segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Jóbson é a mais nova contratação da Portuguesa Carioca

Foto: Nathan Diniz/Portuguesa RJ

Lusa Carioca confirmou Jóbson nesta segunda-feira

A Portuguesa anunciou a contratação do atacante Jóbson, de 31 anos, que se destacou no futebol carioca defendendo o Botafogo. O atacante chegou ao Rio de Janeiro no domingo e se apresentou no clube na manhã desta segunda-feira, dia 4, para início dos treinamentos visando a Seletiva do Campeonato Carioca 2020, que começa em dezembro deste ano.

Aos 31 anos, Jóbson está de volta ao futebol carioca, após quatro anos. Revelado pelo Brasiliense, o atacante despontou como promessa do futebol Brasileiro em 2009. Na ocasião, defendia o Botafogo e fez gols decisivos na luta do time carioca para escapar do rebaixamento.

O atacante acumula três passagens pelo clube carioca, além de Bahia, Atlético-MG, Barueri, São Caetano e Al Ittihad. Neste ano, Jóbson defendeu a camisa do Brasiliense no Candangão e no Brasileiro da Série D. A Lusa estreia no dia 21 de dezembro, às 15 horas, no estádio Luso-Brasileiro, contra o Americano.

Polêmicas - Apesar de ser reconhecidamente talentoso, Jóbson teve problemas com drogas, agressões e até uma acusação de estrupo ao longo da carreira, além de ter sido pego em exames anti-doping. No final de 2009, ele chegou a acertar sua ida ao Cruzeiro, mas foi pego por uso de cocaína em exames de dois jogos do Brasileirão daquele ano. o jogador acabou assumindo que na verdade havia fumado crack e foi suspenso por dois anos pelo STJD. No dia 29 de abril de 2010, houve uma nova audiência com o jogador, e sua pena foi reduzida para apenas seis meses, tendo sido liberado para jogar a partir de 20 de julho.

Em março de 2013, quando defendia o São Caetano, o jogador voltou a se envolver em polêmica. Mais precisamente no dia 12, Jobson foi detido acusado de agredir a esposa, Thayne Bárbara. Em abril, novamente na cidade paulista, o atacante foi detido após ser parado numa blitz e desacatar os policiais que o abordaram.

No dia 24 de abril de 2015, Jobson foi suspenso após se recusar a realizar exame antidoping quando atuava pelo Al-Ittihad, da Arábia Saudita, em 25 de março de 2014. Por causa disto, aliás, o atacante já havia sido suspenso por quatro anos pelo Comitê Antidoping da Arábia, mas a punição só o impedia de atuar em solo saudita. Agora, foi a FIFA quem decidiu. A entidade informou o Botafogo da internacionalização da suspensão. Após a notificação da suspensão de Jobson, o Botafogo decidiu descartar a escalação do jogador na primeira final do Campeonato Carioca daquele ano contra o Vasco.

Em junho de 2016, Jobson foi acusado de estupro de 4 adolescentes, sendo duas de 13 anos e duas de 14 anos, segundo uma vítima, Jobson aliciava as menores para sua chácara, lá, ele embriagava e entorpecia para abusar delas sexualmente. Jóbson ficou no Presídio de Marabá, a 400km de Conceição do Araguaia. Em 2 de setembro de 2016, é solto após pagamento de fiança para responder em liberdade.


No dia 5 de junho de 2017, Jobson foi novamente preso após se envolver em um acidente de trânsito que causou a morte de um homem, dessa vez em Colméia, a 206 km de Palmas, Tocantins. Ele foi reconduzido à prisão por descumprimento de medidas judiciais relativas a sua prisão anterior em junho de 2016. Para responder o inquérito anterior em liberdade, o jogador deveria cumprir algumas medidas cautelares, como o pagamento de uma fiança de 25 salários mínimos, não beber e usar quaisquer drogas, nem frequentar bares ou boates; não se ausentar da comarca onde mora sem autorização do juiz e comunicação do local onde possa ser encontrado; estar em casa entre as 19h e às 6h e nos domingos e feriados integralmente. Ele deveria também atender aos chamados judiciais quando fosse intimado e estava proibido de manter contato com qualquer uma das vítimas. Se alguma das condições fosse descumprida, Jobson voltaria a prisão.

Ele voltou a ser preso no dia 29 de setembro. Desta vez, conforme o Tribunal de Justiça, ele voltou a sair do limite estabelecido, viajando para o Pará. A informação chegou à Justiça porque ele estava usando tornozeleira eletrônica. A prisão aconteceu porque Jobson descumpriu duas dessas medidas, quais sejam: não sair da comarca onde mora sem autorização judicial e permanecer em casa entre as 19h e às 6h. Há a suspeita também que ele tenha descumprido a medida que proibia uso de bebidas ou quaisquer drogas.

Acusado por estupro de vulneráveis, o ex-jogador deixou a prisão no dia 27 abril de 2018, o ex-jogador estava preso na Cadeia Pública de Paranã, em Tocantins, após a sua liberação da cadeia, o juiz Ricardo Gagliardi, da comarca de Colméia, que fica a 206 km de Palmas, determinou que Jobson cumpra medidas cautelares como permanecer em casa por determinados horários, não frequentar bares ou sair da região sem autorização.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações