domingo, 9 de dezembro de 2018

Decidida a maior vergonha da história da Conmebol: River campeão!

Por Lucas Paes

Lucas Pratto fez o primeiro dos três gols do River no jogo: melhorou no intervalo
(foto: divulgação CA River Plate)

No que se refere a tamanho, o que deveria ser a maior final da história da competição de clubes da América do Sul virou uma vergonha colossal com a decisão sendo em Madri, na capital da terra do colonizador, o que fez até com que a competição perdesse o sentido de seu nome. O Santiago Bernabeu lotado pode até ser é bonito. E é! Mas, faltava alma! Porém, o jogo foi bom, neste domingo, e, de virada, por 3 a 1, o título é do River Plate, sobre o Boca Juniors, na Espanha. 

O jogo começou bem travado no Bernabeu de maioria Xeneizie, ao contrário da aberta decisão na Bombonera. Aos 9 minutos, Maidana causou calafrios em toda a nação millonaria quase marcando contra, logo depois, no escanteio, Perez quase marcou, mas parou em Armani. A primeira boa chance do River veio aos 19', em jogada ensaiada que terminou em chute para fora de Fernandez.

O Boca oferecia mais perigo e, em uma falta extremamente perigosa gerada por uma falta de juízo na saida de bola Millonaria, a sobra da falta quase gerou um gol de Nandez. Quando parecia que a metade inicial do clássico caminhava para 0 a 0, contra ataque espetacular, Nandez acha passe lindo para Benedetto, que desmonta Maidana e, abençoado como é, vai as redes. Vantagem azul e amarela.

A etapa final começa c boa jogada dos Millonarios e finalização perigosa de Fernandez. O time de Nunez voltou mais ligado. Apesar disso, o perigo oferecido pela equipe tricolor era menor, já que nem Pratto conseguia finalizar com perigo. Até que aos 21', em linda jogada coletiva, Fernandez tabelou e tocou para Pratto finalizar bem e marcar o gol de empate do River. A partir daí, até houve um ensaio de pressão, mas nada de maior aconteceu e tudo ficou para o louco inferno da prorrogação.

Os campeões da competição (foto: divulgação Conmebol)

O tempo extra já começa com a expulsão de Barrios, que muda o panorama do duelo. A partir daí, o domínio passou a ser Millonario. Foi só aos 11', porém, que Alvarez chutou uma bola perigosa, após passe de Martinez. A pontaria do River estava ruim. O segundo tempo da prorrogação teve uma ocupação do River no ataque, até que Quintero recebeu passe na entrada da área e acertou um chutaço para virar o jogo e praticamente definir o título.

O final foi tudo o que se poderia esperar num duelo deste quilate. Desespero do Boca, bola na trave. Por um triz. Goleiro, contra ataque, bola para Martinez, gol, título. Esta história ninguém esquecerá. O River é premiado por ser melhor time. A maior competição de clubes da América do Sul não sorri para os bonzinhos, apesar de não haver bonzinho no superclassico. Apesar de tudo o que aconteceu, o River Plate mereceu. Agora o time é quatro vezes campeão na América do Sul e vai disputar o Mundial Interclubes. Só uma pena que as decisões tomadas pela Conmebol fizeram com que o verdadeiro nome do torneio perdesse totalmente o sentido e, por isto, decidimos não usá-lo.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Instagram

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações