quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Os gols de Luizão na Libertadores de 2000

Por Lucas Paes

Luizão, pelo Timão, na Libertadores de 2000: 15 gols e recorde brasileiro na competição
(foto: arquivo Corinthians)

Numa época em que camisas 9 surgiam em abundância absurda em terras brasileiras, diversos nomes marcaram época pelo planeta inteiro. Mesmo não tendo o talento de um Ronaldo Fenômeno ou mesmo o carisma de um Túlio, um dos nomes que marcou muito os anos 90 e começo dos anos 2000 no Brasil foi o de Luizão. Com frieza impar e inapelável capacidade de colocar a bola nas redes, um dos melhores camisas 9 à passar pelo futebol brasileiro no período é até hoje responsável por um recorde brasileiro: o jogador do país à marcar mais gols em uma só Libertadores, no ano de 2000, pelo Corinthians: 15.

O Timão tinha na época uma forte equipe, o que fazia com que o alvinegro entrasse como um dos favoritos na competição. Mas os corintianos estrearam perdendo para o América do México , no Asteca, por 2 a 0. Porém, na rodada seguinte, no dia 3 de Março, Luizão teve atuação espetacular na goleada alvinegra por 6 a 0 pra cima da LDU, onde o atacante marcou três gols. Era apenas o início da boa campanha corintiana. O primeiro numa espécie estranha de meia bicicleta rasteira, e outros dois de cabeça. 

Na partida seguinte, no dia 14 de março, o adversário mais tradicional do grupo, o Olímpia, no temido Defensores del Chaco. Neste duelo, Luizão fez o primeiro gol dos alvinegros paulistanos. Mas o duelo terminou em um alucinante empate por 2 a 2. Naquele período, o Rey de Copas paraguaio era um dos mais temidos e perigosos adversários em jogos na Libertadores. 

Na terceira partida, diante do América, no Pacaembu, já em Abril, mais precisamente no dia 5, o Timão venceu por 2 a 1, mas Luizão não marcou, vendo Vampeta e Dinei fazerem os dois gols do Coringão. Na partida seguinte, seis dias depois, no hoje temido Estádio Casablanca, o Timão bateu a LDU por 2 a 0. Luizão, oportunista, marcou o primeiro gol do duelo, completando um cruzamento da direita. 

Para fechar a primeira fase, no dia 19 de Abril, outra atuação de gala do centro-avante na alucinante partida diante do Olímpia no Pacaembu. Num duelo que terminou num incrível 5 a ,4, num dia em que os uniformes eram, no mínimo, confundíveis, foram três gols do artilheiro alvinegro. O primeiro, logo a cinco minutos, veio num chutaço de fora da área,o segundo, já na etapa final, veio de cabeça, após cobrança de escanteio, depois de Baez, do Olímpia, fazer, no primeiro tempo, um dos gols mais bonitos da história da Libertadores. O terceiro veio de novo de cabeça, porém desta vez após cobrança de falta. 

Ai veio o mata-mata e o perigoso Rosário Central, em Arroyto, logo de cara, no dia 3 de maio. A tragédia parecia completa quando La Acade abriu 3 a 0. Porém, Luizão marcou duas vezes, primeiro após passe rasteiro de Edilson e o segundo aproveitando rebote do goleiro argentino. Os gols salvaram o Corinthians, que precisaria de uma missão muito mais simples no Pacaembu. 

Só que o jogo do Pacaembu, no dia 9, foi tão complicado quanto o de Rosário. Luizão abriu o placar de cabeça. Pizzi empata pouco depois. Na etapa final, Gordillo vira o jogo para o Rosário. A luz do Pacaembu falha e com metade do estádio apagado, Edilson vira em um golaço e Luizão marca o terceiro em belíssimo chute após passe de Ricardinho. Nos pênaltis, classificação brasileira.

Apesar dos gols de Luizão, o Corinthians não conquistou o título

Nas quartas, no pesadíssimo duelo com o Atlético Mineiro, repetindo a final do ano anterior. No primeiro jogo, num abarrotado Mineirão, no dia 18 de maio, Luizão marca o gol corintiano no empate por 1 a 1, de cabeça. No segundo jogo, ele vê Ricardinho e Edilson marcarem os gols da vitória e da classificação paulistana, que vem após um 2 a 1 no Pacaembu. Era hora de dois dos mais épicos duelos da história do futebol brasileiro, sul-americano e mundial: o Derby Paulistano das semifinais da Libertadores de 2000. 

No primeiro duelo dos dois clássicos no Morumbi, no dia 30 de maio, com mando corintiano, vitória do Timão por 4 a 3, com gols de Ricardinho, Marcelinho, Edilson e Vampeta. No segundo jogo, o Palmeiras pula na frente, mas Luizão empata de cabeça. O segundo, veio em boa jogada que terminou com finalização de Luizão. Só que o Verdão virou e o final todo mundo já sabe. Marcos x Marcelinho e um dos momentos mais felizes da história do Palmeiras. 

Apesar da derrota traumática, os 15 gols de Luizão seguem sendo um recorde entre brasileiros. Assim deve-se permanecer por muitos anos, pois é difícil vermos jogos abertos como o espetacular 4 a 3 entre corintianos e palmeirenses. Hoje, talvez pela preocupação com os gols fora de casa, os times são mais cautelosos. Um tiro que saiu pela culatra de quem inventou a rega. Seja como for, o recorde continua lá, marcado escrito e tatuado na história da Libertadores, que o Timão demoraria mais 12 anos para levar, contra o que teria sido seu adversário naquela possível final.

É chegada a hora do Santos começar a pensar em 2019

Por Lula Terras
Foto: Ivan Storti / Santos FC

Derrota para a Chapecoense fez Santos se distanciar na briga por vaga na Libertadores 2019

A derrota para a Chapecoense, nesta segunda-feira, no Pacaembu, apesar de extremamente prejudicial nesta reta final do Brasileirão, pode ser encarada de forma positiva, por um aspecto: dá margem para uma mudança radical na formação do elenco para 2019, pois é sabido que o time é mediano e o elenco muito fraco. Fica a sugestão para esses dirigentes instalados no Santos, mas não em Santos, que comecem a trabalhar neste sentido. Para ontem!

Uma das questões a ser repensada é a decisão do presidente Peres de transferir o mando de campo para São Paulo, numa clara demonstração que está cumprindo promessas de campanha com os associados da Capital. Ressalte-se que esse pessoal tanto forçou a barra para tirar os jogos da Vila Belmiro que conseguiram o objetivo, mas também não estão fazendo sua parte. O que nós vimos nesta segunda, no Pacaembu, foram pouco mais de 10 mil pagantes, números que tornariam a Vila Belmiro em um verdadeiro caldeirão para intimidar o adversário que é tão fraco, que luta para não ser rebaixado. 

Infelizmente, o presidente que teve a esperteza de transformar o julgamento de seu impeachment num mero processo eleitoral, não mostra a mesma competência na montagem e manutenção das equipes de competição. Exemplos são as categorias de base, aonde, neste ano, apenas o Sub 15 chegou às semifinais do Campeonato Paulista, quando foi eliminado pelo Palmeiras, sendo derrotado tanto jogando em casa como no campo do adversário. O Sub-17 está nas semifinais da Copa do Brasil da categoria. A equipe profissional, também nada acrescentou. A única exceção foi a nossa equipe feminina que nos trouxe o título de Campeã Paulista de 2018. 

Já há algum tempo que nossa base não tem feito bom papel em competições oficiais, em suas categorias. Estamos perdendo espaço para os três grandes da Capital e até algumas equipes interioranas tem montado equipes bem mais competitivas, que a nossa. Daí é para repensar se é mais importante montar equipes competitivas ou investir, apenas, em alguns jogadores, tidos como candidatos a craques, para serem repassados ao Exterior. Eu, particularmente não vejo o meu Santos, como uma prateleira de bons negócios. 

Esse é o quadro que vejo no Santos de hoje, que tem um presidente mais preocupado em se manter no poder, nem que para isso, seja obrigado a trocar cabeças em setores estratégicos do clube, por homens da sua confiança. Destaco até, o comentário de um torcedor que encontro sempre, no CT Rei Pelé, durante os jogos da molecada. “O Santos está mais parecendo uma nave espacial, ta cheio de alienígena mandando por aqui, alguns deles até, com passagens por equipes da Capital, ou seja, sem vínculo afetivo com a cidade e com o clube”. 

Para finalizar, fica um pedido, ou melhor, um apelo a esses dirigentes. Que, em 2019, passem a pensar no Santos, como fosse seu time de coração e monte uma equipe competitiva, esqueçam essa idéia de levar o Santos para a Capital, pois, se for nesta linha de raciocínio, outras regiões, também importantes do Estado, merecem o mesmo tratamento, afinal, todos sabemos que o Santos é do Mundo.

Lusa Carioca acerta contratação do lateral-esquerdo Zeca

Com informações da Agência FERJ
Foto: André Oliveira / AAP

Zeca é a oitava contratação da Lusa para temporada 2019

A Portuguesa anunciou a contratação do lateral-esquerdo Zeca, de 28 anos, que atuou neste ano pelo Campinense-PB e Concórdia-SC. O jogador tem passagens também por Rio Claro-SP, Botafogo-PB, Oeste-SP, Icasa-MG, Santa Cruz-PE, Guarani de Sobral e Novo Hamburgo. No futebol carioca jogou de 2010 a 2012 no Madureira, clube no qual foi revelado para o futebol:

“É sempre bom voltar ao futebol carioca. Um grande centro do futebol brasileiro e de extrema visibilidade. A Portuguesa tem um projeto interessante que me atraiu e vou me empenhar ao máximo para que os objetivos sejam alcançados”, disse o jogador.

Zeca é o oitavo reforço anunciado oficialmente para Lusa-Carioca. Além dele, para a lateral-direita, o clube trouxe de volta Cássio e Fillipe Formiga; para o gol Edson Kolln e Ruan Sousa; o volante Ricardinho; o meia Everton Sena e o atacante Tiago Amaral.

FICHA TÉCNICA:
Nome: David da Silva Lima
Data de nascimento: 25/06/1990 (26 anos)
Nacionalidade: Brasileiro
Posição: lateral-esquerdo
Altura: 1,80m

terça-feira, 13 de novembro de 2018

O dia em que Feitiço enfrentou o presidente da República

Com informações do site oficial do Santos FC

A Seleção Paulista de 1927, com Feitiço (no meio, agachado) e Tuffy (de branco)

Luiz Macedo, ou simplesmente Feitiço, um dos maiores artilheiros que já defendeu as cores do Santos FC e ocupa a 5ª colocação no ranking da artilharia alvinegra, é o personagem principal de uma história que entrou em definitivo no folclore do futebol brasileiro. Ela é contada de tempos em tempos não só pela imprensa esportiva como também pelos estudantes que pesquisam fatos políticos envolvendo o esporte nacional.

O fato marcante aconteceu no dia 13 de novembro de 1927, na partida final do Campeonato Brasileiro de Seleções envolvendo a Seleção Paulista e a do Rio de Janeiro, então capital federal, no novíssimo estádio de São Januário, que em abril daquele ano havia sido inaugurado pelo time santista na vitória diante do Vasco da Gama por 5 a 3.

“Na partida final entre as seleções paulista e a carioca ocorreu um lance discutível com um desfecho inusitado. O Dr. Washington Luiz, Presidente da República do Brasil, que da tribuna de honra assistia ao prélio, decidiu interferir na disputa para solucionar o impasse. Um cronista esportivo descreveu o incidente. ‘E correu, (o árbitro) bola debaixo do braço, para a marca fatal. Os paulistas envolveram o árbitro. Um paulista chutou a bola para longe. Os cariocas correram para buscá-la e dá-la ao juiz. O juiz colocou a bola na marca. E ficou-se assim, uma porção de minutos, nesse tira-bola, bota-bola. De vez em quando, os paulistas, como Feitiço e Amílcar à frente, cercavam o juiz. E tome empurrão. Foi à altura do 15º minuto de interrupção que apareceu em campo, todo cheio de alamares sobre o ombro, o ajudante de ordens do Dr. Washington Luiz (com uma orientação para o árbitro): O exmo Sr. Dr. Presidente da República mandou dizer aos paulistas que deixem bater o pênalti para que a partida possa continuar‘”.

Feitiço deu a seguinte resposta: “Pois diga ao exmo Sr. Dr. Presidente da República que ele manda no Brasil, mas quem manda no selecionado paulista somos nós”. Os paulistas não aceitaram a interferência do Presidente e nem a decisão do árbitro, que exigia a cobrança do pênalti e se retiram do Estádio de São Januário. O pênalti foi batido e os paulistas derrotados. Este episódio marcou a história da vida de Feitiço e de seus companheiros da Seleção Paulista de Futebol, dentre eles vários jogadores pertencentes ao time do Santos Futebol Clube.

O jogo estava com o placar apontando empate em 1 a 1, com Oswaldynho marcando para os Cariocas, aos 31 minutos do primeiro tempo e o próprio Feitiço empatando para os paulistas, aos 10' da etapa complementar. Depois de muita confusão, Fortes, já nos acréscimos bateu o pênalti, com o gol vazio, que deu o título ao time do Rio de Janeiro.

Na volta a Santos, os atletas Feitiço e o goleiro Tuffy foram expulsos do clube praiano por determinação expressa do presidente santista, Guilherme Gonçalves. No ano seguinte, Feitiço foi reintegrado ao time santista. Já o goleiro Tuffy Neugen, o Satanás Negro, nunca mais vestiu a camisa do time da Vila Belmiro.

Estreando na Copa do Mundo Feminina Sub-17, Brasil empata com o Japão

Com informações do site oficial da CBF
Fotos: Fifa.com

Jogo teve poucas emoções e terminou com o placar de 0 a 0

A Seleção Brasileira Sub-17 iniciou, nesta terça-feira (13), a caminhada na Copa do Mundo da categoria. No Estádio Domingo Burgueño Miguel, em Maldonado, no Uruguai, o Brasil estreou na competição com um empate sem gols diante do Japão.

Em Maldonado, a Seleção Brasileira enfrentou o Japão na abertura da sexta edição da Copa do Mundo Feminina Sub-17. A primeira etapa do confronto entre as duas equipes foi marcada pelo equilíbrio. Nos minutos iniciais, as adversárias criaram duas boas chances com a camisa 9 Kamiya. Aos poucos o Brasil foi encontrando os espaços no ataque.

Na marca dos 15 minutos, Emily recebeu lançamento pela esquerda, invadiu a área e chutou rasteiro para a defesa da goleira Ohba. O Japão respondeu aos 19 e mais uma vez com Kamiya. O lance de maior perigo da Canarinho aconteceu aos 23. Isabela arrancou pela direita e cruzou na entrada da área para a chegada de Vitoria, que, de primeira, obrigou a arqueira japonesa a fazer mais uma grande intervenção.

Na próxima rodada, o Brasil enfrenta o México

Na volta do intervalo, a seleção japonesa ficou mais posse de bola, enquanto o Brasil foi bastante consistente no setor defensivo. A Canarinho voltou a assustar as adversárias aos 28 minutos em chute de longe da camisa 10 Amanda. Na sequência mais uma chegada brasileira, depois de bola alçada na área, Emily subiu sozinha, mas cabeceou para fora. Nos minutos finais da partida, o Japão tentou chegar ao ataque, mas novamente esbarrou na boa marcação do Brasil.

No Grupo B do Mundial, a Canarinho, que jogou com Mayara; Isabela, Isadora, Vitoria Bruna (Yasmin), Gisseli; Vitória (Maria Luiza), Julia, Miriam; Jheniffer (Bruna), Amanda e Emily, sob o comando de Luizão, soma agora um ponto e volta a campo na próxima sexta-feira (16), para encarar o México. Já na última rodada da primeira fase, a Seleção Brasileira enfrenta a África do Sul, no dia 20.

'Não sofremos até a expulsão', analisa técnico do Atibaia

Com informações do site oficial da FPF
Foto: reprodução Facebook SC Atibaia

Para Carlos Roberto, a expulsão atrapalhou os planos do Atibaia no último jogo

O Atibaia recebeu o Votuporanguense na manhã do último sábado (10) e empatou por um gol, no Estádio Décio Vitta, em Americana, pela partida de ida da semifinal da Copa Paulista. O técnico Carlos Roberto admitiu que esperava confronto difícil diante do adversário alvinegro, mas salientou que a equipe laranja teve o controle do jogo apesar da expulsão.

“Estávamos conscientes sobre a qualidade do Votuporanguense e não tínhamos sofrido tanto até a expulsão (o volante Emerson Guioto levou cartão vermelho). Trabalhamos em cima para sair com o resultado que a gente precisava, mas não deu certo. Mesmo assim, o controle da partida era nosso e o gol deles saiu a partir de um pênalti”, analisou o treinador, que crê na classificação fora de casa.

“Eles tinham uma proposta e a gente estava ciente disso. Gostam de ter a posse de bola. Eles tinham potencial e sempre é difícil, ainda mais quando ficamos com jogador a menos. Mas, suportamos a pressão deles. Não foi o resultado ideal, mas deixa em condição para buscar a classificação de igual para igual”, prosseguiu.

Carlos Roberto elogiou a jogada que deu origem ao gol do Atibaia e confia no coletivo para sair classificado. “A jogada do nosso gol foi muito legal e aproveitamos o rebote do goleiro. Nossa dupla de ataque é competente e são decisivos no campeonato”, finalizou.

Por uma das vagas na decisão, Atibaia e Votuporanguense voltam a se encontrar no próximo domingo (18), às 11h, na Arena Plínio Marin, em Votuporanga, pela partida de volta da semifinal da Copa Paulista.

Semifinais do Carioca Feminino estão definidas

Com informações da Agência FERJ


Flamengo x Portuguesa e Duque de Caxias x Vasco da Gama. Estas são as semifinais do Campeonato Carioca de Futebol Feminino de 2018. As definições dos times classificados vieram dos jogos das quartas-de-final, que foram realizadas no último final de semana.

Atual tricampeão da competição, o Flamengo vai encarar a Portuguesa no domingo, dia 18, às 10 horas, no CEFAN, no Rio de Janeiro. As Rubro-Negras eliminaram a Liga de Volta Redonda, vencendo por 3 a 0, no domingo, dia 11, na Gávea. Já a Lusa anotou o mesmo placar sobre o LDRO/Cabo Frio, no sábado, dia 10, no Estádio Luso-Brasileiro.

A outra semifinal será entre Duque de Caxias e Vasco da Gama, também no domingo, só que às 15h30min, no CEPE Caxias. O time da Baixada eliminou LRD/Bonitão, nos pênaltis, por 3 a 2, após o empate em 2 a 2 no tempo normal, na quinta-feira, dia 8. As Cruzmaltinas também passaram às semifinais ao vencerem o Brasileirinho/Corte 8 nos pênaltis, por 5 a 3, após o empate em 1 a 1 no tempo normal, no CT do Vasco, no sábado, dia 10.

Os vencedores dos dois jogos estarão na grande final, que está prevista para ser realizada no dia 24, um sábado. Confira as duas semifinais:

FLAMENGO X PORTUGUESA
Domingo - Dia 18/11 - 10 horas
CEFAN - Rio de Janeiro

DUQUE DE CAXIAS X VASCO DA GAMA
Domingo - Dia 18/11 - 18h30
CEPE Caxias - Duque de Caxias

São Bernardo FC anuncia a contratação do técnico Alberto Félix

Com informações do site oficial da FPF
Foto: divulgação CA Bragantino

Alberto Félix durante sua passagem pelo Bragantino, onde conquistou um acesso em 2017

Com vistas para a disputa do Paulistão A2 de 2019, o São Bernardo FC acertou a contratação do técnico Alberto Félix, 53, anunciado nesta segunda-feira. Comandante do Bragantino no retorno à elite em 2017, o treinador chega com essa missão ao clube do ABC paulista.

Meia com passagens por equipes importantes do futebol brasileiro como Fluminense, Vitória, Coritiba, Internacional, Cruzeiro e entre outros, Alberto Félix teve seu auge com a camisa do Bragantino vice-campeão brasileiro de 1991. À época chegou a ser convocado à Seleção Brasileira por Carlos Alberto Parreira, por onde fez uma partida, em um amistoso contra o México, em 1993.

Como treinador, acumula passagens por Penapolense, Atibaia, Taubaté e Bragantino, onde conquistou o principal feito de sua curta carreira: o acesso à elite em 2017, eliminando o Água Santa na semifinal da competição e ficando com o vice-campeonato, ao perder a decisão para o São Caetano.

São Bernardo FC - Com a contratação de um treinador com acesso da Série A2 para a elite do futebol paulista, o Tigre espera voltar à divisão principal do futebol do estado. Neste ano, o São Bernardo FC chegou à semifinal da A2, mas perdeu o acesso para o Oeste de Itápolis e quer que o destino final neste ano seja de sucesso.

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Santos joga mal e perde para a Chapecoense no Pacaembu

Com informações do site oficial do Santos FC
Foto: Ivan Storti / Santos FC

Eduardo Sasha disputa a bola pelo alto. Santos não jogou bem no Pacaembu

Sem poder contar com seis atletas, o Santos Futebol Clube recebeu no Pacaembu, na noite desta segunda-feira (12), a equipe da Chapecoense, em partida válida pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, e perdeu pelo placar de 1 a 0, deixando de conquistar, mais uma vez, pontos importantes na luta por uma vaga na Libertadores jogando no estádio paulistano. Com o resultado, o alvinegro praiano permanece com 46 pontos na tabela, ocupando agora a 8ª colocação do certame nacional.

A partida começou com pressão exercida pelo Peixe. Logo no primeiro minuto, Derlis González fez boa jogada pela direita e concluiu com cruzamento rasteiro. A defesa da Chapecoense conseguiu afastar, mas Copete, que vinha no lance, por muito pouco não conseguiu alcançá-la e concluir para o fundo do gol. Poucos minutos depois, Bryan Ruiz fez boa cobrança de falta e obrigou Jandrei a fazer boa defesa.

A Chapecoense reagiu aos 20 minutos com Leandro Pereira, que finalizou na entrada da área e exigiu grande aparição de Vanderlei. Oito minutos depois, os comandados de Claudinei Oliveira abriram o placar com o mesmo Leandro Pereira, que aproveitou cobrança de escanteio de Canteros para mandar para a rede santista. Perto do final do primeiro tempo, o adversário quase ampliou com Wellington Paulista, que teve conclusão evitada por Daniel Guedes praticamente em cima da linha do gol.

Após um começo de segundo tempo burocrático, com poucas oportunidades criadas pelas duas partes, o técnico Cuca realizou duas alterações que mudaram o ritmo do jogo. Antes fechada em sua defesa, a Chapecoense teve que correr mais para evitar brechas possivelmente aproveitadas pelos recém-acionados Bruno Henrique e Rodrygo. Aos 28 minutos, Alison realizou bom cruzamento da direita e Rodrygo, no reflexo, cabeceou muito perto do gol de Jandrei.

Pouco tempo depois, Rodrygo tentou de novo, mas pegou mal na bola e não ofereceu perigo a Jandrei. Mesmo com posse de bola elevada e tentando de todas as formas, o Peixe não conseguiu mais transformar em oportunidades que alterassem o marcador. A Chapecoense, com sua proposta defensiva após abrir o marcador, terminou com a vitória no Pacaembu.

Na próxima rodada, o Santos vai até o Rio de Janeiro, onde encara o Flamengo, no Maracanã, na próxima quinta-feira, dia 15, feriado de proclamação da República. No mesmo dia e horário, a Chapecoense recebe o Botafogo na Arena Condá, em Chapecó.

Copa do Mundo Feminina Sub-17 2018 começa nesta terça


Vai começar nesta terça-feira, dia 13, a Copa do Mundo Feminina Sub-17, que será realizada no Uruguai. São 16 seleções em busca do título mundial, que na edição anterior, realizada na Jordânia, em 2016, foi conquistada pela Coreia do Norte. A Seleção Brasileira, atual campeã Sul-Americana, está no Grupo B, ao lado de México, África do Sul e Japão.

A organização uruguaia da competição escolheu três locais para a realização da Copa do Mundo: Montevidéu, com o Estádio Charrúa, com capacidade para 14 mil pessoas, Maldonado, com o Estádio Domingo Brutageño, para 22 mil pessoas, e Colonia de Sacramento, com o Estádio Alberto Suppici, que tem capacidade para 6,5 mil pessoas.

O regulamento será o seguinte: as 16 equipes estão divididas em quatro grupos com quatro times. Os dois melhores colocados de cada chave avançam para as quartas-de-final, fazendo o famoso cruzamento olímpico. A partir desta etapa é mata-mata, até apontar o campeão.

Confira abaixo os grupos da competição:

GRUPO A
Uruguai - Gana - Nova Zelândia - Finlândia

Grupo do país sede, que, apesar de ter melhorado o seu desempenho no último Campeonato Sul-Americano, será difícil brigar por uma classificação. A Nova Zelândia pinta como favorita na chave, com a Finlândia correndo por fora, devendo ficar com a segunda colocação. Gana, assim como Uruguai, irá surpreender caso consiga avançar.

GRUPO B
México - África do Sul - Brasil - Japão

Grupo equilibrado, tirando a África do Sul, que deve ser "carta fora do baralho" na briga pela classificação e pode servir de "peso" na definição das duas seleções que avançarem. Japão, Brasil e México brigam pelas duas vagas no mata-mata, com japonesas e brasileiras com um ligeiro favoritismo. A disputa será interessante.

GRUPO C
Estados Unidos - Camarões - Coreia do Norte - Alemanha

O grupo da morte! A atual campeã mundial da categoria, Coreia do Norte, e mais dois países tradicionais no Futebol Feminino, Estados Unidos e Alemanha. A briga pelas duas vagas será de "gente grande" e quem ficar de fora poderia estar classificado em qualquer das outras chaves. Já Camarões, no meio das outras três seleções, deve apenas fazer figuração.

GRUPO D
Coreia do Sul - Espanha - Canadá - Colômbia

O Grupo D apresenta duas seleções que brigam para alçar voos maiores no futebol feminino: Canadá e Espanha. Estas duas equipes devem lutar pelo primeiro lugar da chave. Coreia do Sul corre por fora, mas a velocidade do futebol asiático sempre causa problemas. A Colômbia apresenta evoluções no futebol feminino e pode complicar a vida para as adversárias.

Confira a tabela completa da competição aqui.
Proxima  → Inicio

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Instagram

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações