sábado, 22 de junho de 2019

Em jogo que quase ninguém viu, a Venezuela garante classificação!

Por Lucas Paes

Machís marcou dois dos três gols da Venezuela na partida (Foto: Divulgação/CONMEBOL)

Nem o Estádio do Mineirão, com pouco público, apenas 11 mil pessoas e quatro mil pagantes, nem boa parte do Brasil tinham lá grande interesse no duelo que rolava no Mineirão, enquanto o Brasil trucidava e destruia de todas as formas possíveis o Peru. Mas o duelo entre Bolívia e Venezuela definiu o segundo colocado do Grupo A da Copa América e a Viñotinto, em plena evolução em anos recentes, segue seu caminho ascendente e se classificou com boa vitória para cima da Bolívia, por 3 a 1. Agora é aguardar a definição dos confrontos.

O Brasil nem sequer começava a aquecer as turbinas direito quando Darwin Machís impôs a lei da evolução para os bolivianos e deixou a Venezuela na frente no Mineirão. Num time que tem como grande destaque o consagrado Rondón, Machís veio quietinho do Cádiz e abriu a caminhada da classificação venezuelana. A Viñotinto ainda teve mais uma chance, antes de Arano acertar um chutaço na trave e quase empatar para a Bolívia. O jogo era movimentado no Mineirão, mas os gols não saiam.

No primeiro tempo, na verdade, quem ficou mais perto do gol depois da abertura do placar logo no começo foi a Bolívia, que acertou outra bola na trave com quase 40', com Raul Castro. Já no apagar das luzes da etapa inicial, Savarino fez grande jogada e obrigou Lampe à fazer grande defesa para evitar o segundo gol venezuelano. A vantagem, por enquanto, era rubra.

Os bolivianos voltaram com tudo na etapa final. Arano, logo a dois minutos, obrigou Fariñez à grande defesa para evitar o empate. Mas quem marcou foi o abençoado Machís, que deu um corte seco no defensor boliviano e acertou o ângulo do goleiro Lampe, que ainda tocou na bola. A vantagem venezuelana, que já era boa, virava enorme diante de um adversário que teria de tentar de tudo para se classificar para a próxima fase, já que só a virada interessava.

Foram apenas quatro mil pagantes no Mineirão
(Foto: Divulgação)

A partir dos 18', uma sequência de troca honesta de "chances". Primeiro um chute de Moreno que Fariñez defende mal e causa uma confusão na área. Depois Rondón e Machís desperdiçam oportunidades para a Venezuela, com o artilheiro do duelo quase marcando de voleio. Enquanto o desespero boliviano aumentava, a Viñotinto só ia aproveitando os espaços e criando chances. Na melhor dela, aos 36', a cabeçada para o chão de Chancellor explodiu no travessão e saiu. 

Só que quando tudo parecia definido, aos 39', a Bolívia fez boa troca de passes na entrada da área e Justiniano concluiu para as redes, colocando fogo no finalzinho da partida. Fogo que foi devidamente apagado pouquíssmo tempo depois, quando Soteldo, destaque do Santos, fez grande jogada e cruzou para Josef Martinez cabecear para as redes e dar números finais ao duelo. A Venezuela, dona de grande campanha na primeira fase, estava classificada. A Bolívia, eliminada.

Agora a Viñotinto aguarda a definição de seu adversário. Ela pegará o segundo colocado do grupo B, no dia 28, no Estádio do Maracanã. A Bolívia termina sua participação na primeira fase, sem vencer nenhum jogo. Quem ainda aguarda a possível vaga é o Peru, dependendo das classificações dos terceiros colocados. 
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Instagram

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações