quarta-feira, 6 de maio de 2020

O primeiro gol de Zé Roberto como profissional

Com informações da FPF
Foto: Revista Placar

Zé Roberto em seu início na Lusa

5 de maio de 1994: no dia do velório de Ayrton Senna, um dos maiores ídolos do esporte brasileiro, o polivalente Zé Roberto surgia para o futebol nacional marcando o primeiro gol de sua longínqua carreira na vitória da Portuguesa, por 3 a 1, diante do Santo André, em jogo realizado no ABC Paulista. A curiosidade ficar por conta da suspensão da partida por falta de eletricidade, que seria definida apenas no dia 7 daquele mês.

O jogo que durou 72 horas - Em confronto válido pelo segundo tuno do Campeonato Paulista, a Portuguesa visitou o Santo André no estádio Bruno José Daniel. O atacante Dinei abriu o placar para os lusitanos, mas logo em seguida o meia Jorginho empatou para a equipe andreense.

Na segunda etapa, Zé Roberto, a promessa rubro-verde, arriscou de fora da área e contou com desvio na zaga para superar o goleiro Silvio e anotar o seu primeiro gol no futebol profissional. Logo após a virada lusitana, o local sofreu com a queda de energia elétrica e o árbitro Márcio Rezende de Freitas suspendeu o confronto. A partida seria retomada apenas no dia 7 de maio, quando Dinei marcou mais um gol, decretando a vitória da Portuguesa.

Vencedor - Após sucesso na Portuguesa, onde foi vice-campeão brasileiro em 1996, Zé Roberto conquistou o mundo. O jogador saiu do Canindé e se transferiu para o Real Madri-ESP, onde venceu o Campeonato Espanhol e a Liga dos Campeões. Apesar dos títulos, o jogador não teve muitas oportunidades e retornou ao Brasil com uma breve passagem pelo Flamengo.


Depois de sua segunda experiência em solo brasileiro, retornou à Europa, mas desta vez para marcar época na Alemanha. Zé Roberto defendeu o Bayer Leverkusen de 1998 a 2002, ano em que se mudou para o Bayern de Munique, conquistando quatro campeonatos nacionais pelo clube.

Em 2006 e 2007, defendeu o Santos e foi bicampeão paulista, antes de retornar à Alemanha para mais uma vez defender o Bayern de Munique. Ainda encerrou a sua trajetória no Velho Continente pelo Hamburgo, outro clube alemão. Antes de retomar a sua carreira no Brasil, passou uma temporada no Catar, defendendo o Al-Gharafa.

Já veterano, Zé Roberto defendeu o Grêmio entre os anos de 2012 a 2014 até chegar novamente em solo paulista, mas desta vez, para representar as cores do Palmeiras. Importante no processo de reconstrução do time, foi capitão na conquista da Copa do Brasil de 2015 e um dos pilares do título do Brasileirão no ano seguinte. O jogador encerrou a sua carreira nos gramados em 2017, pelo Alviverde e passou a trabalhar na parte diretiva do clube.

Imagem

Pela Seleção Brasileira, Zé Roberto ostenta o bicampeonato da Copa América, em 1997 e 1999, além do bi da Copa das Confederações -1997 e 2005. O ex-jogador ainda disputou duas edições da Copa do Mundo -1998 e 2006- alcançando o vice-campeonato mundial na França.

Duradouro - Em sua passagem pelo Palmeiras, Zé Roberto se tornou o segundo jogador mais velho a disputar uma partida de Libertadores da história aos 42 anos, 10 meses e 18 dias de idade. O ídolo palmeirense superou o goleiro colombiano Faryd Mondragon, que em 2014 entrou em campo pelo Deportivo Cali com 42 anos, nove meses e 19 dias. O líder continua sendo o peruano Vicente Villanueva, atacante do Sporting Cristal, do Peru, na década de 1960, que atuou no torneio com 43 anos e 10 meses.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações