quinta-feira, 19 de julho de 2018

Rio Grande - O campeão gaúcho de 1936

Com informações do site oficial do Sport Club Rio Grande

O jogo decisivo contra o Inter, que deu o título ao Sport Club Rio Grande

No dia 19 de julho, comemora-se o Dia do Futebol Brasileiro. Tudo isto é porque nesta data, em 1900, era inaugurado o Sport Club Rio Grande, o primeiro clube dedicado ao futebol. Entre tantas glórias da equipe em 118 anos de história, a maior delas é a conquista do Campeonato Gaúcho de 1936, batendo o Internacional na decisão.

Após sagrar-se Campeão Citadino de 1936, por antecipação, o Veterano Rio Grande habilitou-se a seguir em frente, para a disputa dos confrontos da Região Litoral do mesmo ano. Primeiramente abatendo o Vitoriense de Santa Vitória do Palmar. Em 29 de Novembro de 1936, em solo riograndino, no campo do Grêmio Atlético Militar General Osório, o Sport Club Rio Grande enfrentou o forte conjunto do Grêmio Atlético 9º R. I., antiga nomenclatura do Grêmio Atlético Farroupilha de Pelotas, na época tratava-se do atual detentor do título de Campeão estadual de 1935, por resolução da Federação Rio-Grandense de Desporto, em disputa da série interior do Certame Gaúcho de 1936.

O Rio Grande venceu pela contagem de dois a um, com o seguinte Quadro: Munheca, Fruto e Cazuza, Juvêncio, Chinês e Sanguinha, Ernestinho, Carruíra, Souza, Marzol (depois Donato) e Pesce. Na segunda partida, realizada em Pelotas, no dia 6 de Dezembro de 1936, em nova vitória sagrou-se triunfante da Região Litoral.

O Campeonato Gaúcho de Futebol de 1936, foi a 16ª edição da competição no Estado do Rio Grande do Sul. A fórmula era a mesma dos anos anteriores. Os campeões das Regiões jogariam entre si para definir o título. Apesar de ser o campeonato de 1936, a competição prolongou-se ao ano seguinte. Em 14 de Janeiro de 1937, o quadro do Veterano Rio Grande obteve triunfo contra o Novo Hamburgo (da cidade de mesmo nome), pelo placar de cinco a dois, gols de Ernestinho (2x), Marzol e Garingi (2x).

O time da decisão (foto: Relíquias do Futebol)

O Quadro tricolor Veterano: Munheca, Fruto e Cazuza, Juvêncio, Chinês e Sanguinha, Ernestinho, Carruíra (Caringi), Souza, Marzol e Pesce. Classificando-se para a disputa do Certame em uma série de três confrontos (caso necessário desempate) ou em melhor de dois confrontos, contra o Campeão Porto-Alegrense, o Sport Club Internacional.

No primeiro embate da final, contra Internacional, no dia 17 de Janeiro de 1937, Estádio da Timbaúva, em Porto Alegre, o Sport Club Rio Grande venceu por três a dois, com gols de Souza, Ernestinho e Pecce, pelo quadro da capital, Salvador e Sílvio marcaram. O Rio Grande jogou com Munheco, Fruto, Cazuza, Juvêncio, Chinês, Roberto, Ernestinho, Darinho, Souza (depois Carruíra), Marzol e Pecce. O treinador foi Gustavo Kraemer Filho.

No duelo final, no dia 21 de Janeiro de 1937, Estádio da Timbaúva, em Porto Alegre, o Sport Club Rio Grande venceu novamente o Sport Club Internacional, pelo placar de dois a zero, sagrando-se Campeão estadual de 1936. Os gols do Veterano Rio Grande foram assinalados por Souza e Pecce. A Comissão técnica era composta por: Presidente, Dr. Oswaldo Miller Barlem, Secretário-tesoureiro, Oscar Lema Garcia e o Técnico Gustavo Kramer Filho.

O elenco campeão em 1936 (foto: arquivo SC Rio Grande)

O Sport Club Rio Grande jogou na grande decisão com Munheco no gol, Fruto, Cazuza, Juvêncio, Chinês, Sanguinha (depois Roberto), Ernestinho, Carruíra (depois Caringi), Souza, Marzol e Pecce. Treinador: Gustavo Kraemer Filho.

A volta triunfal do quadro Veterano, se deu por vapor, desembarcando a caravana, festivamente, no caís do Porto Velho, na altura da Benjamin Constant. Foi um verdadeiro Carnaval. Os bondes abertos, estavam apinhados de gente de todos os bairros da cidade. As Bandas de música, os foguetes e o entusiasmo popular pela vitória do Pavilhão tricolor transformaram a homenagem em uma Festa monumental, inesquecível, para os que a viveram. Os jogadores desfilaram pelo Centro, pela Rua Marechal Floriano, em carros conversíveis, embaraçando-se com as serpentinas e confetes. Das cinzas do pavilhão incendiado a apenas dois anos, um novo Clube estava ressurgindo.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Instagram

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações