terça-feira, 15 de maio de 2018

TJD-SP exclui AD Guarujá da Segundona Paulista pelos três WOs

Por Victor de Andrade

Nos jogos fora de casa, a equipe fez três jogos e marcou dois pontos
(foto: Fabio Gianelli/Soccer Digital)

O Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP), em sessão de julgamentos realizada na noite da última segunda-feira, dia 14, decidiu, por unanimidade, excluir a Associação Desportiva Guarujá da disputa do Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 2018. O Tubarão da Ilha levou três WOs na competição, devido à interdição, via Ministério Público Municipal, do Estádio Antônio Fernandes. A diretoria do clube afirma que vai recorrer da decisão.

A equipe guarujaense foi indiciada esportivamente no Artigo 203 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que trata exatamente de uma agremiação deixar de disputar uma partida. O mesmo artigo em seu parágrafo terceiro, fala que "em caso de reincidência específica, a entidade de prática desportiva será excluída do campeonato, torneio ou equivalente em disputa".

No julgamento, o clube apresentou a liberação do Estádio Antônio Fernandes por parte da Prefeitura de Guarujá, através dos laudos, e um documento da Portuguesa Santista liberando por empréstimo o estádio Ulrico Mursa, mas o TJD-SP eliminou, por três votos a zero, a ADG do torneio.

Jogadores chegaram a protestar em frente ao estádio
(foto: Leonardo Zanotti/TV Tribuna)

Em seis rodadas, a AD Guarujá conseguiu disputar três jogos, sendo empates contra o Mauaense, na estreia (2 a 2), e Jabaquara (1 a 1), além de uma derrota para o Itararé, por 1 a 0, no último domingo, dia 13. Porém, todos estes embates foram disputados fora de seus domínios. As suas três partidas marcadas para o Estádio Antônio Fernandes, em Guarujá, contra Barcelona Capela, Mauá FC e Primavera de Indaiatuba, não foram realizadas, devido à interdição do local da partida, e o Tubarão da Ilha acabou derrotado por WO, o que ocasionou o julgamento desta segunda-feira.

Entenda o caso - A AD Guarujá, depois de três temporadas sem disputar campeonatos profissionalmente, conseguiu inscrever a equipe para o Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 2018. No ato da oficialização, o clube apresentou todos os laudos de liberação do Estádio Antônio Fernandes, conseguidos pela Prefeitura local.

Porém, o estádio está interditado judicialmente, via Ministério Público Municipal, a cerca de um ano. O MP alega que o local apresenta problemas com acessibilidade e falta de pára-raio. A Prefeitura afirma que fez a adequação para atender as exigências, mas a interdição não foi revogada, atrapalhando os planos do clube.

Estádio foi reformado e a Bósnia treinou no local durante a Copa

A AD Guarujá ainda tentou transferir os seus jogos para o Estádio Ulrico Mursa, em Santos, mas a Federação Paulista de Futebol não aceitou, se prendendo ao fato de que na Segunda Divisão Paulista as equipes devem mandar suas partidas apenas em sua cidade sede, ao contrário das outras competições realizadas pela entidade.

O Estádio - De propriedade da Prefeitura de Guarujá, o Estádio Municipal Antônio Fernandes era utilizado pela AD Guarujá desde a década de 90. Em 2009, foi uma das sedes da primeira Copa Libertadores Feminina. Em 2013, ele foi reformado, por cerca de R$ 15 milhões com verbas públicas do PAC, para servir de campo de treinamento para a seleção da Bósnia na Copa do Mundo de 2014, o estádio Antônio Fernandes causou três derrotas por W.O. ao Tubarão.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações