segunda-feira, 25 de junho de 2018

O que parecia fácil virou drama

Por Michelle Abílio
Fotos: Getty Images.com/Fifa.com

Cristiano Ronaldo tomando cartão amarelo em lance que poderia ser expulso

Em terra de Luís Vaz de Camões, Fernando Pessoas e Amália Rodrigues, o drama e o sofrimento fazem parte da literatura, da história e das canções.

Camões já escrevia sobre o contentamento desconte. Pessoa questionou se tudo vale a pena se a alma não é pequena. E Amália canta as lágrimas de Portugal.

E no futebol não é diferente. Se não for se angústia e sofrimento não é Portugal.

Sofrimento de uma seleção que não passou da primeira fase na última Copa e que não queria repetir o desastre de 2014. Sofrimento também durante a partida. Sofrimento de um time que perdeu pênalti e o desespero ficar sem o capitão Cristiano Ronaldo para a partida das oitavas de final.

E foi assim foi o jogo de Portugal. Os lusos entraram em campo às 15h, horário de Brasília, contra o Irã, para a última rodada da primeira fase do mais importante torneio de futebol do planeta.

Quaresma abriu o marcador com um belíssimo gol

Um empate contra os iranianos classificaria a seleção portuguesa para a próxima fase. E para o Irã só a vitória salvaria o time da eliminação.

E tudo vale a pena se a alma não é pequena?

Duas vagas, quatro times. Enquanto os lusos e os iranianos duelavam em busca de uma vitória, a Espanha corria em paralelo diante da já eliminada seleção marroquina, que não deu mole para os espanhóis. E bom um bom tempo chegou a liderar a partida.

Portugal e Irão foi um jogo bem disputado. Um dos melhores e emocionantes deste Mundial. Com Portugal atacando desde o início da partida, mas só aos 44 minutos dos primeiro tempo que Ricardo Quaresma abre o placar. E marca o primeiro gol português não feito pelo Cristiano Ronaldo nesta Copa do Mundo.

Para os desespero dos iranianos Portugal retornou para o segundo tempo brigando para ampliar a partida. E logo no início, Cristiano Ronaldo sofre um pênalti, que só foi marcado um minuto depois pelo árbitro de vídeo. Cristiano Ronaldo bateu, mas o goleiro do Irã defendeu o lance.

De pênalti, com ajuda do VAR, o Irã empatou

O resultado de um a zero não tranquiliza a torcida e equipe portuguesa. E o Irã corria atrás, já que na outra partida, Marrocos vencia a Espanha e dava esperança ao time iraniano.

Quanto mais se aproximava o fim da partida, mais aumentava o sofrimento português. Cristiano Ronaldo fez falta e quase foi expulso. Mais uma vez: Tudo vale a pena se a alma não é pequena?

Já no fim da partida, pênalti para o Irã que empatou o jogo. E o desespero não parou por aí. Logo após empatar o jogo, os iranianos foram para o ataque e quase ampliaram a disputa.

E aqueles seis minutos complementares finais duraram uma eternidade para as duas seleções. Lágrimas iranianas e portuguesas no fim da partida. Do Irã a lágrima de tristeza. De um time que lutou até o último minuto. De um time que foi eliminado, mas que honrou sua classificação para a Copa. Do outro lado, lágrimas de desespero e sofrimento, como se fosse mais uma canção de Amália Rodrigues. Mas dessa vez, com final feliz para os português.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Instagram

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações