segunda-feira, 3 de abril de 2017

As camisas do Divino Ademir da Guia


O Futebol Brasileiro bate palmas nesta segunda-feira, dia 3 de abril. Ademir da Guia, o Divino, completa nesta data 75 anos de idade. Filho de um craque da zaga, Domingos da Guia, Ademir da Guia brilhou desde as categorias de base, onde passou por Céres, Botafogo e Bangu, clube onde se profissionalizou.

No Palmeiras, foi ídolo, um dos maiores da história do clube, se não foi o melhor! Ademir da Guia também jogou na Seleção Brasileira, mas devido à concorrência, esteve apenas na Copa de 1974, realizada na Alemanha Ocidental. Confira as camisas de Ademir da Guia.

BANGU

Ademir da Guia o penúltimo agachado

Ademir da Guia chegou no Bangu, clube em que o pai Domingos foi o grande nome da história, em 1959, vindo da base do Botafogo. Em menos de um ano, ele estreou na equipe profissional e já ganhou o apelido do pai, o Divino. Em pouco tempo no time principal, já dava para perceber que ele seria craque e em 1961 foi negociado com o Palmeiras. Pelo Time Proletário, Ademir da Guia fez 59 jogos e 14 gols. Só mais um adendo: atlético por natureza, ele também disputou campeonatos em outras modalidades esportivas pelo clube, como Natação.


PALMEIRAS

O Divino no Palmeiras foi gigante!

Ademir da Guia chega no Palmeiras em 1961 e logo ganhou o seu espaço, mostrando talento e elegância dentro de campo, fazendo parte de duas das três gerações da Academia, apelido dados aos times das décadas de 50, 60 e 70, os melhores da história do Verdão. Pelo time do Parque Antarctica, Ademir da Guia conquistou a Taça Brasil de 1967, os Robertões de 1967 e 1969, os Brasileirões de 1972 e 1973 e os Paulistões de 1963, 1966, 1972, 1974 e 1976. Foram 901 jogos e 153 gols com a camisa verde.


SELEÇÃO BRASILEIRA

Ademir da Guia ao lado de Garrincha na Seleção

Infelizmente, Ademir da Guia ficou conhecido como o craque que não deu certo na Seleção Brasileira. Tudo bem, a concorrência era grande, mas o Divino tinha bola para, por exemplo, estar entre os 22 convocados para a Copa de 1970. Pela Seleção, o craque estreou em 1965 e fez seu último jogo com a amarelinha em 1976. Foram 12 jogos com a camisa amarela.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Um comentário:

  1. simplesmente uma lenda viva, o maior dos maiores, divino, a elegancia total pra jogar futebol, como era gostoso ouvir a escalação e no meio a palavra ADEMIR DA GUIA....foram muitos e muitos anos ouvindo, quando ele parou foi dificil ouvir a escalação do PALMEIRAS sem o seu nome divino !!!

    ResponderExcluir

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações