quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Corinthians e sua camisa "Dia 15 Vote"

Sócrates e o aviso na camisa corintiana

Em 1982, o Brasil vivia ainda na ditadura militar. Mas, devido à pressão de muitos que lutaram contra estes tempos negros de nossa história, já não era mais os anos de chumbo da década de 1960 e, principalmente, 1970. Já vivíamos um processo de redemocratização. Lento, é claro, mas, mesmo assim, era uma luz no fim do túnel.

Naquele 1982, muitos perseguidos pela ditadura, que estavam exilados no exterior, receberam a anistia e puderam voltar ao país. E não eram poucos: políticos que lutavam pela redemocratização ou ligados ao último presidente civil, João Goulart, músicos, escritores e professores. Também houve o fim do bipartidarismo e abriu-se a oportunidade de criação de novos partidos.

Além disso, depois de 17 anos, os brasileiros, enfim, poderiam escolher através do voto o seu governador do estado. As eleições estavam marcadas para o dia 15 de novembro e é neste fato que o futebol entra em cena, através do time que mais vestiu a camisa pela redemocratização do Brasil, literalmente: o Corinthians.

Todo o time com a camisa

Ainda não existia a famosa Democracia Corintiana, mas o clube fez um apelo para que os brasileiros comparecessem às urnas e estampou a expressão "Dia 15 Vote" na camisa do time. A mensagem, que se tornou importante para divulgar a ocasião, foi veiculada na parte de trás do uniforme nas cinco partidas anteriores à data do pleito responsável por eleger governadores, senadores e deputados.

Um dos líderes do movimento ao lado de Sócrates e Casagrande, o lateral Wladimir lembra que a atitude corintiana ajudou no processo de redemocratização do País. "Foi importante para levar o eleitor às urnas. E também para ele votar com consciência. Para entender que estava contribuindo para o bem-estar comum do Brasil", disse o ex-lateral.

Para levar a mensagem a público, a diretoria alvinegra contou com a liberação dos patrocínios nas camisas dos clubes brasileiros. Meses antes, o Conselho Nacional de Desportos (CND) autorizou o uso de marcas às costas do camisa.

A mensagem também foi estampada no segundo uniforme. Destaque para
Faustão, quando era repórter de campo, entrevistando Sócrates

"Na falta da venda efetiva desse espaço, o Corinthians resolveu utilizar o espaço para imagens e mensagens de motivação política. Tinha espaço regulamentado e não vendido. Aí aprovou-se essa mensagem", disse o jornalista e historiador Celso Unzelte, que ressaltou o caráter suprapartidário da expressão, em entrevista ao UOL Esporte.

Wladimir lembra que houve uma reunião para decidir sobre a inclusão da mensagem no uniforme corintiano. "Conversamos a respeito. A gente compartilhava todas as decisões. E queríamos transmitir essa experiência para toda população. Dizer que cada um tinha muita responsabilidade na hora de opinar. Nós conseguimos sensibilizar muita gente com a camisa", relembra.

A camisa foi usada nos seguintes jogos: vitória contra o São Bento, por 2 a 1 , no dia 27 de outubro, empate de 0 a 0 no clássico contra o Palmeiras, no dia 30, e nas vitórias de 5 a 1 sobre o Juventus, no dia 3 de novembro, 3 a 1 contra o Santo André, no dia 7, e 4 a 0 sobre o Taubaté, no dia 10. Curiosamente, o Timão não jogou na rodada nas vésperas das eleições, nos dias 13 e 14. A camisa deu sorte, pois o Corinthians sagrou-se campeão paulista naquele ano.

Depois, os corintianos fizeram outras ações em favor da democracia

O episódio ligado à eleição de 1982 foi a primeira ação política do Corinthians no período em que a Democracia se fez presente no dia a dia do elenco, que culminou na importante participação dos jogadores corintianos na Campanha Diretas Já, que lutava pelo direito de voto dos brasileiros para a escolha do presidente.

Sobre a eleição de 1982, no Estado de São Paulo, 10,6 milhões de eleitores, de um total de 13,1 milhões, foram às urnas e elegeram Franco Montoro, do PMDB, como governador. Com 44,9% dos votos, ele superou Reinaldo de Barros (PDS), Jânio Quadros (PTB), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Rogê Ferreira (PDT).
←  Anterior Proxima  → Inicio

Um comentário:

  1. Olá sua matéria esta boa, mas preciso fazer uma correção , quando o corinthians entrou em campo com a escrita "dia 15 vote", a democracia corintiana já estava em ativa, ainda pouco divulgada pela imprensa , devido a censura da ditadura que comandava o Brasil,. A democracia teve início em 04/11/1981, quando Adilson de Monteiro Alves assumiu a direção do time. Veja a revista placar de 02/04/1982 p.6, reportagem sobre o craque Wladimir trás um pequeno paragrafo sobre a nova forma de administração. De qualquer forma parabéns pelo texto. Graça Maia.

    ResponderExcluir

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações