quarta-feira, 18 de abril de 2018

Canadenses e suas participações conturbadas na Liga dos Campeões da Concacaf

Por Diego Dantas

Apesar de ter perdido para o Chivas Guadalajara no primeiro jogo, Toronto FC já fez história
(foto: Chris Young / The Canadian Press)

Durante esta semana, o lado norte do continente americano vive um grande momento de decisão: Toronto FC e Chivas Guadalajara começaram a decidir quem será o grande campeão da Concacaf em 2018. O vencedor será o representante da entidade na Copa do Mundo de Clubes da FIFA, nos Emirados Árabes Unidos em dezembro. Apesar de o time mexicano ter vencido a primeira, em território canadense, só o fato de o Toronto FC ter chegado à final já foi um grande feito para o futebol do país mais ao norte do continente.

Apesar de hoje ser um torneio razoavelmente organizado - razoavelmente na opinião de quem vos escreve, pois a cada ano o campeonato muda seu regulamento -, já houve o tempo em que a atual "Concachampions" via seus participantes serem eliminados da competição sem sequer disputar uma partida! Uma vez que equipes desistiam do torneio antes de sua estreia ou até mesmo abandonavam as partidas durante sua decorrência. Sob o antigo nome, o Canadá enviou equipes apenas em três edições: em 1975 com o Serbian White Eagles, 1976 com Toronto Italia e Serbian White Eagles pela segunda vez e em 1992 com o Vancouver 86ers, o atual Vancouver Whitecaps.

1975: estreia em torneios continentais - A edição de 1975 contou pela primeira vez com uma equipe canadense na então chamada Copa dos Campeões. O Serbian White Eagles - como nome indica, clube formado em sua maioria por atletas de origem sérvia - garantiu presença no torneio ao ser campeão da temporada regular da National Soccer League do ano anterior e na fase da Zona Norte-Americana, seu primeiro e único desafio foi diante dos mexicanos do Monterrey. Na partida de ida, revés por 2-0 para a equipe local enquanto na volta em pleno solo canadense, as equipes seguiam empatando por 1-1 quando torcedores locais começaram a invadir o gramado do estádio, alguns até com cadeiras do estádio em mãos (!), causando uma confusão generalizada, forçando o fim de jogo antes dos 90 minutos completos. Em consequência disso, o clube canadense além de ser eliminado da competição, ainda sofreu uma suspensão por parte da antiga National Soccer League, ficando de fora do restante da temporada. Nesta edição, o Atlético Español do México se sagrou campeão.

Jornal da época divulgando a suspensão do Serbian White Eagles
(foto: Reprodução/The Evening Independent)

1976: até hoje, a única dupla participação - Em 1976, - ano em que Montréal sediou os Jogos Olímpicos de Verão - tivemos um fato único envolvendo equipes canadenses e competições internacionais: esta foi a única edição onde o país enviou duas equipes. Se nos formato atual, que é disputado desde 2008 o Canadá envia apenas o campeão da Voyageurs Cup, no longíquio 1976 Toronto Italia e Serbian White Eagles - de volta após cumprida a suspensão - foram os representantes canadenses naquele torneio. Na primeira fase, dois triunfos canadenses: o Toronto Italia não tomou conhecimento do New York Inter-Giuliana e venceu ambos confrontos por 3-2 e 2-1, respectivamente. Na segunda fase, confronto direto entre canadenses e mexicanos. Enquanto o Toronto Italia se classificou para enfrentar o Toluca, Serbian White Eagles teria pela frente o Club León, porém nenhum dos confrontos aconteceram!

Uma vez que o Serbian White Eagles desistiu da competição antes mesmo da estreia, o Toluca solicitou a CONCACAF que seus jogos fossem remarcados dos dias 16 de julho e 31 de agosto para 5 e 8 de setembro. Pedido que não foi acatado e os mexicanos também estariam eliminados do campeonato, restando apenas León e Toronto Italia, para decidir qual seria o representante norte-americano na fase final do torneio e acreditem, este confronto também não aconteceu por desistência do Toronto Itália e o León chegou a fase decisiva do campeonato sem ao menos entrar em campo e foi eliminado diante do Águila de El Salvador após advinhem só: abandonarem a partida de volta antes do fim por uma briga entre jogadores (!). O Águila que estava perdendo por 2-1 - a partida de ida terminou em empate por 1-1 -, acabou sendo declarado vencedor por 2-0, garantiu vaga para a final e foi campeão daquela edição ao bater o edição ao superar o SV Robinhood do Suriname por 5-1 e 3-2, resultando num sonoro 8-3 no placar agregado. Acreditem se quiser, mas devido a pouca organização e divulgação do torneio, o interesse dos clubes pela antiga Copa dos Campeões da CONCACAF era praticamente nulo.

1992: a vez de Vancouver - Dezesseis anos depois, a Copa dos Campeões voltou a contar com uma equipe do Canadá entre seus participantes: desta vez, o Vancouver 86ers - atual Vancouver Whitecaps - chegava ao torneio após se sagrar campeão da extinta Canadian Soccer League em 1991, o primeiro campeonato legitimamente profissional do Canadá. O time contava com alguns nomes frequentes da seleção canadense à epoca: Domenic Mobilio - maior artilheiro do clube até hoje com 167 gols -, Geoff Aunger, Paul Dolan - goleiro canadense reserva na Copa de 1986 - e Dale Mitchell. O adversário da vez foi o Hamilton International, de Bermudas. Na teoria, um time menos perigoso tecnicamente, porém mais uma desistência por parte dos canadenses permitiu com que, desta vez, a equipe do arquipélago caribenho seguisse adiante na competição, na qual o gigante Club America do México bateu a Alajuelense, da Costa Rica, em partida única por 1-0, gol do lendário Hugo Sánchez.

O Vancouver 86ers da temporada 1992
(foto: Reprodução/Divulgação)

Depois de 1992, o Canadá não enviou mais nenhuma equipe para as edições seguintes até a temporada 2008-09, onde o campeonato, enfim, adotou o nome de "Liga dos Campeões da Concacaf", ou "Concachampions", como é chamada popularmente. De lá pra cá, o Canadá sempre envia o campeão da Voyageurs Cup - campeonato envolvendo equipes profissionais e semiprofissionais do país - e quase chegaram à grande glória de se sagrar campeões continentais entre clubes. Em 2015, O Impact de Montréal, após deixar pelo caminho equipes como New York Red Bulls e Pachuca, sucumbiu diante do América do México, após um empate em 1-1 em pleno Estádio Azteca. Entretanto, decepcionou a sua torcida em um Estádio Olímpico de Montréal com mais de 60 mil fãs esperando mais um triunfo do time da provícia do Québec, mas após virar o intervalo ganhando por 1-0, os mexicanos se sagraram campeões com direito a hat-trick de Dario Benedetto, garantindo mais um caneco continental para os Águilas.

Agora, o Toronto FC tem a vez de espantar esse fantasma que ainda, nos dias atuais, persegue as equipes canadenses em competições continentais e vem com moral, pois se sagrou campeão da Major League Soccer em 2017 e já deixou pelo caminho dois mexicanos: o Tigres UANL, do francês André-Pierre Giganac, e o Club América, maior campeão do torneio, considerando as edições passadas à Liga dos Campeões. Essa história começou a ser escrita a noite de terça-feira, quando o Chivas Guadalajara venceu por 2 a 1 no Canadá. O segundo jogo está marcado para o dia 25 de abril, no Estádio Akron.

Colaboralaram Daniel Keppler e William Cavalcanti
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Instagram

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações