terça-feira, 7 de março de 2017

TJD-SP abre precedente perigoso com o caso Catanduvense

Por Victor de Andrade

Estádio Silvio Salles está sem laudo e o Catanduvense sofreu duplo WO por não jogar em seu mando

O Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP) tomou uma atitude diferente do que o Regulamento Geral das Competições da Federação Paulista de Futebol aponta e absolveu o Catanduvense da eliminação do Campeonato Paulista da Série A-3 de 2017 e, consequentemente, o rebaixamento da equipe para a Segunda Divisão de 2018.

O grande problema é que o Bruxo de Catanduva sofreu duplo WO por falta de estádio apto para receber os jogos contra Taboão da Serra e São Carlos, já que o Silvio Salles se encontra interditado e teve seu laudo de segurança reprovado em vistoria feita em 17 de fevereiro. Nestes casos, o regulamento é claro: eliminação da equipe da competição. A punição foi apenas pagar uma multa de R$ 380,00 por jogo

Este nem foi o primeiro caso. Em 2015, o Cotia passou pela mesma situação e estava até melhor naquele campeonato do que o Catanduvense atualmente. Porém, não houve acordo e a equipe da Grande São Paulo foi eliminada e, consequentemente, pediu licença das competições da FPF. Agora, fica a pergunta: por que uma decisão diferente?

É claro que o Catanduvense alegou que o Estádio Silvio Salles, municipal, está passando por reformas, e que pretende se acertar para o restante da competição. Teve outras partidas que o clube mandou os jogos no Estádio Anísio Haddad, em São José do Rio Preto, mas no caso do duplo WO, não conseguiu mudar a partida a tempo. Porém, o TJD-SP abriu um precedente perigosíssimo para as competições em São Paulo.

Catanduvense jogando em São José do Rio Preto

Há algumas equipes que estão com problemas em seu estádio e correm feito 'loucos' atrás de uma nova 'casa', tendo que pagar aluguel, custos de viagem para 'jogar em casa', entre outras situações com gastos. Tudo para não levar o duplo WO e fugir do risco da eliminação. Porém, agora há uma jurisprudência, existe um time que não foi excluído da competição por não ter realizado dois jogos. A pergunta que fica no ar: será que as outras equipes, principalmente as que não estarão brigando por classificação, vão correr atrás de um outro local de jogo ou vão preferir o WO?

Outra questão a ser levantada. Imagine só um time que não briga pela classificação, mas também não corre risco de rebaixamento faltando duas rodadas para o término do campeonato (tudo bem, que classificando oito e rebaixando seis, como é o caso da Série A-3, é muito difícil acontecer, mas a A-2, onde passa apenas quatro para a segunda fase, pode ocorrer). Se este time querer economizar, é simples: não vai para as duas partidas, já que há um precedente que com o duplo WO não terá a exclusão.

Nada contra o Catanduvense, pelo contrário. Toda a equipe de O Curioso do Futebol lamentou quando veio a notícia do segundo WO do time na competição, comentando que não haveria jeito de escapar da eliminação, como aconteceu com o Cotia em 2015. Mas não tem como negar que eles feriram o regulamento e ele deveria ser seguido à risca, o que não foi feito.

Agora é esperar, ver se o Bruxo reage na competição (apenas três pontos em oito rodadas) e torcer para que os outros times não usam este caso como “muleta” para fazer o mesmo. E também está na hora de a Federação Paulista rever as questões de estádios aptos. Sei que não pode virar bagunça, porém, há algumas exigências desnecessárias para as competições.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações