terça-feira, 4 de abril de 2017

Chapecoense faz 2 a 1 e sai na frente na decisão da Recopa

Por Lucas Paes

Jogadores da Chape comemoram o gol (Foto: Reuters)

A Chapecoense começou bem a decisão da Recopa Sul-Americana. Jogando bem, os catarinenses venceram a primeira partida da decisão, jogando na Arena Condá, por 2 a 1, contra o Atlético Nacional da Colômbia. Reinaldo e Luiz Otávio marcaram para a Chape, enquanto Macnelly Torres diminuiu para os Verdalogas.

Antes do jogo, houveram homenagens para todas as vítimas do acidente aéreo com o time catarinense no ano passado. Em um momento bastante emocionante, o zagueiro Neto deixou um recado mais emocionado. “Não esperem um avião cair para dizer eu te amo para alguém, para pedir perdão, para dar um abraço”. 

A etapa inicial do jogo foi bem truncada, com ambas as equipes sofrendo para penetrar as defesas adversárias. O primeiro ataque da partida foi logo com um minuto, quando em cobrança de falta a favor dos catarinenses, Reinaldo cruzou, a bola atravessou a área perigosamente, mas parou nas mãos de Armani. Depois, a partida passou a ficar truncada, e ninguém conseguiu atacar com muito perigo nos 15 minutos seguintes. 


Pré jogo ficou marcado por homenagens (Foto: EFE)

O primeiro lance perigoso depois desse hiato veio com quase 17’, quando Reinaldo pegou uma bola que sobrou na entrada da área e chutou forte, obrigando o goleiro do Atlético Nacional a fazer uma boa defesa. A partir dai o jogo ficou maluco, pouco tempo depois, um erro de saída de bola do goleiro da Chapecoense quase rendeu a abertura do placar, mas o gol de Moreno foi bem anulado. 

Logo depois, João Pedro recebeu dentro da área e teve o chute interceptado pelo zagueiro verdaloga, só que a interceptação foi com a mão: pênalti, que Reinaldo cobrou para abrir o placar, aos 24’. Depois do gol, o Atlético tentou chegar na base dos cruzamentos, mas esbarrou na bem armada defesa da Chapecoense, enquanto o time catarinense tentou ensaiar alguma pressão. 

Os colombianos acabaram chegando com perigo só depois dos 35’, com um cruzamento que passou perigosamente pela área e, na sobra, Macnelly Torres chutou com muito perigo, a pelota raspou a trave. Foi o lance mais perigoso dos Verdalogas em toda a etapa inicial do jogo.

Rossi e Reinaldo comemoram o primeiro gol

A partida continuou travada. Nos minutos derradeiros do primeiro tempo, Rossi, que infernizou o lado esquerdo da defesa do Atlético Nacional, cruzou para a área e Túlio de Melo dividiu com Armani na pequena área, a bola foi para o gol, prensada entre o atacante da Chape e o goleiro argentino, mas o juiz marcou a falta.

No intervalo, Douglas Grolli, que sentiu contusão muscular, foi substituído por Luiz Otávio. O segundo tempo começou com o Nacional tentando adiantar as linhas, buscando pressionar a equipe brasileira. Com quase 8’, os colombianos chegaram pela primeira vez, mas o chute de Bernal foi longe do gol.

Já a Chape chegou logo depois, Apodi passou em velocidade pela ponta e cruzou rasteiro, antes que Túlio de Melo conseguisse completar para o gol, Bocanegra cortou para escanteio. Na sobra do córner, Reinaldo tentou de longe, mas o chute saiu completamente errado, sem oferecer perigo à meta colombiana.

O jogo foi bastante disputado (Foto: Getty)

Aos 13’, o Atlético Nacional chegou ao empate com um golaço: Macnelly Torres pegou a bola pelo lado esquerdo do ataque colombiano, cortou o defensor catarinense e acertou um chutaço, sem chances para Arthur Moraes. Naquele momento, tudo igual em Chapecó. 

O gol fez com o que o Atlético passasse a dominar a posse da bola. Sem, porém, conseguir oferecer maior perigo ao gol de Arthur, já que a defesa catarinense seguia bem postada. Foi só aos 24’ que o time colombiano ofereceu um pouco de sofrimento a torcida local, quando Bocanegra bateu uma falta perigosíssima por cima do gol.

Foi justamente quando o Atlético dominava o jogo, que a Chape chegou ao segundo gol: Arthur Caike arrumou um escanteio e Reinaldo cobrou na cabeça de Luiz Otávio, que não deu qualquer chances de defesa para Armani, marcando o segundo gol catarinense na partida. Depois disso, o jogo pegou fogo.

Luis Otávio comemora o segundo gol da Chape (Foto: Getty)

A vantagem animou os Condás, que partiram pra cima e quase chegaram ao terceiro apenas dois minutos depois: Rossi fez boa jogada pela ponta e cruzou pelo chão, a bola ia com direção a João Pedro, mas Armani interceptou o cruzamento antes que a Chape pudesse marcar mais um. Se a redonda passa, provavelmente seria o terceiro.

A resposta dos Verdalogas veio aos 34 minutos, depois de um bate-rebate na área da Chapecoense, a bola sobrou para Arias, que encheu o pé, só que ela subiu demais e foi parar na arquibancada. Apenas um minuto depois, Reinaldo arremessou um lateral na área e Welington Paulista cabeceou bem, porém nas mãos do goleiro.

Depois disso, o jogo deu uma acalmada, e foi só aos 40’ que algo mais interessante aconteceu: em mais uma jogada de velocidade pelo lado direito, os catarinenses chegaram e, após o cruzamento rasteiro para a área, ela sobrou para Arthur, que chutou mal, para fora. A resposta colombiana veio logo depois, com a bola rondando a área catarinense. Mas, mais uma vez, o time não conseguiu chegar com mais perigo, devido ao bom posicionamento da defesa brasileira.

Apodi disputa a bola com atacante do Nacional (Foto: AFP)

A partir dos 43, pressão total da Chape: primeiro Reinaldo quase marcou o terceiro, quando outra vez, Rossi causou um caos pelo lado direito e sofreu falta, sendo atropelado por Diaz. O autor do primeiro gol bateu direto e Armani tirou de soco. Logo depois, Arthur Caike avançou para dentro da área foi derrubado, mas o juiz nada marcou. Depois, outra falta pela ponta direita, outro cruzamento, mas a bola foi afastada pela defesa colombiana.

Com o final de jogo, a Chape confirmou a vitória em casa. Agora, os catarinenses estão a um empate do título. Para os Verdalogas, basta vencer por mais de um gol de diferença, já que qualquer vitória pela diferença mínima leva o jogo para a prorrogação. A segunda partida da decisão ocorre daqui a um mês, no dia 10 de maio, no Estádio Atanásio Girardot, em Medellin, na Colômbia. 

Detalhe do jogo: a torcida colombiana estava 
no meio dos catarinenses (Foto: Twitter do Atlético Nacional)

Ficha Técnica
CHAPECOENSE 2 x 1 ATLÉTICO NACIONAL

Data: 04 de Abril de 2017
Local: Arena Condá – Chapecó/SC
Público: 19.005 pagantes
Renda: R$ 547.330,00
Árbitro: Mario Diaz de Vivar (Paraguai)
Assistentes: Milciades Sadivar e Roberto Cañete (Paraguai)

Cartões Amarelos
Chapecoense: Apodi.
Atlético Nacional: Bocanegra, Arias e Henriquez.

Gols
Chapecoense: Reinaldo, de pênalti, aos 24 do primeiro tempo e Luiz Otávio, aos 28 do segundo tempo.
Atlético Nacional: Macnelly Torres, aos 13’ do segundo tempo.

Chapecoense: Arthur Moraes; Apodi, Grolli (Luiz Otávio), Nathan, Reinaldo; Andrei Girotto, Luiz Antônio (Moisés), João Pedro; Rossi, Túlio de Melo (Wellington Paulista) e Arthur Caike – Técnico: Wagner Mancini

Atlético Nacional: Armani; Bocanegra, Aguilar, Henriquez, Farid Diaz; Arías, Bernal (Mosqueda), Macnelly Torres; Moreno (Aldo Ramirez), Ibarguen (Rodriguez) e Ruiz – Técnico: Reinaldo Rueda
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações