sábado, 30 de abril de 2016

Pênalti dá vitória ao Atlético Mogi contra o Jabaquara no Nogueirão

Partida teve poucas emoções no primeiro tempo e melhorou na etapa final

Na fria tarde deste sábado, dia 30, em Mogi das Cruzes, o Atlético Mogi conseguiu a sua primeira vitória no Campeonato Paulista da Segunda Divisão, a popular Bezinha, ao bater o Jabaquara por 1 a 0, com gol de Wanderson, de pênalti, em partida realizada no Estádio Nogueirão. A equipe santista continua sem vencer na competição.

A vitória no confronto era de fundamental importância para as duas equipes. O Jabaquara, que havia estreado na competição com um empate sem gols no clássico contra a Portuguesa, perdeu a segunda partida contra o EC São Bernardo, em Santos, por 2 a 1. O Atlético Mogi vinha pior, já que não havia feito gol no campeonato, após duas derrotas (2 a 0 para o Mauaense e 1 a 0 e 1 a 0 para a AD Guarulhos). Além disso, a equipe da casa tinha um problema para a partida de hoje no banco de reservas: a equipe estava sem goleiro suplente.

A equipe da casa

O jogo teve em seus primeiros minutos poucas ações. O Jabaquara tinha mais posse de bola, mas não convertia isto em finalizações. O time da casa só estudava o adversário, mas teve a primeira chance aos 10 minutos. O meia Léo arriscou um chute rasteiro de fora da área, que obrigou o goleiro Thyago a se esticar todo para espalmar a bola. No rebote, a defesa do Leão da Caneleira conseguiu afastar o perigo antes da chegada do centroavante Cleiton.

A partida continuou morna até os 32 minutos, quando o Jabaquara chegou ao ataque com perigo. Guilhermão recebeu a bola dentro da área, girou e bateu colocado com a perna direita. Mas o goleiro Dida, atento, fez firme defesa.

O Leão da Caneleira

Aos 37, foi a vez do Atlético Mogi assustar. Em bola alçada na área, Cleiton deu um leve 'totózinho' de cabeça, obrigando o goleiro Thyago se esticar todo, fazendo uma bela defesa. Em seguida, foi a vez do Rubro Amarelo chegar. O lateral João Vitor infiltrou pelo meio, passou por três marcadores e arrematou forte. A bola passou rente à trave direita do goleiro Dida. Mesmo com uma movimentação maior nos minutos finais, o primeiro tempo ficou mesmo com o placar de 0 a 0.

No intervalo, um bom papo com os amigos Fabrício Lopes (que me deu uma grande ajuda para agilizar minha ida a Mogi das Cruzes, através do vice-presidente de futebol do Jabaquara, Gilson Pereira), Genilton Lucas e Raul Weides Burgos. Aliás, aqui fica um elogio ao Nogueirão. Com certeza, Mogi das Cruzes tem um dos melhores, se não o melhor estádio da Segunda Divisão Paulista.

O Jabuca foi melhor no início do segundo tempo

Se o primeiro tempo não teve grandes emoções, o segundo foi de muita movimentação, com as equipes buscando mais o gol. Os 10 primeiros minutos foram de domínio do Jabaquara. Aos 4, após confusão na área do Atlético Mogi, a bola sobrou para Guilhermão, que chutou forte. A bola desviou na zaga da equipe da casa, indo para escanteio. Após a cobrança, o goleiro Dida, com um tapinha, tirou a bola da cabeça de Jé, evitando o gol Rubro Amarelo.

O Jabuca continuou pressionando e até chegou a marcar com Renan, que cabeceou forte a bola, que bateu no travessão e quicou depois da linha. Porém, o lance foi anulado pela arbitragem por impedimento. Aos 10 minutos, o Leão da Caneleira chegou mais uma vez. Cobrinha recebeu a bola na entrada da área e bateu com categoria. A bola bateu no travessão e saiu pela linha de fundo.

Tentativa de ataque do Rubro Amarelo

Depois do susto, o Atlético Mogi acordou, equilibrou as ações e quase abriu o marcador aos 14. Wellington cobrou falta venenosa no canto, forçando Thyago a se esticar todo para fazer uma difícil defesa. No rebote, Wanderson, sozinho, finalizou com força e Thyago, novamente, operou um milagre, salvando o Jabaquara de levar um gol.

Aos 22 minutos, um lance confuso na área do Jabaquara. Depois de um bate-rebate, jogadores das duas equipes caíram no chão e os atletas da casa até esboçaram um pedido de pênalti. Porém, o árbitro André Luís Riquena mandou seguir a partida. Aos 25, o Leão da Caneleira chegou com perigo. Caíque cruzou pela direita, o zagueiro Sérgio Júnior desviou contra o patrimônio, mas Dida se esticou todo, evitando que a bola balançasse as redes.

Disputa de bola pelo alto

No minuto seguinte, saiu o gol do time da casa. Em contra-ataque, Wanderson foi lançado nas costas da defesa do Rubro Amarelo, siando na cara do goleiro Thyago, que o derrubou. Pênalti! O próprio Wanderson foi para a cobrança, batendo no canto direito do arqueiro do Jabaquara. Atlético Mogi 1 a 0.

O Jabaquara sentiu o gol e demorou alguns minutos para reagir, enquanto o Atlético Mogi foi para a defesa para garantir o resultado. O Rubro Amarelo foi ao ataque aos 40 minutos. Jean recebeu a bola na intermediária, avançou e arriscou o chute já próximo da área, mas o goleiro Dida defendeu firme. Em seguida, Jean teve outra chance, que parou novamente nas mãos do arqueiro mogiano.

Uma das tentativas dos visitantes de empatarem

Já nos acréscimos, o Atlético Mogi teve a chance de ampliar. Em bola mal rebatida pela defesa do Leão da Caneleira, Léo ficou com a sobra, mas chutou em cima de Thyago. Com isso, o placar ficou mesmo no 1 a 0 para a equipe da casa.

Com a vitória, o Atlético Mogi fez os primeiros três pontos na competição. Agora, a equipe terá o Derby Mogiano, contra o União, no domingo, dia 8, às 10 horas, no Nogueirão. Já o Jabaquara, com apenas um ponto, encara a AD Guarulhos, no mesmo dia e horário, no Estádio Espanha, em Santos.

O gol do Atlético Mogi

Ficha Técnica

ATLÉTICO MOGI 1 X 0 JABAQUARA

Data: 30 de abril de 2016.
Local: Estádio Nogueirão - Mogi das Cruzes-SP.
Árbitro: André Luis Requena.
Assistentes: Rafael Cesar Fernandes e Rubem Guimarães Marcondes Cezar.

Cartões Amarelos:
Atlético Mogi: Marcel e Wanderson.
Jabaquara: Alef e Thyago.

Gol:
Atlético Mogi: Wanderson (pênalti), aos 26 minutos do segundo tempo.

Atlético Mogi: Dida; Rafael, Sérgio Júnior, Roan e Marcel; Diogo, Wellington, Pedro (Gustavo) e Léo; Cleiton e Bernard (Wanderson) - Técnico: Edson Marcos.

Jabaquara: Thyago; João Vitor, Renan, Jé e Wesley; Felipe (André Robinho), Jean, Cobrinha e Micael (Caíque); Guilhermão (Welder) e Alef - Técnico: Milton Fernandes - Miltinho.

* Agradecimentos ao torcedor do Jabaquara Fabrício Lopes e ao vice-presidente de futebol do clube, Gilson Pereira, que armaram uma carona para este jornalista estar presente ao jogo.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações