terça-feira, 15 de novembro de 2016

2002 - O Jabaquara é campeão!

Festa em 6 de outubro de 2002: o Jabaquara conquistava o título da B-3

Neste 15 de novembro de 2016, o Jabaquara Atlético Clube, agremiação que disputa as competições de futebol profissional da cidade de Santos-SP, completa 102 anos de fundação. Fundadora da Federação Paulista de Futebol (FPF), o Jabuca é um dos times mais tradicionais de todo o estado, tendo revelado grandes craques, como Gylmar dos Santos Neves.

O clube já conquistou dois títulos no futebol profissional: o Campeonato Paulista da Terceira Divisão, em 1993, e a Série B-3, em 2002. Como a primeira conquista citada já foi tema deste site (você pode conferir aqui), como um "presente" ao aniversário deste importantíssimo clube, vamos falar do título de 2002 do Leão da Caneleira.

Aquela temporada de 2002 seria a primeira em que o Jabaquara estaria com uma equipe profissional em campo, já que após a B-1A de 1999, o clube licenciou-se das competições da FPF. Para a volta à Série B-3, o Leão da Caneleira fechou um acordo com o Santos FC para a cessão de atletas do sub-20 para a disputa do campeonato, que tinha a regra que só jogadores com até 23 anos de idade poderia participar.

A camisa do time campeão

Neste acordo, desembarcaram no Estádio Espanha nomes como o atacante Tom, o bom zagueiro Silvio e o meia Jerri, que depois foi aproveitado pelo Santos FC e jogou também pelo Goiás. Em um número menor, o Jabaquara também tinha seus atletas no elenco, os com mais de 20 anos. O treinador também foi cedido pelo Peixe: Márcio Fernandes, que chegou a dirigir o time principal do Alvinegro depois e em 2015 foi campeão brasileiro da Série C pelo Vila Nova.

A B-3 de 2002 teve 20 clubes inscritos, sendo que o Vocem desistiu após o anúncio da tabela. O Jabaquara ficou no Grupo B, junto com o time B da Portuguesa de Desportos, Campinas, Águas de Lindoia, Serra Negra, Jacareí, Osasco FC, São Vicente, Paulistano de São Roque e Ginásio Pinhalense.

Antes de começar a competição, deu pra ver a qualidade do elenco. Em jogo-treino com o time principal do Santos FC (que seria o campeão brasileiro), o Leão da Caneleira empatou em 1 a 1. Isto acabou causando uma baixa no elenco Rubro Amarelo, já que o zagueiro Alex era um dos atletas que seriam cedidos, mas por causa da boa atuação, o técnico Emerson Leão acabou pedindo o jogador para o time principal do Peixe e ele acabou tornando-se o melhor zagueiro do Brasileirão.

Jerri e Jefferson (foto: Sergio Silveira / Arquivo)

Vamos à Série B-3! Logo na primeira rodada, o Leão da Caneleira mostrou que seria um dos favoritos ao título da competição: jogando fora de casa, meteu 7 a 0 no Osasco FC. E os resultados vinham com naturalidade, como o 1 a 0 no Campinas, um empate com a Lusa B, em 2 a 2, na Capital, 4 a 0 no 'vizinho' São Vicente, 3 a 2 no Jacareí, 2 a 0 no Paulistano, 6 a 2 no Serra Negra, 7 a 1 no Pinhalense, fora e casa, e 2 a 1 no Águas de Lindoia. No final do primeiro turno, o Jabuca liderava a chave.

Vale ressaltar que o clube revesava seus mandos, pois jogava tanto no Estádio Espanha quanto na Vila Belmiro. Na segunda parte da primeira fase, os resultados continuaram positivos. Apesar do empate em 0 a 0 contra o Osasco, vieram vitórias contra o Campinas (2 a 1), Portuguesa B (2 a 0), São Vicente (3 a 0), Jacareí (1 a 0), Paulistano (4 a 1), Pinhalense (6 a 0) e Águas Lindoia (1 a 0), além de um empate em 0 a 0 contra o Serra Negra.

O Jabaquara encerrou a primeira fase da competição com a melhor campanha entre os 19 clubes, com 48 pontos, sendo 15 vitórias, três empates e nenhuma derrota, marcando 53 gols e sofrendo apenas 10. Com esta bela campanha, o Leão da Caneleira partiu para o mata-mata embalado.

Parte de trás da camisa campeã

Nas quartas de final, o Jabaquara teve pela frente o Ranchariense e na primeira partida, mesmo jogando fora de casa, mostrou que não estava para brincadeira, ganhando de 1 a 0. Na volta, em Santos, empate em 1 a 1 e vaga na semifinal, onde encarou o Itararé. Jogando na casa do adversário, nova vitória: 3 a 2. Em casa, empate em 0 a 0 e vaga na finalíssima.

Na decisão, um adversário conhecido: a Portuguesa B. O primeiro jogo foi no Canindé e o Jabaquara, que já estava com o acesso garantido, junto com a Lusa, para não perder o costume, venceu novamente fora de casa: um 4 a 0, fora o baile. E este "baile" é por conta deste que vos escreve, pois estava presente naquele dia. Posso dizer que foi uma das melhores apresentações de um time visitante que vi na vida!

Trecho da partida com imagens da Santa Cecília TV

Jogando na Vila Belmiro, no dia 6 de outubro de 2002, o Jabaquara entrou em campo com a mão na taça e talvez isto tenha atrapalhado um pouco. É claro que a conquista veio, mas com um gosto um pouco amargo: a Lusa B venceu por 3 a 2, insuficiente para tirar o título do Leão da Caneleira, mas acabou quebrando a invencibilidade de um time que merecia ter sido campeão sem ser derrotado.

Mesmo assim, a torcida Rubro Amarela fez a festa e comemorou demais a conquista. A grande maioria dos atletas voltaram ao Santos FC e seguiram suas carreiras. Alguns até voltaram ao Jabaquara, mas o torcedor guarda com carinho aquela emoção de gritar campeão.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações