terça-feira, 27 de março de 2018

La Bombonera 1969: o terror peruano da Seleção Argentina

Por Alexia Faria

A Argentina não conseguiu vencer em La Bombonera e ficou de fora da Copa do Mundo de 1970

É raro, mas vira e mexe, alguma seleção tradicional não consegue ir bem nas Eliminatórias e fica de fora da Copa do Mundo. Na edição deste ano, na Rússia, não teremos Itália e Holanda, que sucumbiram contra seus rivais europeus. Aqui, porém, vamos contar um caso de um selecionado traducional, que ficou de fora da Copa do Mundo de 1970: a Argentina, que perdeu a vaga jogando contra o Peru em plena pressão do La Bombonera.

Vale ressaltar que anos antes,  Associação de Futebol da Argentina (AFA) sofreu algumas intervenções que envolviam mudanças em sua presidência, e no comando da Seleção. Humberto Maschio, ídolo no país, assumiu a AFA ainda no meio de 1960. O ex-jogador não tinha experiências como técnico e, por esse motivo, montou uma equipe sem os craques argentinos dos últimos anos. Com o problema político presente no país, aconteceu outra intervenção e Adolfo Pedernera assumiu o comando. Como era véspera das eliminatórias, o novo treinador preferiu não mudar a equipe.

Com esses problemas políticos, a Argentina sofreu nos seus confrontos. Ganhando apenas da equipe da Bolívia por 1 a 0, a Albiceleste tinha que vencer na última rodada das Eliminatórias para chegar ao Mundial. Porém, o adversário era a equipe comandada pelo brasileiro bicampeão mundial, em 1958 e 1962, Valdir Pereira, o Didi: a Seleção Peruana, então líder da chave e que precisava apenas do empate para voltar a disputar um Mundial, o que não acontecia desde a primeira edição, em 1930.

O local escolhido para a partida, realizada em 31 de agosto de 1969, foi “La Bombonera”, a casa do Boca Juniors, que é conhecida por ser um verdadeiro alçapão, com a capacidade de quase 50 mil pessoas. A Argentina entrou em campo com Cejas, Gallo, Perfumo, Albrecht e Marzolini; Rulli, Brindisi, Pachamé e Marcos; Yazalde e Tarabini. Já o Peru, que tinha a missão de enfrentar uma Bombonera lotada, foi escalado com Rubiños, Campos, Latorre, Chumpitaz e Risco; Challe, Cruzado, Baylón e León; Cubillas e Ramírez.

Melhores momentos da partida que levou o Peru para o Mundial no México

A equipe do brasileiro Didi marcou logo nos primeiros minutos de jogo. Oswaldo Chacito Ramírez deixou sua equipe na frente do placar por um bom período. Ainda no primeiro tempo, a Argentina conseguiu seu gol de empate, num pênalti convertido por Albrecht, porém a noite era de Ramírez. 

O peruano marcou mais um, e fez os argentinos chorarem na própria casa. O jogo terminou em 2 a 2, Rendo marcou mais um para o time anfitrião, mas a história já tinha um “final feliz”. Naquele dia, o jogador que não era considerado craque, que não estava no mesmo nível dos outros “bons” jogadores, virou o herói do país. Ramírez ficou conhecido como “Verdugo de la Bombonera” (o carrasco da Bombonera), e trilhou os primeiros passos da Seleção RojiBlanca na Copa de 70.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Instagram

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações