domingo, 17 de abril de 2016

Muito sol e um 0 a 0 no clássico entre Briosa e Jabaquara

Muita movimentação, apesar do sol forte em Santos

Apesar do sol forte, atípico do meio do mês de maio, mais de 2 mil pessoas compareceram no Estádio Ulrico Mursa, em Santos, para ver as estreias de Portuguesa Santista e Jabaquara, o Clássicos das Colônias, no Campeonato Paulista da Segunda Divisão, a popular Bezinha, na manhã deste domingo, dia 17, no Estádio Ulrico Mursa. E, apesar da temperatura, os presentes conferiram uma partida bem movimentada, mas que acabou com o placar em branco.

O 198º jogo do tradicional clássico do futebol paulista, disputado desde 1919, criou muita expectativa durante a semana, principalmente na Baixada Santista. Mas a Briosa teve um sério problema: não conseguiu inscrever a tempo os sete jogadores cedidos aos Santos e tinha apenas 12 atletas regularizados para a partida, sendo um deles, o centroavante Franc, lesionado. Já o Leão da Caneleira foi para o Ulrico Mursa com 16 atletas.

Torcida da Briosa apoiou o time nos 90 minutos

De fato, a apreensão era grande nas duas torcidas. Como as equipes iriam se sair no primeiro embate da competição? O que se viu dentro de campo foi muita vontade, bastante movimentação, mas a rede não balançou.

O primeiro tempo foi equilibrado. O jogo começou cadenciado, com as equipes se estudando. O Jabuca, do técnico Milton Fernandes, foi a campo com três zagueiros (Renan, Jefferson e Jé) e mostrava ter um sistema defensivo muito forte. Porém, aos poucos, a Briosa foi se soltando e os meias Kauê e Ricardinho aparecendo mais para a partida.

Torcida do Jabaquara também presente

Antes da metade do primeiro tempo, o técnico da Portuguesa, Ricardo Costa, teve que fazer a única substituição possível. O centroavante Franc, que foi para o jogo no sacrifício, sentiu a lesão que o afastou dos treinamentos durante a semana após uma jogada dentro da área e saiu para a entrada de Lucas Britto.

E, por incrível que pareça, a troca fez com que o time da Portuguesa melhorasse na partida. O primeiro lance de perigo na partida veio aos 25 minutos. Ricardinho cobrou falta pela direita, Kauê desviou e a bola passou rente à trave do goleiro Thyago.

Uma das poucas chances do Jabaquara

Aos 40 minutos, foi a vez do Jabaquara assustar. O lateral Guilherminho cobrou falta pela direta, a bola desviou em Vinícius e obrigou a Rogério fazer uma grande defesa. No escanteio, houve bate-rebate na área e a 'pelota' sobrou para Jefferson, mas o goleiro da Portuguesa saiu bem do gol e evitou a finalização do jogador rubro-amarelo. Com isto, a partida foi para o intervalo com o placar de 0 a 0.

Se os 45 minutos iniciais não tiveram um time superior, o segundo tempo foi totalmente dominado para Briosa, apesar de não ter mais nenhum jogador no banco de reservas. Logo aos 2 minutos, Kauê fez bela jogada pela linha central do gramado e lançou Luca Britto, que saiu na cara do goleiro Thyago, mas finalizou para fora, perdendo grande chance.

Thyago, um dos melhores em campo, sai para boa defesa

Aos 9, novamente a Portuguesa chegou com perigo. Em escanteio pela esquerda, Romário cabeceou no canto direito, após bate-rebate, e obrigou Thyago a se esticar todo. Porém, a defesa do Jabaquara afastou mal e Ricardinho acertou um belo chute, obrigando o goleiro do Leão da Caneleira a fazer uma bela defesa.

A Briosa continuou atacando. Aos 19, Kauê, o melhor em campo, ao lado do goleiro Thyago, cobrou falta pela esquerda, a bola passou por todo mundo e passou rente à trave. Em seguida, o camisa 7 rubro-verde entrou na área, fazendo fila, e rolou a bola para o meio, mas a zaga do Jabaquara afastou o perigo.

Ricardinho tenta jogada pela direita

Durante a pressão da Portuguesa, o Jabuca tentava armar alguns contra-ataques, mas as jogadas sempre esbarravam no centroavante Alef, que estava muito mal em campo. Aos 31 minutos, outra chegada da Briosa. Vinícius, improvisado na lateral-esquerda, lançou Lucas Britto, que finalizou com um chute forte, obrigando a Thyago trabalhar novamente.

A última chance da Briosa foi aos 34 minutos. O atacante Romário invadiu a área pela direita, passou por um marcador e arriscou o chute. A bola ainda desviou em Kauê, mas a bola saiu, passando perto do poste.

Lucas Britto perde grande chance

Nos últimos 10 minutos, o time da Portuguesa sentiu o cansaço e como não tinha como mais fazer substituições, diminuiu o ritmo. O técnico do Jabaquara, Milton Fernandes, fez as três trocas, mas a equipes não chegou a criar algum lance de perigo. Assim, a partida terminou com o placar de 0 a 0, sendo o 56º empate na história do confronto entre as duas equipes.

Na próxima rodada, as duas equipes jogam domingo, dia 24, às 10 horas. A Portuguesa Santista vai até Mogi das Cruzes, enfrentar o União, que estreou vencendo o Manthiqueira fora de casa. Já o Jabaquara recebe o São Bernardo, que estreou com derrota para a AD Guarulhos, por 5 a 1, em casa, no Estádio Ulrico Mursa, já que o Espanha, na Caneleira, ainda não foi liberado pela Federação Paulista de Futebol.

Final de jogo: 0 a 0

Ficha Técnica

PORTUGUESA SANTISTA 0 X 0 JABAQUARA

Data: 17 de abril de 2016
Local: Estádio Ulrico Mursa - Santos-SP
Público: 2.066 pagantes
Renda: R$ 30.490
Árbitro: José Claudio Ribeiro da Silva
Assistentes: Alexandre de Oliveira e Renato de Oliveira Cardoso

Cartões Amarelos
Portuguesa Santista: Luca Frazão e Romário.
Jabaquara: João Vitor e Renan.

Portuguesa Santista: Rogério; Matheus, Dema, Pedrão e Vinícius; Luca Frazão, Jean, Kauê e Ricardinho; Franc (Lucas Britto) e Romário - Técnico: Ricardo Costa.

Jabaquara: Thyago; Renan, Jefferson e Jé; Guilherminho, João Vitor, Macha, João Luiz (Pedro) e Wesley; Alef (Cobrinha) e Welder (Allef Cearense) - Técnico: Milton Fernandes.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações