sexta-feira, 26 de maio de 2017

Edmundo no Cruzeiro

Edmundo em sua passagem pelo Cruzeiro: 15 jogos e seis gols

Para o Campeonato Brasileiro de 2001, o Cruzeiro foi às compras para reforçar o seu elenco. Com isso, alguns jogadores de nome chegaram à Toca da Raposa, como o meia Alex (que desta vez não teve uma boa passagem pelo clube, ao contrário da segunda), Rincón e Edmundo, tema deste artigo.

O Animal não vinha em uma boa fase na carreira. Depois de brigar com Romário e a diretoria do Vasco, ainda em 2000, ele saiu do clube e defendeu Santos, na Copa João Havelange daquele ano. No primeiro semestre de 2001, ele foi para a Itália, emprestado pelo Vasco, e voltou sem ter ido bem.

No Brasil, entrou na Justiça contra o clube que o revelou e dizia amar, ganhou o passe e acertou com o Cruzeiro para a disputa do Brasileirão e da Copa Mercosul, com 30 anos. Edmundo estreou com a camisa do Cruzeiro na derrota por 2 a 0 para o Independiente, em Avellaneda, na Argentina, pela competição internacional. Aos 63 minutos de jogo, levou o cartão vermelho direto, numa dividida, que gerou protestos de todo o time.

Marcou o primeiro gol com a camisa estrelada em cobrança de pênalti na derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, no Independência, pelo Campeonato Brasileiro. Faz três gols na goleada por 4 a 1 sobre o Independiente, no Mineirão, pela Copa Mercosul. Edmundo ainda provocou as expulsões de Paez e Pernia do time argentino. Foi sua melhor exibição com a camisa cruzeirense.

Porém, com altos e baixos (mais baixos, diga-se), ele teve um fim no clube celeste em 3 de outubro daquele ano. Após três jogos fora da equipe, por motivo de contusão, Edmundo retorna contra o Vasco, em São Januário, pelo Campeonato Brasileiro. Antes do jogo foi procurado por um oficial de justiça que o notificou no estádio a respeito de uma ação movida pelo Vasco contra ele. O clube carioca cobrava US$12 milhões. Edmundo havia conquistado a sua liberação do clube na justiça.

Ainda antes do jogo concede uma entrevista que definiria o seu futuro no clube ao dizer: "Tomara que não faça gol. Se acontecer vai ser por puro profissionalismo. Mas não haverá comemoração, porque não posso comemorar derrotas minhas, como torcedor vascaíno." O atacante entra no segundo tempo e desperdiça uma cobrança de pênalti nos minutos finais.

Após o jogo, o presidente do clube, Zezé Perrella, anuncia a rescisão do contrato do jogador após o jogo. Anos depois, em uma entrevistaa Rádio Tupi, o craque disse:“Foi displicência, não foi de propósito. Eu estava triste porque tinha ficado no banco pela primeira vez na minha carreira. E tudo por causa de um mal entendido. A imprensa de Minas me perguntou se eu preferia o Luxemburgo ou o Marco Aurélio. Respondi Luxemburgo. O Marco Aurélio foi contratado e me colocou no banco. O Vasco já vencia por 3 a 0 o jogo e eu bati com displicência. Quem se prejudicou fui eu Edmundo fez 15 jogos com a camisa cruzeirense e marcou 6 gols.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações