domingo, 22 de julho de 2018

Pelo Brasileirão, Chapecoense e Santos ficam no 0 a 0

Com informações do site oficial do Santos FC

Apesar da disposição das duas equipes, a rede não foi balançada na Arena Condá

O Santos FC somou um ponto na 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na noite deste domingo (22), na Arena Condá, em Chapecó (SC), o Peixe empatou em 0 a 0 com a Chapecoense. Com este resultado, e com um jogo a menos, o Alvinegro Praiano chegou aos 15 pontos na 15ª colocação do Nacional.

Com 14 pontos em 12 jogos, já que o Santos tem uma partida a menos (contra o Vasco), o Peixe entrou no gramado da Arena Condá vindo de um empate no clássico com o Palmeiras, em 1 a 1. Já a Chapecoense, com 15 pontos em 13 jogos, na última rodada, também ficou na igualdade pelo mesmo placar, contra o Bahia, em Chapecó.

A equipe santista segurou a pressão inicial dos mandantes e tentava infiltrações na área catarinense pelos dois lados. Em uma das oportunidades, Gabriel aproveitou sobra na grande área e foi travado pela marcação no momento do chute. Sem conseguir furar o bloqueio adversário, o Peixe arriscou de fora da área e levou perigo ao gol de Jandrei com Jean Mota e Eduardo Sasha, aos 34 e aos 38 minutos do primeiro tempo.

Gabriel teve chance para marcar no primeiro tempo

Na segunda etapa, o sistema defensivo seguiu anulando as investidas catarinenses e, com a bola nos pés, continuava procurando espaços na forte marcação dos donos da casa. Aos 45 minutos, Copete cruzou rasteiro e viu Arthur Gomes chutar em cima do marcador, porém a partida terminou empatada sem gols na Arena Condá.

O próximo compromisso do Peixe será às 21h45 desta quarta-feira (25) diante do Flamengo. A partida, válida pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, será realizada na Vila Belmiro. Já a Chapecoense vai até o Rio de Janeiro, onde enfrenta o Botafogo na quinta-feira (26), às 19h15, no Engenhão, no Rio de Janeiro.

Ferroviário perde para o São José, mas está na final da Série D

Com informações do site da CBF

O Zequinha até venceu neste domingo, por 2 a 1, mas a vaga na decisão ficou com o Ferrão
(foto: divulgação EC São José)

O Ferroviário está na final da Série D do Campeonato Brasileiro 2018! Neste domingo, dia 22, o Ferrão enfrentou o São José-RS, no Estádio Passo d’Areia, em Porto Alegre, e perdeu por 2 a 1. Mas, por ter vencido o primeiro jogo por 3 a 1, o time cearense garantiu a vaga para brigar pelo título contra Treze ou Imperatriz.

Precisando reverter a derrota do primeiro jogo, o São José abriu o placar em Porto Alegre logos aos três minutos de bola rolando. Xaro cobrou lateral direto na área para Kelvin, que cruzou para trás, e Matheusinho apareceu para desviar e fazer 1 a 0. Um pouco depois, aos dez minutos, Edson Cariús recebeu ótimo lançamento de Janeudo, dominou dentro da área, se livrou da marcação e finalizou para empatar para o Ferroviário.

O Zequinha seguiu buscando o gol e voltou a ficar na frente aos 28, quando Karl aproveitou escanteio da esquerda, dominou livre e soltou uma bomba para fazer 2 a 1. O jogo seguiu movimentado, com boas chances para os dois lados.

O segundo tempo também foi agitado. O São José quase ampliou aos oito minutos, quando Kelvin fez boa jogada pela esquerda e cruzou na área. O zagueiro Luís Fernando desviou para afastar, e Matheusinho cabeceou fraco no rebote. O Ferroviário, mesmo atrás no placar, administrou o resultado até o apito final, que o garantiu na finalíssima da Série D deste ano.

Os quatro semifinalistas estão garantidos na Série C de 2019. Agora, a disputa é pelo título. O Ferroviário enfrenta o classificado de Treze e Imperatriz, que se enfrentam na segunda-feira, dia 23, no Amigão, em Campina Grande, às 21h15. No primeiro jogo entre as duas equipes, na semana passada, o time maranhense venceu por 1 a 0.

Bella Vista Paysandú é o campeão uruguaio do interior de 2018

Com a colaboração de Jorge Benoit/Futbol Florida (informações e fotos)

Muita festa ao fim do jogo: o Bella Vista de Paysandú conquistou o título

A Copa da Organización de Fútbol del Interior (OFI) do Uruguai, Divisão A, já tem um campeão. Depois de vencer em casa, por 1 a 0, o Bella Vista de Paysandú, mesmo com torcida contra, derrotou o Central, por 2 a 0, e conquistou o título da competição. A partida foi realizada na tarde deste domingo, dia 22, no Estádio Casto Martinez La Guarda, em San José.

A expectativa para o jogo era grande e a vantagem era do Bella Vista, que no primeiro jogo da decisão venceu o Central pelo placar de 1 a 0, em partida realizada no dia 14, sábado, no Estádio Parque Artigas, em Paysandú. Porém, o Alvinegro de San José, detentor do título de 2017, estava confiante, pois jogava em casa e queria o bicampeonato.

Porém, logo quando a bola começou a rolar, o Central viu que não teria vida fácil. O Bella Vista, mesmo jogando fora de casa, tentou impor o seu ritmo, até surpreendendo os mandantes. O Central, precisando ganhar para, no mínimo, levar a decisão para as penalidades, equilibrou o jogo, mas os 45 minutos iniciais terminaram com o placar de 0 a 0.

Estádio lotado para um grande jogo

Na segunda etapa, a partida continuou equilibrada, com o Central saindo mais para o jogo. Com isto, o Bella Vista teve mais espaço para jogar e aos 22 minutos abriu o marcador com Diego Andrade, que marcou um belíssimo gol. O time de Paysandú aumentava ainda mais a vantagem.

Com o gol sofrido e tendo que fazer dois para levar a decisão para as penalidades, o time da casa foi de vez para o ataque e deixou ainda mais espaços para o adversário. O Bella Vista aproveitou a oportunidade e ampliou aos 26', com Gonzalo Angelo. Era um balde de água fria para o Central de San José.

O time da casa ainda tentou fazer algo, mas a cada minuto que se passava, mais o bicampeonato ficava distante. E assim, com o 2 a 0 se confirmando ao fim da partida, o Bella Vista de Paysandú pôde comemorar o seu segundo título da Copa OFI, sendo que o primeiro aconteceu em 1977. Na hora da entrega do troféu, a torcida que foi até San José acompanhar a partida invadiu o gramado e comemorou o título com os jogadores.

Central ainda tentou mesmo depois dos gols sofridos

Ficha Técnica
CENTRAL DE SAN JOSÉ 0 X 2 BELLA VISTA DE PAYSANDÚ

Data: 22 de julho de 2018
Local: Estadio Casto Martínez Laguarda - San José - Uruguai
Árbitro: Danny Martín Rodríguez

Gols
Bella Vista: Diego Andrada, aos 22', e Gonzalo Angelo, aos 26' do segundo tempo

Central: Fabio García, Mauricio Delgado, Maximiliano Britos, Marcelo Moreira, Hernán Delgado, Mauricio Pérez, Facundo Rodríguez, Lucas Battaglino, Matías Chacón, Juan Ignacio Guardado, Michael Fumero - Técnico: Claudio Peraza.

Bella Vista: Luca Giossa, Rodrigo Michelena, Juan Bicca, Darío Calabuig, Guillermo Andrada, Ruben Lima, Ricardo Mattiauda, Diego Andrada, Federico Ortiz, Gonzalo Angelo, Juan Andrioli - Técnico: Cristhian Murieda.

♪♫♩♬ Gol do Juninho, Monumental! ♪♫♩♬

Com informações do site oficial do Vasco da Gama

O gol de Juninho, contra o River Plate, foi tão importante que virou refrão de música da torcida

Em 22 de julho de 1998, Juninho Pernambucano marcou um golaço de falta diante do River Plate (ARG), no estádio Monumental de Nuñes. O lance foi um dos marcos da conquista da Libertadores de 1998. Era a segunda partida da semifinal da competição. Na primeira, o Gigante da Colina havia vencido por 1 a 0, gol marcado por Donizete. Os argentinos, mesmo com o resultado negativo, afirmavam que iriam se classificar para a final.

Jogando em casa, o adversário abriu o placar com Sorín, depois da cobrança de falta de Galhardo. Com o resultado, os argentinos sentiam-se mais a vontade para pressionar o Cruz-Maltino, que não se intimidava e lutava heroicamente pela classificação. Gallardo perdeu duas oportunidades no primeiro tempo. O Vasco chegou com Luizão, que sofreu um pênalti não marcado pelo árbitro.

A segunda etapa seguia como a primeira: River todo no ataque e o Vascão esperando um contra-ataque para matar o jogo. Para melhorar o passe, o técnico cruzmaltino, Antônio Lopes, decidiu colocar Juninho Pernambucano no lugar de Luizão. A alteração surtiu efeito e a equipe de São Januário passou a ficar mais tempo com a bola.

Quando parecia que a disputa iria para os pênaltis, surge o lance que entraria para a história do Vasco e que marcaria o Reizinho na Colina e seus súditos. Montserrat comete falta em Vágner na intermediária do campo. Após o juiz marcar a infração, os jogadores adversários tentavam retardar cobrança e desconcentrar Juninho. Mas não conseguiram. Aos 37 minutos, o meia se tornava Rei ao bater com força na bola, que faz uma curva impressionante para entrar caprichosamente no ângulo de Burgos. Um golaço!

O gol que colocou o Vasco na final da Libertadores de 1998

Juninho e os seus companheiros comemoraram com euforia o gol histórico que rendeu a classificação para a final diante do Barcelona (EQU). O Monumental ficou perplexo, calado, com a obra de arte do Reizinho, enquanto a torcida vascaína festejava. O lance épico daquela conquista é lembrado em todos os jogos do Vascão, seja em São Januário ou longe dele, com o refrão:

Contra o River Plate
Sensacional.
Gol do Juninho,
Monumental

Mauá FC surpreende e vence Guarulhos fora de casa

Com informações da Assessoria de Imprensa da AD Guarulhos
Colaboração: Francisco Tardivo Neto

Guarulhos foi surpreendido pelo Mauá FC, que venceu por 3 a 1
(foto: João Rafael Pinheiro/AD Guarulhos)

Equipe com a melhor campanha na primeira fase e que, por isto, se tornou uma das favoritas na Segunda Divisão, a AD Guarulhos se complicou na segunda etapa da competição. Jogando em casa, no Estádio Antônio Soares de Oliveira, o Índio Guaru foi derrotado pelo Mauá FC e vê sua situação ficar complicada na competição, já que tem apenas um ponto em dois jogos.

As duas equipes vinham de empate na rodada anterior. A AD Guarulhos havia jogado o confronto citadino contra o Flamengo e ficou no 1 a 1. Aliás, foi o terceiro jogo entre as duas equipes e o mesmo placar. Já o Mauá FC havia recebido o São José, o Estádio Pedro Benedetti, e o placar ficou em branco depois dos 90 minutos.

Na primeira etapa, a equipe de Cláudio Matosinhos teve a maioria das chances na primeira etapa. A equipe teve duas oportunidades com Bruninho, que em uma chegada marcou o gol. Mas a arbitragem marcou falta no lance anterior. Gatti e Marcelo também chegaram com perigo, mas a zaga afastou.

O Mauá teve poucas investidas, principalmente nos erros de bola da equipe do Guarulhos. Aos 43 minutos, após falta de Felipinho sobre Wesley, o camisa 6 do Mauá mandou na área e o centroavante Bruno cabeceou para o fundo da rede para marcar o primeiro gol do jogo.

Derrota complicou situação do time de Guarulhos na competição
(foto: Francisco Tardivo Neto)

Já no Segundo tempo, o Guarulhos tentou mais chegadas ao ataque, principalmente com Gustavo e Alan que entrou na segunda etapa. Ao contrário disso, o time sofreu muito com os contra-ataques do Mauá. Além disso, o Guarulhos teve uma oportunidade de bicicleta com Mendes, mas a bola foi pela linha de fundo. Aos 36 minutos, Moalisson pegou o rebote e marcou o segundo do Mauá.

Aos 39 minutos, após bola na área, Alan diminuiu ao Guarulhos marcando seu 8° gol na competição. Mas logo após, Gustavo foi expulso por falta boba. O Mauá aproveitou a oportunidade e marcou o terceiro com Moalisson, segundo gol do atacante que entrou na segunda etapa. 

Na próxima rodada o Guarulhos encara o São José, sábado (28) às 18h30 no Estádio Martins Pereira em São José dos Campos. Já o Mauá FC volta a jogar em casa no domingo, dia 29, às 15 horas, quando recebe o Flamengo.

Oitavas da Taça BH Sub-17 estão definidas


Neste último sábado, dia 21, foi realizada a última rodada da primeira fase da Taça BH Sub-17, um dos torneios mais tradicionais do futebol de base do Brasil. Organizada pela Federação Mineira de Futebol, o torneio teve a participação de 40 equipes de todo o Brasil, que foram divididos em 10 grupos de quatro times cada.

Com os resultados dos jogos realizados neste sábado, foram definidos os classificados e os confrontos das oitavas de final da competição. Avançaram para a próxima etapa os primeiros colocados de cada chave mais os seis melhores segundos colocados.

Os confrontos das oitavas foi definido através do índice técnico, ou seja, o 1º enfrenta o 16º, o 2º o 15º e assim sucessivamente. Os jogos serão realizados nesta segunda-feira, dia 22. Confira todos os confrontos das oitavas:

JUVENTUDE – RS X ATLÉTICO - PR
Joaquim Henrique Nogueira "Arena do Jacaré"
SETE LAGOAS – 11 horas

INTERNACIONAL – RS X PALMEIRAS - SP
Estadio das Alterosas - SESC Venda Nova
BELO HORIZONTE – 11 horas

FLUMINENSE – RJ X NOVOHORIZONTINO - SP
Arena da Bola
CONFINS – 13 horas

SÃO PAULO – SP X GRÊMIO - RS
Estadio das Alterosas - SESC Venda Nova
BELO HORIZONTE – 14 horas

CRICIÚMA – SC X SANTOS - SP
Arena da Bola
CONFINS - 15h30

FLAMENGO – RJ X ATLÉTICO-MG
Joaquim Henrique Nogueira "Arena do Jacaré"
SETE LAGOAS – 17 horas

CORINTHIANS – SP X AMÉRICA-MG
Estadio das Alterosas - SESC Venda Nova
BELO HORIZONTE – 17 horas

VASCO – RJ X PARANÁ -PR
Joaquim Henrique Nogueira "Arena do Jacaré"
SETE LAGOAS - 19h30

sábado, 21 de julho de 2018

Pela Segundona Paulista, São José e Flamengo empatam em 0 a 0

Fotos: Davi Jehá/São José EC

Apesar da pressão do São José, o Flamengo conseguiu segurar o 0 a 0

Não foi desta vez que São José EC e Flamengo de Guarulhos venceram na segunda fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 2018. Depois de empatarem em seus jogos na estreia nesta etapa da competição, as duas equipes se encararam na noite deste sábado, dia 21, no Estádio Martins Pereira, em São José dos Campos, e não balançaram as redes e o resultado final foi de 0 a 0.

Este era o terceiro confronto entre as duas equipes na competição em 2018. Na primeira fase, no turno inicial, o São José, jogando em casa, levou a melhor e venceu por 2 a 0, em 18 de maio. Já na última rodada, os times empataram em Guarulhos em 1 a 1. Na rodada inicial da segunda fase, tanto São José como Flamengo empataram. A Águia do Vale, fora de casa, ficou no 0 a 0 com o Mauá FC, enquanto o Corvo até saiu na frente, mas ficou no 1 a 1 no confronto municipal contra a AD Guarulhos.

Até pelos empates na rodada anterior, uma vitória no jogo desta sexta-feira colocaria uma das equipes em uma situação tranquila no Grupo 9. Porém, uma derrota deixaria um dos time em situação complicada. Por isso, era até esperado um jogo com vários ataques e gols, mas não foi o que aconteceu. Ambas as equipes tiveram poucas oportunidades.

No primeiro tempo, jogando em casa, o São José até teve mais ímpeto em buscar os lances no ataque. Porém, bem postada, a defesa do Flamengo conseguiu travar as ações do time da casa, levando o jogo para o intervalo com o placar de 0 a 0.

As duas equipes só empataram na segunda fase

Na segunda etapa, o cenário mudou pouco. O Corvo conseguiu novamente travar as ações da Águia do Vale e, com isto, o placar permaneceu inalterado. Ao apito final do árbitro, o 0 a 0 persistiu no confronto entre as duas equipes.

Na próxima rodada, o São José, que foi a dois pontos, joga novamente no Estádio Martins Pereira, em São José dos Campos, no sábado, dia 28, às 18h30, contra a AD Guarulhos. Já o Flamengo, que também está com dois pontos, volta a campo no dia 29, domingo, às 15 horas, quando encara o Mauá FC, no Estádio Pedro Benedetti, em Mauá.

Vitória 5 x 4 Vasco - Em 1999, jogo "louco" pelas quartas do Brasileirão

Com informações do site oficial do EC Vitória

Tuta marcou um dos gols do Leão da Barra na partida (foto: Manu Dias/O Correio)

O Campeonato Brasileiro até 2002 não era realizado no formato de pontos corridos. Ou tinha mata-mata ou várias fases de grupos até se definir os dois finalistas. Em 1998 e 1999 foi feito a eliminatória no sistema play-off, com três jogos. Algumas destas partidas entraram na história do futebol brasileiro como a que aconteceu no dia 19 de novembro de 1999, no Barradão, em Salvador, nas quartas de final do Brasileirão daquele ano: Vitória 5, Vasco da Gama 4.

Vitória e Vasco sempre travaram jogos que merecem placas comemorativas. Mas aquele de 1999 abusou. Na época, o mata-mata era decidido numa melhor de três e o Leão só jogaria uma vez no Barradão. Com dez minutos de jogo, o Vitória já perdia por 2 a 0, com dois gols de Viola, em pleno santuário. “Lembro que eu estava com uma ressaca miserável no dia, mas, mesmo assim, fui para o jogo. Começamos tomando pau e eu me arrependendo de ter saído de casa. No final, foi um dos jogos mais fantásticos que já fui. E olhe que vou em todos os jogos”, lembra o torcedor Alexandro Ribeiro, também historiador do clube.

A virada veio a galope. Com gols de Artur, Fernando e Tuta, todos no primeiro tempo, o Leão virou com 39 minutos de espetáculo. O problema é que Donizete, aos 46 minutos da etapa inicial, deixou tudo igual. No segundo tempo, o Vitória voltou a ficar na frente com Fernando, mas Donizete igualou. Eis que, aos 21 minutos do segundo tempo, novo pênalti para o Leão. Naquele momento, o ouvido do Senhor do Bonfim coçava de tantas promessas rubro-negras. Fernando bateu e converteu o terceiro na conta pessoal, o quinto dos baianos.

Para completar o dia histórico, o Vasco ainda teve um pênalti a seu favor. Mais promessas atendidas. Juninho bateu, mas Fabio Costa defendeu. Era gente jogando cerveja pra cima, querendo ficar nu na arquibancada… Depois daquele dia, nunca mais o confronto entre Vitória e Vasco foi visto com os mesmos olhos. Virou clássico!

“Naquele jogo, fizemos nascer muitos rubro-negros. Muitos jovens me falam hoje que passaram a torcer pelo Vitória depois deste jogo inesquecível. O jogo, por si só, conta a adrenalina que jogadores e torcedores passaram naquele dia. Lembro que, mesmo ainda tendo mais dois jogos, comemoramos aquela vitória como a classificação para as semifinais. Impagável”, lembra Fernando, autor de três gols no jogo.

Na sequência, o Vitória empatou os dois jogos seguintes, por 2 a 2 e 1 a 1, ambos em São Januário. Os resultados garantiram o Vitória nas semifinais do Brasileirão daquele ano, mas não conseguiu passar pelo Atlético Mineiro, que fez a final com o Corinthians, que conquistou o bicampeonato.

Confira o jogo completo (Imagens: Rede Globo)

Ficha Técnica
VITÓRIA 5 X 4 VASCO

Data: 14 de novembro de 1999
Local: Estádio do Barradão - Salvador-BA
Público: 21.101 pagantes
Renda: R$ 188.634,00
Árbitro: Oscar Roberto Godói
Assistentes: Valter José dos Reis e Francisco Rubens Feitosa

Cartões Amarelos
Vitória: Cláudio e Preto
Vasco: Mauro Galvão e Nasa

Gols
Vitória: Artur, aos 13', Fernando, aos 35', e Tuta, aos 39' do 1º tempo. Fernando, aos 10' e aos 21' do 2º tempo.
Vasco: Viola, aos 6' e aos 10', e Donizete, aos 46' do 1º tempo. Donizete, aos 15' do 2º tempo.

Vitória: Fábio Costa; Rodrigo, Moisés, Eloy e Leandro; Baiano, Tácio, Fernando (Pedro Paulo) e Artur; Tuta e Cláudio - Técnico: Toninho Cerezo.

Vasco da Gama: Carlos Germano; Maricá, Odvan, Mauro Galvão e Felipe; Amaral (Paulo Miranda), Nasa (Fabiano), Juninho e Ramon Menezes (Alex Oliveira); Donizete e Viola - Técnico: Antonio Lopes.
Proxima  → Inicio

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações