quinta-feira, 21 de junho de 2018

Em 1990, Müller marcava sobre a Costa Rica alvinegra

Por Victor de Andrade

Careca tenta passar pelo goleiro da Costa Rica: em 1990, vitória por 1 a 0

Brasil e Costa Rica se enfrentam nesta sexta-feira, dia 22, em São Petersburgo, pela segunda rodada da fase de grupos da Copa do Mundo Rússia 2018. Esta será a terceira vez que as duas seleções se encontram em Mundiais, todas pela etapa inicial da competição, e vamos aproveitar para falar do primeiro jogo entre eles, também por uma segunda rodada, em 1990.

Naquela Copa do Mundo, realizada na Itália, o Brasil já era considerado uma das grandes seleções do mundo, com três títulos, mas completando 20 anos sem conquistar o torneio. Já a Costa Rica era uma novidade: apesar de sempre ser considerada uma das equipes mais fortes da Concacaf, eles estavam em um Mundial pela primeira vez.

Antes de entrar no gramado do Delle Alpi, em Turim, no dia 16 de junho de 1990, tanto Brasil como Costa Rica vinham de resultados positivos. No mesmo estádio, cinco dias antes, o time canarinho havia batido a Suécia por 2 a 1. Já os costarricenses haviam estreado em Copas surpreendentemente bem, com um triunfo sobre a Escócia por 1 a 0.

Valdo tentando um carrinho no meio de campo

Ainda antes do jogo, a Costa Rica apareceu com uma surpresa. Ao invés de utilizar seu tradicional uniforme de camisas vermelhas e shorts azuis, o técnico da equipe, o sérvio (na época iugoslavo) Bora Milutinovic, aproveitou-se do fato de seu time já ter que trocar o short azul pelo branco, para trocar a camisa também, aproveitando-se de um fato inusitado.

A camisa do segundo uniforme da Seleção Costarricense, na época, era alvinegra, com listras brancas e pretas na vertical, estilo muito comum em clubes, mas raro em seleções. Mas tinha um porque: a federação local homenageava o Club Sport La Libertad, time mais antigo do país. Porém, como a vestimenta era idêntica à da Juventus de Turim, que mandava seus jogos no Delle Alpi, Milutinovic teve a ideia de usar a camisa para atrair a torcida à favor da Costa Rica.

A "engenhoca" de Bora Milutinovic não deu muito certo. O estádio estava tomado de verde e amarelo, as cores do Brasil, que abriu o placar no primeiro tempo, mais precisamente aos 33 minutos, com Müller, em um belo chute de primeira. A bola ainda desviou no defensor adversário antes de balançar as redes. E o jogo terminou 1 a 0 para o Brasil.

Bebeto entrou no fim da partida

A vitória não diminuiu a desconfiança brasileira no técnico Sebastião Lazaroni, que era muito criticado por não utilizar o estilo de jogo que a torcida estava acostumada a ver no time canarinho. E eles tinham razão, já que após a vitória sobre a Escócia, por um outro 1 a 0, ainda na primeira fase, o Brasil acabou eliminado pela Argentina nas oitavas, em uma das piores campanhas da história.

Já a Costa Rica, apesar da derrota, resolveu usar o uniforme alvinegro contra a Suécia e deu certo: vitória por 2 a 1 e cravando seu lugar nas oitavas do Mundial, onde encarou a Tchecoslováquia e foi derrotada por 4 a 1. Porém, só o fato de ter passado pela fase de grupos foi um grande feito dos costarricenses.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações