casasdeapostasbrasil.com

Vila Nova vence o Ituano e, além do acesso, é finalista da Série C

Por Lucas Paes
Foto: Miguel Schincariol / Ituano FC

O Vila Nova está de volta a Série B

O Vila Nova está de volta a Série B do Brasileirão. O Tigre bateu o Ituano, em pleno Novelli Júnior, por 1 a 0, no início da noite deste domingo, dia 17 e garantiu o acesso e a vaga na final do Brasileirão da Série C. No outro jogo, o Santa Cruz até fez sua parte vencendo o Brusque, mas de nada adiantou já que a vitória do Vila garantiu ao time goiano o primeiro lugar da chave.

A única situação já definida no Grupo C era o acesso do Brusque, que ainda poderia ser alcançado pelo Vila Nova, caso a equipe de Goiás vencesse o Ituano e o Brusque fosse derrotado pelo Santa Cruz. Os alvirrubros dependiam só de si. Já Santa Cruz e Ituano dependiam de combinações de resultados, além dos próprios esforços, para subir.

No jogo do Santa Cruz, no Arrudão, o Tricolor Coral não deu muitas brechas para o Brusque no primeiro tempo, abrindo 2 a 0 com gols de Pipico, aos 13 minutos e Victor Rangel, aos 31'. Seguindo sem dar chances para o Brusque no segundo tempo, o santinha marcou mais um aos 13', com Willian Alves. O Brusque marcou com Thiago Alagoano, de pênalti. O placar de 3 a 1 serviria para o time pernambucano, se o Vila não vencesse.

Em Itu, o Novelli Júnior testemunhou uma verdadeira batalha, com as duas equipes criando chances para marcar, porém falhando na finalização ou parando nos goleiros. A etapa inicial em zero resultada na "morte abraçada" do Galo e do Tigre. Na etapa final, as equipes voltaram buscando o gol, com o Vila metendo bola na trave com um minuto de jogo.


Aos 21', o time goiano marcou, mas o bandeira viu impedimento de Henan. Aos 31', porém, Emanuel Biancuchi fez um gol que valeu, um baita golaço da entrada da área, que deu a vantagem, vaga na final e o acesso ao Vila. Aos 47', o Ituano chegou a meter uma bola na trave, mas o resultado não mudou.

Agora, o Vila Nova disputará contra o Remo a final do Brasileirão da Série C, enquanto Brusque e Londrina completam os quatro times que subirão para a Série B do Brasileirão. Os catarinenses são de certa forma um intruso em meio a equipes que já disputaram diversas outras vezes a segunda divisão do Brasileirão e em algumas edições até a primeira.

Botafogo vence o Bahia na Fonte Nova e está na decisão do Brasileirão Feminino A2

Foto: divulgação EC Bahia

Botafogo venceu o Bahia fora de casa e está na decisão

O Botafogo vai encarar o Napoli Caçadorense na decisão do Brasileirão Feminino A2 2020. O Fogão conquistou sua vaga na final ao vencer o Bahia, por 2 a 1, na tarde deste domingo, dia 17, no jogo de volta da semifinal da competição, realizado na Arena Fonte Nova, em Salvador. Kélen e Vivian marcaram para a Estrela Solitária, enquanto Ellen fez para a equipe da casa.

No primeiro jogo da semifinal, realizado no último domingo, dia 10, no Engenhão, no Rio de Janeiro, houve empate em 1 a 1. Com isto, um novo empate levaria a definição da vaga na final para as penalidades e quem ganhasse estaria na decisão.

A partida começou equilibrada, com as duas equipes procurando o ataque. Porém, quem abriu o marcador foi o Botafogo, já aos 41 minutos. Bru recebeu na direita e deu um belo lançamento para Kélen. A atacante tirou a goleira só com o jogo de corpo e mandou a bola para o fundo das redes.

Porém, o Bahia conseguiu reagir e empatou a partida antes do fim do primeiro tempo. Nos acréscimos, Anne ajeitou de cabeça para Ellen, que dominou a bola, ajeitou para a perna direita e mandou um chute rasteiro, no canto direito da goleira Rubi: 1 a 1 e fim de etapa inicial na Fonte Nova.

O segundo tempo continuou aberto, com as duas equipes procurando o gol. E quem teve mais competência foi o Botafogo, que fez o segundo aos 12 minutos. Após cobrança de fata pela esquerda, Louvain mandou a bola na cabeça de Vivian, que não perdoou: 2 a 1 para o Fogão.


Em desvantagem no marcador, o Bahia foi para o "tudo ou nada" e teve uma grande chance para empatar aos 34 minutos, em cobrança de pênalti. Porém, Giovania mandou a bola na trave, desperdiçando grande oportunidade e confirmando a classificação do Botafogo.

Com a vitória por 2 a 1, o Botafogo se garantiu na decisão da competição, onde vai encarar o Napoli Caçadorense, que eliminou o Real Brasília nas penalidades. A CBF ainda vai confirmar data, horário e local das partidas da decisão.

Santos vence e afunda o Botafogo no Brasileirão

Por Lucas Paes
Foto: Ivan Storti/SFC

O Santos venceu na Vila

O Santos FC segue vivendo excelente fase neste início de 2021 que marca o fim da temporada 2020. o Alvinegro Praiano venceu o Botafogo por 2 a 1, na quente tarde deste domingo, dia 17, na Vila Belmiro e afundou os cariocas na lanterna do Brasileirão, além de continuar na luta por uma vaga na Libertadores através do próprio campeonato nacional, além da chance do tetra.

O Santos vinha embalado pela classificação para a final da Copa Libertadores, ocorrida na quarta com a vitória por 3 a 0 sobre o Boca na Vila. O Botafogo vinha de uma derrota por 3 a 0 no clássico contra o Vasco, disputado em São Januário.

No calor da Vila Belmiro, o Alvinegro Praiano nem deixou tempo para os botafoguenses respirarem, aos três minutos, Soteldo dominou um chute que sobrou dentro da área e meteu um lindo voleio para as redes. A partir daí, o Botafogo até tentou sair para o jogo, mas esbarrava nas próprias limitações, enquanto o Peixe oferecia perigo nos contra-ataques.


Aos 15', Marinho teve uma falta perigosa para cobrar, mas chutou em cima do goleiro Diego Loureiro. Apesar dos cariocas tentarem, quem oferecia perigo eram os santistas, numa jogada rápida, aos 22', Felipe Jonathan tocou para o meio e Laércio chutou por cima. Depois disso, veio a parada técnica. 

A partir dela, o jogo seguiu corrido, porém sem grandes lances de perigo. Aos 42', numa falta que foi quase um pênalti, Soteldo obrigou Loureiro à fazer uma grande defesa. Aos 43', num ótimo lançamento para Babi, que acabou derrubado por Laércio. Pedro Raúl bateu muito bem e empatou. O Peixe até tentou reagir e buscar logo o segundo, mas a etapa inicial terminou em 1 a 1. 

A etapa final voltou com o Peixe novamente tomando a iniciativa. Aos 10', Kayo Jorge quase marcou, num chute de fora da área que raspou a rede pelo lado de fora. Três minutos depois, em outra falta perigosa, Marinho mandou um balaço na trave. Aos 15', foi a vez de Pituca tentar de longe e mandar para fora. Aos 19', Marinho, em outra falta frontal, Loureiro fez boa defesa. Aos 29', Loureiro fez outra defesaça em cabeçada de Bruno Marques.


Na sequência, foi a vez de Vladmir trabalhar em chute do ótimo Pedro Raúl. Aos 36', o Santos pulou na frente de novo. Soteldo cruzou e o gigante Bruno Marques cabeceou para as redes. Pouco depois, o Botafogo chegou a empatar, mas o gol do garoto Matheus Nascimento foi bem anulado. Aos 49', Marinho quase fez num belo contra-ataque, mas parou novamente na trave. Não fez falta, o placar terminou mesmo em 2 a 1 para os santistas.

Na seguinte rodada do Brasileirão, o Peixe pega o Fortaleza, no Castelão, na próxima quinta-feira, dia 21 as 19 horas. Já o Botafogo joga na quarta-feira, dia 20, as 17 horas, diante do Atlético Goianiense, no Engenhão, no Rio de Janeiro.

Mirassol goleia Altos e fica próximo da final do Brasileirão Série D

Foto: Marcos Freitas / Mirassol FC

Primeiro tempo avassalador do Mirassol

O Mirassol conquistou um importante resultado em busca de chegar à final do Brasileirão Série D 2020. Neste domingo, dia 17, em jogo realizado no Estádio José Maria de Campos Maia, pela ida da semifinal da competição, o Leão encarou o Altos e goleou pelo placar de 4 a 0. 

O Mirassol se classificou nas quartas de final com duas vitórias sobre o Aparecidense, na ida por 2 a 1 e na partida de volta por 3 a 2. Agora o discurso do time comandado por Eduardo Baptista é de conquista do título inédito da Série D. Já o Altos empatou a primeira partidas das quartas fora de casa, contra o Marcílio Dias por 1 a 1 e garantiu a vaga com propriedade, batendo o rival em casa por 5 a 1. O time piauiense vai disputar sua primeira Série C, o clube fundado em 2013 já disputou a Copa do Brasil em quatro ocasiões e esteve na Série D entre 2016 e 2020.

O Mirassol foi dominante do primeiro até o último momento da etapa inicial. O Leão começou a partida trocando bons passes e conseguiu avançar bem no campo dos visitantes. O Altos, por sua vez, errou muito na sua marcação pelos lados do campo, o que acabou dando muita liberdade para o Leão. Netto conseguiu um pênalti logo três minutos de jogo e Fabrício Daniel converteu.

A partir do primeiro gol, o Leão ameaçou muito mais do que o Altos e conseguiu abrir larga vantagem. O segundo gol foi de Rafael Tavares. João Carlos aproveitou a saída de bola ruim do goleiro para marcar o terceiro e o rebote de chute de Netto para marcar o quarto. No fim, o Mirassol acabou ficando com um jogador a menos: após carrinho forte, de Vinicius recebeu o vermelho aos 40 da primeira etapa.


No segundo tempo, em vantagem numérica, o Altos começou a sair mais para o jogo e equilibrar as ações, chegando a até acertar o travessão aos 37 minutos, em chute de Junior Campos. Porém, o placar não foi alterado e ficou nos 4 a 0 para o Mirassol.

O jogo de volta está marcado para para o próximo domingo, dia 24, às 15h45, no Estádio Felipe Raulino, em Altos. O Mirassol pode perder por até três gols de diferença que estará na decisão. Já para o time piauiense, uma vitória por cinco gols para classificar direto ou por quatro para levar a disputa para as penalidades.

Napoli Caçadorense vence Real Brasília nos pênaltis e está na final do Brasileirão Feminino A2

Foto: Andrielli Zambonim

Jogo foi definido nas penalidades

O Napoli Caçadorense está na decisão do Brasileirão Feminino A2 de 2020. A vaga na final veio com uma vitória nas penalidades sobre o Real Brasília, por 5 a 4, depois de um empate em 1 a 1 no tempo normal, na tarde deste domingo, dia 17, em jogo realizado no Estádio Carlos Alberto Costa Neves, em Caçador. Aninha marcou para as catarinenses e Bárbara fez o gol das candangas.

No primeiro jogo da semifinal, realizado no domingo passado, dia 10, no Defelê, em Brasília, as duas equipes, que já estão com os acessos para a elite do futebol feminino brasileiro garantidos, empataram pelo placar de 0 a 0. Com isto, em caso de novo empate, a decisão da vaga na final iria para as penalidades e quem vencesse iria disputar o título.

Quem começou melhor na partida foi o Real Brasília. Mesmo jogando fora de casa, a equipe candanga foi para cima. Porém, quem abriu o marcador foi o Napoli. Aos 19 minutos, Júlia bateu no alto, a goleira não conseguiu fazer a defesa e Aninha, na sobra, mandou a bola para o fundo das redes: 1 a 0 para o time da casa.

O gol tirou o Real Brasília do jogo e o Napoli Caçadorense teve algumas chances para ampliar o marcador. Ao final do primeiro tempo, o time candango equilibrou as ações novamente, foi para cima, mas não conseguiu balançar as redes. Com isto, o primeiro tempo terminou com a vantagem da equipe da casa.

No segundo tempo, o jogo ficou truncado, com poucas chances de gol. Aos 35, uma confusão envolvendo jogadoras das duas equipes acabou com a expulsão de Rafa Soares e Ronaldinha, do Real Brasília, e Lari e Soraia, do Napoli. O time candango ainda teve uma terceira jogadora que levou vermelho, Isabella, após fazer falta.


Porém, quando todos já pensavam na classificação do Napoli Caçadorense, o Real Brasília empatou o jogo. Nos acréscimos, Bárbara recebeu na entrada da área, levantou a bola e dando uma meia-bicicleta marcou um golaço, levando a decisão da vaga na final para as penalidades.

Nas penalidades, realizada debaixo de muita chuva, Thamyres, Karen, Tábata, Thays Chagas e Sara marcaram para o Napoli. Treicy perdeu, com Flavia defendendo. Porém, Mayara, Lana, Bárbara e Pitty fizeram para o Real Brasília, mas como Jamile e Flavia perderam suas cobranças, a equipe catarinense acabou classificada.

Agora, o Napoli Caçadorense terá pela frente o vencedor de Bahia e Botafogo, que jogam neste momento na Arena Fonte Nova, em Salvador, decidindo a outra vaga na decisão. As datas, horários e locais das partidas da grande final ainda serão comunicados pela CBF.

EC São Bernardo recusa proposta de venda do clube

Com informações do Diário do Grande ABC
Foto: divulgação EC São Bernardo

EC São Bernardo disputará o Paulistão A2 em 2021

O crescimento do EC São Bernardo nas últimas temporadas é notório. Tanto que, no intervalo de quatro anos, entre 2017 e 2020, subiu do Campeonato Paulista da Segunda Divisão (quarto nível do futebol estadual) para a Série A-2, competição que retorna após 31 anos. E tal situação aconteceu tendo como base a profissionalização da gestão do clube, que se orgulha de ser enxuto, mas pagar em dia. Como consequência disso, recentemente o Cachorrão recebeu uma proposta diretamente da China para venda do clube, a qual foi negada pelo presidente Felipinho Cheidde.

As negociações, entretanto, não pararam por aí e atualmente as partes tentam fechar uma parceria de investimento dos asiáticos no Alvinegro, com a finalidade de levar jogadores para o mercado chinês. “Fomos ‘assediados’ por grupo de empresários chineses que inicialmente queriam comprar o clube. De imediato, neguei. Por mais que tenham falado que o dinheiro era livre, não demonstrei interesse algum, seria loucura da minha parte. Passa longe do meu desejo. Nem deixei fazer oferta, por mais que fosse inacreditável”, explicou o presidente, que justificou a negativa à oferta. “Perderia a autonomia e a identidade de um clube com 92 anos numa cidade, seria traição incrível. Não sou capaz disso.”

Porém, ao invés de encerrarem as negociações com o Alvinegro, os chineses (que representam diversos clubes do país de origem) buscaram alternativas. “As que tinham interferências na administração do clube não aceitei. Isso foi aumentando o interesse deles”, admitiu o mandatário.

O intuito dos investidores é captar jogadores para o mercado local e, consequentemente, demonstraram interesse em quatro peças do plantel alvinegro (mantidas em sigilo), o que chamou atenção do clube. “Com o dinheiro da venda dos quatro jogadores a gente ia montar nosso centro de treinamentos e mostramos isso a eles, que se interessaram de outra forma. Viram que temos hierarquia sólida, respeito grande, conduta, sem salário atrasado. Então não ficaram interessados só nos quatro jogadores, como querem ser parceiros financeiros. Eles colocam o dinheiro e nós administramos. Fazemos o centro de treinamento, a captação dos jogadores e vamos repassando para eles. Querem atletas tecnicamente treinados para disputar a competição. Tendo um CT isso não é problema, a gente faz treinamento e prepara eles para exportação, dando oportunidade para jovens da cidade e elevando o nome do município internacionalmente”, explicou Felipinho Cheidde.


O possível aporte financeiro faz com que o presidente do Cachorrão vislumbre a chance de antecipar o sonho de alcançar patamares ainda maiores no futebol. “Estamos interessados em evoluir. Com eles (chineses) a velocidade será maior, sem eles será outra, mas vamos chegar lá. Depois que subi da B (Segundona) para a A-3, vi que tudo era possível. Não tenho receio de achar que vamos chegar ao Campeonato Brasileiro da Série A. É questão de tempo”, concluiu.

Cruzeiro não consegue o retorno à Série A, repetindo drama já vivido pelo Fluminense em 1998

Por Lula Terras
Foto: Rafael Vieira / AGIF

Felipão dirigiu o Cruzeiro na Série B

A campanha irregular, durante a temporada do Campeonato Brasileiro da Série B fez com que o Cruzeiro EC não conseguisse o grande objetivo, de retornar para o grupo principal do futebol brasileiro. A derrota para o Juventude, por 1 x 0, no campo adversário, acabou com qualquer possibilidade, do clube mineiro ficar, entre os quatro primeiros colocados, na Competição. 

Rebaixado, pela primeira vez o Cruzeiro acaba, por repetir o drama de outra grande equipe brasileira, o Fluminense, do Rio de Janeiro, não conseguindo retornar no ano seguinte ao rebaixamento. Vale lembrar que o Fluminense foi rebaixado em 1997para a Série B. No ano, seguinte viveu o pior momento de sua história, sendo rebaixado para a Série C, de triste memória, para seus torcedores. 

O drama cruzeirense começou em 2019, mais pelo fracasso a administrativo, de uma diretoria, que manchou a história do Cruzeiro tanto nas páginas policiais, com suspeitas de corrupção e gastos vultosos, quanto desportivamente, no primeiro rebaixamento da história do clube.


E olha que o Cruzeiro investiu para tentar sair da Série B. Contratou Luiz Felipe Scolari como treinador, manteve o goleiro Fábio, foi atrás de nomes como o de Rafael Sóbis. Porém, dentro de campo, o jogo não fluiu e a equipe vai passar mais um ano no segundo escalão do futebol brasileiro.

A expectativa que fica é como será a vida do Cruzeiro, na atual temporada, se retoma seu espaço entre as grandes equipes brasileiras, ou se apequena, vítima dos maus feitos, de dirigentes anteriores, o que não é nada bom, para o futebol brasileiro.

Ruy Rey e a polêmica expulsão na final do Paulistão de 1977

Foto: arquivo

Dulcídio expulsando Ruy Rey no terceiro e decisivo jogo do Paulistão de 1977

O torcedor do futebol é totalmente passional e um jogador pode passar de herói para vilão em pouco tempo. Quem sofreu com isto foi Ruy Rey, que está completando 68 anos neste 17 de janeiro, atacante da Ponte Preta na final do Paulistão de 1977, contra o Corinthians. Ele fez o gol da vitória no segundo jogo, que deixou a Macaca perto da taça, mas acabou sendo expulso no terceiro confronto, onde o Timão sagrou-se campeão.

Corinthians e Ponte Preta disputaram três jogos das finais de 77, sendo todos no Morumbi. No primeiro, em 5 de outubro, o Timão venceu por 1 a 0, gol de Palhinha, ainda no primeiro tempo. Na segunda partida, quatro dias depois, a Ponte deu o troco, vencendo por 2 a 1. Dicá abriu o placar para o time campineiro, mas Vaguinho empatou.

Porém, Ruy Rey fez a torcida da Macaca explodir de felicidade com um gol aos 38 minutos da segunda etapa, dando a vitória à Ponte Preta e deixando o time bem perto do primeiro título paulista de sua história. Ruy Rey tinha virado herói!

Porém, como dissemos no começo, o futebol pode pregar peças e Ruy Rey foi de herói a vilão de um jogo para outro. No 13 de outubro de 1977, novamente Ponte Preta e Corinthians se enfrentavam e aí veio o calvário do atacante pontepretano.

Aos 16 minutos de partida, lançado em profundidade, Ruy Rey dividiu a bola com Moisés e viu a arbitragem assinalar falta. O atacante da Ponte Preta já estava com a cabeça quente com Dulcídio Wanderley Boschillia, que o chamava de "macaquinho" como mera provocação. Inconformado com a decisão, xingou o juiz com vontade. Acabou expulso.


Com um jogador a menos, a Ponte Preta até tentou segurar a pressão corintiana. Porém aos 36' do segundo tempo, Basílio fez o gol que deu o título ao Corinthians. É claro que os torcedores pontepretanos acharam um culpado pela derrota: Ruy Rey.

Aquela expulsão mudou a carreira de Ruy Rey. Ele passou a conviver com a acusação de ter forçado o cartão vermelho para facilitar a vitória do Corinthians, time pelo qual viria a jogar meses depois. Ruy Rey sempre negou o fato, mas a fama acabou atrapalhando a carreira do jogador.

Douglas Santos, do Londrina, fala sobre primeiro acesso na carreira

Foto: Gustavo Oliveira - Londrina EC Divulgação

Douglas Santos, carregando a bola, conquistou o primeiro acesso na carreira

Na tarde do sábado, dia 16, o Londrina venceu o Remo, por 1 a 0, em pleno Mangueirão, em Belém, pela segunda fase do Campeonato Brasileiro da Série C 2020 e garantiu a sua volta à Série B da próxima temporada. O atacante Douglas Santos foi titular da partida e fala sobre a conquista.

"A ficha ainda não caiu, estou muito feliz e fizemos muito bem nosso papel. Para minha carreira certeza que será um diferencial. Fazer parte desse elenco está sendo muito bom, aqui somos uma família", falou o jogador, feliz com a conquista.

Com o resultado do último sábado, o Londrina encerrou a sua participação no Brasileirão Série C 2020 na vice-liderança do Grupo D da segunda fase da competição, com 9 pontos conquistados, dois a mais que Ypiranga de Erechim e Paysandu, que vieram logo atrás.


Douglas Santos comenta que sabia que seria complicado conquistar o resultado, mas estava confiante. "Sabíamos da dificuldade desse campeonato, mas todos estávamos determinados em conseguir o nosso objetivo e isso foi fruto de nosso trabalho. Foi difícil, mas conseguimos", finalizou.

Agora, com o fim da Série C para o Londrina, os jogadores entram em folga e depois retorna já para a preparação do Campeonato Paranaense de 2021, que está previsto para iniciar no último final de semana do mês de fevereiro.

Após infarto, Adilson Batista está consciente e deve deixar UTI até domingo

Com informações da Agência FI
Foto: Bruno Haddad / Cruzeiro

Adilson Batista quando dirigia o Cruzeiro

Depois do susto, uma boa notícia. O técnico Adilson Batista deve deixar a UTI até domingo, após ter sofrido um infarto. Ele precisou passar por dois cateterismos, mas está consciente e deverá ir para o quarto neste sábado ou domingo, no Hospital Cardiológico Costantini, na capital paranaense. Com a evolução do quadro, há a expectativa de que não seja necessária uma cirurgia.

Apesar de poder deixar a UTI neste final de semana, o ex-técnico do Cruzeiro deverá ser observado por mais duas semanas. O hospital deve divulgar um boletim médico atualizado ainda neste sábado.

"Adilson Batista está bem e deverá ser transferido para o quarto amanhã, deixando a UTI. Segundo o médico responsável, ele deverá permanecer em observação por mais duas semanas. Como a resposta foi boa até aqui, talvez não seja necessária a cirurgia", informou a assessoria de imprensa do treinador.

Cruzeiro até março - Ex-jogador do Cruzeiro, Adilson Batista assumiu o time ano passado quando estava prestes a ser rebaixado para a Série B. Depois comandou o time até março de 2020. Os maus resultados o derrubaram.


Como jogador, ele marcou época em grandes clubes, além do Cruzeiro, como pelo rival Atlético-MG, bem como na dupla Gre-Nal, Grêmio e Internacional. Ele era capitão do Grêmio na conquista da Copa Libertadores de 1995. Atuou no Japão e encerrou a carreira em 2001 no Corinthians.

Carreira como treinador - Como técnico de futebol ele começou no interior de São Paulo, dirigindo o Mogi Mirim, ainda em 2001. Depois seguiu adiante passando por duas dezenas de clubes como América-RN, Sport, Paysandu, Avaí, Figueirense e Paraná. Além de grandes clubes como Grêmio, Corinthians, Santos, São Paulo e Cruzeiro. Em 2006/2007 dirigiu o Júbilo Iwata do Japão.
Proxima  → Inicio

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações