casasdeapostasbrasil.com

Red Bull Bragantino ganha do Guarani e conquista o Troféu do Interior

Com informações da FPF
Foto: divulgação Red Bull Bragantino

Red Bull Bragantino venceu o Guarani na Arena Barueri

O Red Bull Bragantino contou com um gol do zagueiro Ortiz para conquistar o Troféu do Interior na noite desta terça-feira, dia 4, vencendo o Guarani por 1 a 0 na Arena Barueri. Com essa conquista, o Red Bull Bragantino garante vaga na Copa do Brasil de 2021.

A partida começou aberta com os dois times pressionando a saída de bola e criando chances. O Red Bull Bragantino assustou em chute por cima de Matheus Jesus e o Guarani respondeu em falta cobrada por Arthur Rezende.

Aos 16 minutos, Lucas Crispim finalizou rasteiro e a bola passou raspando a trave de Cleiton. Na sequência, o camisa 10 ficou com a sobra na entrada da pequena área e soltou a bomba. A bola explodiu no travessão de Cleiton.

Depois do Guarani esboçar uma pressão, o Red Bull Bragantino conseguiu equilibrar as ações e Aderlan exigiu boa defesa de Jefferson Paulino. Até que, aos 32 minutos, Edmar cruzou e Leo Ortiz cabeceou no cantinho do goleiro bugrino.

O gol fez a partida cair um pouco de ritmo, mas o Red Bull Bragantino ainda teve boa chance de marcar antes do intervalo, quando Artur recebeu de frente para Jefferson Paulino e foi travado na hora do chute.

Logo aos três minutos do segundo tempo, Lucas Crispim fez grande jogada individual, mas chegou desequilibrado na hora da finalização e mandou para fora. O Red Bull Bragantino respondeu em chute de Alerrandro pela linha de fundo.


A situação do Guarani ficou mais complicada aos 20 minutos quando Deivid recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Mesmo com um a menos, o empate alviverde quase veio. Júnior Todinho recebeu dentro da área e bateu para boa defesa de Cleiton.

No contra-ataque, Claudinho chutou rasteiro e Jefferson Paulino espalmou. A bola sobrou para Vitinho que só não marcou porque a bola desviou na zaga. O Guarani lutou até o último minuto em busca do empate, mas o Red Bull Bragantino conseguiu se segurar e comemorou o título.

Sereias se reapresentam e fazem testes de Covid-19 na Vila Belmiro

Com informações do Santos FC
Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo / Santos FC

Cristiane foi uma das jogadoras testadas

Após quase cinco meses de ausência, as Sereias da Vila estão de volta! Na tarde desta terça-feira (04), o elenco do Santos FC se reapresentou na Vila Belmiro para a realização de testes de Covid-19. O clube fez os exames em 24 jogadoras e 7 membros da comissão técnica.

“Eu já estava desesperada para retornar. Estávamos trabalhando bastante em casa, fazendo treinos acompanhados pela comissão técnica três vezes por semana através de videochamadas. Isso ajudou muito, mas não é como estar no dia a dia do clube. Por isso a felicidade foi enorme quando fomos informadas que hoje já aconteceria o teste, mesmo sabendo que esse exame do cotonete é bem desagradável. Mas o mais importante é que demos o primeiro passo para o nosso retorno”, afirmou a atacante Thaisinha.

O elenco das Sereias da Vila retornará os treinos assim que forem divulgados os resultados dos exames de coronavírus. Por conta de logística, as atletas Tainara, Maria Dias, Katielle e Amanda Gutierres não puderam se reapresentar nesta terça e realizarão os testes nos próximos dias.

Recuperado de câncer no pescoço e no retroperitônio, o técnico Guilherme Giudice agradeceu o apoio recebido nos últimos meses e já projetou o reinício do Campeonato Brasileiro Feminino de 2020. Com 100% de aproveitamento e sem sofrer gols, o Peixe recebe o Audax no próximo dia 26, pela 5ª rodada do torneio nacional.


“Agradeço demais a força que recebi das atletas, dos meus companheiros de comissão, de todos os funcionários do clube e também de torcedores, que sempre mandaram energias boas. Muito feliz de estar recuperado e reencontrar esse grupo maravilhoso. Agora é matar a saudade do treino e dos jogos. Não vejo a hora de seguirmos elevando o nome do Santos FC no futebol feminino”, explicou.

“Sabemos que menos de um mês de treinamento não é o suficiente para a equipe voltar 100% logo no primeiro jogo. Mesmo assim, nós fizemos bons trabalhos com elas pela internet. Elas estão voltando minimamente preparadas, e a ideia é recuperar a forma gradualmente e retomar no mesmo embalo que estávamos antes da parada”, concluiu o comandante santista.

Por onde andam os campeões da Copa do Brasil de 2010 pelo Santos FC

Por Lucas Paes
Foto: Divulgação/Santos FC


Time do Santos do segundo jogo da final da Copa do Brasil de 2010

Há 10 anos, num ano onde o começo indicava que tudo daria errado, o Santos quebrou todas as expectativas, montou um dos times mais mágicos de sua história e com muitos gols, dancinhas, jogadas bonitas e carisma, além de é claro, bom futebol e eficiência, conquistou a Copa do Brasil de 2010, num 4 de agosto como hoje. Por onde andam, porém, os jogadores que estiveram em campo nas duas partidas da decisão daquela Copa do Brasil, o último título nacional conquistado pelo time de Vila Belmiro.

Rafael Cabral: goleiro que caiu nas graças da torcida santista em 2011, sendo um dos heróis da conquista da terceira Libertadores do clube, Rafael passou por Napoli e Sampdoria, mas conseguiu realmente atingir seu potencial somente nessa última temporada, onde foi considerado o melhor goleiro da Championship, a segunda divisão inglesa, pelo Reading. Atualmente o arqueiro recebe sondagens de equipes maiores do futebol europeu e pode desembarcar em um clube maior em breve.


Pará: titular durante aquela campanha, o lateral jogou quase 200 jogos pelo clube antes de deixar o Santos e passar por Flamengo e Grêmio. Atualmente, está novamente no Alvinegro Praiano, apesar de já não viver seus melhores momentos. Retornou ao Urbano Caldeira no ano passado, durante a disputa do Brasileirão.

Edu Dracena: como já citado no texto sobre os campeões da Libertadores, Edu Dracena esteve no Santos até 2015, quando se transferiu para o Corinthians, onde foi campeão brasileiro, repetindo a dose no ano seguinte no Palmeiras. Se aposentou no Verdão em 2018, sem ter problemas com nenhuma das três torcidas dos clubes em que atuou, tendo o respeito das três, rivais históricas.

Durval: outro presente em 2011, seguiu no Santos até 2014, quando se transferiu para o Sport, onde se aposentou em 2018. Segue sendo até hoje um dos jogadores com mais conquistas na história do futebol brasileiro.

Bruno Aguiar: titular no primeiro jogo da decisão, o zagueiro passou por diversos clubes depois de deixar o Santos, no final de 2011. Atualmente atua pelo Novorizontino, por onde disputará a Série D do Campeonato Brasileiro neste segundo semestre.


Alex Sandro: também presente em 2011, saiu do Santos para o Porto, de onde foi para a Juventus depois, onde joga atualmente. É titular da equipe bianconera, apesar de viver certa queda de rendimento nos últimos anos. Também constantemente é convocado pela Seleção Brasileira. 

Arouca: outro que também esteve no time de 2011, Arouca deixou o Santos em 2015, indo ao Palmeiras após problemas na justiça com o Alvinegro Praiano. Desde então, viveu queda vertiginosa na carreira e hoje se encontra no Figueirense.

Wesley: revelado no próprio Santos, Wesley fez um ótimo ano em 2010, o que lhe rendeu uma transferência para o Werder Bremen. Porém, depois do bom período no Santos, não conseguiu se firmar em nenhum local, apesar de jogar muitas partidas por São Paulo e Palmeiras. Atualmente está no Avaí.

Paulo Henrique Ganso: considerado jogador chave daquela geração junto a Neymar, Ganso não conseguiu ter o mesmo sucesso do amigo e hoje está no Fluminense, depois de ter boa passagem no São Paulo e passar discretamente pelo futebol europeu, jogando por Sevilla, na Espanha e Amiens, na França.


Marquinhos: ídolo e torcedor assumido do Avaí, Marquinhos fez um gol essencial no jogo da Vila Belmiro, que garantiu uma vantagem mais confortável para o jogo da volta, em Salvador. Jogou apenas pelo Grêmio e pelo Avaí depois da passagem pela Vila Belmiro, se aposentando no Leão de Florianópolis no ano de 2019.

Rodriguinho: parte daquele elenco, o volante chegou a fazer boas atuações vestindo a camisa do Alvinegro Praiano. Já experiente em 2010, atuou apenas mais quatro anos, se aposentando em 2015, jogando pelo Anapolina.

Robinho: o Rei das Pedaladas saiu do Santos para atuar cinco anos no Milan. Depois, Robinho chegou a retornar ao Santos, onde ganhou outro Campeonato Paulista, antes de passar pelo futebol chinês e jogar pelo Atlético Mineiro. Atualmente, joga no Istambul Basaksehir, onde fez parte do elenco campeão turco, apesar de pouco conseguir jogar devido a problemas físicos.

Neymar: o melhor jogador brasileiro da atualidade foi com certeza o maior exemplo de sucesso entre a geração de 2010 do Santos. O "Adulto Ney" joga atualmente no Paris Saint Germain, onde tenta levar o clube a um inédito titulo europeu e vinha fazendo uma temporada absolutamente espetacular antes da pandemia. Teve grande passagem pelo Barcelona, antes de desembarcar na capital francesa. Além de tudo, é também o grande destaque da Seleção Brasileira atualmente.


André: depois de ótima passagem no Alvinegro Praiano, André foi vendido ao Dinamo de Kiev, mas não se deu bem em solo europeu. Chegou a atuar novamente pelo Santos em 2012 e passou por outros clubes do Brasil, com destaque para passagens pelo Atlético Mineiro e Sport. Atualmente, joga pelo Grêmio.

Marcel: o centro-avante, de poucos gols no Alvinegro Praiano, não conseguiu se firmar no clube mesmo após a saída de André, virando reserva de Zé Eduardo. Acabou passando por outros clubes antes de pendurar as chuteiras em 2013, jogando pelo Criciúma. Em matéria veiculada num jornal de Mirassol em 2018, o ex-jogador estava estudando para se tornar treinador.

Zé Love: uma figuraça do futebol, Zé Eduardo, vulgo Zé Love, teve um ótimo ano em 2010 pelo Santos, antes de decair em 2011, apesar de fazer parte do grupo campeão da Libertadores. Depois de deixar o Santos, rodou por diversos lugares antes de chegar ao Brasiliense, por onde joga atualmente. Tinha sete gols em sete jogos disputados, até a paralisação dos campeonatos pelo coronavírus 

Dorival Júnior: treinador bastante identificado com o Santos, Dorival deixou o clube em 2010 após polêmica com Neymar depois do jogo contra o Atlético Goianiense, mas retornou em 2015, fazendo um bom trabalho. Atualmente, ele comanda o Athletico Paranaense.

FPF marca reunião sobre a Segundona Paulista para o dia 11 de agosto

Foto: divulgação



As dúvidas se o Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 2020 seria realizado podem começar a serem descartadas na próxima terça-feira, dia 11. A Federação Paulista de Futebol (FPF) marcou uma reunião, através de videoconferência, com os clubes para tratar do reinício da competição. O encontro virtual terá início às 11 horas.

É bem provável que nesta reunião saia as datas estipuladas para os testes físicos e de saúde (entre eles o do covid-19), o início dos treinamentos e o começo dos jogos. Vale lembrar que a Segundona estava prevista para começar em 18 de abril e terminar em 13 de setembro, mas por conta da pandemia, a competição foi adiada. Além disso, um novo regulamento deve ser elaborado.

Nesta reunião, também será tratada de situações como o protocolo de proteção que deve ser utilizado no retorno e a forma de inscrição de atletas. Além disso, também poderá se ter uma noção de quais os clubes que continuam com a intenção de ainda disputar o campeonato e quais estão querendo desistir.

A Santacruzense, publicamente, já admitiu que não disputará a competição. Outros clubes podem seguir o mesmo caminho. Porém, a FPF deixou no ar que pode aceitar a inscrição de novos clubes que estão filiados, mas que não entraram na competição.


Segunda reunião - Esta será a segunda reunião com os clubes da Segundona Paulista. Entre os dias 26 e 28 de maio, a FPF realizou encontros virtuais com os representantes das agremiações da competição. Naquele momento, não houve estipulação de qualquer data para retorno, deixando dúvidas em todos, o que deve ser diferente da reunião da próxima semana, já que as competições já estão com datas e a A1 já até está caminhando para o fechamento.

A Segundona 2020 - A competição iria ter início no dia 18 de abril e, na primeira fase, 42 equipes estariam divididas em seis grupos. Os dois primeiros colocados de cada uma das seis chaves, mais os quatro melhores terceiros estariam no mata-mata e, no mínimo, na Série B1 de 2021. Campeão e vice sobem para a A3. Os times que não avançarem na primeira fase jogariam a Série B2 na próxima temporada. Porém, a criação da B2 em 2021 foi abortada.

Cópia do ofício enviado aos clubes

Após disputar o Paranaense pelo Operário, volante Pablo analisa propostas

Foto: divulgação Operário Ferroviário

Pablo em ação pelo Operário no Campeonato Paranaense deste ano

Sem vínculo com o Operário Ferroviário, de Ponta Grossa, desde a paralisação do Campeonato Paranaense em razão da pandemia do novo coronavírus, o volante Pablo, que atua também nas laterais e como meia, está livre no mercado e analisa propostas para a sequência da carreira.

O atleta, que atua também nas laterais e até como meia ofensivo, fez uma análise de sua curta passagem pelo Operário. “Cheguei ao clube já no final de janeiro e acabei perdendo a pré-temporada. Busquei meu melhor condicionamento e quando consegui estar bem, joguei na minha posição de origem, que é volante. Vencemos o Londrina fora de casa e logo depois a competição parou. Teria uma sequência depois disso, mas infelizmente veio a pandemia e decidimos não seguir juntos no restante da temporada”, declarou.

Com sua carreira gerenciada pela BL Sports, empresa comandada pelo agente Beto Lopes, com sede em Santos, o experiente jogador de 31 anos de idade afirma que ainda tem muitas metas a alcançar em sua carreira.

“Apesar já ter passado por grandes clubes e ter realizado o sonho de jogar na Europa, ainda tenho diversos objetivos a serem cumpridos. Voltar ao exterior é um deles, mas para isso pretendo fazer uma ou duas temporadas sólidas aqui no Brasil”, destacou.


Início no Vasco e carreira internacional - Mineiro de São João Nepomuceno, Pablo de Barros Paulino iniciou sua trajetória como profissional no Vasco, em 2008, com apenas 18 anos de idade. O excelente começo logo despertou o interesse do futebol espanhol, em que atuou pelo Málaga, Nàstic e Real Zaragoza.

De volta ao Brasil em 2010, vestiu as camisas do Cruzeiro, Figueirense, Bahia, Tombense e América Mineiro, período em que conquistou duas vezes o título estadual de Minas, em 2011 e 2016.

Em 2017, foi contratado pelo Fortaleza, tendo importante participação na conquista da Série B nacional, no ano seguinte, sob o comando do técnico Rogério Ceni. Em 2019 acertou com o São Bento de Sorocaba, onde permaneceu até a chegada ao Operário, no início deste ano.

Pita marcando três gols em sua estreia pelo São Paulo

Foto: arquivo SPFC

Pita fez três gols em sua estreia pelo Tricolor

Neste 4 de agosto de 2020, Edivaldo Oliveira Chaves, o Pita, está completando 62 anos. Ex-meia de muita qualidade, foi ídolo no Santos, clube que o revelou, e no São Paulo, onde em sua estreia, para mostrar todo o seu valor, marcou três gols.

Nascido em Nilópolis, no Rio de Janeiro, Pita ainda criança mudou-se para o Jardim Casqueiro, bairro de Cubatão, na Baixada Santista. Logo se destacou nos campos da cidade e foi para nas categorias de base da Portuguesa Santista. Não demorou muito e o meia trocou a Briosa pelo Santos.


Estreou no profissional do Peixe em 1977 e, no ano seguinte, foi um dos principais jogadores da primeira geração dos "Meninos da Vila", campeã paulista de 1978. Continuou sendo o destaque do Santos até 1983, quando foi vice-campeão brasileiro. Em seguida, o Alvinegro se envolveu em uma troca com o São Paulo e o craque acabou indo para o Tricolor, com Zé Sérgio e Humberto indo para o time praiano.

Pita era, na época, considerado um dos grandes jogadores do futebol brasileiro. Já experiente, daria equilíbrio ao jovem time dos Menudos do Morumbi, que estava começando a se formar e seria um sucesso a partir de 1985.

E a estreia do jogador pelo Tricolor não poderia ser melhor: em 1º de julho de 1984, na abertura do Campeonato Paulista, o São Paulo encarou a Ferroviária, em pleno Morumbi. O placar foi de 3 a 0 para o Tricolor, com Pita fazendo todos os gols da partida. Isto foi apenas uma amostra do que o meia poderia fazer (somente Fernandinho, em 2010, e Guilherme, em 1993, fizeram mais gols que Pita, em uma partida de estreia).


Pita era rápido, dava dribles em pequenos espaços do campo e lançava com apurada técnica. Foi o grande assistente de Careca e Müller, naquela época. A combinação do meio-campista com os são-paulinos foi perfeita e, com ele em campo, o Tricolor ganhou três títulos, sendo dois paulistas (1985 e 1987) e o Brasileirão de 1986.

O brilho do camisa 10 o levou para a França em 1988, onde jogou no Racing Strasbourg brevemente. No Brasil, retornou ao Guarani e pouco depois também atuou no emergente futebol japonês (passagens por Fujita e Nagoya Grampus). Encerrou a carreira na Inter de Limeira, em 1994. No fim dos anos 90, Pita treinou o time sub-20 do Tricolor, e, como interino, comandou o time principal em duas oportunidades, em 1998.

Goleiro Leandro Alves faz balanço positivo da pré-temporada da Briosa em Peruíbe

Foto: divulgação

Leandro Alves em ação pela base da Portuguesa Santista

O período de treinos realizados na semana passada pelo elenco da Portuguesa Santista na cidade de Peruíbe, no litoral sul paulista, foi bastante proveitoso. Essa é a percepção do goleiro Leandro Alves, atleta formado nas categorias de base do clube e que recentemente assinou seu primeiro contrato como profissional.

“O que fizemos em Peruíbe não deixa de ser uma espécie de pré-temporada, pois vínhamos de mais de quatro meses sem treinos presenciais. E ela foi muito produtiva, não apenas pelo trabalho de campo, mas pela possibilidade da convivência maior do grupo. Estamos bastante motivados e agora é dar sequência às atividades no Estádio Ulrico Mursa até o reinício da Série A-2”, declarou o jovem goleiro rubro-verde, que disputa posição com os experientes Cleyton e Rodrigo Calchi.


Campeonato recomeça dia 19 - A competição tem sua retomada prevista para o próximo dia 19, quando será realizada a 13ª e antepenúltima rodada, que inclui o confronto da Portuguesa com o Juventus, na Capital. Na sequência, a Briosa enfrenta o Monte Azul, também fora de casa, e o Votuporanguense, em Ulrico Mursa.

A equipe comandada pelo técnico Elder Campos ocupa o terceiro lugar com 20 pontos ganhos e está muito próxima de assegurar uma das oito vagas para as quartas de final. Os dois finalistas garantem a promoção para a Série A-1 de 2021.

Volante Paulo Nunes vive expectativa de estrear pelo Taboão da Serra

Foto: Ricardo Baru Fotografia

Paulo Nunes treinando antes da quarentena

Aos poucos, o futebol vai sendo retomado nos quatro cantos do país. Em São Paulo, a Série A-1 já foi reiniciada após a parada por conta da epidemia do Corona vírus, assim como as demais divisões do futebol estadual. E a expectativa para o retorno aos gramados é grande entre atletas, dirigentes e treinadores. 

No Taboão da Serra, não poderia ser diferente. Sob o comando do ex-jogador Diego Souza, a equipe da região metropolitana de São Paulo se prepara visando a disputa da Segunda Divisão. A FPF (Federação Paulista de Futebol) ainda não se pronunciou a respeito de quando será o início da competição. Os jogadores tem realizado diariamente atividades virtuais a espera da liberação por parte das autoridades, para que as atividades possam ser realizadas presencialmente.


Um dos atletas que não vê a hora de a bola rolar é o volante Paulo Nunes. Recém chegado ao CATS, o jogador espera estar à disposição da equipe o quanto antes para a estreia da competição. "Nessa época de quarentena, venho treinando diariamente em dois períodos, junto com o apoio da comissão técnica. Meu objetivo é estar 100% quando tudo isso passar e poder ajudar meus companheiros", destaca o jogador. 

Com passagens pela base do Palmeiras, Portuguesa e Nacional, o atleta de 22 anos acumula tais experiências e sonha com vôos mais altos no futebol. "Antes de tudo quero ajudar o CATS, que deu mais essa oportunidade no futebol paulista. O Estadual é uma vitrine muito grande para o mundo inteiro. E uma boa campanha aqui pode ajudar não só a minha carreira, como a dos meus companheiros", ressaltou.

O tetracampeonato do Paulistano - A coroação dos "reis" da era amadora em SP

Por Lucas Paes
Foto: Arquivo

O Paulistano é até hoje o único tetracampeão do Paulistão

O Paulistano é provavelmente o time de mais sucesso da "era amadora" do futebol paulista. Entre 1905 e 1930, o alvirrubro conquistou um total de 11 títulos, sendo uma das casas de um certo jogador chamado Arthur Friedenreich, vulgo El Tigre, melhor jogador brasileiro nos idos tempos do amadorismo e provavelmente primeiro grande craque do ludopédio nacional. Entre 1916 e 1919, o time da capital conseguiu um feito até hoje jamais repetido: o tetracampeonato seguido do Campeonato Paulista, na liga da APEA (Associação Paulista de Esportes Atléticos). O Corinthians terá a chance de conseguir na final de 2020.

Todos os torneios conquistados pela equipe tiveram formato de pontos corridos. A primeira conquista veio depois de um dos piores períodos da história do clube. Depois de vender o Velódromo e ver seu quadro associativo diminuir assustadoramente, o Paulistano fez excelente campanha no campeonato de 1916. Mandando seus jogos no Estádio da Floresta, o Paulistano venceu nove jogos, empatou um e perdeu dois, vencendo o título após uma goleada sobre o Santos na Vila Belmiro por 5 a 2. O clube fez também o artilheiro do campeonato, Mariano, com oito gols.

Em 1917, a equipe venceu novamente a competição. Triunfou num total 12 jogos, empatou um e perdeu outro, garantindo mais uma vez o título. O que seria importante ao final daquela campanha seria a volta de Friedenreich, que havia sido artilheiro da liga pelo Ypiranga. Em 1918, com o retorno de sua principal estrela, o terreno para o tri estava preparado. Além do reforço dentro de campo, o clube finalmente conseguiu uma sede fixa, no bairro Jardim América, que foi essencial na continuidade do sucesso.

Em 1918, o Fried só não fez chover em campo quando estava jogando pelo Paulistano. Foram 23 gols, que lhe deram a artilharia disparada do Campeonato Paulista e garantiram mais uma conquista para a galeria do clube. A campanha registrou 13 vitórias e três derrotas em 16 jogos, desempenho suficiente para ficar a frente do Corinthians, que perdeu um jogo a mais durante o torneio. Aquele campeonato, coincidentemente com a situação do atual, também havia sido paralisado por causa de uma pandemia, só que na época a causadora foi a gripe espanhola, uma das doenças mais mortais da história da humanidade. O torneio de 1918 só terminou em 1919.

O quarto título seguido veio com muito mais dificuldade. O início dos alvirrubros no certame foi muito claudicante, com duas vitórias, dois empates e duas derrotas nas seis primeiras partidas. A sexta derrota, para a AA São Bento, causou medidas drásticas no dia a dia dos jogadores, que passaram a ter uma concentração regrada, com horários para dormir, acordar, exercícios e regulamentações, tudo pensado para conquistar o título. Deu certo e uma sequência de vitórias colocou o time no rumo da disputa tripla com Palestra Itália e Corinthians pela taça.


A decisão, na última rodada, no dia 21 de dezembro de 1919, uma tarde de domingo, envolvia um confronto do Paulistano contra o Corinthians, no campo da sede do Jardim América. O deslocamento dos torcedores era feito através dos bondes, que estavam muito lentos e causaram uma procissão a pé para o estádio, no meio de uma chuva torrencial em São Paulo. O gramado, castigado pelo jogo entre os reservas das duas equipes antes da decisão, viu um jogo duro. Zito abriu o placar, Friedenreich ampliou num golaço de longe. No segundo tempo, Garcia até diminuiu, mas outro gol do Tigre e um de Agnello definiram o placar em 4 a 1 para o Paulistano. O tetra estava garantido, para grande festa no clube. O artilheiro foi mais uma vez o craque Friedenreich, com 26 gols.

O penta quase veio no ano seguinte, mas o Palmeiras, na época Palestra Itália, quebrou a hegemonia no jogo desempate em 1920. O último dos 11 títulos do Paulistano foi conquistado em 1929. Hoje o clube, que não disputa futebol profissionalmente, tem um sucesso maior no Basquete, onde conquistou inclusive o título brasileiro em 2018. Já no Campeonato Paulista, ainda hoje se espera por um tetracampeonato seguido de algum outro clube, mesmo depois de mais de 100 anos.

Raul Silva comemora sequência como titular no LZS Starowice, da Polônia

Foto: Divulgação/LZS Starowice

Raul Silva, de azul e vermelho, em ação pelo LZS Starowice

Com 26 anos, o volante Raul Silva vive desde 2019 o sonho de muitos jogadores no Brasil que é atuar no futebol europeu. Após experiências em clubes importantes do interior de São Paulo como: Votuporanguense, Linense e Grêmio Prudente, ele chegou no ano passado para reforçar o Slask Lubyani, da Polônia. Agora, em 2020, ele segue no país, porém, numa nova equipe, a LZS Starowice.

Até então, duas rodadas foram disputadas na edição 2020/2021 da IV Liga BS Leśnica. Raul Silva foi titular em ambas as partidas. O LZS Starowice estreou com derrota, fora de casa, para o Victoria Chróścice por 1×0 e no último sábado, a equipe do volante brasileiro superou, atuando como mandante, o Unia Krapkowice por 1×0.

Titular na largada da temporada, Raul Silva comemora o início positivo. “Nossa equipe tem se comportado muito bem e feito tudo aquilo que trabalhamos durante a semana. Muita intensidade, posse de bola, volume de jogo e uma capacidade física ótima. Fico feliz por poder contribuir com tudo isso, sendo titular nos dois jogos”, argumentou o volante.

No próximo sábado, o LZS Starowice vai encarar fora de casa o GKS Głuchołazy. O rival perdeu os seus dois jogos na competição, nem por isso Raul Silva prevê facilidade. “Será uma partida difícil. Jogaremos fora de casa contra uma equipe que ainda não venceu na competição e que ao meu ver torna a partida ainda mais difícil. Mas, tenho confiança que faremos um excelente jogo e entregaremos o nosso melhor para vencermos e, assim, seguirmos subindo na tabela”, declarou o camisa 17.


O fato de ser jovem e ter uma sequência no concorrido futebol europeu faz com que Raul Silva almeje voos ainda maiores em sua carreira. “Até o momento me sinto feliz em ver minha evolução, mesmo com todo esse problema que tivemos em relação a pandemia.Pretendo buscar coisas ainda maiores, seja na Polônia ou em qualquer outro lugar. Sei que estou no caminho certo para isso e conquistarei os meus objetivos”, finalizou.
Proxima  → Inicio

Colabore

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações