União do Vale EC - O representante de Juquiá no futebol profissional paulista

Foto: arquivo União do Vale EC

Em pé: Leandro, Dida, Pretinho, Fabão e Juninho
Agachados: Sidnei, Henedy, Boca, Douglas, Thiaguinho e Robson

O Vale do Ribeira talvez seja a região de São Paulo com o menor número de representantes no futebol profissional do estado. O time mais conhecido da área é o Comercial de Registro, que tem um número razoável de participações nas divisões de acesso do Paulistão, entre os anos 80 e a primeira década de 2000. Porém, em 2001, na então recém-criada Série B3, Juquiá, cidade com menos de 20 mil habitantes, teve o seu representante, que não fez feio, mas foi impedido de seguir adiante na competição por conta da capacidade de seu estádio: o União do Vale Esporte Clube.

A iniciativa de fundar o clube foi do executivo de futebol Samuel Maninho, na época vereador no município. Então, em 1º de fevereiro de 2000, o União do Vale era oficialmente criado, com perspectivas de entrar no futebol profissional paulista no ano seguinte. Maninho contou com o apoio do empresário Carlos Alberto, de Santos, pai do ex-meia Rodrigo Beckham. Com a parceria feita, o União do Vale foi filiado à Federação Paulista de Futebol (FPF) e o time, que mandaria suas partidas na Vila Olímpica Dondinho (homenagem ao pai de Pelé), foi montado.


Para o ano de 2001, com a recém-chegada 'onda' dos times B, o número de filiados crescendo e alguns clubes licenciados voltando à ativa, a FPF decidiu criar mais um estágio no futebol do estado: a Série B3. Na prática, São Paulo ficou com seis divisões profissionais e foi neste escalão que o União do Vale iniciou sua trajetória.

A Série B3 de 2001, com a participação de 28 equipes, tinha uma peculiaridade, assim como os outros escalões do estado: todos os jogos empatados eram definidos em disputas de penalidades, dando-se um ponto extra ao time vencedor. O União do Vale ficou no Grupo A, junto com Joseense, Paulista de Caieiras, Ponte Preta Sumaré, Jacareí, Guaçuano, Osan de Indaiatuba, Amparo, Grêmio Barueri, Paulistano de São Roque, Serra Negra, Ginásio Pinhalense, Águas de Lindóia e União Suzano AC.

Como o jogo de abertura, que seria contra a Ponte Preta Sumaré, fora de casa, fora transferido para 16 de maio, a estreia do União do Vale no futebol profissional foi diante de seu torcedor, no dia 13 do mesmo mês, contra o Paulistano de São Roque. E o início não poderia ser melhor: 3 a 1. O União do Vale ainda conquistaria mais três pontos no jogo adiado da primeira rodada, já que o médico indicado pela Ponte Preta Sumaré não pôde ficar até o fim do jogo e os visitantes foram declarados vencedores.


Na terceira rodada, em 20 de maio, o Papagaio do Vale goleou o Usac, em Suzano, por 4 a 0. Depois de um revés em casa, para o Águas de Lindóia, por 2 a 1, em 23 de maio, o União do Vale emendou uma outra goleada: 6 a 1, contra o Amparo, fora de casa, em 27 de maio. A equipe tinha feito 12 pontos nas cinco primeiras partidas.

Depois, veio o "perde e ganha" normal em uma competição equilibrada. O União do Vale foi derrotado pelo Osan, fora de casa, por 3 a 0, venceu o Serra Negra por 2 a 0, empatou com o Ginásio Pinhalense em 2 a 2, perdendo nas penalidades por 10 a 9 e ficou na igualdade, novamente, com o Joseense, em 1 a 1 (vencendo por 4 a 3 nas penalidades).

As quatro últimas rodadas do primeiro turno foram um empate com o Jacareí, fora, em 2 a 2, vencendo nos pênaltis por 3 a 2, uma goleada por 5 a 2 sobre o Guaçuano, em casa, uma derrota por 2 a 0 para o Grêmio Barueri, como visitante, e um triunfo por 4 a 0, sobre o Paulista, em seus domínios. Estes resultados deixaram o Papagaio no G6, brigando por um lugar na próxima fase da competição.

No segundo turno, o União do Vale iniciou empatando em casa com a Ponte Preta Sumaré, em 1 a 1, vencendo nas penalidades. Depois, derrota para o Paulistano, por 3 a 1, vitória sobre o Usac, pelo mesmo placar, triunfo sobre o Águas de Lindóia, fora de casa, por 1 a 0, e uma derrota, em Juquiá, para o Amparo, por 4 a 1.


Depois, vitória sobre o Osan, por 1 a 0, derrota para o Serra Negra, pelo mesmo placar, triunfo por 3 a 2 sobre o Ginário Pinhalense, revés para o Joseense, por 3 a 1, empate em 0 a 0 com o Jacareí (perdendo nas penalidades, por 3 a 1), derrota para o Guaçuano, por 2 a 1, vitória sobre o Grêmio Barueri, por 1 a 0, e no encerramento da primeira fase, empate em 1 a 1 com o Paulista, fora de casa, vencendo nas penalidades por 3 a 2.

Com esta campanha, o União do Vale fez, na primeira fase, 42 pontos, ficando na sexta colocação no Grupo A, o que colocaria a equipe na segunda etapa da competição, com outros 11 times. Porém, resolveram atrapalhar, e muito, a vida do papagaio. Por conta da capacidade de público da Vila Olímpica Dondinho, a equipe foi desclassificada da competição. Com isto, o Osan, de Indaiatuba, sétimo na chave, acabou avançando.

Depois dessa desclassificação por conta da capacidade do estádio, a equipe nunca mais voltou ao futebol profissional, ficando na memória do torcedor de Juquiá. Samuel Maninho acabou sendo gerente de vários times do futebol paulista, conquistando, inclusive, acessos ao longo da carreira. Carlos Alberto também ficou no futebol, firmando parcerias com times de até outros estados.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Colabore

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações