sábado, 1 de fevereiro de 2020

1987, Sport e Flamengo - Uma discussão interminável

Por Diely Espíndola / Brisa Esportiva
Fotos: arquivos dos clubes


Uma das discussões mais longas e polêmicas do futebol brasileiro, diz respeito ao Campeonato Brasileiro de 1987. Sport e Flamengo disputam até hoje nos tribunais o título deste que seria um dos campeonatos mais cheios de imbróglios da nossa história. 

E hoje, O Curioso do Futebol explica como a polêmica começou, e todos os detalhes que permeiam esta história.

Antes de entrarmos no mérito de quem é o grande campeão daquele ano, precisamos entender o cenário do futebol brasileiro na década de 80. Até 1986, não havia divisões no campeonato brasileiro. A competição se dava da seguinte forma: na primeira fase, 40 clubes selecionados após os campeonatos estaduais disputavam o título nacional, sendo classificados os 6 primeiros colocados do campeonato paulista, os cinco primeiros do carioca, os dois primeiros do gaúcho, mineiro e pernambucano, e os campeões estaduais dos demais estados. Na segunda fase da competição, entravam ainda quatro clubes classificados pela Taça de Prata, um campeonato de acesso que permitia que clubes menores disputassem o campeonato brasileiro.

Porém, para o campeonato de 1987, a CBF decidiu mudar os moldes da competição. O campeonato passaria a ter divisões, e se classificariam para a série A os 24 melhores colocados de 1986. 

Mas a CBF passava por uma grande crise financeira, e em julho de 87 anunciou que não teria condições de financiar o campeonato, e que se os clubes quisessem disputar, estes deveriam arcar com todas as despesas do campeonato daquele ano. 

Os clubes, no entanto, não gostaram da decisão, e 13 dos maiores e mais rentáveis clubes do país se uniram para reverter a situação. Surgia então o Clube dos 13, uma organização que pleiteava os interesses políticos e comerciais das equipes. 

A organização que tinha Eurico Miranda como um de seus principais representantes, decidiu então que organizaria seu próprio campeonato, independente da CBF. Posteriormente, mais três clubes passaram a integrar o Clube dos 13, e que seriam os 16 a disputar a competição. Mas obviamente a decisão não agradaria aos outros clubes que, pelo campeonato anterior, se classificaram para disputar a série A de 87. Estes clubes, que após algumas outras classificações advindas de outros regulamentos, comporiam outros 16, além dos 16 integrantes do clube dos 13.


CBF e o Clube dos 13 passaram então a travar uma guerra, pois Eurico e companhia queriam o campeonato disputado apenas Clube, e a CBF queria um regulamento que incluísse todos os classificados para a série A. 

Para resolver a questão, a CBF determinou que os dois grupos disputariam o campeonato da seguinte forma: o Clube dos 13 seria o Módulo Verde, ou Copa União. Os outros 16 clubes disputariam o Módulo Amarelo. Os dois primeiros colocados de cada módulo disputariam o quandrangular final que determinaria o campeão brasileiro de 1987.

Então, com o acordo selado e assinado por Eurico Miranda em nome do Clube, finalmente em setembro o campeonato brasileiro começava.

Mas era só o começo de mais uma confusão e que daria origem a disputa que até hoje divide os rubro negros espalhados pelo Brasil. Qual deles é o verdadeiro campeão? Vamos tentar entender.

Os dois módulos seguiram sem maiores intempéries, e parecia que o campeonato daquele ano tinha finalmente entrado nos eixos. 

No Módulo Verde, Flamengo e Internacional terminaram como campeão e vice-campeão, respectivamente. Já no Módulo Amarelo, houve uma outra história curiosa. Guarani e Sport disputavam a final de seu módulo, e o jogo terminou empatado. Nos pênaltis, o empate se seguiu até que o placar marcasse 11 x 11. Os presidentes dos dois clubes decidiram então que ambos seriam os campeões do Módulo Amarelo, sendo os dois clubes classificados para disputar o quadrangular final, juntamente com Flamengo e Inter.

Porém, o presidente do Flamengo Márcio Braga, decidiu ignorar o documento assinado por Eurico Miranda que garantia a presença no quadrangular, e anunciou que não iria disputar as finais. O Internacional fez coro à decisão do Flamengo, e também não disputaria. Márcio, endossado pelo Clube dos 13, determinou que o título do Flamengo na Copa União era o título brasileiro de 87.


Vídeo do Brisa Esportiva

A CBF, que já havia marcado as partidas finais, seguiu o curso do que havia sido acordado. Mas Guarani e Sport venceram suas partidas por W.O., já que seus adversários, Flamengo e Inter, não apareceram para a partida. 

Os dois clubes então disputaram a final geral, e assim o Sport se sagrou campeão.

Para muitos, e para a justiça, pelo menos por enquanto, o Sport é o campeão legítimo de 1987. Para outros tantos, o Flamengo é o campeão do Módulo que foi mais assistido e comemorado pelos brasileiros, e por isso, leva o título para casa. 

Para os torcedores de ambos os times, no entanto, não há discussão. Cada um do seu lado tem a certeza de que a taça legitimamente lhe pertence. 

Talvez esta seja, como tantas outras no futebol, uma questão que nunca será unânime. E não é essa toda a graça do futebol?

Até!
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações