terça-feira, 14 de agosto de 2018

Taubaté faz 3 a 0 no Santos, que perde a primeira na Copa Paulista

Fotos: Flavio Hopp

Santos atuou com um time alternativo e acabou tomando um 'vareio' de bola do Taubaté

A maratona de jogos do time B do Santos FC acabou com a invencibilidade da equipe na Copa Paulista de 2018. Em partida realizada na Vila Belmiro, na noite desta terça-feira, dia 14, o Peixe, que jogou com um time bem alternativo, já que o titular dos aspirantes atuou ontem em Pernambuco, perdeu para o Taubaté pelo placar de 3 a 0.

Depois de vencer os dois jogos que tinha feito na competição, 5 a 2 sobre o Bragantino e 1 a 0 no Água Santa, o Santos, que disputa a competição com seu elenco B, formado, em sua maioria, por atletas sub-23, teve que se redobrar para a partida desta terça, já que ontem atuou pelo Brasileiro de Aspirantes e empatou em 0 a 0 com o Sport, na Arena Pernambuco. O Taubaté, no torneio, tinha feito três jogos, tendo vencido dois e empatado um.

O Peixe foi dominado por praticamente o jogo todo

Mesmo como visitante, o Burro logo mostrou seu cartão de visitas em um belo chute de Guarú, que, desviado na defesa, passou perto da trave. Em cima, o Alviazul levou muito perigo com o atacante Eduardo, que, após belo lançamento de Jean, acertou a trave santista. Depois o time da casa assustou, em finalização de fora da área, obrigando o goleiro Rafael Roballo a trabalhar. Mas foi uma das raras ofensivas alvinegras, já que era o Burro que tomava as ações de ataque e quase abriu o placar novamente com Eduardo, em chute que exigiu boa defesa do goleiro.

De tanto brigar, o camisa 9 taubateano foi premiado com seu gol. Já na reta final, Erik fez o cruzamento da direita e Cesinha cabeceou. No rebote do goleiro, Eduardo balançou as redes, marcando o primeiro. Antes do fim do primeiro tempo, a vantagem. Jogada trabalhada de Jean e Adriano pela direita, até a bola cair nos pés de Guarú. O camisa 10 fez lindo passe por cima da defesa para encontrar o meia Erik, que bateu de primeira e ampliou o marcador.

Na volta do intervalo, a principal chance também foi do Taubaté, com o zagueiro Cesinha cabeceando com muito perigo em cobrança de escanteio. Querendo a vitória, o Santos também foi para cima, mas só conseguia arriscar finalizações de longe, sendo que todas foram para fora. Em uma das tentativas, Roballo fez grande defesa, mas o jogo já estava parado.

Comemoração em um dos gols do Burro da Central

Mas a noite era alviazul. Já na reta final, contra-ataque taubateano e Gabriel Davy serviu Claudinho dentro da área. O camisa 16 só rolou para marcar o terceiro e garantir a vitória e três pontos para o líder Taubaté.

O Santos volta a campo pela Copa Paulista no sábado, dia 18, quando enfrenta o São Caetano, no Estádio Anacleto Campanella, às 16 horas. Já o Taubaté, que lidera o Grupo 3 com oito pontos, folga na próxima rodada e só volta à campo no dia 22, quarta, quando encara o Água Santa, no Distrital Inamar, em Diadema, às 15 horas.

Acervo da Bola produz documentário sobre o VAR


O árbitro assistente de vídeo (VAR) vem para dar justiça ou para tirar a polêmica do futebol? O recurso tecnológico é um caminho inevitável nos gramados? Ou será um golpe na emoção? O artificio que virou febre na Copa do Mundo e já está sendo usado na Copa do Brasil e Libertadores virou documentário. Estamos falando de "VAR - Reflexões sobre o Árbitro de Vídeo.

Produzido pelo Acervo da Bola, "VAR" é dirigido por Cristiano Fukuyama e Luiz Nascimento, premiados no CINEfoot por “Ivair – O Príncipe do Futebol” e “Eu, Jogadora”. A produção coloca as opiniões, favoráveis e contrárias, sobre a introdução do equipamento nas partidas de futebol.

O filme “VAR” ouve, entre outros entrevistados, Sálvio Spinola (ex-árbitro), Oscar Roberto Godói (ex-árbitro), Julio Gomes (jornalista) e Marcos Falopa (instrutor técnico Fifa). O curta-metragem volta a 1998 e relembra a polêmica semifinal do Campeonato Paulista, apitada pelo argentino Javier Castrilli, para discutir se é válido ou não usar o árbitro de vídeo. Confira abaixo o trailer do filme:

A Portuguesa campeã da Taça Estado de São Paulo de 1973

Por Victor de Andrade

Em pé: Pescuma, Badeco, Zecão, Isidoro, Calegari e Cardoso. Agachados: Xaxá, Enéas, Cabinho, Basílio e Wilsinho. O time que conquistou a Taça Estado de São Paulo de 1973

Neste 14 de agosto, a Associação Portuguesa de Desportos está completando 98 anos de sua fundação. E para comemorar a data de aniversário da grande Lusa, que atualmente não vive bons momentos, vamos recordar da época em que o time Rubro Verde era gloriosa: a conquista da Taça Estado de São Paulo de 1973.

A Taça Estado de São Paulo de 1973 foi uma competição criada pela Federação Paulista de Futebol (FPF) para que os clubes da primeira divisão não ficassem parados durante os 45 dias, entre o final de maio e começo de julho, em que a Seleção Brasileira estivesse excursionando pela Europa e África. Assim, a competição contou com 17 equipes (o Santos não participou do torneio), divididas em três grupos, sendo um com cinco e dois com seis.

As chaves eram regionalizadas e a Portuguesa estava no Grupo A, ao lado de Palmeiras, Juventus, São Paulo e Corinthians. Porém, as perspectivas da Lusa na competição não eram das melhores. Na virada de 1972 para 1973, o presidente do clube, Oswaldo Teixeira Duarte, havia dispensado jogadores do quilate de Marinho Peres, Samarone, Lorico, Ratinho, Piau e Hector Silva, na famosa “Noite do Galo Bravo”. Já no primeiro turno do Paulista, sob o comando de Cilinho, a equipe não foi bem e o treinador foi trocado por Otto Glória.

Ao fim do primeiro turno, Glória mudou o esquema tático e o time passou a funcionar, dando mostras já na Taça Estado de São Paulo. Mesmo estando no grupo mais complicado, a Lusa terminou a primeira fase em primeiro, com seis pontos, onde venceu o São Paulo (2 a 0) e o Corinthians (1 a 0), empatando com Palmeiras e Juventus, ambos por 0 a 0.

Na semifinal, o adversário da Portuguesa foi a Ferroviária. No primeiro jogo, no Pacaembu, em 21 de junho, vitória da Lusa por 1 a 0, com gol de Enéas. Na segunda partida, na Fonte Luminosa, em Araraquara, três dias depois, outro 1 a 0 para o time Rubro Verde, novamente com gol de Enéas. A Portuguesa estava na final.

A decisão foi marcada para o dia 1º de julho, no Pacaembu, e o adversário era o Palmeiras, que havia eliminado a Ponte Preta. Mesmo tendo que enfrentar jogadores do quilate de Ademir da Guia, Dudu e Leivinha, a Lusa deu um show de bola e fez sonoros 3 a 0, com dois gols de Wilsinho e um de Enéas. A Portuguesa era a campeã da Taça Estado de São Paulo de 1973 e com um detalhe interessante: não sofreu gol nos sete jogos que fez no torneio.

A Taça Estado de São Paulo acabou alavancando a Lusa no Campeonato Paulista. Com uma campanha avassaladora, o time comandado por Otto Glória conquistou o segundo turno da competição e tornou-se campeã paulista, no título dividido com o Santos, com a má matemática de Armando Marques.

Poupar ou não poupar? Eis a questão!

Por Lula Terras

Grêmio vem usando um time alternativo no Campeonato Brasileiro e soma pontos
(foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Na rodada deste final de semana do Campeonato Brasileiro da Série A, dois jogos chamaram a atenção pelos bons resultados obtidos por equipes alternativas que, geralmente, são formadas estrategicamente pelos treinadores com o objetivo de preservar seus atletas do desgaste de até três jogos realizados por semana. Jogando em casa, o Palmeiras alternativo, de Felipão, bateu o Vasco da Gama por 1 a 0, gol do atacante Deyverson. O Grêmio, de Renato Portaluppi, goleou o Vitória por 4 a 0, gols de Douglas, Jailson, Pepê e Everton. São resultados que colocam as duas equipes em boa situação dentro da competição. 

Esse tipo de situação acontece devido ao apertado calendário do futebol brasileiro, que coloca três importantes competições (Libertadores da América, Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil), realizadas simultaneamente, sem que, a grande maioria dos clubes tenha condições estruturais e financeiras para enfrentar o desafio, com sucesso. 

Geralmente se dá melhor o time que fizer melhor planejamento e nesse quesito, o Grêmio de Porto Alegre vem dando verdadeiro show com seu time alternativo que, pelos bons resultados obtidos colocam o time na terceira colocação do Brasileiro, ou seja, na zona de classificação para a Libertadores 2019. Se no Brasileirão o Grêmio vai bem, na Copa do Brasil, onde é utilizado o time considerado titular, a situação não é tão boa. 

Nesta quarta-feira, dia 15, pelas quartas-de-final da competição, o Grêmio enfrenta o Flamengo, no Maracanã. No jogo de ida, realizado em Porto Alegre, o resultado foi empate em 1 a 1, com o Tricolor Gaúcho jogando com seus titulares. Portanto, só a vitória interessa aos gremistas para chegar às semifinais da competição, que também vale vaga para a Libertadores do próximo ano. 

Enfim, reconhecido como uma verdadeira caixinha de surpresas, o futebol continua aprontando das suas. Ninguém é capaz de cravar quais as equipes campeãs nessas competições, mas, certamente, aqueles que melhor se prepararam estão na frente, entre as favoritas, resta esperar para ver.

Brasileiro Série C tem datas das quartas definidas

Com informações do site oficial da CBF

Oito times ainda estão na briga pelas quatro vagas do acesso e pelo título da competição
(foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Os confrontos da segunda fase do Campeonato Brasileiro Série C foram definidos nesta segunda-feira (13). As oito equipes postulantes ao título já sabem a data, o horário e o local dos duelos que definirão se continuarão o caminho até a Final e o título da competição. 

A primeira partida acontecerá no sábado (18), às 16h, no Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP). Trata-se do quarto colocado do Grupo B, Bragantino-SP, diante do primeiro colocado do Grupo A, Náutico-PE. O Braga vem embalado pela vitória na última rodada no fim do jogo, com gol de Danilo Bueno aos 44 minutos. Já o Timbu, mesmo que tenha empatado em seu último confronto, terminou a primeira fase na liderança, com 31 pontos. 

No domingo (19), Santa Cruz-PE e Operário-PR se enfrentam no Arruda, em Recife (PE), às 17h, enquanto, às 19h, confronto de alvinegros paraibanos e paulistas, no Botafogo-PB e Botafogo-SP, no Almeidão, em João Pessoa (PB). Já na segunda-feira (20), 21h, o Cuiabá-MT e Atlético-AC fazem o primeiro jogo das Quartas de Final. 

Os confrontos de volta entre Operário x Santa cruz, 15h, Náutico x Bragantino, 17h, e Botafogo-SP x Botafogo-PB, 19h, ocorrem no domingo (26), enquanto Atlético-AC x Cuiabá-MT, na segunda-feira (27), 21h, na Arena Pantanal, em Cuiabá (MT). 

Todas partidas serão transmitidas ao vivo no site da CBF (www.cbf.com.br). Vale ressaltar que todos os estádios a serem designados estão sujeitos a inspeção prévia, o que poderá acarretar mudanças de locais se necessário. Confira os detalhes das partidas abaixo e no documento em anexo. 

Jogos de Ida 

Bragantino/SP x Náutico/PE
Data: 18/08 (sábado)
Horário: 16h
Local: Nabi Abi Chedid, Bragança Paulista (SP)

Santa Cruz/PE x Operário/PR
Data: 19/08 (domingo)
Horário: 17h
Local: Arruda, Recife (PE)

Botafogo/PB x Botafogo/SP
Data: 19/08 (domingo)
Horário: 19h
Local: Almeidão, João Pessoa (PB)

Cuiabá/MT x Santa Cruz/PE
Data: 20/08 (segunda-feira)
Horário: 21h
Local: Arena Pantanal, Cuiabá (MT)

Jogos de Volta

Operário/PR x Santa Cruz/PE
Data: 26/08 (domingo)
Horário: 15h
Local: Germano Kruger, Ponta Grossa (PR)

Náutico/PE x Bragantino/SP
Data: 26/08 (domingo)
Horário: 17h
Local: Arena Pernambuco, S. Lourenço da Mata

Botafogo/SP x Botafogo/PB
Data: 26/08 (domingo)
Horário: 19h
Local: Santa Cruz, Ribeirão Preto (SP)

Atlético/AC x Cuiabá/MT
Data: 27/08 (segunda-feira)
Horário: 21h
Local: Arena da Floresta, Rio Branco (AC)

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Pelo Brasileiro de Aspirantes, Sport e Santos ficam no 0 a 0

Foto: Anderson Freire/Sport Recife

O Santos foi melhor que o Sport, principalmente no segundo tempo, mas empatou em 0 a 0

Sétimo jogo do Santos no Campeonato Brasileiro de Aspirantes e quinto empate na competição. É isso mesmo, mais uma vez, o Peixe ficou na igualdade no torneio, desta vez contra o Sport, na noite desta segunda-feira, dia 13, na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata. E, apesar da movimentação e da maior posse de bola do Alvinegro, principalmente da segunda etapa, o jogo terminou no 0 a 0.

O Santos iniciou a rodada em quarto lugar do Grupo B, com sete pontos. Porém, em seu último jogo, o Peixe sofreu sua única derrota na competição: 1 a 0 para o América Mineiro, fora de casa. Já a situação do Sport era pior, pois ocupava apenas a sétima colocação do Grupo A, com seis pontos. Mas o Leão vinha de vitória na rodada anterior: 3 a 2 sobre o Figueirense.

Sem o Esporte Interativo, que tinha os direitos da competição, mas está fechando as portas, o jogo foi transmitido pela própria Confederação Brasileira de Futebol (CBF), através do Youtube. E a partida começou equilibrada, com ambas as equipes se estudando. Aos poucos, os visitantes, que estão na briga pela classificação para a segunda fase, buscou mais o ataque, mas o primeiro tempo terminou com o placar de 0 a 0.

Quinto empate em sete jogos do Peixe na competição

Na segunda etapa, o Santos dominou de vez as ações na partida, criando várias oportunidades. Porém, as jogadas paravam ou na má pontaria dos atacantes do Peixe ou nas mãos do goleiro do goleiro do Sport, Lucas, que fez boa partida. No final do jogo, o Leão resolveu pressionar e o jogo ficou aberto, com as duas equipes tendo chances para marcar, mas a rede não foi balançada. Assim, o embate terminou com o marcador em branco.

Na próxima rodada do Brasileiro de Aspirantes, ambas as equipes jogarão no dia 23, às 21h30. O Sport, sem chances de classificação, vai até Florianópolis, onde encara o Avaí, na Ressacada. Já o Santos, que ainda pode passar para a próxima fase, receberá o Atlético Goianiense, na Vila Belmiro. Porém, esse time do Peixe também tem a Copa Paulista, onde entra em campo já nesta terça-feira, dia 14, às 20 horas, quando encara o Taubaté com atletas que não atuaram em Pernambuco nesta noite.

FPF tem nova vitória na Justiça sobre os acima de 23 anos na Segundona

Com informações do site da Federação Paulista de Futebol

Com a decisão, o Campeonato Paulista da Segunda Divisão se mantém Sub-23
(foto: divulgação/AA Flamengo)

O Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região emitiu nova decisão em favor do Campeonato Paulista Sub-23 da Segunda Divisão 2018. A juíza Olga Regiane Pilegis rejeitou ação do Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo, que pedia a revisão do limite de idade para a competição.

“Não existe a alegada discriminação etária”, afirmou a juíza em seu despacho, contrariando o pedido do Sapesp. “Não se trata de 'discriminar' os atletas mais velhos, ou de lhes impedir o acesso ao mercado, pois, como bem demonstra a reclamada, persiste a possibilidade de que estes, contando 24 anos ou mais, participem de competições diversas, como os Campeonatos Paulistas das Séries A-1, A-2 e A-3, Copa Paulista e outros tantos”, prosseguiu a magistrada.

Pilegis determinou a manutenção da regra do campeonato, acordada pelos clubes no Conselho Arbitral do Campeonato, em 2017. A medida foi extremamente elogiada pelos clubes ao longo da competição. O Sapesp foi condenado a pagar as custas, no valor de R$ 10 mil, além de ter que arcar com os honorários advocatícios de sucumbência.

Há 40 anos, Guarani fazia história com título do Brasileirão inédito no interior

Com informações do site oficial da FPF

Em pé: Neneca, Edson, Mauro, Gomes, Miranda e Zé Carlos
Agachados: Capitão, Renato, Careca, Manguinha e Bozó
O grande time do Bugre campeão brasileiro de 1978

Há 40 anos, o Brasil era pintado de verde por caipiras que faziam história ao contrariar todos os prognósticos e conquistar o inédito título do Campeonato Brasileiro por uma equipe do interior. Desacreditado e até motivo de piada, o Guarani do menino Careca, superou gigantes do futebol nacional com autonomia para ficar com a taça da chamada Copa Brasil de 1978.

Com 74 times, a primeira fase teve a divisão em seis grupos, em que se classificavam os seis melhores de cada chave, avançando 36 equipes à segunda fase. Nesta, divididos em quatro grupos de nove times, novamente seis avançariam. Além disso, considerando a somatória das fases, a melhor equipe fora da zona de classificação e outros sete times oriundos de uma repescagem, formariam os 32 times que seguiam na disputa pela taça.

Nesta terceira fase, divididos em quatro grupos com oito equipes, as duas melhores garantiriam vaga ao mata-mata da competição, que se iniciaria nas quartas de final, assim seguindo até a decisão do título. Com o campeão jogando 32 vezes, o torneio teve início em 26 de março e a decisão em 13 de agosto.

A campanha - Nestas 32 partidas, o Guarani venceu 20, teve oito empates e perdeu quatro vezes, marcando 57 gols e sofrendo 22. Individualmente, destaques para o meia Zenon e o jovem atacante Careca, que dava seus primeiros passos na carreira profissional. Ambos dividiram a artilharia da equipe com 13 gols. No comando, Carlos Alberto Silva, que mais tarde chegaria até à Seleção Brasileira.

Careca se revelou um grande jogador naquele Guarani

Início sem empolgar - Integrante do Grupo D na fase inicial ao lado de Bahia, Botafogo-RJ, Confiança-SE, CRB, CSA, Itabuna, Ponte Preta, Sergipe, Vasco da Gama, Vitória e Volta Redonda, a equipe campineira estreou com derrota em casa: Roberto Dinamite marcou três vezes na vitória do Vasco por 3 a 1, em pleno Brinco de Ouro da Princesa. As equipes ainda se encontrariam outras vezes no torneio.

Com oito jogos sem perder na sequência -destaque para as goleadas por 5 a 0 sobre o Confiança, 7 a 0 sobre o Sergipe e vitória por 2 a 1 sobre a Ponte Preta-, o time se consolidou entre os classificáveis de sua chave, embora não empolgasse. Foi apenas o quinto colocado, com 16 pontos contra 22 do líder Vasco. A vitória rendia dois pontos ao vencedor que, se vencesse por mais de três gols de diferença, ainda ganhava um ponto de bônus.

Integrando o Grupo J na segunda fase, o Guarani revia o Vasco e ainda teria como adversários Brasília, Caxias, Coritiba, Portuguesa, Remo, São Paulo e Villa Nova-MG. Ainda oscilando -perdeu para o Remo por 5 a 1 na terceira rodada com cinco gols de Bira- o time bugrino garantiu a classificação somente na última rodada, quando venceu o time mineiro em casa por 2 a 0. Encerrou a fase na quarta colocação, três pontos atrás do líder Vasco, e três à frente do Remo, primeiro fora da zona de classificação.

Arrancada do ‘ataque de riso’ - A partir da terceira fase da competição, a última antes do mata-mata, o Guarani é impecável e não perde mais, numa arrancada de 13 jogos sem ser derrotado. Com a divisão de quatro chaves de oito equipes, os campineiros ficam no Grupo Q, contra Botafogo-PB, Botafogo-SP, Goiás, Goytacaz-RJ, Internacional, Londrina e Santos. Apenas os dois melhores avançariam às quartas de final.

Suspenso, Zenon ficou de fora da final

No primeiro destes jogos, um dos mais importantes e emblemáticos da campanha. Diante dos colorados bicampeões nos brasileiros de 75/76 e octacampeões gaúchos entre 1969 e 1976, os bugrinos não tinham chances, conforme as previsões da imprensa de Porto Alegre, onde seria o jogo. Capitão, Careca e Bozó compunham um ‘ataque de riso’ e não poderiam superar o Inter em pleno Beira Rio, diziam.

Pois com quatro minutos o meia Renato já abria o placar. Bozó ampliou ainda aos 40 da primeira etapa e Zenon, aos 38 minutos do segundo tempo, definiria o histórico 3 a 0 sobre os gaúchos que terminaram essa fase na segunda colocação, atrás apenas do próprio Guarani que nos sete jogos venceu seis e empatou um, garantindo vaga nas quartas de final.

Avassalador no mata-mata - Adversário das quartas de final, o Sport não foi páreo à equipe bugrina que venceu os dois jogos: 2 a 0 na Ilha do Retiro e 4 a 0 no Brinco de Ouro da Princesa. Após dois confrontos ao longo da competição e nenhuma vitória, chegou a vez de reencontrar o forte Vasco da Gama que desta vez, porém, não teve chances. Vitória bugrina por 2 a 0 em Campinas e 2 a 1 em pleno Maracanã, com dois gols de Zenon.

Melhores momentos da grande decisão contra o Palmeiras

A decisão do título seria verde, diante do Palmeiras. Já um dos maiores campeões do futebol brasileiro, o clube de Palestra Itália dava início a um período de quase duas décadas sem títulos. Com moral após eliminar o Internacional, até então time com melhor campanha em todo o torneio, o alviverde contava com nomes importantes de sua história em seu elenco como o goleiro Leão, o zagueiro Alfredo, o meia Jorge Mendonça e o atacante Nei, dentre outros.

As finais - No Morumbi, o primeiro jogo da decisão foi marcado para uma quinta-feira, 10 de agosto. Mais de 100 mil pessoas lotaram as arquibancadas do estádio paulistano e se surpreenderam quando Zenon, de pênalti, marcou o gol da vitória bugrina por 1 a 0, já aos 31 minutos da segunda etapa. Pelo pênalti cometido com uma cotovelada em Careca, o goleiro Leão foi expulso, cabendo ao meia-atacante Escurinho defender a meta palmeirense na penalidade. Esforço inútil diante de um especialista em bolas paradas como era o meia do Guarani.

Por receber o terceiro cartão amarelo na partida, Zenon, cérebro do meio de campo bugrino, desfalca a equipe na decisão, disputada três dias depois, num domingo, 13 de agosto. Precisando da vitória diante de quase 30 mil torcedores no Brinco de Ouro, o Palmeiras pressiona e assusta os donos da casa que, no entanto, mantém-se perigosos nas respostas. Aos 37, os visitantes avançam, mas a bola fica com o goleiro Neneca que lança Bozó. O ponta ataca pela esquerda e chuta contra o gol de Gilmar que, com os pés, dá rebote que o jovem Careca aproveita para marcar o gol do título.

Confrontos das quartas da Copa do Mundo Feminina Sub-20 estão definidos

Por Victor de Andrade


Foi finalizada nesta segunda-feira, dia 13, a fase de grupos da Copa do Mundo Feminina Sub-20 de 2018, que está sendo realizada na França. Com isto, ficaram definidos os confrontos das quartas de final da competição. A França vai encarar a Coreia do Norte, a Espanha terá pela frente a Nigéria, a Inglaterra medirá forças contra a Holanda e a Alemanha vai ter pela frente o Japão.

A última rodada da primeira fase começou a ser realizada no domingo, dia 12. No Grupo A, a França, dona da casa, ficou em primeiro com sete pontos e avançaram junto com a Holanda, que fez seis pontos. Gana, com três, e Nova Zelândia, com um ponto, ficaram de fora. No Grupo B, a primeira colocação foi da Inglaterra, com sete pontos, seguida pela Coreia do Norte, atual campeã da competição, com seis pontos. As duas seleções se classificaram. México, com três, e Brasil, com apenas um ponto, ficaram de fora.

As outras duas chaves da competição tiveram os jogos que definiram os classificados nesta segunda-feira, dia 13. No Grupo C, a Espanha terminou em primeiro, com sete, e se classificou junto com o Japão, com seis pontos. A surpresa negativa ficou com os Estados Unidos, que com quatro pontos foram eliminados ao lado do Paraguai, que ficou zerado. No Grupo D, a Alemanha foi a única equipe que venceu os três jogos e fez nove pontos, seguida pela Nigéria, com quatro pontos e zero de saldo. Ambas se classificaram. China, com quatro pontos e -1 de saldo, e Haiti, que não pontuou, ficaram de fora.

Quartas - As quartas de final da Copa do Mundo Feminina Sub-20 serão realizadas a partida do dia 16, quinta-feira. Confira os confrontos (horário de Brasília):

16 de agosto - quinta-feira
Stade Guy Piriou - Concarneau

11 horas
Espanha x Nigéria

14h30
França x Coreia do Norte

17 de agosto - sexta-feira
Stade de la Rabine - Vannes

11 horas
Inglaterra x Holanda

14h30
Alemanha x Japão

Edmundo e a passagem pelo Napoli em 2001

Por Diely Espíndola

Edmundo jogou apenas um semestre no Napoli, na campanha em que a equipe foi rebaixada

Edmundo. Animal. Difícil para qualquer brasileiro ouvir estes nomes e não saber de quem se trata. Edmundo fez história em cada clube brasileiro por onde passou. Idolatrado no Vasco, também vestiu a camisa do rival Rubro-Negro, e ainda no Rio também representou as cores do Fluminense. No Palmeiras, ganhou o apelido que se eternizaria como sua mais famosa alcunha. 

Mas a trajetória de Edmundo não foi feita só de sucessos. Como na carreira de qualquer jogador, algumas passagens por alguns clubes não rendem os resultados esperados, e se tornam uma pequena pedra no caminho do atleta. Foi o caso da passagem de Edmundo pelo Napoli. 

Em 2001 Edmundo chegava à Itália para se apresentar ao Napoli. Não era no entanto a primeira vez que o jogador vestia a camisa de um clube italiano. Em 1994, a Colômbia promoveu um amistoso contra o Parma, pouco antes da Copa do Mundo. À época Edmundo jogava pelo Palmeiras, que cedeu o atacante ao Parma para disputar a partida. O placar acabou sendo de 3 a 1 para a Colômbia, porém o único gol marcado pela equipe italiana veio justamente dos pés de Edmundo.

Festa na apresentação do Animal

Em 1997 Edmundo desembarcaria na Itália pela segunda vez. Após uma passagem extremamente vitoriosa pelo Vasco, o atacante é contratado pela Fiorentina pela bagatela de 9 milhões de dólares. Formando o ataque com Batistuta, Edmundo foi considerado por muitos o responsável pela boa campanha da equipe na temporada 1998/99, onde a equipe conquistou o terceiro lugar da primeira divisão nacional. Apesar do sucesso inicial, o fim da passagem de Edmundo pelo clube se deu de forma conturbada após brigas com treinador e outros membros do elenco, o que culminou em sua saída em 1999. 

Em 2001, Edmundo finalmente chegaria ao Napoli, após jogar no Santos. Dadas as atuações pelos clubes por onde já havia passado, as expectativas para a contratação de Edmundo eram altas. E não foram correspondidas. O clube passava por problemas financeiros e em campo, e amargava a zona de rebaixamento. Depositando em Edmundo suas esperanças de salvar a temporada, a torcida do Napoli viu o atacante marcar apenas 4 gols em 17 jogos disputados. Edmundo teve ainda um gol mal anulado contra o Brescia, que nas contas finais da tabela seria o gol que salvaria o Napoli da segunda divisão. 

Além da fase escassa de gols do jogador, Edmundo se viu envolvido em mais uma polêmica. Tendo um rendimento abaixo da média, o atacante acabou não sendo mais a primeira opção do treinador Emiliano Mondonico. À época Edmundo recebia um generoso salário de U$450.000,00, o que não o impediu de cogitar sair do clube, insatisfeito com a reserva.

Saiu do clube ao fim da temporada

Edmundo evitava entrevistas durante seu tempo na Itália, mas um pronunciamento do jogador após mais um jogo no banco não deixou dúvidas sobre a insatisfação com as escolhas de Mondonico. O treinador havia afirmado que Edmundo teria sido poupado pois se recuperava de problemas físicos. Fato que Edmundo prontamente negou, e expôs ao Estadão seu ponto de vista: “"Não posso comentar nada. Porém, não tenho nenhuma lesão e estou perfeitamente bem. A decisão foi apenas do treinador.". 

Após as diversas partidas no banco, e quando jogava acabava marcando bem menos gols do que se esperava, Edmundo não conseguiu evitar o rebaixamento do Napoli naquela temporada, mesmo sua contratação tendo sido a maior esperança do clube de escapar da degola. Edmundo sacramentava então sua passagem pelo clube como uma das piores e mais apagadas de sua carreira. Em seguida, acabou indo para o Cruzeiro, onde também não foi feliz. 
Proxima  → Inicio

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Instagram

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações