domingo, 23 de junho de 2019

França vence Brasil na prorrogação e segue adiante na Copa do Mundo

Por Lucas Paes
Fotos: Divulgação FIFA.com

A França sofreu (e muito), mas venceu na prorrogação

Acabou o sonho do título mundial do Brasil na Copa do Mundo de futebol feminino. A França sofreu muito diante do Brasil, contando até com um gol bem anulado das brasileiras pelo VAR, mas venceu por 2 a 1, já na prorrogação e segue adiante na competição. A Seleção Brasileira, apesar de fazer uma grande partida, está eliminada.

O Brasil vinha de classificação até tranquila, apesar do terceiro lugar. A Seleção Canarinho havia feito seis pontos na primeira fase e vinha de vitória até fácil sobre a Itália por 1 a 0, placar até magro pelo futebol apresentado pelas brasileiras. A França por sua vez vinha de vitória magra sobre a Nigéria, mas fechou a primeira fase com 9 pontos em três jogos, um desempenho perfeito até aqui.

O começo de jogo foi mais truncado, com a França chegando principalmente em dois escanteios onde Bárbara teve que trabalhar. A primeira finalização do Brasil veio em jogada individual de Marta, com dois dribles rápidos e um chute que passou ao lado do gol. Logo depois, aos 10 minutos, a França teve falta cobrada por Henry, que passou por cima do gol. O jogo era travado e com poucas grandes chances para os dois lados.

Aos 14', Debinha chegou com boa jogada após passe de Marta, mas o chute de Debinha foi desviado. Porém, a artilharia aérea da França daria resultado aos 22'. Diani cruzou, Bárbara saiu mal e Gauvin mandou para as redes. Porém, o VAR deu falta de Gauvin na hora da dívidida com Bárbara. O gol acabou anulado.  

Com o gol anulado, o duelo voltou a ficar travado. A França não conseguia chegar com eficiência e as brasileiras também pouco criavam. Ambas as equipes ficavam travadas nos sistemas defensivos. A chance mais perigosa até ali das brasileiras veio aos 37', em escanteio que Marta cobrou na cabeça de Cristiane que cabeceou para boa defesa da goleira francesa. Dois minutos depois, Henr cabeceou com perigo após cobrança de falta para a área, mas ela estava impedida.

Aos 43', Debinha dividiu bola com a defensora da França e a redonda sobrou para Cristiane, que avançou e chutou para boa defesa de Bohauddi, no que foi a melhor chance brasuca no primeiro tempo. Pouco depois, Majri recebeu laçamento livre na ponta da área, bateu com força, porém sem direção, com a redonda passando por cima do gol. O primeiro tempo terminou mesmo sem gols. 

A etapa final começou tão travada quanto a primeira. Só que dessa vez a França foi mais eficiente. Logo aos 6', Diany passou por Thamires e cruzou rasteira para Gauvin marcar o primeiro gol. A resposta brasileira foi rápida. Aos 9', Marta cobrou falta para a área e Cristiane cabeceou na trave. Apesar do gol, a partida não mudou tanto. O duelo continuava travado e sem grandes chances para ambos os lados. Inclusive, com muitos erros de brasileiras e francesas. 

Mas o gol havia feito bem aos Bleus. Aos 16', Le Sommer quase marcou, a atacante fez uma jogadaça e chutou uma bola que iria no ângulo, mas a bola desviou e saiu. Só que logo depois o Brasil empatou. Debinha avançou pela ponta, tocou atrás, a bola desviou, sobrou e Thaísa mandou para as redes empatando o jogo. A partir daí, o jogo voltou a ficar travado. Só aos 26', Majri achou Le Sommer sozinha na área, mas a atacante cebeceou mal demais. Logo depois, Debinha dividiu com a defesa francesa e conseguiu chutar para defesa tranquila da goleira.

A partir do gol, a França até ensaiou uma pressão, mas não conseguia chegar com real perigo ao gol brasileiro. As brasileiras, por sua vez, não conseguiam atacar com eficiência e travavam na marcação francesa. Aos 42', o Brasil teria marcado o segundo em jogada de contra-ataque, mas Thamires estava em posição irregular, após fazer grande jogada e marcar. Nos momentos finais do duelo, as brasileiras cresciam. Já nos acréscimos, Debinha ganhou em bola dividida com a defesa e tocou para Bia Zaneratto chutar para fora. O duelo terminou empatado no tempo normal.

A prorrogação começou com Cristiane tentando surpreender a goleira em um chute de longe que acabou saindo fácil para Bouhaddi. Cristiane, logo depois, teve que sair do jogo, inclusive, por lesão. Aos 4', Torrent tentou de longe e a bola passou longe do gol. Logo depois, foi a vez de Diani tentar sem sucesso um chute de fora. As francesas voltaram na pressão total. Já no finalzinho do primeiro tempo, Le Sommer teve chance em lance que estava quase sozinha, mas teve o chute desviado. No escanteio, Diani cabeceou para defesa de Bárbara. 

A melhor chance da prorrogação porém foi brasileira, Geisy deu grande laçamento para Bia Zaneratto, que venceu a goleira na finalização, mas Bathy evitou o segundo gol brasileiro em carrinho providencial. O primeiro tempo da prorogação terminou como havia começado em Le Havre. 

Mas o começo da etapa final foi ótimo para os franceses. Majri bateu falta para a área e Henry, livre, tocou para as redes, marcando o segundo da França. A partir do gol, o Brasil sentiu a passou a não conseguir criar mais chances. A França, por sua vez, errava na tomada de decisão, principalmente devido ao cansaço. Aos 9', porém, Diani chegou e chutou forte para boa defesa de Bárbara. A partir dos minutos finais, as francesas empilharam chances desperdiçadas no ataque. Mas o gol foi suficiente para a classificação das Bleus.

Agora, a França aguarda o vencedor de Espanha e Estados Unidos, que duelam na segunda-feira, as 13h, em Reims. o Brasil começa o ciclo para a Olimpiada de 2020, ainda com a sina de não conseguir um titulo de primeira grandeza, como uma Copa ou Olimpiada, no futebol feminino.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações