quinta-feira, 26 de abril de 2018

Javier Castrilli e a polêmica semifinal do Paulista de 98

Por Victor de Andrade

Javier Castrilli e os atletas da Lusa o cercando: arbitragem polêmica do argentino

Os Campeonatos Paulista dos anos 90 eram realizados com muita pompa. Trazendo diversas ações diferentes, promovidas pelo então presidente da entidade, Eduardo José Farah, uma delas era ter árbitros estrangeiros nos jogos importantes, já que as críticas aos apitadores do país já eram grandes na época. Porém, na semifinal do torneio de 1998, entre Corinthians e Portuguesa, o argentino Javier Castrilli, em uma péssima atuação, cometeu erros que influenciaram diretamente no resultado.

Aquele Paulistão de 1998 foi o primeiro em que os quatro grandes, Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo, entravam apenas na segunda fase, já que disputavam o Torneio Rio-São Paulo. Com isto, a Portuguesa e o Guarani, então quinta e sexta forças do estado, mesmo jogando a Série A do Brasileiro, tinham que disputarem uma fase inicial com mais 10 clubes, onde oito se classificava e quatro jogariam um "Torneio da Morte", onde se apontaria o time rebaixado.

A Lusa não começou bem na competição e na última rodada da primeira fase precisava de um empate para não ter que ir lutar contra o rebaixamento contra a Portuguesa Santista, em Ulrico Mursa. Em um jogo maluco, onde teve até denúncia de compra do goleiro da Briosa, Nasser, a Portuguesa de Desportos abriu 4 a 0, deixou o time da Baixada igualar o marcador, mas escapou do "Torneio da Morte"(conheça mais esta história aqui).

Na segunda fase, já com os quatro grandes, a Lusa, que tinha um time interessante, com nomes como o do zagueiro César e do atacante Evair, se recuperou, desbancou o Santos e conquistou uma vaga na semifinal, onde encararia o Corinthians. Do outro lado, Palmeiras e São Paulo disputavam a outra vaga na decisão. No primeiro jogo entre Lusa e Timão, empate: 1 a 1.

Então, no dia 26 de abril de 1998, os times de Corinthians e Portuguesa entravam no gramado do Morumbi, que estava lotado, para ver quem enfrentaria o São Paulo, que havia se classificado no dia anterior, na decisão. Mal sabiam que as decisões daquele jogo teria muita influência do argentino Javier Castrilli, o homem do apito naquele dia.

Castrilli expulsando os jogadores da Portuguesa

Precisando da vitória, já que o empate era do Timão, a Lusa foi para cima e Ailton, aos 21 minutos, abriu o placar para a equipe Rubro Verde. O Corinthians, dirigido por Vanderlei Luxemburgo, tinha um grande time, era o início da montagem da equipe que dominaria o futebol brasileiro nos próximos dois anos. Porém, para empatar a partida, contou com uma decisão polêmica do árbitro. Aos 10' da segunda etapa, ele marcou um pênalti de Evair em em Cris, em uma jogada de escanteio. Sob muitos protestos dos jogadores da Portuguesa, Marcelinho Carioca cobrou e fez: 1 a 1.

Após o gol, o time Rubro Verde partiu para cima, em busca do segundo gol. Aliás, a Lusa estava fazendo um grande jogo e em alguns momentos era superior ao Corinthians, que também atacava com perigo. Mas, aos 33', Da Silva, em posição irregular, colocou a Portuguesa de volta na liderança do marcador e, até aquele momento, se classificando para a final.

Mas aí veio o lance derradeiro. Aos 44 minutos, o zagueiro Cesar dominou a bola claramente com o peito, dentro da área. Porém, o árbitro Javier Castrilli apontou para a marca do pênalti. A revolta foi enorme! Os jogadores da Lusa foram para cima do argentino, que acabou expulsando Carlinhos e Alex. Nas arquibancadas, enquanto os corintianos comemoravam, os lusitanos reclamavam.

Entretanto, depois de cinco minutos de confusão, o colombiano Rincón, talvez o mais calmo entre os atletas que estavam em campo, foi para a cobrança e empatou a partida, colocando o Corinthians na final. Após o jogo, a imprensa tentava falar com o árbitro argentino, já que as imagens mostravam claramente a bola no peito do jogador da Lusa. César, que também foi expulso, saiu de campo aos prantos.

Javier Castrilli não falou com ninguém, voltou logo para a Argentina e, depois da Copa do Mundo, realizada pouco tempo a frente, encerrou a carreira. Já na decisão, o Corinthians venceu o primeiro jogo por 2 a 1. Mas na segunda partida, Denilson e Raí, que acabara de voltar do Paris Saint Germain, deram show, o São Paulo bateu o Timão por 3 a 1 e conquistou a taça.

Confira os momentos da partida

Ficha Técnica
CORINTHIANS 2 X 2 PORTUGUESA

Data: 26 de abril de 2018
Local: Morumbi - São Paulo-SP
Árbitro: Javir Castrilli

Gols
Corinthians: Marcelinho Carioca, aos 10', e Rincón, aos 49' do segundo tempo (ambos de pênalti)
Portuguesa: Ailton, aos 21' do primeiro tempo, e Da Silva, aos 33' do segundo tempo

Corinthians: Nei; Rodrigo, Cris, Gamarra e Silvinho; Romeu (Didi), Vampeta, Rincón e Souza (Marcelinho Paulista); Marcelinho Carioca e Mirandinha (Fernando Diniz) - Técnico: Wanderley Luxemburgo 

Portuguesa: Fabiano; Walmir (Alexandre Chagas), César, Marcelo e Augusto; Alex, Carlinhos, Alexandre (Da Silva) e Evandro; Evair e Aílton (Leandro Amaral) - Técnico: Candinho
←  Anterior Proxima  → Inicio

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Instagram

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações