quinta-feira, 8 de março de 2018

Torneio de Maceió de 1994 - Nenhum gol marcado e Flu campeão por ser visitante

Por Victor de Andrade

Fluminense de 1994 - Campeão de um torneio onde não teve gol

Uma competição com um regulamento esdrúxulo, onde o campeão saiu por um quesito mais estranho ainda. Este foi o Torneio de Maceió, realizado em junho de 1994, onde nenhum gol foi marcado nos três 'jogos' realizados no certame e o Fluminense acabou sendo declarado campeão por ser o visitante da 'festa'.

Logo de cara, você deve estar se perguntando o porque das aspetas na palavra jogos acima, mas há explicação para ela: nos anos 90, era comum as equipes fazerem a inter-temporada no meio do ano, já que o estaduais eram mais longos e os campeonatos nacionais mais curtos. Entre junho e julho, havia uma parada razoável entre as competições, ainda mais em ano de Copa do Mundo (o caso de 1994) e os clubes faziam excursões por outros estados fora de sua sede ou até internacionais.

Mas agora vem um dos cúmulos: o Fluminense só ia ter uma data em Maceió, mais exatamente o dia 15 de junho de 1994 e, ao invés de se marcar um amistoso contra apenas  CSA ou CRB, um combinado das duas equipes ou até uma Seleção Alagoana, fizeram uma "politicagem" e montaram um torneio onde as partidas teriam duração de apenas 45 minutos, equivalente a um tempo do jogo normal, e assim o dois maiores times do futebol alagoano poderiam encarar os cariocas.

Na excursão, e também no torneio, o técnico do Fluminense, Pinheiro, levou os goleiros Ricardo Cruz e Wellerson, além dos jogadores de linha Adalberto, Rau, Márcio Costa, Alex, Jandir, Luiz Antonio, Luiz Henrique, Julio César, Márcio, Humberto, Ézio, Cláudio, Leonardo e Rogerinho. Eram os principais nomes do clube naquele momento, inclusive Luiz Henrique, que estava cotado para ir à Copa do Mundo e ficou de fora da lista final de Carlos Alberto Parreira.

Os primeiros 45 minutos do Fluminense no torneio, que foi realizado no Estádio Rei Pelé, foram contra o CRB. Apesar do jogo movimentado, a rede não foi balançada e o placar foi de 0 a 0. Em seguida, o Tricolor fez mais 45 minutos, desta vez contra o CSA, e a bola continuou teimando em não entrar: 0 a 0. Depois, mais 45 minutos, agora com o Clássico Alagoano, e mais um 0 a 0. Em resumo: 135 minutos de futebol e a rede não foi balançada!

Com três empates e nenhuma vantagem em gols marcados, a organização do torneio se reuniu e decidiu declarar o Fluminense campeão, simplesmente por ser a equipe visitante da competição. É isto mesmo! Você não leu errado! E assim, com uma decisão bem típica do futebol brasileiro dos anos 90, o Tricolor comemorou um título de um certame que não teve um mísero golzinho.
←  Anterior Proxima  → Inicio

2 comentários:

  1. Dar a taça ao time visitante é uma tradição antiga no futebol brasileiro: aconteceu por exemplo em 1983 na taça disputada entre os campeões do Rio-SP no Maracanã, entre Fluminense e Corinthians, quando o Corinthians ficou com a taça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre, dar taça ao visitante é tradição quando isto está determinado antes da partida e quando o torneio é realizado em um amistoso, entre a equipe da casa e a visitante. Porém, no caso de triangular, não é comum!

      Excluir

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Instagram

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações