Batalha campal e vitória do Flu sobre o Fogão no Tribunal no Brasileirão de 1991

Alambrado no chão no setor da torcida do Botafogo

No Campeonato Brasileiro de 1991 estava programado que o Clássico Vovô, entre Fluminense e Botafogo, seria no dia 1º de maio, pela 17ª e penúltima rodada da competição. O mando de jogo era do Tricolor e como o Maracanã estava sendo ocupado por atividades fora do futebol e o Vasco da Gama não liberou São Januário, a CBF, e a FFERJ, tiveram a infeliz ideia de acatar o pedido do Flu e mandar o jogo nas Laranjeiras.

Logo após o anúncio de que o clássico seria no tradicional, mas pequeno estádio tricolor, já vieram a enxurrada de críticas da imprensa e da diretoria do Fogão. Todos eram unânimes em dizer que as Laranjeiras não suportaria a grandeza e a importância da partida.

No dia do jogo, já na frente do estádio, percebia-se que o clima estava longe de ser bom. Os ingressos acabaram com muita antecedência, devido à pequena capacidade do estádio. Além disso, os ânimos estavam à flor da pele, com as duas torcidas se provocando e algumas brigas acontecendo.

Já dentro das Laranjeiras, o clima continuava o mesmo. As duas torcidas faziam gritos de guerra, uma atacando a outra. Houve roubo de faixa, mais brigas e os botafoguenses começaram a balançar o alambrado. O clima não estava bom e era nítido que não havia segurança suficiente para a partida.

Laranjeiras lotada para o jogo

Dentro de campo, o primeiro tempo foi bom. As duas equipes estavam em situações distintas na tabela, o Flu brigando para chegar à semifinal, pressionava muito e sempre ia em direção ao gol. Já o Botafogo, fugindo da pequena chance de rebaixamento, buscava os contra-ataques. Mas, apesar do grande volume de jogo, o primeiro tempo terminou com o placar de 0 a 0.

Na saída das duas equipes de campo para o intervalo, o clima pesado continuava e os botafoguenses derrubaram de vez o alambrado da arquibancada onde estavam. O árbitro José Roberto Wright foi verificar com o policiamento se havia condições de seguir com a partida.

Porém, o público presente, das duas torcidas, invadiram o gramado das Laranjeiras e a briga rolou solta. O pior de tudo foram as pessoas machucadas, inclusive crianças. A briga continuou do lado de fora, onde vários ônibus e carros foram depredados. Sem poder continuar com a peleja, Wright encerrou a partida e relatou na súmula que a confusão foi iniciada pela torcida do Botafogo.

Reportagem sobre a partida

No dia 14 do mesmo mês, o Tribunal Especial da CBF julgou o caso e deu vitória para o Fluminense por 1 a 0, colocando a culpa no ocorrido no Botafogo, ao invés de refazer o jogo ou, ao menos, o segundo tempo. Pela primeira vez, em um Campeonato Brasileiro, a equipe da casa ganhava pontos devido aos problemas causados pela torcida visitante.

Este resultado acabou influenciou na classificação final da primeira fase da competição, já que o Flu chegou à semifinal em terceiro lugar, com 24, o mesmo que Atlético Mineiro, o quarto, e Corinthians, o quinto. O Tricolor se classificou pelo número de vitórias. Caso a pontuação do jogo fosse dada com o resultado em campo (0 a 0), o Fluminense ficaria em quinto na colocação, com 23 pontos, um a menos que Galo e Timão.

Na sequência do Campeonato, o Fluminense foi eliminado pelo Bragantino em pleno Maracanã, fazendo com que o jogo de volta, em Bragança Paulista, fosse apenas um mero amistoso (o regulamento previa que o empate em pontos privilegiava o time de melhor campanha, não importando o saldo de gols). O São Paulo, que eliminou o Atlético Mineiro na semi, bateu o Bragantino nas finais e ficou com o título.

* Sugestão do amigo Adeildo Dinho Heliodoro. Um abraço!
←  Anterior Proxima  → Inicio

Um comentário:

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores, trazendo novidades e curiosidades do Futebol. Fale conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Total de Visualizações