A incrível passagem de Hugo Sánchez pelo Real Madrid

Por Lucas Paes
Foto: Jornal Marca

Hugo Sánchez é um dos maiores jogadores da história do Real Madrid

O Real Madrid é uma das maiores, se não a maior, instituições do futebol mundial. Os Blancos são os maiores campeões da Liga dos Campeões da Europa, do Mundial Interclubes e de praticamente todos os campeonatos nacionais da Espanha. Os Merengues são casa de diversos jogadores históricos marcando gols, como Cristiano Ronaldo, Raul, Puskas entre outros. Na recheada páginas de heróis da história madridista figura um mexicano que completa 62 anos neste dia 11: Hugo Sánchez.

O atleta, nascido na Cidade do México, começou no esporte bretão jogando pelo Pumas UNAM, antes de passar pelo Campeonato dos Estados Unidos e desembarcar no Atlético de Madrid. No Cholchonero, arquirrival dos madridistas, fez muito, foi ídolo e chamou a atenção do arquirrival, que tinha nos anos 1980 um dos melhores times de sua história, a famosa "Quinta Del Butre", formada em sua maioria por canteranos de muita qualidade. Sánchez chegou para ser a flecha do arco, trazido direto do rival. Para evitar a raiva dos torcedores no Vicente Calderón, foi costurado um acordo com o Pumas, que noticiou a suposta volta do seu artilheiro, para no mesmo dia anunciar a venda ao Real. Ele foi apresentado para 55 mil pessoas no Bernabeu.

A realidade é que o mexicano sequer demorou para mostrar a que veio, rapidamente se tornando o artilheiro do time e caindo nas graças da torcida. Formou, junto a Butragueño, uma das duplas de ataque mais aterrorizantes do futebol mundial, que pulverizava defesas em solo espanhol e até em solo continental. Já na primeira temporada, foi artilheiro e campeão da La Liga e marcou outros cinco gols na campanha do título da Copa da UEFA, fechando um belíssimo doblete. Era apenas o início de uma linda história.

Nos anos seguintes, o Real Madrid seguiu ganhando e Sánchez seguiu voando. Na Espanha, não haviam rivais para os Galácticos, que empilharam na época de Sanchez cinco campeonatos espanhóis seguidos, além de uma conquista da Copa do Rei e duas da Supercopa da Espanha. Sanchez só não foi o artilheiro do campeonato espanhol na temporada 1988/1989, durante o penta seguido dos Blancos. Uma marca que o credencia com justiça um lugar entre os maiores jogadores da história do Real Madrid.


Na Liga dos Campeões, a equipe só foi parada quase sempre nas semifinais, para Bayern, PSV e Milan. Nas temporadas de 1989/1990 (Milan, novamente) e 1990/1991 (Spartak Moscou) a equipe acabou sendo parada nas oitavas e quartas de final respectivamente. Ironicamente, a mais mágica equipe dos gigantes brancos desde que Puskas e Di Stefano desfilaram pelos campos europeus ficou sem o título da Liga dos Campeões, nada que apague a incrível trajetória e o legado daquele time.

Sánchez por sua vez permaneceria no Real Madrid até a temporada de 1991/1992, quando atrapalhado por lesões acabou jogando pouco. Deixou o Bernabeu para jogar novamente no México. Fecha sua história com 208 gols em 282 jogos, uma média altíssima. Ele é o sétimo maior artilheiro da história do clube, atrás de Cristiano Ronaldo, Raúl, Di Stefano, Santillana, Benzema e Puskas. Não a toa é um dos maiores ídolos da história da instituição. Não a toa também, possivelmente seja o maior jogador da história do México no futebol.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Colabore

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações