sábado, 5 de dezembro de 2015

Fernando - um zagueiro com classe

Fernando, em festa dos veteranos da Briosa

Um jogador que começou como meia nas categorias de base da Portuguesa Santista, a mais Briosa, e foi recuado para a quarta-zaga, onde sempre usava a categoria para sair das situações mais difíceis. Um grande líder, conquistou títulos e fez atuações importantes por Santos, Vasco da Gama, Louletano de Portugal, Flamengo, Atlético Mineiro, Portuguesa e Guarani, encerrando a carreira no clube que o revelou. Estamos falando de Fernando, o ex-zagueiro que fez fama por causa de sua técnica e a barba que usava na época em que jogava.

Fernando Cezar de Matos nasceu em José Bonifácio, no interior de São Paulo, no dia 17 de junho de 1961. Foi para a Baixada Santista, onde começou no futebol na Associação Atlética Portuguesa. De origem, era meia amador, mas como tinha altura, foi recuado para a zaga. Mas isto foi uma vantagem para Fernando, que sempre foi um zagueiro que saia jogando com qualidade, além de ter facilidade em marcar gols quando ia ao ataque.

No grande time do Vasco, o penúltimo em pé

Profissionalizado na Briosa em 1980, logo o Santos FC enxergou no jovem zagueiro um talento acima do comum e o levou para a Vila Belmiro em 1984. No Peixe, o primeiro título: fazia parte do elenco campeão paulista daquele ano. Porém, o técnico Castilho tinha preferência pelos experientes Toninho Carlos e Marcio Rossini e preteria o Fernando, que recebeu uma proposta do Vasco da Gama e foi para o Rio de Janeiro.

No Gigante da Colina, o futebol de Fernando explodiu. Foi um dos grandes líderes do grande time vascaíno bi-campeão carioca de 1987/1988. A equipe era muito boa, com grandes jogadores como Romário, Roberto Dinamite, Donato, Geovani e Mazinho. Fernando era um dos jogadores mais importantes do elenco e virou um dos ídolos da torcida. A fama do time fez com que o treinador, Sebastião Lazaroni, assumisse a seleção brasileira ainda em 88.

Comemorando o famoso gol do Cocada

No fim de 1988, Fernando trocou o Vasco pelo Louletano, de Portugal. Era o início da carreira internacional e também da independência financeira. Porém, o sonho do Velho Continente durou apenas uma temporada. "Recebi uma proposta financeira irrecusável. Tive uma lesão muscular muito séria, que me tirou dos gramados por três meses. Tudo deu errado. Mas não fico olhando pelo lado negativo. Acabou sendo também um aprendizado", disse o zagueiro, em entrevista ao UOL Esporte.

Foi nesta época onde Fernando teria sua chance na Seleção Brasileira. Mas, infelizmente teria. Lazaroni sondou o jogador, que conhecia dos tempos de Vasco da Gama, mas com problemas musculares, o zagueiro não pôde defender a 'amarelinha'. Não foi mais lembrado. Porém, Lazaroni sempre mostrou gostar das atuações de Fernando, tanto que o escolheu para formar a dupla de zaga do seu Vasco de todos os tempos, em eleição feita pela Revista Placar em 2007.

O gol do título do Flamengo na Copa do Brasil de 1990

Em 1990, Fernando voltou ao Brasil, para defender o rival do Vasco da Gama: o Flamengo. A desconfiança da torcida logo foi colocada de lado. Com sua categoria, o zagueiro mostrou que seria um dos líderes daquele time Rubro-Negro.

Em seu primeiro ano na Gávea, Fernando ajudou o Flamengo, comandado pelo técnico Jair Pereira, a ser campeão da Copa do Brasil. Não só ajudou, como fez o gol do título. No primeiro jogo, o Flamengo ganhou do Goiás por 1 a 0, com tento dele, em Juiz de Fora. No jogo de volta, o Fla segurou o 0 a 0 no Serra Dourada e ganhou a taça.

O último em pé, no time da Briosa de 1996

Depois do Flamengo, onde chegou a trabalhar também com o saudoso técnico Telê Santana, Fernando defendeu o Clube Atlético Mineiro, o Portuguesa e Guarani, onde fez um ótimo Campeonato Brasileiro em 1993.

Mas ainda faltava algo na sua carreira profissional. Em 1996, Fernando volta para a Portuguesa Santista, onde lidera um grupo com os experientes Célio, Balu, Paulo Robson e Marcio Fernandes. A equipe ganha o primeiro turno da Série A-2 e classifica para as finais. O quadrangular decisivo, que tinha Ituano, São José e Inter de Limeira, tem seus seis primeiros jogos terminados empatados. Todos os times em situações iguais.

E novamente pinta a categoria de Fernando. A Briosa enfrentava o São José fora de casa. Jogo difícil e pegado. O zagueiro faz uma linda jogada saindo da defesa, driblando meio time da Águia do Vale e tocando na saída do goleiro. Um golaço! A Portuguesa Santista venceu aquela partida por 2 a 1 e conquistou o acesso para a Série A-1. Foi a última competição profissional de Fernando, fechando sua carreira com chave de ouro.

Foto em Birigui, 2007: Leandro, Fernando, Aguinaldo e eu, Victor de Andrade

Após parar de jogar, Fernando 'ganhou' o sobrenome Matos, se preparou e se tornou técnico e dirigente de futebol. Fez parte da comissão técnica e foi coordenador da Portuguesa Santista entre 2006 e 2008. Nesta época, eu, Victor de Andrade, tive muito contato com ele e escutei muitas histórias interessantes de sua carreira como jogador.

Grande zagueiro, técnico e ainda reconhecido como grande jogador e respeitado por duas torcidas rivais: Vasco da Gama e Flamengo. É por isso que ele sempre será lembrado.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Um comentário:

  1. Só tenho que agradecer e matéria de ótima qualidade pelas informações precisas e principalmente pelo carinho que sempre recebi de todos os torcedores, desde minha querida Briosa , Santos, Vasco, Flamengo, Atletico Mineiro, Portuguesa Desportos Guarani....obrigado à todos!!!

    ResponderExcluir

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações