sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

Brasileirão Feminino A1 2020 começa neste sábado

Por Lucas Paes e Victor de Andrade


O calendário do futebol feminino nacional se inicia neste sábado. Vai começar a edição de 2020 do Campeonato Brasileiro Série A1. Serão, novamente, 16 equipes em busca do título da competição, que no ano passado ficou com a Ferroviária, que bateu o Corinthians na decisão.

Regulamento - O campeonato seguirá a fórmula do ano anterior será disputado em quatro fases: na primeira fase os 16 clubes jogarão no modelo de pontos corridos em turno único. Os oito primeiros se classificarão para as quartas-de-final e os quatro últimos serão rebaixados para a Série A2.

Na segunda fase (quartas-de-final), os clubes se enfrentarão no sistema eliminatório (“mata-mata”) classificando-se o vencedor de cada grupo. Na terceira fase (semifinal), os clubes se também se enfrentarão no sistema eliminatório classificando-se o vencedor de cada grupo para a final, onde, por fim, os dois clubes se enfrentarão também no sistema eliminatório para definir o campeão.


  1. Primeira fase: 16 clubes jogam todos contra todos em turno único
  2. Segunda Fase (quartas-de-final): oito clubes distribuídos em quatro grupos de dois clubes cada
  3. Terceira fase (semifinal): quatro clubes distribuídos em dois grupos de dois clubes cada
  4. Quarta fase (final): em um grupo de dois clubes, de onde sairá o campeão


Confira como estarão as equipes na competição:

Audax 


O Audax é um time que tem certa tradição, tendo inclusive uma conquista Copa do Brasil e Libertadores, mas vive momentos incertos, sendo que quase não jogou em 2020. Ambos os títulos, porém, foram conquistados na época da parceria com o Corinthians. Ano passado, o Audax até conseguiu chegar a fase final, mas acabou eliminado pelo Kindermann. Esse ano, as expectativas são mais modestas e uma classificação a fase final já seria uma ótima campanha. 

Corinthians 


O Corinthians sempre vem com força no futebol feminino. O Timão vem de anos com campanha de títulos ou de final. O Timão foi vice em 2017, campeão em 2018 e vice de novo ano passado, sempre estando de certa forma um patamar acima de suas adversárias. Os destaques do Timão seguem sendo jogadoras como Gabi Nunes, Gabi Zanotti (foto) e Cacau. Novamente, o Corinthians entra no campeonato como um dos favoritos ao título. 

Cruzeiro 


Vice-campeão na série A2 e promovido para a primeira divisão em 2020, o Cruzeiro será comandado por Jorge Victor e manteve parte do elenco de 2019. Foram nove reforços, em todos os setores do time. Atual campeão mineiro, o Cruzeiro tenta, pelo menos no feminino, honrar a tradição que tem no futebol. Passando por uma crise sem precedentes que afeta todos os departamentos, quem sabe o futebol feminino seja um oásis de boa notícias no deserto de desespero cruzeirense. 

Ferroviária 


Atual campeã brasileira, a Ferrinha é tradicionalíssima no futebol feminino. Líder até do ranking nacional, o time de Araraquara se mantém por cima há muitos anos e entra novamente como uma das favoritas ao título na competição. Entre os reforços trazidos para 2020, destaca-se o nome de Chú (foto), atacante da Seleção Brasileira, que volta ao clube após 10 anos. Além dela, chegaram outros nomes, como Patricia Sochor, que reforça o já bom elenco do ano passado. É com isso que Tatiele Silveira tentará conquistar o terceiro título brasileiro da Ferrinha. 

Flamengo 


O Flamengo é outro time forte no futebol feminino. O rubro-negro segue com a parceria com a Marinha, mas também tem atletas fora do ciclo militar. Para 2020, o Mengão trouxe reforços como Kelly, ex-Santos e Carlinha. O Mais Querido porém, perdeu jogadoras importantes, como Fê Palermo, que foi para o Santos. O treinador Ricardo Abrantes ainda conta com alguns destaques, como Gaby, Larissa e Raiza. O rubro-negro é outro time que vem forte para brigar pelo título em 2020. 

Grêmio 


Recém chegado a primeira divisão e com um projeto de futebol feminino ainda recente, o Imortal Tricolor, treinado por Patrícia Gusmão, se reformulou para a disputa da divisão principal do Campeonato Brasileiro em 2020. Um dos destaques do time, Karina não poderá jogar na estreia, devido a suspensão. A meta do Tricolor Gaúcho, que vive crescimento na modalidade, é tentar fazer boa campanha na primeira vez na divisão principal do Brasileirão. 

Iranduba 


O Iranduba é, ou pelo menos era, um dos times mais tradicionais nos anos recentes do futebol feminino brasileiro. Com um sucesso no feminino bem maior que no masculino, a equipe amazonense viveu um final de 2019 de incertezas, após má campanha no Campeonato Brasileiro da primeira divisão e a perca do estadual para o 3B. O Hulk trouxe diversos reforços para reformular o elenco. Entre os reforços, destaca-se Karol, que marcou cinco gols pela UDA na primeira fase do Brasileirão da Série A2 do ano passado. Depois de uma temporada para se esquecer, o Iranduba tenta voltar aos bons trilhos no futebol feminino em 2020. 

Internacional 


O Colorado foi bem na temporada 2019 do Brasileirão, caindo nas quartas, para o Flamengo. Depois, ganhou o título estadual. Para 2020, o Inter deu a Maurício Salgado reforços como Djeni Becker (foto), que deixou o Iranduba como uma das maiores, se não a maior, jogadora da história do time, chegando ao Inter cheio de expectativas. Ela se junta a um bom elenco, que pode fazer com que a equipe gaúcha sonhe com voos mais altos no Brasileirão. A meta do Inter para 2020 é ir ainda mais longe no nacional, quem sabe até sonhar com o título.

Kindermann


Semifinalista em 2019, sendo eliminado pela campeã Ferroviária, o Kindermann, para esta temporada, continua com a parceria com o Avaí. O time, comandado por Jorge Barcellos em mais um ano, treinou forte durante a pré-temporada e espera ir além do campeonato do ano passado. A equipe manteve a base das últimas temporadas e as jogadoras estão entrosadas, esperando fazer uma grande campanha.

Minas/Icesp


Depois de conseguir se manter na elite do futebol feminino brasileiro em 2019, o Minas/Icesp quer dar um passo maior em 2020. O time candango foi ao mercado e montou um elenco forte, já que o clube quer, ao menos, chegar ao mata-mata da competição. A equipe foi reforçada com jogadoras que estavam em várias partes do país e algumas vieram do exterior, como a atacante Tcheury, que estava no futebol sérvio.

Palmeiras


Semifinalista da Série A2 em 2019, o Palmeiras conquistou o acesso para a elite do futebol feminino nacional. Para jogar a A1 2020, o Verdão foi ao mercado e contratou um verdadeiro pacotão de reforços, com destaque para Ottília, um dos grandes destaques do São Paulo no ano passado. Vale lembrar que o Alviverde vai mandar os seus jogos no Estádio Nelo Bracalante, em Vinhedo, assim como foi na temporada anterior.

Ponte Preta


Depois de brigar contra o rebaixamento em 2019, a Ponte Preta quer melhorar a situação e terminar mais à frente a competição nesta temporada. Para conquistar os objetivos, o elenco treinou forte durante a pré-temporada, buscando já entrar no Campeonato Brasileiro em ritmo forte. A expectativa entre membros da equipe é alta.

Santos


O Santos fez uma grande reformulação para 2020. Várias jogadoras saíram e outras chegaram para o time que será comandado por Guilherme Giudice. A grande contratação das Sereias da Vila é a artilheira Cristiane (foto), que estava no São Paulo. Também foram contratadas Thaisinha e a volante Brena, ambas com passagens anteriores pelo clube. O Alvinegro também fez um verdadeiro pacotão de jogadoras vindas do Flamengo.

São José


Para se preparar para a competição, o São José realizou dois amistosos na pré-temporada: no dia 25 de janeiro, a equipe encarou a Seleção Brasileira Feminina Sub-17, vencendo por 2 a 0 – gols de Mylena Pedroso e Joelma. No dia 31 de janeiro, as joseenses enfrentaram o São Paulo e foram superadas por 3 a 0. A Águia do Vale será dirigida por Adilson Galdino, que volta à equipe.

São Paulo


O time feminino do São Paulo viverá um momento diferente em 2020. A equipe foi reforçada com nomes importantes, como as de Gláucia (foto) e Duda, e tem promessa de uma melhor estrutura de trabalho para a disputa da primeira divisão do Campeonato Brasileiro, depois de conquistar a série A2 no ano passado. A diretoria ainda promoveu cinco atletas das categorias de base: Emily, Giovaninha, Lauren, Miriam Cristina e Rafaela.

Vitória


O Vitória vai disputar o Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino Série A1 com uma equipe bastante jovem. Por meio do seu site oficial, o clube anunciou que a base do elenco será da equipe sub-16. O técnico Lucas Grillo segue no comando. A base da equipe foi formada por uma peneira no ano passado. O time disputou o Brasileiro Sub-16 e terminou em quarto lugar.

Confira aqui a tabela e aqui o regulamento da competição.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações