terça-feira, 11 de julho de 2017

A grande virada do Manchester United na final da Champions em 1999

Por Lucas Paes

Em uma virada incrível, o Manchester United conseguiu o título

Completou no mês de maio 18 anos de uma das maiores vitórias da história do futebol europeu (e mundial): em 26 de maio de 1999, o Manchester United aprontou uma virada espetacular pra cima do Bayern de Munique, em um Camp Nou que parecia já esperar o quarto título bávaro.

Ambas as equipes começaram a Liga dos Campeões no que hoje seria um impossível grupo da morte. Na época, porém, o chaveamento possibilitou ao Bayern, Manchester United e ao Barcelona figurararem no mesmo grupo, ao lado dos dinamarqueses do Brondby. Aliás, a estréia dos diabos vermelhos foi num eletrizante 3 a 3 contra o Barça, com direito a gols de Sonny Anderson e Giovanni (o Messias) para os catalães. Do outro lado, o Bayern sofria uma surpriendente derrota pra o Brondby. 

Com dois empates entre os ingleses e os alemães, o grupo terminou a liderança dos Bávaros, que passaram com 11 pontos ganhos, um a frente dos Diabos Vermelhos, com 10, classificados como melhor vice-lider. Nas quartas, os ingleses bateram a Internazionale, enquanto o time de Munique passeou pra cima do Kaiserslaurtern. Nas semis, enquanto o United teve pela frente outra equipe italiana, dessa vez a forte Juventus de Del Piero, o Bayern pegou o Dinamo de Kiev, que com um tal de Shevchenko no ataque vendeu caro a eliminação.

Na final, disputada em 26 de Maio, o Bayern começou avassalador e saiu a frente logo aos seis minutos, numa belíssima cobrança de falta de Basler. Melhor no jogo, o time alemão desperdiçava ataques, enquanto o United de Fergunson se segurava na defesa. No primeiro tempo, todas as chegadas dos ingleses foram sem grande perigo, mesmo uma falta numa área onde Beckham era especialista.

Na etapa final, os Bávaros partiram pra cima e amassaram o Manchester, que recuou e tentou evitar levar o segundo gol. Curiosamente, a melhor chance dos Diabos ocorreu justamente quando a pressão era toda bávara. Porém, a blitz alemã não criou nenhuma chance muito clara, num jogo que deixava a desejar na parte técnica, coisa inimaginável numa final atual da Liga dos Campeões.

Sojskaer comemora o histórico gol

Só que o time alemão não ficaria o tempo todo finalizando errado, depois, o Bayern fez Smeichel trabalhar: o lendário goleiro dinarmaquês evitou um gol de cobertura de Effenberg. Pouco tempo após isso, outra tentativa de cobertura alemã terminou na trave. Com o fim do jogo se aproximando, o tetracampeonato do time de Munique parecia iminente e inevitável.

Sir Alex Fergunson não ficou parado, colocou Shenningan na metade do segundo tempo, e Sojskaer entrou depois. O norueguês parecia predestinado, já que no primeiro toque na bola obrigou Kanh à fazer boa defesa, em uma cabeçada que foi a melhor chance do United na partida. Logo depois, Smeichel evitou de novo o que seria o segundo gol do Bayern, no escanteio, uma bicicleta de Jancker acertou o travessão.

O título não parecia querer sair das mãos bávaras. Tentando atacar, os Diabos Vermelhos chegaram duas vezes: primeiro, Kahn defendeu a finalização de Shennigan, depois, York furou um gol certo na altura da marca penal. Depois, o foi outra vez Sojskaer quem cabeceou na mão de Oliver Kanh.

Quando a torcida do Bayern já comemorava a conquista, o United conseguiu um escanteio, em um cruzamento que veio do lado direito. Na cobrança, onde até o goleiro do time tinha ido a área, a bola sobrou para Giggs, que pegou mal de primeira, porém a bola encontrou um predestinado Shennigan, que colocou a redonda na direção das redes e deixou tudo igual, levando a loucura os torcedores ingleses em Barcelona.

Embalado, os Diabos Vermelhos partiram pra cima e o infernal Sojskaer conseguiu outro escanteio. Beckham levantou, a bola viajou, atraindo todos os olhares dos 90 mil presentes, Shennigan cabeceou para o chão e o atacante norueguês fez explodir a torcida inglesa presente no estádio e em qualquer outro lugar do mundo. Uma das maiores viradas da história acabava de acontecer, diante dos olhos atônitos dos jogadores e torcedores bávaros.

Vídeo com os últimos três minutos

Não deu tempo do Bayern assimilar o golpe. O Manchester United, campeão inglês e da FA Cup, completava uma histórica tripleta. A vitória consagrou nomes como Giggs, Scholes e Neville, que estariam presentes na terceira conquista, em 2008. Além deles, nomes como York, Beckham e os heróis Sojskaer e Shennigan. Acima de tudo, o título consagrou o trabalho de Alex Fergunson, que faria os Diabos Vermelhos passarem o número de titulos ingleses do rival Liverpool no futuro.

Derrotado, o Bayern não demoraria para voltar as finais. Dois anos depois, Kanh e cia conquistaram o título diante do Valencia, nos pênaltis, em um time que, entre outros nomes, consagrou o brasileiro Elder como ídolo bávaro. As equipes voltariam a se enfrentar nas quartas de final de 2010, quando o time de Munique levou a melhor. Mas, nenhum jogo entre Bayern e Manchester United superou a epopéia de 26 de Maio de 1999.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações