segunda-feira, 28 de novembro de 2016

1951 - O supercampeonato mineiro do Villa Nova

Em pé: Madeira, Arizona, Anísio, Vicente, Lito e Tão
Agachados: Osório, Vaduca, Chumbinho, Foguete e Escurinho

Um dos times mais tradicionais do futebol mineiro é o Villa Nova, de Nova Lima, cidade que fica cerca de 20 Km de distância de Belo Horizonte. Apesar de hoje ser um time considerado 'pequeno', mas que sempre complica jogos para Atlético, Cruzeiro e América, o Leão do Bonfim já teve seus dias de equipe grande no cenário estadual.

Na década de 30, o clube conquistou o tetracampeonato Mineiro, entre 1932 e 1935. Porém, vamos falar da quinta e última conquista do clube no principal certame do futebol de Minas Gerais: o estadual de 1951.

O certame de 1951 do Mineiro contou com a participação de oito equipes: além do Villa Nova, jogaram Atlético, Cruzeiro, América, Siderúrgica, Metalusina, Sete de Setembro e Meridional. O regulamento previa dois turnos em pontos corridos. Caso houvesse empate em pontos de duas equipes ou mais, haveria o tie-break desempate.

O Villa Nova começou bem a competição, goleando o Sete de Setembro, no dia 22 de julho, por 4 a 0, vencendo o Atlético, que seria o grande rival naquele ano, por 3 a 2, o Metalusina, por 3 a 0, e o Siderúrgica (3 a 1). A primeira derrota foi para o Cruzeiro, por 2 a 1. Porém, a derrota não deixou a equipe baixar a bola, liderando a competição, sendo seguida por Galo e Raposa.

Outra foto do grande esquadrão do time de Nova Lima

O grande problema foi no segundo turno: derrotas para o Sete de Setembro e Atlético derrubaram a equipe para o segundo lugar, junto com o Galo. Em primeiro estava o Cruzeiro, um ponto na frente. Mas na última rodada, no dia 30 de dezembro, o Leão do Bonfim venceu o Siderúrgica por 3 a 2 e no clássico, deu Galo por 2 a 1. As duas equipes terminaram com 19 pontos e tiveram que ir para os confrontos desempates.

No primeiro jogo, em 13 de janeiro de 1952, igualdade no marcador: 1 a 1, com Tão abrindo o marcador para o Villa Nova e Aldinho empatando para o Atlético, que era comandado por Yustrich. No dia 24, outro empate, só que em 2 a 2, com o Atlético chegando a fazer 2 a 0, com Mauro Patrus e Lucas Miranda, mas Osório e Escurinho deixaram tudo igual.

O grande dia foi em 27 de janeiro. Mais de 20 mil pessoas lotaram as arquibancadas do Estádio Independência, em Belo Horizonte, e viram o gol de Vaduca, aos 5 minutos do segundo tempo, dar o título para a equipe dirigida por Pirão. Festa em Nova Lima, o Villa Nova ganhava o seu quinto título estadual. Aliás, um supercampeão! Depois, o Villa ainda conquistaria o primeiro Brasileiro da Série B, em 1971.

Vídeo do Baú do Esporte sobre a conquista do Leão do Bonfim

Ficha Técnica

ATLÉTICO MINEIRO 0 X 1 VILLA NOVA

Data: 27 de janeiro de 1952
Local: Estádio Independência - Belo Horizonte-MG
Público: 20 mil pessoas
Renda: Cr$ 211.300,00

Gol
Villa Nova: Vaduca, aos 5' do segundo tempo.

Atlético: Sinval; Juca e Osvaldo; Geraldino, Zé do Monte e Haroldo; Lucas Miranda, Antoninho, Mauro Patrus, Alvinho e Vavá - Técnico: Yustrich

Villa Nova: Arizona; Madeira e Anísio; Vicente, Lito e Tão; Osório, Vanduca, Chumbinho, Foguete e Escurinho - Técnico: Prão
←  Anterior Proxima  → Inicio

Um comentário:

  1. Observando a trajetoria da bola no gol do Villa, houve um toque de outro jogador pois sem esse toque a bola provavelmente não entraria no gol. Portanto o gol foi de Chumbinho.

    ResponderExcluir

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações