Brasil no apito - O histórico de árbitros brasileiros na Copa do Mundo

Por Lucas Paes
Foto: Arquivo

Mário Vianna foi um dos juízes do Brasil na Copa do Mundo de 1950

Depois de 72 anos, o Brasil voltará a ter dois representantes como árbitros principais na Copa do Mundo. Desde 1950, o país vinha mandando apenas um representante de arbitragem principal por mundial, sem incluir nesta conta, é claro, os bandeirinhas brasileiros que iam as Copas. Em 2022, Wilton Pereira Sampaio e Raphael Claus serão ambos representantes do Brasil na arbitragem do maior evento de futebol da terra. No total, teremos sete brasileiros do apito e das bandeiras no Catar.

A primeira Copa do Mundo onde tivemos representação de arbitragem do Brasil foi exatamente a primeira edição da competição. No Uruguai, em 1930, o paraibano Gilberto Almeida Rego foi o primeiro representante do país a apitar uma Copa do Mundo. Ele comandou três jogos no Uruguai, incluindo o jogo do time da casa nas semifinais, diante da Iugoslávia. Depois disso, seriam duas edições sem árbitros brasileiros. 

Em 1950, o Brasil contou com o que foi até hoje o maior número de árbitros numa edição de Copa do Mundo, quando três representantes do país estiveram no mundial que foi justamente em terras brasileiras. Alberto da Gama, Mário Gardelli e Mário Vianna apitaram um jogo cada. Quatro anos depois, Mário Vianna foi novamente o representante brasileiro no apito, comandando apenas um jogo na Suíça. Em 1958 não houve arbitragem brasileira.

Em 1962, no Chile, o representante brasileiro era na verdade um árbitro nascido na Hungria chamado João Etzel Filho, que ficou responsável por apenas uma partida, assim como o histórico Armando Marques em 1966. Aírton Vieira de Moraes, em 1970 e Armando Marques e Arnaldo César Coelho, em 1974 e 1978, respectivamente, também fizeram apenas uma partida. Arnaldo, porém, entraria para a história na Espanha, na Copa do Mundo de 1982, quando foi o primeiro brasileiro a apitar uma final de Copa do Mundo, sendo este seu segundo jogo naquele mundial. Quatro anos depois, Romualdo Arppi Filho repetiu o feito de Armando, sendo também o brasileiro que até então mais havia apitado jogos em uma única Copa, com três partidas no México, em 1986.


Na Itália, em 1990, José Roberto Wright acabou por registrar o maior número de jogos apitados por um juiz brasileiro em uma Copa do Mundo. Atualmente comentarista, o na época conceituado homem do apito comandou quatro partidas naquele mundial. Em 1994, Renato Marsiglia acabou apitando apenas duas partidas, mesmo número de Márcio Rezende de Freitas em 1998. 

A partir da Copa do Mundo de 2002, começaria praticamente o império de um dos maiores árbitros da história do futebol brasileiro. O Gaúcho Carlos Eugênio Simon foi o representante do Brasil em três edições seguidas, incluindo 2006 e 2010, além de 2002. No total, ele dirigiu sete jogos. Sua marca foi quase batida por Sandro Meira Ricci, atualmente comentarista de arbitragem, que apitou seis jogos somando as copas de 2014 e 2018. Agora, caberá a Wilton e Raphael continuarem o histórico brasileiro no apito. 
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações