De herói à carrasco - Jogo do quebra tabu colocou Lula na história do Corinthians

Por Lucas Tavares

Lula no banco, dirigindo a equipe corintiana. Responsável pelo tabu e pelo fim dele

Na próxima segunda-feira, dia 6, completam 49 anos da vitória histórica do Corinthians sobre o Santos no estádio do Pacaembu. O jogo foi marcante, pois a equipe alvinegra da Capital não ganhava do então time de Pelé havia 11 anos (22 partidas), e foi apelidado “jogo do quebra tabu”. Com gols de Paulo Borges e Flávio, o Timão bateu o Santos por 2 a 0, em partida válida pelo primeiro turno do Campeonato Paulista de 1968.

Entre diversos protagonistas do jogo, um que se estivesse vivo, completaria 95 anos exatamente ontem, dia 1º de março, o técnico do Corinthians Luiz Alonso Pérez, o Lula (1922-1972). Extremamente competente, conseguiu derrotar o então time do momento. Porém, lembramos que o mesmo comandante foi o que formou justamente o grande time do Santos, com Pelé e Cia., entre 1955 e 1966, no possivelmente maior time do Santos de todos os tempos.

Será que a experiência dirigindo a equipe santista tenha ajudado Lula a derrotar seu ex-time? Será que com suas dicas, o zagueiro Luís Carlos Galter anulou a principal arma do Santos, Pelé? Será que os gols feitos foram dicas do técnico, sobre falhas da equipe santista? Fato é que 10 anos de Vila Belmiro fizeram com que ele aprendesse os caminhos mais curtos até a pequena área do goleiro Cláudio.

O fim do tabu foi noticiado pela imprensa

De herói à carrasco, Lula virava destaque na quebra do tabu que ele mesmo ajudou a construir. Especula-se que Lula deixou o Santos após desentendimento com Pelé, boato não confirmado. Pouco valorizado na época, o fez subir a Serra e ir parar no Parque São Jorge. Não conseguiu títulos, mas entrou para a história do Timão após esse jogo.

Para quem pensa que foi moleza, se engana. A partida estava empatada até os 13 minutos do 2º tempo, até que então, com um belo chute pela esquerda, o atacante Paulo Borges abriu o placar no clássico. E aos 31 minutos, em uma rebatida da zaga, Flávio fecha a conta com um tiro firme para vencer o goleiro santista. Após isso, o time apenas esperou o árbitro argentino Roberto Goicochea encerrar o jogo para comemorar. A torcida invadiu o campo e os jogadores foram tratados como heróis, como se tivessem ganho um título, todos seguiam gritando “com Pelé e Edu, quebramos o tabu”.

Mesmo com a quebra do tabu contra o Peixe, o Timão ainda ficaria mais um tempo sem conquistar um título, que só viria no famoso Paulistão de 1977. Já o Santos... bem, mesmo perdendo aquele jogo para o Corinthians, o time conquistaria o estadual de 1968.

Flávio e Paulo Borges: os autores dos gols

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 2 X 0 SANTOS FC

Data: 6 de março de 1968
Local: Estádio do Pacaembu - São Paulo (SP)
Público: Não disponível
Renda: NCr$ 153.390,50
Árbitro: Roberto Goycochea (Argentina)

Gols
Corinthians: Paulo Borges, aos 13', e Flávio, aos 31'

Corinthians: Diogo; Osvaldo Cunha, Ditão, Luís Carlos (Clóvis) e Maciel; Édson Cegonha e Rivelino; Buião, Paulo Borges, Flávio e Eduardo - Técnico: Lula

Santos: Cláudio; Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Joel (Oberdã) e Rildo; Lima e Negreiros; Kaneko, Toninho, Pelé e Edu - Técnico: Antoninho.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores, trazendo novidades e curiosidades do Futebol. Fale conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Total de Visualizações