Praiano venceu e passou a liderança do Grupo A na competição. O Guarani segue com três pontos, na vice liderança do Grupo 4, atrás do Corinthians. 

O Guarani havia goleado na primeira rodada fora de casa, fazendo 4 a 0 em cima da Inter de Limeira em pelo Levy Sobrinho. Do outro lado, o Santos havia decepcionado na sua estreia, empatando em 0 a 0 com o Red Bull Bragantino em jogo onde o Massa Bruta teve as melhores chances. 

O duelo começou com o alviverde campineiro tentando pressionar o Peixe e já criando um lance logo no começo, com um cruzamento da direita de Pablo que foi bem defendido por Everson. O jogo começou muito travado e sem grandes lances de ambos os lados. Isso só foi mudar aos 21 minutos, quando o Santos trabalhou bem e Felipe Jonathan cruzou para Arthur Gomes abrir o placar no Brinco de Ouro. Pouco depois do gol, o Alvinegro Praiano chegou de novo, com uma jogada de Pará que terminou com finalização de Pituca para fora. 

Apesar de tocar muito a bola, os bugrinos não conseguiam oferecer perigo, enquanto os santistas tomavam conta das ações ofensivas, apesar de falharem na hora do último passe. Uma boa chance veio aos 33', quando Felipe Jonathan chutou de fora da área e a bola passou perto do gol alviverde. Com nenhuma das duas equipes conseguindo criar mais nenhuma grande chance, o primeiro tempo terminou mesmo com a vantagem alvinegra. 

A etapa final começou com expulsão: Lucas Abreu, do Bugre, deu entrada violenta em Luiz Felipe e foi expulso com justiça. Aos 4 minutos, os alviverdes chegaram em cobrança de falta de Giovanny que Everson espalmou. Pouco depois, o Peixe finalizou duas vezes seguidas, primeiro com um chute perigoso de Raniel e depois com uma chegada rápida de Jean Mota. O segundo tempo estava bem mais agitado e o time da casa chegou muito perto do empate aos 10', quando Bidu cabeceou com muito perigo e Everson fez uma defesaça. Ai foi a vez do Santos chegar, com Raniel rolando para o meio e Jeferson Paulino evitando que a bola chegasse para Sasha marcar.

Quando parecia que o Santos buscaria o segundo gol, o Guarani empatou o placar. Bidu cruzou na área, Marcelo cabeceou e Rafael Costa deixou tudo igual. Pouco depois o Peixe chegou, com Raniel chutando colocando e obrigando Jeferson à fazer boa defesa. Depois, Sasha perdeu boa chance em sobra de um escanteio.


A partir daí o jogo deu uma esfriada, sem grandes chances para os dois lados, apesar das duas equipes atacarem muito. Aos 40', o Guarani chegou e quase virou o jogo. Matheusinho puxou o contra-ataque e cavou para Júnior Todinho, que só não virou o jogo porque Everson saiu muito bem para evitar a virada. Pouco depois, Bruno Sávio chutou de longe e acabou mandando para fora. Ai foi a vez do Santos chegar, com Jean Mota chutando de fora da área para boa defesa de Jeferson. Quando parecia que o jogo terminaria empatado, nos acréscimos, Jean Mota bateu falta, Pablo tentou tirar e marcou contra. Vitória do Santos no Brinco de Ouro. 

Na próxima rodada, o Santos joga em casa, na Vila Belmiro, contra a Inter de Limeira, na quinta-feira, dia 30, as 19h15. O Guarani volta a jogar no mesmo dia, fora de casa, contra o Mirassol, as 21h30. 

Treinador da Lusa vê inicio de jogo ruim como crucial para derrota

Com informações da FPF
Foto: Ronaldo Barreto/NetLusa

Até agora a Lusa, do treinador Moacir Júnior, tem uma vitória e uma derrota

No último domingo (26), a Portuguesa perdeu para o São Bento pelo placar de 1 a 0, em partida válida pela segunda rodada do Paulistão A2 Sicredi. O jogo foi realizado na casa do adversário, no Estádio Walter Ribeiro. O revés faz a equipe estacionar na sexta posição, com três pontos ganhos.

Para o técnico Moacir Júnior, o início ruim da equipe afetou o resultado da partida. “Campeonato muito difícil, eu acredito que nosso time tenha pecado nos primeiros quinze minutos de jogo, em que jogamos muito abaixo do que poderíamos render no início da partida, e isso nos custou uma readaptação dentro do jogo. Tivemos a chance do gol, mas infelizmente bateu na trave”, analisou.

O treinador também cobrou um desempenho melhor da Portuguesa no decorrer da competição. “Na Série A2 é muito importante criar uma situação fora de casa e conseguir matar, porque isso desarticula a estratégia do adversário. Hoje nós perdemos nosso primeiro jogo, já que nem na preparação nós tínhamos perdido, então temos que saber lidar inteligentemente com isso, porque temos que render mais do que rendemos hoje”, disse.


O comandante já projetou a próxima partida no estadual, contra o Taubaté. “Agora temos que colocar a cabeça no lugar e estudar a equipe do Taubaté, para fazermos um jogo forte fora de casa. Não ganhamos em casa, mas não podemos trabalhar apenas com vitórias em casa”, concluiu.

A Portuguesa volta a campo na próxima quarta-feira (29), contra o Taubaté, em partida válida pela terceira rodada do Paulistão A2 Sicredi. O jogo será no Estádio do Canindé, às 20h30.
Proxima  → Inicio

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações