quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

No Paraguai, 40 vezes Olimpia!

A equipe vencedora

Depois de muito sufoco e deixar escapar o título na pontuação ao apenas empatar com o Deportivo Santaní em 0 a 0 no último sábado, finalmente os torcedores do Olimpia puderam comemorar o título do Clausura do Campeonato Paraguaio, ao vencer o clássico contra o Cerro Portenho, na noite desta quarta-feira, dia 9 de dezembro, por 2 a 1, no Estádio Defensores del Chaco. A conquista se configurou no 40º troféu nacional do Rey de Copas.

O clássico de hoje era um jogo extra, já que ao final dos 22 jogos do Clausura, Olimpia e Cerro Porteño terminaram a classificação empatados em 44 pontos. No regulamento do Campeonato Paraguaio, em caso de igualdade na pontuação, é realizada uma partida entre as equipes envolvidas, ao contrário do Brasil que há os desempates em número de vitórias, saldo de gols e número de tentos marcados.

Assunção estava inteira comentando o jogo, todos esperavam ansiosamente o clássico. Porém, o que antecedeu o espetáculo foi um verdadeiro dilúvio, o que atrapalhou a chegada dos torcedores ao Defensores del Chaco. Além disso, a forte chuva deixou o campo pesado e a bola teve dificuldade de rolar no gramado.

Levantando a taça de campeão paraguaio

O Olimpia iniciou a partida em cima do Cerro Porteño. Sentindo a pressão, o 'El Ciclón', como a equipe azul e vermelha é conhecida, cometeu muitas faltas perto da sua área. Com isso, a equipe dirigida por Chiqui Arce (ele mesmo, ex-Grêmio e Palmeiras) chegou com perigo várias vezes.

Aos 19 minutos, o Cerro Porteño chegou pela primeira vez ao ataque. Chegaram até a balançar as redes com Diego Lugano, após escanteio. Porém, o ex-zagueiro do São Paulo recebeu um passe de mão de Enrique Borja e o gol foi anulado corretamente pelo árbitro Eber Aquino. A partida continuou equilibrada e o primeiro tempo terminou com o placar de 0 a 0.

Na segunda etapa, o espetáculo ficou mais movimentado e logo aos 6 minutos, o Olimpia abriu o marcador. Em bola cruzada na área, o goleiro Álvarez tentou afastar a bola, que sobrou para o atacante Barreiro e este não perdoou: 1 a 0 para o Rey de Copas.

Comemorando um dos gols

Onze minutos depois, o Olimpia aumentou a contagem. Em uma falta cobrada por Claudio Vargas, Mareco tentou afastar a bola, que bateu em Lugano e entrou contra o patrimônio do Cerro Porteño. O placar apontava 2 a 0 para os alvinegros que com a vantagem do placar, tocaram a bola para ganhar tempo. Já o 'El Ciclón' ficou com 10 jogadores em campo, já que Mareco levou o segundo amarelo.

Porém, mesmo com um a menos, o Cerro Porteño foi para o tudo ou nada. E conseguiu diminuir a contagem aos 31 minutos. Cecílio Dominguez fez uma bela jogada de habilidade e serviu Guillermo Beltrán, que descontou para o 'El Ciclón'. No placar do Defensores del Chaco, Olimpia 2, Cerro Porteño 1.

Empurrado por sua torcida, o Cerro Porteño foi em busca do empate, que levaria a decisão para as penalidades. Porém, Arce fez três substituições defensivas, fechando a equipe e a angústia do torcedor olimpista só terminou aos 49 do segundo tempo, com o apito final de Eber Aquino.

Festa da torcida olimpista

Francisco Arce tornou-se o primeiro paraguaio a ser campeão como treinador dos dois grandes do país. Já o Olimpia conseguiu seu 40º título nacional e os jogadores fizeram muita festa. O último título do Rey de Copas tinha sido no Clausura da 2011.

Ficha Técnica

Olimpia 2 x 1 Cerro Porteño

Data: 9 de dezembro de 2015
Estádio: Defensores del Chaco, Assunção - Paraguai
Árbitro: Eber Aquino
Público: 27.494 pagantes

CERRO PORTEÑO: Cristian Alvarez; Carlos Bonet, Diego Lugano, Víctor H. Mareco e Junior Alonso; Angel Martínez, Rodrigo Rojas (Alexis González), Fidencio Oviedo e Sergio Diaz (Cecilio Domínguez); Jonathan Fabbro e Enrique Borja (Guillermo Beltran) - Técnico: Gustavo Florentín.

OLIMPIA: Diego Barreto; Claudio Vargas (Robert Piris), Saúl Salcedo, Carlos Rolón e Salustiano Candia; Alejandro Silva (Herminio Miranda), Miguel Paniagua, Eduardo Aranda e Iván Torres; William Mendieta e Fredy Bareiro (José Núñez) - Técnico: Francisco Arce.

Gols: Fredy Bareiro e Diego Lugano (contra), para o Olimpia, e Guillermo Beltrán para o Cerro Porteño.
←  Anterior Proxima  → Inicio

2 comentários:

  1. EXCELENTE REPORTAGEM, MEUS PARABENS!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Muy bien detallado
    felicidades pueblo olimpista❤
    ahora vamos por la 4ta 🌟

    ResponderExcluir

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações