quarta-feira, 27 de abril de 2016

Com base do Inter, a primeira medalha olímpica do Futebol Brasileiro

A 'Sele-Inter' medalha de prata em Los Angeles 1984

A Seleção Brasileira é conhecida por ser a que mais venceu a Copa do Mundo de Futebol. Porém, quando se fala em Jogos Olímpicos, o time canarinho não tem um retrospecto tão positivo quanto no Mundial. Além de nunca ter conquistado o título e, consequentemente, o ouro, o Futebol Tupiniquim conseguiu conquistar uma medalha apenas nos Jogos Olímpicos de 1984, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Mas tudo isto tem uma explicação. Apesar de o Futebol ter entrado nas Olimpíadas em 1908, o Brasil só foi estrear no torneio da modalidade em Helsinque, em 1952. Vale ressaltar que o Brasil quase esteve presente no torneio de futebol da Olimpíada de 1928, em Amsterdã. Empolgada com o sucesso do Uruguai quatro anos antes, os dirigentes brasileiros tentaram se organizar para mandar um time para a Holanda. Porém, não conseguiu verba necessária para enviar a equipe. Naquela competição, os uruguaios se sagraram bicampeões olímpicos, ao vencer a Argentina na final.

Mas já na década de 50, o Futebol Olímpico já era dominado pelos países do bloco socialista europeu. E isto tem uma explicação: só podiam participar atletas amadores e como os países comunistas não tinham atletas profissionais oficialmente, apesar de treinarem em alto nível, seleções principais da União Soviética, Hungria e Iugoslávia, por exemplo, enfrentavam equipes juniores de outros países. Por isso elas sempre eram favoritas.

Na estreia contra a Arábia Saudita

Para os Jogos Olímpicos de 1984, a regra no Futebol foi mudada. Ao invés de apenas atletas amadores, os profissionais foram autorizados a participarem do torneio, desde que nunca tivessem entrado em campo em uma Copa do Mundo. Além disso, boa parte do bloco socialista boicotou o evento nos Estados Unidos. Com tudo isso, de mero figurante, o Brasil passou a ser um dos favoritos a conquistar uma das medalhas.

Mas houve outro problema: calendário do futebol brasileiro. Com os times jogando, eles poderiam ser desfalcados quando cedesse atletas para a Seleção Olímpica. Isto trouxe um problema para o técnico Jair Picerni, que enfrentava dificuldades para montar a equipe. Mas a solução estava no Rio Grande do Sul: como o Internacional caiu precocemente no Brasileirão, a equipe estava sem competições oficiais na época dos Jogos. Aí veio a ideia de usar o Colorado como base da equipe.

Ao todo, foram 11 atletas do Internacional: o goleiro Gilmar, o lateral-esquerdo André Luís, os zagueiros Pinga e Mauro Galvão, os meias Tonho, Ademir Kaefer, Mílton Cruz, Paulo Santos e Dunga, e os atacantes Kita e Silvinho. Além deles, a Seleção contou com o goleiro Luís Henrique (Ponte Preta), o lateral direito Ronaldo (Corinthians), o zagueiro Davi (Santos), o volante Chicão (Ponte Preta) e os meias Gilmar Popoca (Flamengo) e Tonho (Aimoré-RS).

Os 11 jogadores do Inter com a medalha no peito

O Brasil começou bem, goleando a Arábia Saudita por 3x1 com gols de Gilmar, Silvinho e Dunga. Depois bateu Marrocos por 2x0, gols de Dunga e Kita. Contra a Alemanha Oriental, um duríssimo 1 a 0 que só saiu no finalzinho do jogo, através de Gilmar Popoca. Nas quartas-de-final, um 1 a 1 heroico diante do Canadá no tempo normal, gol salvador novamente de Gilmar Popoca, depois de Dale Mitchell abrir o marcador. Nos pênaltis, seu homônimo Gilmar Rinaldi pegaria duas cobranças e o Brasil estava nas semifinais!

Então o duríssimo adversário, a Itália campeã mundial e com jogadores do quilate de Walter Zenga, Aldo Serena, Franco Baresi e Franco Tancredi. Novamente Gilmar Popoca marcou o gol brasileiro aos oito minutos da etapa complementar, mas Pietro Fanna empatou dez minutos depois. Na prorrogação, o lateral-direito Ronaldo (então do Corinthians e que jogou no Grêmio), fez o gol da vitória. O Brasil conquistou assim sua primeira medalha olímpica no futebol!

A final contra a França

Restava saber se seria de ouro ou prata, e o adversário na decisão seria a França, campeã européia dois meses antes. Na decisão, o time de Picerni não foi páreo para os franceses, que eram comandados por Henri Michel e tinha seis jogadores campeões da Eurocopa daquele ano. François Brisso e Daniel Xuereb marcaram os gols da vitória francesa para impressionantes 102 mil torcedores no Rose Bowl.

Na Olimpíada seguinte, em Seul, o Brasil repetiria a prata, ao perder a final para a União Soviética por 2 a 1. Porém, Ademir e Luis Carlos Winck estavam novamente no elenco, sendo os primeiros brasileiros a conquistarem duas medalhas no futebol olímpico.

* Com informações do site Almanaque Esportivo.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações