terça-feira, 23 de julho de 2019

Brasil 0 x 2 Honduras - Em 2001, um dos maiores vexames da Seleção

Foto: Getty Images

Hondurenhos comemoram com Júnior desolado: derrota nas quartas da Copa América

Apesar de ter uma das seleções mais vitoriosas do futebol, se não for a maior, o Brasil coleciona alguns fracassos e vexames ao longo de sua história. É claro que a derrota por 7 a 1 para a Alemanha em uma semifinal de Copa do Mundo jogando em casa é praticamente insuperável, mas alguns resultados anteriores à este colocaram em pauta muitas críticas, como a derrota por 2 a 0 para Honduras, no dia 23 de julho de 2001, pelas quartas da Copa América que foi realizada na Colômbia.

Para aquela competição, o técnico Luiz Felipe Scolari, que só tinha feito um jogo frente à Seleção (derrota por 1 a 0 para o Uruguai, pelas Eliminatórias), resolveu poupar alguns titulares do time que vinha entre altos e baixos e fez algumas experiências. Com jogadores como Roger, Guilherme, Jardel e Denilson (este voltando à Seleção), a delegação brasileira partiu para uma problemática Colômbia, que vivia às turras com problemas se segurança, e sem Mauro Silva, que não se apresentou com medo por causa dos problemas.

Na primeira fase, o Brasil esteve no Grupo B e estreou com derrota para o México, por 1 a 0, em Cáli, no dia 12 de julho. No dia 15, com gols de Guilherme e Denilson, o time canarinho vencia o Peru pelo placar de 2 a 0. Já 18 de julho, Alvarenga abriu o placar para o Paraguai, mas Alex, Beletti e Denilson fizeram os gols da virada brasileira, que se classificaria para as quartas como primeiro colocado da chave.

No mata-mata, o Brasil iria encarar Honduras, que pela primeira vez jogava uma Copa América. E o convite veio de forma inusitada, já que a Argentina desistiu da competição, alegando insegurança, e às vésperas do início do torneio, os hondurenhos aceitaram jogar e correram para montar a equipe, que foi a segunda colocada do Grupo C, perdendo para a Costa Rica, na estreia, por 1 a 0, e vencendo Bolívia, por 2 a 0, e Uruguai, por 1 a 0.

Emerson na disputa de bola

Com isto, no dia 23 de julho de 2001, no Estádio Palogrande, em Manizales, Brasil e Honduras faziam o último jogo das quartas da competição, já que México, Uruguai e Colômbia já tinham se garantido nas semifinais, eliminando, respectivamente, Chile, Costa Rica e Peru. Antes do jogo, nem o torcedor brasileiro mais pessimista imaginaria que seria uma noite de pesadelos para o time canarinho.

A seleção brasileira começou a partida jogando muito mal. Denílson, destaque da vitória sobre o Paraguai, começou o jogo como titular, mas passou todo o primeiro tempo apagado. O primeiro lance de perigo do Brasil aconteceu aos 3min, com Guilherme. O atacante do Atlético-MG caiu na área, mas o árbitro paraguaio Ubaldo Aquino mandou a jogada seguir. Aos 9min, o meia Alex chutou de longe e o goleiro Valladares se atrapalhou para fazer a defesa. Quatro minutos depois foi a fez de Denílson tentar o gol, mas a bola passou à esquerda do gol hondurenho.

Honduras só chegou com perigo ao gol brasileiro aos 27min. O meia León fez uma grande jogada e obrigou o goleiro Marcos a fazer uma boa defesa. Aos 30min, Denílson driblou um zagueiro hondurenho e concluiu mal. Na finalização, o jogador do Bétis chutou por sobre o gol. Aos 37min, Alex desperdiçou outra chance, após pegar um rebote na área.

No segundo tempo, Felipão tirou Luisão e Alex para colocar Juninho Pernambucano e Juninho Paulista. Com isso, mudou o esquema tático: 3-5-2 para o 4-4-2. Logo no primeiro minuto, a mudança pareceu dar resultado: Juninho Paulista fez ótima jogada e quase marcou o gol. Dois minutos depois, o mesmo Juninho chutou e o goleiro Valladares fez a defesa.

Aos 12min, Honduras chegou ao gol que abriu caminho para a classificação às semifinais. León fez boa jogada na direita e cruzou. Martinez se antecipou ao goleiro Marcos e tocou de cabeça. A bola bateu na trave e em Belletti antes de entrar. O gol desestabilizou completamente a seleção brasileira. Com isso, a seleção hondurenha passou a controlar o jogo. Aos 17min, os hondurenhos marcaram novamente. Entretanto, o trio de arbitragem decidiu anular o tento, indicando que a bola saiu no cruzamento para a área.

Reportagem da Rede Globo sobre a partida

O Brasil não conseguia chegar ao gol hondurenho e ainda corria risco nos contra-ataques. Aos 29min, Cris falhou e León quase marcou para Honduras. Nos últimos minutos, a seleção brasileira foi no desespero para o ataque, mas não conseguiu marcar. A maior chance aconteceu aos 40min, quando Guilherme, Jardel e Belletti perderam a oportunidade para colocar a bola dentro do gol. Com a equipe inteira no ataque, a seleção brasileira ficou vulnerável aos contra-golpes de Honduras. E, aos 48min, exatamente num contra-ataque, Martinez marcou o segundo gol hondurenho, selando a vitória da equipe.

Honduras perderia o jogo semifinal para a Colômbia, que seria a campeã do torneio, por 2 a 0, mas ainda ficaria com o terceiro lugar ao derrotar o Uruguai nas penalidades, após 2 a 2 no tempo normal. Já o Brasil voltou execrado, teve dificuldades para garantir sua vaga na Copa do Mundo de 2002, mas no ano seguinte, com alguns jogadores que estiveram naquela Copa América, conquistou o título mundial.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações