segunda-feira, 25 de junho de 2018

Árbitro de vídeo também erra...

Por Lula Terras

Algumas decisões utilizando o VAR ou a falta de interferência do mesmo vem causando discórdias
(foto: Getty Images.com/Fifa.com)

Se existia muita gente reticente ou até mesmo contrária ao uso do árbitro de vídeo, nas partidas de futebol, este grupo passa a contar com o meu reforço, que vejo muitas contradições durante a Copa do Mundo da Rússia. Foram erros gravíssimos, até contra seleções tradicionais, omissões inaceitáveis que as emissoras que estão cobrindo o evento mostraram durante e após os jogos realizados. 

Só para citar alguns casos, o Brasil foi uma das vítimas desta tecnologia, no primeiro jogo, quando, simplesmente foi omitida sua utilização que iria confirmar o pênalti em Gabriel de Jesus e a falta do jogador suíço no zagueiro Miranda, quando do gol de empate para os suíços. Também o pênalti desmarcado em Neymar, contra a Costa Rica, ainda vem gerando inúmeras discussões. A Dinamarca foi outra vítima, no jogo empatado em 1 a 1, contra a Austrália, sendo que o gol australiano veio através de um pênalti assinalado pelo VAR que foi bastante questionado. 

Outra polêmica aconteceu no jogo memorável entre Alemanha e Suécia, vencido de virada, pelos alemães, por 2 a 1, numa cobrança de falta perfeita, por Toni Kross, no último lance do jogo. A polêmica fica pela não marcação de um pênalti, do zagueiro da Alemanha Boateng em Marco Berg, quando o jogo ainda estava em 1 a 0 para os suecos. Se tivesse sido marcado, a história do jogo poderia ter sido outra. 

A Copa da Rússia é a primeira a contar com o VAR (Vídeo Assistant Referee, ou árbitro assistente de vídeo). A medida tomada pela FIFA visou à redução de erros de arbitragem durante os jogos. Foi criada uma central de operações em Moscou, que auxilia os árbitros em momentos difíceis das partidas, com a ajuda de fibra ótica, o local consegue receber imagens captadas durante o jogo e se comunicar com o árbitro, que fica ciente de tudo e cabe a ele, a decisão final do lance. Além do VAR, um árbitro integrante dos quadros da FIFA, que atua como chefe da equipe de vídeo, há outros três assistentes, cada um com suas tarefas individuais, tais como, acompanhar lances de impedimento e verificar o que está acontecendo, enquanto um lance é analisado pelo árbitro principal. 

Diante de tanta tecnologia, os erros citados e outros omitidos, pela limitação do espaço, deixam clara minha insatisfação, quanto ao modelo de VAR, utilizado pela FIFA, na Rússia. Certamente, no Brasil, este modelo vai conturbar ainda mais nossas competições que já são conturbadas naturalmente, daí a necessidade de repensar mais um pouco, ou encontrar outro modelo, menos controverso do que este. Em tempo, outra triste constatação nesta Copa, foi o baixo nível técnico da arbitragem no campo de jogo. Vemos então que, não é só no Brasil, não. Lamentável!

Quero que o mundo se acabe em Copa

Por Fábio Lázaro
Foto: Getty Images.com/Fifa.com

Agora são quatro jogos por dia, que vão decidir os confrontos das oitavas

Com o término da segunda rodada da fase de grupos da Copa do Mundo, chegamos oficialmente à metade do torneio, no que se diz a respeito a número de jogos. A partir de agora, o número de horários de partidas cairão em relação às duas primeiras rodadas. Em compensação, o número de duelos por dia aumenta. Se nas primeiras rodadas aconteceram três confrontos ao dia (com exceção da terceira data de copa, 16 de junho, que contou com uma partida a mais), na rodada derradeira acontecerão quatro jogos entre os dias 25 e 28 de junho, para que as quatro seleções de cada grupo joguem no mesmo horário.

Para o amante do futebol, essa overdose de bola é incrível. Então, os que têm olhos que vejam, da maneira que for. Dividindo um olho em cada televisão, deixando os olhos serem guiados pela retina audível do rádio, no tempo real do aplicativo do celular ou site da internet, dividindo a atenção entre duas partidas simultaneamente, passando de canal em canal, assistindo o tape do jogo não visto após o encerramento do jogo assistido, enfim… São inúmeras as oportunidades para não se desperdiçar um segundo sequer de Copa do Mundo. Afinal, a Copa é a nossa maior e melhor oportunidade de respirar futebol 24 horas ao dia, mas só acontece a cada quatro anos.

O que ainda embeleza essa chuva de jogos diariamente é o caráter decisivo que eles trazem. Claro, há exemplo de situações relativamente resolvidas com antecedência, como no primeiro grupo, o A, no qual Egito e Arábia Saudita se enfrentarão em um dos duelos das 11h desta segunda (25) já eliminadas. Por outro lado, se apenas um duelo importa no grupo, que ainda no exemplo do A é Rússia e Uruguai, ele vale definitivamente a primeira colocação da chave, o que tem bastante relação com os cruzamentos futuros da competição.

Ainda há grupos como o F, no qual três seleções chegam vivas podendo cada uma ter vencido a outra dentro das três rodadas, por exemplo: a Alemanha que perdeu para o México na estreia, venceu a Suécia na segunda rodada e enfrenta a Coreia do Sul, que perdeu para México e Suécia, na terceira rodada. Já a Suécia, que venceu a Coreia, mas perdeu da Alemanha, encara o México e se vencer embolará todo o grupo fazendo com que três equipes cheguem a três pontos e os critérios de desempate decidirão os classificados e as posições, justamente no grupo que cruzará com o da Seleção Brasileira nas oitavas de final.

Já a nossa seleção tem uma situação semelhante, onde os critérios de desempate podem definir os cruzamentos, já que Brasil e Suíça são as únicas equipes que ainda não perderam no grupo E. Enquanto o Brasil encara a Sérvia, que ainda tem chances, mas joga a vida contra a Amarelinha, já que apenas a vitória classificaria os sérvios para o mata-mata, a Suíça enfrenta a já eliminada Costa Rica, sendo que se o os brasileiros vencerem a Sérvia pelo mesmo placar que os suíços venceram e a Suíça bata os costarriquenhos pelo mesmo resultado no qual o Brasil os venceu, o posicionamento para a fase seguinte pode ser definida até pelos cartões.

Situações curiosas onde os cartões também podem decidir estão nos grupos B e G. Enquanto no segundo grupo, Portugal e Espanha estão com todos os critérios básicos empatados, já que empataram no confronto de estreia e venceram Irã (Espanha) e Marrocos (Portugal) pelo mesmo placar mínimo na segunda rodada. Portugueses e espanhóis, alá Tratado de Tordesilhas, se enfrentarão à distância na rodada derradeira. Enquanto Portugal encara um Irã ainda com chances remotas, devido a vitória contra Marrocos na estreia, a Espanha encara a já eliminada Seleção Marroquina. Caso confirme-se o favoritismo português e espanhol, a definição sobre quem terminará o grupo B como líder será decidida por quem vencer com um placar mais elástico na última rodada. Se os placares se espelharem, teremos que ter uma decisão por meio dos critérios de desempate. Já no grupo G, Inglaterra e Bélgica já estão classificadas, mas possuem todos os critérios de desempates idênticos entre si. A diferença entre ingleses e belgas para Portugal e Espanha, é que na última rodada Inglaterra e Bélgica se enfrentam em confronto direto.

Para todos os efeitos, duas coisas não faltarão nesta semana esportiva: futebol e emoção. E parafraseando mais um dos famosos poetas contemporânea da Música Popular Brasileira, eu quero que o mundo se acabe em Copa só pra eu morrer assistindo.

domingo, 24 de junho de 2018

Clássico das Praias marca o fim de semana da base

Por Lucas Paes 

Briosa e Jabuca duelaram em Ulrico Mursa (Foto: Douglas Teixeira/Agência Briosa)

Enquanto rola o mundial na Rússia, seguem acontecendo os jogos do Campeonato Paulista na categoria de base. O destaque do fim se semana ficou com o clássico entre Briosa e Jabuca nas categorias sub-15 e sub-17, a Briosa garantiu a classificação em ambas as categorias, assim como o Santos. Também teve o Peixe se recuperando no sub-20. Além disso, na manhã deste domingo, voltamos a ter jogos do Sub-11 e do Sub-13. 

No sábado pela manhã, em Ulrico Mursa, tivemos os duelos entre Portuguesa Santista e Jabaquara no sub-15 e no sub-17. Entre os mais novos, o time rubro-amarelo se deu melhor, apesar de Kauan ter colocado a Briosa na frente, Dieguinho e Ramazza fizeram os gols da virada do Leão da Caneleira. No sub-17, porém, a Briosa deu um verdadeiro passeio. Marlon, Negueba e Henrique fizeram os gols da vitória rubro-verde por 3 a 0, placar que poderia ser maior se a Briosa não tivesse desperdiçado tantas chances. 

No mesmo horário, no Baetão, o EC São Bernardo pegou o Mauá FC. No sub-15, vitória de virada do Bernô por 3 a 1. Marcos Vinicius colocou os visitantes na frente, mas Marcos, de falta, Kaique e Nathan viraram o duelo para os alvinegros. Já no sub-17, a vitória foi dos visitantes, por 2 a 0, Porfírio e Gustavo marcaram.

O Mauaense jogou no Pedro Benedetti contra o São Bernardo FC e não foi páreo para o Tigre. O sub-15 acabou derrotado por 2 a 1. Thales abriu o placar para o Tigre, Kayke empatou de pênalti, mas Fernando fechou o placar. No sub-17, o São Bernardo goleou por 3 a 0, gols de Leandro, Sandrinho e Pedro.

Sandrinho comemora gol diante do Mauaense 
(Foto: Lucas Moreira/SBFC)

Em Guarulhos, situação inusitada em favor do União Mogi, já que o sub-15 da Serpente venceu o AD Guarulhos na categoria por WO, devido a não presença do policiamento. A presença da segurança acabou chegando para o sub-17, que terminou com goleada do time da casa com tripleta de um jogador com nome de lenda. Klinsmann fez três e Richard fez o último da goleada do Guarulhos. Mateus fez o gol de honra da Serpente. 

Na próxima rodada, o Santos, que nem precisou entrar em campo para vencer a AD Guarujá, já que a ADG já está excluída do campeonato, pega o EC São Bernardo fora de casa, a Briosa já tem vitória certa na próxima rodada, já que enfrentaria justamente a ADG, fora de casa. O Jabuca joga em casa com o São Bernardo FC e o Mauaense faz confronto citadino contra o Mauá. O União Mogi, por sua vez, pega o Taubaté, em casa. 

Sub-20 – Santos goleia São Bernardo FC e se recupera

No sub-20, o destaque ficou por conta da goleada do Santos, que fez 6 a 0 em cima do São Bernardo FC, na tarde de sábado, no CT Rei Pelé. Os meninos da Vila marcaram com Taílson (2x), Alexandre Tan, Emerson, Wesley Santos e Doquinha. A goleada colocou o Alvinegro Praiano de volta na zona de classificação, restando uma rodada para o fim da primeira fase. 

O EC São Bernardo, por sua vez, pegou o Palmeiras no Baetão e fez um verdadeiro jogaço. O Verdão pulou na frente com Vitor Eduardo. Gustavo empatou. Gabriel Vinicius fez no começo da segunda etapa, mas Carlos Henrique deixou de novo tudo igual. Nos acréscimos, Luan Henrique fez o gol da vitória do Alviverde Imponente.

Na próxima rodada, o Santos decide sua sorte diante do Água Santa, em Diadema. O EC São Bernardo vai até Osasco enfrentar o Audax.

Sub-20 do Peixe goleou (Foto: Maikon Camargo/SFC)

Sub-11 e Sub-13 – Dia de goleadas santistas 

No domingo pela manhã, no sub-11 e no sub-13, o destaque ficou por conta do Santos. O Peixe goleou nas duas categorias. Numa delas inclusive com uma belíssima e espetacular virada. O Jabuca e o União Mogi também entraram em campo. 

Mesmo jogando fora de casa, o Alvinegro Praiano bateu o São Caetano tanto no sub-11 quanto no 13. No sub-11, virada espetacular do time da Vila, que saiu atrás com dois gols de Nikolas. Porém Gustavo Rodrigues, Padula, João Paulo e uma tripleta de Luca fecharam o placar em 6 a 2 para os Meninos da Vila. O sub-13 foi um pouco mais econômico e fez só 4 a 0, gols de Bernardo, Taíron (2x) e Pedro Henrique. 

O Jabuca foi até São Paulo e acabou derrotado pelo Juventus da Mooca, na Javari, em ambas as categorias. No sub-11, Murilo e Picolé fizeram os gols da vitória juventina por 2 a 0. No sub-13, veio goleada por 4 a 0, com gols de Nathã, Kauã, David e Pedro Bernavides. Não foi um domingo feliz para o Leão. 

O União Mogi jogou fora de casa contra o Joseense. No sub-11, vitória da Serpente por 2 a 1, gols de Giovane e Bruno para o União e Matheus para o Joseense. No sub-13, porém, o placar não saiu do zero. Na próxima rodada, o Santos joga em casa contra o Santo André, o Jabuca pega o Mauá, também em casa e o União pega o Guarani, em Campinas.

Uma Kazan colombiana

Por Victor de Andrade
Fotos: Getty Images.com/Fifa.com

Falcao Garcia marcou o seu primeiro gol em Copas do Mundo

Parecia um jogo em Bogotá, Medellin ou Cali. A verdade é que a torcida colombiana dominou a Arena Kazan neste domingo, dia 24, e viu sua seleção passar pela Polônia e vencer o seu primeiro jogo na Copa do Mundo Rússia 2018. Foi uma grande festa e o resultado colocou a Colômbia na briga pela classificação no Grupo H da competição. Já os poloneses, que eram os cabeças da chaves, já não têm mais chances de avançar.

A verdade é que o jogo estava em festa nas arquibancadas e em clima pesado dentro do gramado. Os colombianos invadiram a Arena, aproveitando-se do fato de a maioria estar hospedada na cidade, já que Kazan é o local da concentração da delegação da Colômbia na Copa. Porém, em campo, depois do empate entre Japão e Senegal, horas antes, por 2 a 2, deixou as duas equipes preocupadas: quem perdesse, estaria fora do Mundial.

O jogo começou equilibrado, com as duas equipes se estudando. Aos poucos, a Colômbia, empurrada por sua torcida, passou a tomar as ações, mas nada que pudesse afirmar que já merecia estar à frente do marcador. Porém, aos 40 minutos, o time cafeteiro, que jogou todo de azul (Fifa e seus esquemas de uniformes monocromáticos), abriu o marcador. Em bola alçada na área, o ex-palmeirense Yerry Mina se antecipou ao goleiro Szczesny e de cabeça abriu o marcador. Grande festa na Arena Kazan.

No segundo tempo, a Polônia foi para a pressão, mas de forma muito desordenada, tanto que seu maior jogador, o centroavante Robert Lewandowski, praticamente não aparecia em campo. A partir disto, a Colômbia usou e abusou dos contra-ataques, marcando o segundo aos 25', com Falcao Garcia. O atacante colombiano fazia ali o seu primeiro gol em Copas, já que em 2014, machucado, acabou não jogando por sua seleção.

A torcida colombiana invadiu Kazan

Com 2 a 0 desfavorável, a Polônia foi para o desespero. E isto era tudo o que a Colômbia queria. Aos 30 minutos, Cuadrado foi lançado sozinho e saiu na cara do goleiro Szczesny, onde teve calma para fazer o terceiro gols. Ainda teve tempo de Quintero, que entrou no decorrer da partida, quase marcar o quarto em um calcanhar sensacional, mas a bola foi fraca e a defesa polonesa conseguiu evitar a rede balançada.

Ao apito final do árbitro, muita festa da torcida colombiana. Já o semblante dos poloneses era de muita tristeza. Foi a primeira seleção europeia a ser eliminada nesta Copa do Mundo, mesmo com uma rodada de antecipação. Já para os cafeteiros, o jogo contra o Senegal, na quinta, será de vida ou morte, pois só a vitória interessará aos colombianos.

Em jogo aberto e espetacular, Japão e Senegal deixam grupo H mais indefinido ainda

Por Lucas Paes
Fotos: Getty Images/FIFA.com

Japão e Senegal deixaram o grupo H completamente aberto depois de um jogaço

O Grupo H segue aberto e indefinido. Em um jogaço, na tarde deste domingo no Brasil, noite do mesmo dia no Central Stadium de Ecaterimburgo, Japão e Senegal fizeram uma partida aberta, cheia de possibilidades e que deixou o grupo H ainda totalmente indefinido. Com ataques dos dois lados, bola na trave dos nipônicos, velocidade e gols, japoneses e senegaleses fizeram, surpreendentemente, um dos melhores jogos da Copa do Mundo até aqui.

Na teoria, o jogo colocaria a parte técnica e ousada do futebol senegalês contra a inteligência tática japonesa. Mas os nipônicos mostraram técnica de sobra também, assim como os africanos mostraram bastante inteligência em diversos momentos. Logo no começo, aos 11 minutos, Mané contou com falha feia de Kawashima para abrir o placar. A partir daí, rolaram chances para ambos os lados até Inui pegar uma bola mal dominada por Nagatomo, cortar o zagueiro e acertar um belíssimo chute no cantinho rasteiro. O jogo seguiu aberto a partir daí, mas o placar na etapa inicial terminou empatado.

Mané é o destaque do time senegalês, marcou um gol hoje

Na etapa final, os japoneses voltaram melhor, mas o Senegal continuava oferecendo perigo no protagonismo de Sadio Mané, um dos craques do mortal tridente de ataque do Liverpool. Apesar da pressão nipônica, o segundo gol foi de Senegal, em lance que contou com domínio errado de Nyang e um tirombaço do lateral Moussa Wanguê, que encontrou as redes do gol de Kawashima. A vitória colocava os africanos na fase final e deixava os japoneses para definirem sua situação na última rodada. Mas o gol de Honda deixou tudo de novo em aberto, poucos minutos depois do segundo senegalês. 

A situação do último grupo da Copa do Mundo é completamente aberta. O Japão, com quatro pontos, lidera por ter menos cartões amarelos que os senegaleses, numa prova prática da disciplina nipônica. Ambos tem quatro pontos. A partida de logo mais, entre Colômbia e Polônia dará a um vencedor, caso ele existe, a chance de buscar a vaga na última rodada. Caso haja empate, fica tudo em aberto na rodada final, mas a situação de africanos e asiáticos é nitidamente mais confortável. 

Honda fez o segundo gol japonês

Condenados por muitos a serem coadjuvantes, num grupo em que pintava o favoritismo de colombianos e poloneses, Japão e Senegal tomam para si o protagonismo, tanto em pontuação quanto em futebol praticado, já que ambos praticam um jogo agradável de ver. Possivelmente, farão do Grupo H um nicho de classificações surpreendentes, deixando para trás a favorita Colômbia, de encantador futebol na última Copa e a outra favorita Polônia, com peso de certo histórico no futebol e com o craque Lewandowski comandando o ataque. Mas tudo só será definido na última rodada.

6 a 0! Jogando em casa, União leva sonora goleada do São José

Fotos: Wilian Oliveira/União FC

O São José foi melhor durante toda a partida e mereceu a goleada

Já sem qualquer tipo de chance de avançar no Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 2018, o União Mogi continua com o seu calvário na competição. Na manhã deste domingo, dia 24, no Estádio Nogueirão, em Mogi das Cruzes, a Serpente do Tietê nem parecia estar jogando em casa e foi atropelado pelo São José: 6 a 0!

O União Mogi, ocupando a sétima colocação no Grupo 4 da Segundona, com apenas nove pontos, estando na frente apenas do rival Atlético, que está zerado, foi a campo neste domingo pensando em fazer um jogo digno, começando a se despedir da competição de uma forma melhor do que nas outras partidas. Na rodada anterior, a Serpente foi derrotada pelo Flamengo, em Guarulhos, por 1 a 0. Já o São José começou a rodada em terceiro, com 23 pontos, vindo de um empate sem gols contra o rival Joseense. A vitória deixaria a Águia do Vale com a classificação bem encaminhada.

Resultado deixou o São José próximo da classificação

Pensando em avançar para a segunda fase, o São José foi para cima do União logo nos primeiros minutos. Aos 18', o placar foi aberto por Robinho. Para piorar a situação da Serpente do Tietê, o zagueiro Erick foi expulso aos 23', quando já tinha cartão amarelo e fez falta dura em cima de Erik Bessa, o camisa 17 do São José.

A Águia do Vale aproveitou-se do fato de estar com um jogador a mais em campo e foi ainda mais para cima, buscando ampliar o marcador. E isto aconteceu aos 34 minutos, com Léo Turbo. O tento só deu mais ânimo ao São José, que ainda fez o terceiro, novamente com Robinho, aos 43'. Com isto, a partida foi para o intervalo com o placar de 3 a 0 para os visitantes.

O jogo na etapa complementar não mudou de figura. Melhor em campo, com um a mais e com objetivo na competição, o São José continuou pressionando e fez seis minutos de pressão total. Aos 12', Robinho fez o terceiro dele no jogo e quarto da Águia. Aos 15', Erik Bessa ampliou e aos 18', Yuri fez o sexto.

O União não conseguiu nem fazer o gol de honra

A verdade é que após os 20 minutos da segunda etapa, o São José claramente tirou o pé e passou a cadenciar o jogo, fazendo o tempo correr. Mesmo com o adversário diminuindo o ritmo, o União não teve vontade de, ao menos fazer o gol de honra. Assim, mesmo jogando fora de seus domínios, o São José goleou por 6 a 0.

Na próxima rodada, mais precisamente no sábado, dia 30, às 15 horas, o União terá o clássico citadino e dos lanternas do Grupo 4, contra o Atlético, no Nogueirão. Já o São José pode até garantir sua vaga na próxima fase, desde que vença o jogo da próxima sexta-feira, dia 29, às 20h30, no Martins Pereira, contra o Paulista.

Jabaquara fica no empate com o Mauá FC e está eliminado da Segundona Paulista

Por Victor de Andrade, direto do Estádio Espanha
Colaboração: Fabrício Lopes

Jeferson tenta fazer jogada pela direita do ataque do Jabaquara (foto: Victor de Andrade)

O Jabaquara não tem mais como sonhar com a classificação para a segunda fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 2018. Jogando no Estádio Espanha, na manhã deste domingo, dia 24, o Leão da Caneleira chegou a estar vencendo o Mauá FC, mas acabou empatando a partida pelo placar de 2 a 2.

O Mauá FC veio para Santos em busca dos três pontos para continuar na briga pela classificação. Em quarto lugar no Grupo 5, com 20 pontos, o Índio, na última rodada, foi derrotado pelo Elosport, em Capão Bonito, pelo placar de 2 a 0. Já o Jabaquara, sexto na chave, com 14 pontos, jogava suas últimas fichas neste jogo. Na rodada anterior, o Leão da Caneleira teve três pontos garantidos porque a tabela apontava um confronto contra a AD Guarujá, excluída da competição.

O jogo começou em ritmo forte. Aos 3 minutos, o Mauá FC já chegou com perigo. Felipe sofreu falta na entrada da área e na cobrança, de Oscar mandou a rede, mas pelo lado de fora, levando perigo ao gol de João Ciriaco. Aos 10', o time do ABC chegou com perigo com Carlos, mas na hora de finalizar, a defesa do Leão da Caneleira mandou a bola para escanteio.

Aos 11', os visitantes abriram o marcador. Em ataque pela esquerda, a defesa do Jabaquara afastou mal o perigo, a bola ficou 'pipocando' na área e Vinícius, na pequena área, não perdoou: 1 a 0 Mauá FC. O jogo, depois do gol, caiu de produção. O único lance que causou alvoroço na torcida foi aos 22 minutos, quando Gabriel Coelho foi derrubado dentro da área, mas o árbitro Daniel Carfora Sottile mandou o jogo seguir.

Jabaquara bem que tentou, mas não conseguiu a vitória

O Jabaquara, no fim do primeiro tempo, melhorou e passou a ter a maioria das ações do jogo, tanto que acabou empatando o jogo aos 45'. Biel fez grande jogada pela esquerda, passou pelo seu marcador e tocou para Gabriel Coelho, que protegeu a bola e serviu Thiago, que de canhota, na entrada da área, acertou o canto esquerdo do goleiro Mathias: 1 a 1 no Estádio Espanha.

O segundo tempo começou morno e um lance de perigo foi acontecer apenas com 13 minutos. Gabriel Coelho puxou o contra-ataque, conseguiu passar pelo marcador mas bateu mascado na hora de finalizar, perdendo grande chance de virar o marcador. Aos 24', foi a vez de Raul chegar com perigo, em um belo chute forte, cruzado, obrigando a Mathias fazer grande defesa. No escanteio, Gabriel Coelho, sozinho, cabeceou a bola em cima do arqueiro do Mauá FC.

Aos 32', o Jabaquara virou o marcador. Raul fez linda jogada pela esquerda, deu um drible desconcertante no marcador e bateu cruzado. A bola, antes de ultrapassar a linha, foi tocada por Wellington Barros, que saiu para o abraço: 2 a 1 Jabuca. Porém, a alegria da casa durou pouco, já que dois minutos depois, em cobrança de falta, o zagueiro Ronaldo subiu mais que todo mundo e balançou as redes para o Mauá FC: 2 a 2 e fim de jogo no Estádio Espanha.

Na próxima rodada, o Jabaquara, que com o empate não tem mais chances de classificação, joga novamente no Estádio Espanha, no sábado, dia 30, às 15 horas, contra o Primavera de Indaiatuba. Já o Mauá FC, que ainda está na briga, entra em campo na sexta-feira, às 15 horas, quando tem o confronto citadino contra o Mauaense, no Estádio Pedro Benedetti.

O Jabaquara jogou suas últimas fichas na partida

Ficha Técnica
JABAQUARA 2 X 2 MAUÁ FC

Data: 24 de junho de 2018
Local: Estádio Espanha - Santos-SP
Público: 47
Renda: R$ 470,00
Árbitro: Daniel Carfora Sottile
Assistentes: Patrick André Bardauil e Ítalo Magno de Paula Andrade

Cartões Amarelos
Jabaquara: Caíque, Wesley
Mauá FC: João Victor

Gols
Jabaquara: Thiago, aos 45' do primeiro tempo. Wellington Barros, aos 32' do segundo tempo.
Mauá FC: Vinícius, aos 11' do primeiro tempo. Ronaldo, aos 36' do segundo tempo

Jabaquara: João Ciriaco; Caíque (Bruno), Weliton (Raul), Alef e Biel; Talis, Thiago, Yan (Higor) e Jeferson; Wellington Barros e Gabriel Coelho - Técnico: Ricardo 'Kaká' Gonçalves

Mauá FC: Mathias; Guilherme, Rodrigo Ferrugem, Ronaldo e Wesley; João Victor (Bruno Beiço), Oscar e Igor Mococa; Carlos (Pedro Peu), Felipe (Danielzinho) e Vinícius - Técnico: Fernando Silva

"Treino de luxo", maior goleada e classificação garantida

Por Ismael Pereira
Fotos: Getty Images.com/Fifa.com

Harry Kane aproveitou as penalidades e converteu

Pode-se dizer que foi um dia em que tudo deu certo para a seleção inglesa. Diante de fraco adversário e sem nenhuma tradição no torneio, bastaram apenas 45 minutos para seleção inglesa inglesa impor sua força, mostrar o seu poder ofensivo diante da fraca equipe do Panamá, garantindo a classificação às oitavas com uma rodada a cumprir. 

O jogo foi foi realizado nesta manhã (às 9 de Brasília) em Nizhny Novgorod. Com 8 minutos, saiu o primeiro gol. E, com facilidade, os ingleses foram aplicando o placar. Só no primeiro (Stones) dois de Harry Cane (camisa 9) e um do atacante Lingard (camisa 7). 

O resultado já ia dando à Inglaterra a maior goleada de sua seleção em Copas. E já colocava o centroavante Cane cimo um dos artilheiros do torneio. Mas eis que vem o segundo tempo, e o que era bom ficou melhor, e para a Inglaterra, claro. Antes de deixar a partida, Herry Cane marcou o seu terceiro gol no jogo, aos 17 min, indo a cinco na competição, passando o Português Cristiano Ronaldo e o Belga Lukaku, quem têm 4 gols. 

Vale ressaltar que a seleção panamenha não jogou fechada ou tentou esboçar uma retranca para evitar a goleada. Tentava sair para o jogo, imprimia uma certa velocidade, conseguiu poucos escanteios e alguns lampejos de força e habilidades, mas sem poder ofensivo e pouco êxito nas conclusões.

Baloy entrou para a história e fez o primeiro gol do Panamá em uma Copa

O que mais parecia era que estar na Copa já foi um um grande feito à seleção do Panamá. Isso ficou demonstrado na festa e euforia vindo das arquibancadas do estádio, quando do ocorreu o gol de honra deles no jogo, com Baloy, aos 33 min desta segunda etapa. 

A partir daí, a Inglaterra, que não tinha nada a ver com a fragilidade Panamenha, tratou de administrar a partida e esperar o apito final do árbitro Egípcio, que marcou duas penalidades máximas no jogo, as duas convertidas por Kane. No final, festa para as duas torcidas e classificação inglesa certa, restando agora a disputa do primeiro lugar do grupo, contra a seleção da Bélgica, que também tem 6 pontos, em que poderemos ter como "plus" a briga pela ponta da artilharia, num duelo particular entre os atacantes Lukaku (belga) e Kane (inglês), com a promessa de bela partida, desta vez com menos facilidades às duas seleções, mas com a garantia das ambas já estarem classificadas.

Ao fim, foi um 6 a 1 para nenhum inglês botar defeito.
Proxima  → Inicio

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações