sexta-feira, 12 de outubro de 2018

1956 - O ano do título e acesso do Botafogo de Ribeirão Preto

Por Victor de Andrade

Jogadores do Botafogo, com o treinador, comemoram o título
(foto: "Botafogo: uma história de amor e de glórias" de Igor Ramos)

A torcida do Botafogo de Ribeirão Preto está em festa. Neste 12 de outubro de 2018, o clube está completando 100 anos de fundação. A Pantera é um time tradicional e forte do interior de São Paulo e está em belo momento, já que neste ano conseguiu voltar à Série B do Campeonato Nacional. Porém, vamos voltar no tempo, até o ano de 1956, quando o Tricolor conquistou o Campeonato Paulista da Segunda Divisão daquele ano e, finalmente, jogaria a elite do futebol estadual no ano seguinte.

Vale lembrar que o Botafogo já havia sido campeão do Interior, em 1927, mas na época em que não se subia. Desde a introdução da Lei do Acesso, na segunda metade dos anos 40, a Pantera vinha tentando sua vaga na elite, mas sempre batia na trave. Então, foi em 1956 que este cenário mudou.

Para aquela segunda divisão, o Botafogo apostou suas fichas no técnico argentino José Agnelli. Além disso, trouxe jogadores que depois despontariam no futebol, como Dicão, e outros que foram fundamentais naquela campanha, como Ponce e Benedito Julião. Naquela Segunda Divisão, os grupos eram chamados pelas características de produção de cada região.

Os heróis do acesso

Então, havia as séries Industrial, Algodoeira, Pecuária e Cafeeira. O Botafogo estava na última, ao lado de Francana, Radium, Bandeirantes de São Carlos, Inter de Limeira, Batatais, Sanjoanense e o Fortaleza de Barretos. Na verdade, esta primeira fase foi um verdadeiro passeio para a Pantera, que atropelou seus adversários, tanto em seu antigo estádio, na Vila Tibério, como fora. Foram 12 vitórias e dois empates, sem derrota, 26 pontos e o primeiro lugar na chave.

Na segunda fase, o Botafogo caiu no Grupo A, ao lado de São Bento, Catanduva e Francana. Depois de vencer o São Bento, em casa, na estreia, por 2 a 0, um empate e uma vitória contra a Francana, além de um triunfo contra o Catanduva, o Tricolor perdeu na penúltima rodada, pelo São Bento, em Sorocaba, por 2 a 0. Era o 19º jogo da equipe na competição e a primeira derrota. Porém, uma goleada de 4 a 0 sobre a Francana colocou o Botafogo na final.

A equipe foi recebida em carro aberto na cidade

A decisão foi contra o Paulista de Jundiaí. No primeiro jogo, em Ribeirão Preto, já em 27 de janeiro de 1957, o Botafogo fez valer o fator casa e venceu por 1 a 0, com gol de Paulinho, aos 32 minutos do primeiro tempo. No segundo jogo, em Jundiaí, no dia 3 de fevereiro, o Tricolor até saiu na frente, com Amorim, aos 7', mas Belmiro, Basão e Benê deram a vitória ao Paulista, forçando o terceiro jogo.

O embate decisivo foi realizado no campo neutro do Parque Antarctica, em São Paulo, 10 de fevereiro de 1957. O jogo foi truncado, difícil, mas aos 30 minutos, Dicão fez o gol da festa da torcida do Botafogo. A Pantera se sagrava campeã do acesso e conseguiu a tão sonhada vaga na elite do futebol paulista.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Instagram

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações