quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

As camisas de Arjen Robben

Por Lucas Paes 


Um dos maiores ídolos do Bayern de Munique, jogador de grandes partidas pela Seleção Holandesa, Robben é conhecido até hoje pelo seu mortal pé esquerdo, que faz a jogada mais manjada do mundo, mas que quase ninguém consegue parar. O jogador, que completa 35 anos neste dia 23 de janeiro de 2018, passou por diversos clubes na carreira e neste texto vamos lembrar suas passagens. 

Groningen


Começou a carreira no final do ano de 2000, no dia 3 de dezembro, em empate com o RKC Waaljwick pela Eredvisie. Em sua primeira temporada fez 18 jogos e dois gols pelo Exército Verde Branco. Na temporada 2001/2002, despontou, marcando 10 gols em 34 jogos. Acabou, ainda em 2001, contratado pelo PSV, que pagou 4,2 milhões de Euros e deixou ele por empréstimo no Groningen. No final da temporada 2001/2002, desembarcou em Eindhoven. 

PSV Eindhoven


Nos dois anos seguinte, Robben e Kezman formariam uma dupla mortal no PSV. No total, Robben marcaria 21 gols em 70 jogos pelo time vermelho e branco de Eindhoven. Foi campeão de um Campeonato Holandês e uma Supercopa da Holanda pelo PSV. Também foi parte importante na boa campanha do time na Copa da UEFA de 2003/2004, quando acabou parando nas quartas de final. Na Euro de 2004, apesar de não marcar gols, foi responsável pelo pênalti decisivo da decisão contra a Suécia nas quartas de final. Ao final da temporada 2003/2004, o Chelsea contratou o jogador pagando 22 milhões de dólares. 

Chelsea


Nos Blues, sua primeira temporada acabou atrapalhada por lesões, mas sua velocidade e qualidade impressionavam. Na temporada 2005/2006, jogou mais e ajudou o Chelsea a conquistar o bicampeonato inglês. Em campos europeus, acabava sempre parando com os Blues no Liverpool, indigesto problema para o Chelsea naqueles anos. Ao final da temporada 2006/2007, depois de 104 jogos e 18 gols pelo Chelsea, acabou contratado pelo Real Madrid. 

Real Madrid


Apesar da expectativa, nem Robben nem seu compatriota Sneijder conseguiram atingir o máximo de seus potenciais no Real. Atrapalhado por lesões, Robben jogou apenas 65 vezes em dois anos pelo Madrid, marcando apenas 13 gols. Apesar disso, fez parte do grupo campeão espanhol em 2007/2008. Ao final da temporada 2008/2009, tanto ele quanto Sneijder acabaram negociados e Robben foi parar no Bayern de Munique, por 25 milhões de Euros. 

Bayern de Munique


Segundo Robben, a decisão de ir ao Bayern foi a mais acertada de sua vida. Assim como o compatriota Sneijder, que se encontrou rapidamente em Milão, Robben caiu rapidamente nas graças do torcedor. No Bayern, passou a mostrar uma face mais artilheira. Na primeira temporada, levou o time à final da Liga dos Campeões da Europa, onde acabou derrotado pela Inter, justamente de seu compatriota Sneijder. Viveu inferno pessoal em 2012, quando numa final de Liga dos Campeões decidida em Munique, perdeu um pênalti que poderia ter dado o titulo ao Bayern na prorrogação. Finalmente, em 2013, marcou o gol do título nos minutos finais da decisão diante do Borussia Dortmund. 

No ano em que completa 10 anos pelo Bayern, Robben decidiu que deixará o clube ao final da temporada, ainda não sabendo o que fará com a carreira. Ídolo da torcida e do clube, Robben entrou em campo 309 vezes pelos bávaros e marcou 143 gols até aqui. Tem diversos títulos em Munique, entre eles oito Bundesligas, uma Liga dos Campeões e um Mundial. Sem dúvida nenhuma, já esta marcado com tinta dourada na seleta página de ídolos do Bayern. 

Seleção Holandesa


É presença constante na Laranja Mecânica desde bem cedo em sua carreira. Jogou a Euro de 2004, mas começou a se destacar verdadeiramente depois. Entre 2003 e 2017 jogou 96 vezes com a Holanda, marcando 37 gols. É parte do time que perdeu a Copa do Mundo de 2010, onde é de certa forma considerado responsável pela derrota, já que perdeu dois gols frente à frente com Casillas. Em 2014, viveu sua vingança pessoal com a Espanha, destroçando a Fúria na marcante goleada de 5 a 1, que Salvador testemunhou na inesquecível Copa do Mundo de 2014. Robben passou à ser capitão da seleção em 2015, mas, nos últimos anos, a Holanda decepcionou sequer chegando a Eurocopa e à Copa do Mundo. Ao final da eliminatória da Copa de 2018, aposentou-se da Laranja Mecânica. De longe, vê a renovada Holanda chegar a semifinal da Nations League da UEFA.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Instagram

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações