quinta-feira, 30 de junho de 2016

14 anos do pentacampeonato mundial da Seleção Brasileira

Cafu levanta a taça na final da Copa do Mundo de 2002

Como o tempo passa rápido! Neste 30 de junho de 2016 está completando 14 anos que o lateral direito Cafu subiu em um totem levantou a taça e gritou "Regina, eu te amo"! Sim, são 14 anos em que a Seleção Brasileira conquistou o seu quinto título da Copa do Mundo de futebol em uma final realizada em Yokohama, no Japão, fazendo 2 a 0 em cima da Alemanha, com dois gols de Ronaldo.

Hoje, todo mundo vangloria o feito da Seleção, mas o caminho foi muito difícil. Em 1998, o Brasil perdeu a final da Copa do Mundo para os donos da casa, a França, e com isto surgiu várias teorias da conspiração. O técnico Zagallo caiu e Luxemburgo assumiu a equipe e até iniciou bem, conquistando a Copa América de 1999.

Mas denúncias de corrupção na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que respingaram no treinador, e a má campanha no Torneio Olímpico de Futebol Masculino, em Sidney 2000, e nas Eliminatórias da Copa derrubaram Luxemburgo. Além disso, a Seleção não contava com Ronaldo, que teve problemas sérios no joelho.

Os 23 jogadores do elenco campeão do mundo

Emerson Leão assumiu o comando, os resultados não vieram e ele foi demitido após o quarto lugar na Copa das Confederações de 2001, no Japão e Coréia do Sul. A CBF não teve escolha e contratou Luiz Felipe Scolari, que era o preferido dos fãs de futebol naquele momento. A campanha nas Eliminatórias foi claudicante, mas a vaga na Copa do Mundo veio na última rodada.

Felipão apostou em Ronaldo, que vinha na recuperação das cirurgias no joelho, montou o time com três zagueiros (Lúcio, Edmilson e Roque Júnior), liberando os laterais (Cafu e Roberto Carlos) e o trio ofensivo (Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e Rivaldo). E não é que funcionou!

Na estreia, na Coréia do Sul, contra a Turquia, dificuldades: um 2 a 1, de virada, com o gol da vitória (Rivaldo), saindo em um pênalti que a falta foi fora da área. Depois, vitórias fáceis contra a China (4 a 0) e Costa Rica (5 a 2) fizeram com que o Brasil passasse em primeiro no seu grupo.

Felipão comemora com Marcos

Nas oitavas, o adversário foi a Bélgica. Foi nesta partida que Kleberson ganhou a posição de titular de Juninho Paulista. A Seleção venceu por 2 a 0 (gols de Rivaldo e Ronaldo), passando para as quartas, onde aconteceu o jogo mais difícil, contra a Inglaterra.

No início do jogo contra o English Team, Lúcio cometeu uma falha e Owen abriu o marcador para os ingleses. Mas aí apareceu Ronaldinho Gaúcho: no primeiro gol, ele fez fila na defesa do adversário e tocou para Rivaldo marcar. No segundo, uma falta da intermediária que ele acertou no ângulo. Até hoje não se sabe se ele bateu direto ou tentou cruzar e acertou o chute. Ronaldinho ainda foi expulso, mas o Brasil estava nas semifinais.

No degrau anterior à final, um adversário conhecido: a Turquia. O Brasil foi muito superior, mas o gol não saia. Até que no começo do segundo tempo, Ronaldo invadiu a área e "a lá Romário", de biquinho, fez o gol da vitória. A Seleção Brasileira estava mais uma vez na final de Copa do Mundo, a terceira seguida.

Ronaldo veio de uma recuperação difícil para a artilharia da Copa

Na final, a Alemanha. Seria a primeira vez que as duas seleções mais vitoriosas da história das Copas se enfrentavam na competição. E logo na final! A Alemanha, em todo o jogo, teve mais posse de bola, mas o Brasil era mais perigoso. Ronaldo teve, ao menos, duas chances de marcar no primeiro tempo, mas Oliver Kahn defendeu. Antes de ir para o intervalo, Kleberson acertou o travessão.

No segundo tempo, a Alemanha voltou melhor e assustou o goleiro Marcos em alguns lances. Porém, aos 22 minutos, Ronaldo roubou uma bola na intermediária e tocou para Rivaldo. Ele arriscou o chute, Kahn soltou a bola nos pés do Fenômeno, que não vacilou: Brasil 1 a 0.

A Alemanha foi para cima, tentando empatar. Isto deixava vários espaços na defesa germânica. Aos 34 minutos, Kleberson avançou sozinho pela direita, foi até a linha de fundo e cruzou rasteiro. Rivaldo fez o corta luz e Ronaldo, sozinho, fez o seu segundo no jogo e o oitavo na competição, se tornando artilheiro da Copa do Mundo. Brasil 2 a 0 e pentacampeão mundial!


Jogo completo

Ficha Técnica

BRASIL 2 X 0 ALEMANHA

Data: 30 de junho de 2002
Local: Yokohama, Japão.
Público: 69.029
Árbitro: Pierluigi Collina (Itália)
Assistentes: Leif Lindberg (Suécia) e Philip Sharp (Inglaterra).

Cartões Amarelos: Roque Júnior, Miroslav Klose

Gols: Ronaldo, aos 22' e 34' do segundo tempo

Alemanha: Oliver Kahn; Torsten Frings, Thomas Linke, Carsten Ramelow e Christoph Metzelder; Bernd Schneider, Jens Jeremies (Gerald Asamoah), Dietmar Hamann e Marco Bode (Christian Ziege); Oliver Neuville e Miroslav Klose (Oliver Bierhoff) - Técnico: Ruddi Völler.

Brasil: Marcos; Lucio, Edmilson e Roque Junior; Cafu, Gilberto Silva, Kleberson, Ronaldinho Gaúcho (Juninho Paulista) e Roberto Carlos; Ronaldo (Denílson) e Rivaldo - Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Os 23 convocados

Goleiros: Marcos, Dida e Rogério Ceni.

Laterais: Cafu, Belletti, Roberto Carlos e Júnior.

Zagueiros: Lúcio, Edmilson, Roque Júnior e Anderson Polga.

Volantes: Gilberto Silva, Kleberson e Vampeta.

Meias: Ronaldinho Gaúcho, Rivaldo, Juninho Paulista, Kaká e Ricardinho.

Atacantes: Ronaldo, Luizão, Edilson e Denilson

Técnico: Luiz Felipe Scolari
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações