sexta-feira, 13 de julho de 2018

Os gols de Ronaldo em Copas

Por Lucas Paes 

Ronaldo marcou 15 gols em três Copas, já que em 1994 ele não jogou

Ronaldo Fenômeno é um dos maiores nomes da história do futebol. Atacante de qualidade absurda, talvez fosse o maior jogador de todos os tempos caso não sofresse com lesões. Apesar de todos os problemas físicos, o Fenômeno ainda esteve em quatro Copas do Mundo com a Seleção Brasileira, apesar de jogar em apenas três delas. Nesse período, obteve o titulo de maior artilheiro da história da competição, que acabou sendo mais tarde batido por Klose, justamente na vexatória goleada alemã sobre o Brasil por 7 a 1 no Mineirão. 

Estando apenas no elenco na Copa de 1994, nos Estados Unidos, em 1998, na França, o Fenômeno chegou como destaque do time, que tinha sofrido o enorme baque do corte de Romário às vésperas do Mundial. O Brasil estteou vencendo a Escócia em Saint Denis, por 2 a 1, mas o Fenômeno não marcou. Mas no segundo jogo, em Nantes, num distante 16 de Junho de 1998, ele marcou logo aos 9 minutos diante do Marrocos, em um belo chute da entrada da área. 

Doze dias depois, foi a vez de Paris testemunhar a arte goleadora do Fenômeno. No duelo contra o Chile, pelas oitavas de final, Ronaldo marcou duas vezes, primeiro de pênalti e depois num rápido contra-ataque que o Fenômeno finalizou com imensa categoria. O último gol fenomenal naquela competição veio na difícil semifinal diante dos holandeses, no dia 7 de Julho, em Marseille. O gol de biquinho abriu o placar para os Canarinhos, que acabaram levando o empate depois, mas venceram nos pênaltis.

Em 1994, estava no elenco, mas não entrou em campo

A história depois já é conhecida: convulsão, derrota vexatória para a França, lesões, dúvidas. A carreira de Ronaldo era dada como finalizada, porém como uma verdadeira fênix, honrando o apelido que tem, o jogador foi decisivo como poucos em 2002, no Japão e na Coréia do Sul. Já na estreia, diante dos Turcos, em Uilsan, no dia 3 de junho daquele ano, ele fez o gol de empate do Brasil no complicadíssimo jogo diante de um bravíssimo time turco. Completando cruzamento da esquerda e se esticando inteiro para marcar. 

Seis dias depois, em Jeju, na Coréia do Sul, ele marcou o último gol da goleada diante do fraquíssimo time da China. O gol do camisa 9 brasileiro foi marcado sem goleiro, após um passe para a área, no que foi provavelmente o gol mais fácil dele naquele Mundial. Contra a Costa Rica, no último jogo, ele marcou duas vezes, uma completando de carrinho um cruzamento de Júnior e a outra após bonita gingada em uma bola vinda de escanteio. O Brasil venceu por 5 a 2. 

Nas oitvas de final, em Kobe no Japão, o jogo contra a Bélgica foi complicadíssimo. Os Red Devils tiveram um gol de Wilmots anulado e viram Rivaldo abrir o placar com um golaço. Já no finazinho do jogo, Ronaldo recebeu o cruzamento rasteiro de Kléberson, que puxou ataque em velocidade e contou com a sorte, após chutar de primeira, para pregar de vez o caixão belga. Nas quartas, no complicado jogo contra a Inglaterra, o Fenômeno passou em branco e viu Rivaldo e Ronaldinho decidirem.

Foram quatro gols em 1998

Na semifinal, ocorrida no dia 26 de Junho, em Saitama, no Japão, mais uma vez o jogo contra a Turquia foi complicadíssimo. No começo do segundo tempo, Ronaldo chutou meio de bico meio de trivela e marcou o gol que tirou o nervosismo do Brasil. No fim das contas, a vaga na final, diante dos alemães, veio devido a esse gol do Fenômeno, que teria um 30 de Junho histórico, em Yokohama.

Pois aquela final é, provavelmente, a maior partida da vida de Ronaldo. O Brasil tinha um time claramente superior, mas sofria mais que a encomenda diante da Alemanha. Já no segundo tempo, o primeiro gol do Penta veio depois de um falha feia de Oliver Kahn, que espalmou o chute ruim de Rivaldo no pé do Fenômeno, que foi as redes e correu pro abraço. O segundo, em maravilhoso corta luz de Rivaldo e chute certeiro de Ronaldo serviu para marcar a redenção. Ronaldo estava na história, lugar que jamais lhe seria retirado. A artilharia, com 8 gols, é um número recorde em tempos recentes, mas pode ser batido por Kane, esse ano. 

A Seleção Brasileira de 2006 chegou a Alemanha com imenso favoritismo, marcada pelo futebol arte, mas acabou decepcionando. Porém, Ronaldo ainda teve tempo de deixar sua marca algumas vezes na terra dos Kaisers. Diante do Japão, em Dortmund, no dia 22 de Junho, na melhor partida brasuca naquele torneio, Ronaldo marcou o primeiro gol do Brasil, de cabeça. Já no finalzinho do mesmo jogo, em uma rápida jogada, o Fenômeno recebeu, girou e acertou o cantinho, marcando o último gol da vitória por 4 a 1.

Contra Gana, o último gol de Ronaldo em Copas

O último gol de Ronaldo em Copas foi uma marca registrada do titã brasileiro do futebol. De novo, o Westfalenstadion, mais uma vez, viu o passe espetacular de Kaká, para Ronaldo dar a sua famosa finta para um lado e drible para o outro em cima do goleiro ganês e marcar o último gol dele em Copas. O Brasil venceu por 3 a 0 e deixou impressão boa, antes de desabar diante da França de Zidane e Henry. 

Em artilharias mundiais, nenhum jogador fazia mais de 6 gols desde que o polonês Lato fez 7 em 1974. Ronaldo foi o único dos artilheiros, desde então, a marcar mais de 6 vezes. Tal feito pode ser repetido por Kane, caso o artilheiro inglês marque diante da Bélgica, na decisão do terceiro lugar. Mas o fato segue: Só houve um Ronaldo Fenômeno.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações