domingo, 6 de março de 2016

Juventus e Mirassol ficam no zero em jogo na Javari

Com colaboração de Ricardo Russini Pucci*

Equipes perfiladas no momento do hino (foto: Ricardo Russini Pucci)

Juventus e Mirassol se enfrentaram na manhã deste domingo, dia 6, no Estádio Conde Rodolfo Crespi, a Rua Javari, na Moóca, em São Paulo, em jogo válido pelo Campeonato Paulista da Série A-2 e ficaram no 0 a 0. O resultado não foi dos melhores para as pretensões de ambas as equipes na competição.

O Moleque Travesso foi a campo em busca da reabilitação, já que no meio de semana, também jogando em casa, tinha empatado em 0 a 0 com o São Caetano. Já o Mirassol vinha de vitória sobre o Monte Azul, por 1 a 0, em seu estádio. Por isso, a vitória na partida colocava a equipe do interior na briga pela ponta da classificação.

Apesar do placar em branco, o início da partida foi bem movimentada. Empurrado por sua torcida, o Juventus pressionava o Mirassol. O lance de maior perigo aconteceu aos 18 minutos, quando em jogada de escanteio, Derli subiu mais que a defesa do time do interior e cabeceou a bola na trave, quase abrindo o placar para o Moleque Travesso.

A equipe do Mirassol (foto: Ricardo Russini Pucci)

Os visitantes, acuados, pouco atacavam e quando chegavam na área adversária, não conseguia completar as jogadas. Aos poucos, o ritmo foi diminuindo e, sem muitas emoções, o jogo foi para o intervalo com o placar de 0 a 0.

Na segunda etapa, o panorama continuava parecido. O Juventus chegou a ter uma chance clara de gol com Nathan, O atacante recebeu livre na pequena área, mas pegou acabou se enrolando na hora de cabecear.

No final do jogo, o Mirassol impôs seu toque de bola, envolvendo o Moleque Travesso e criando algumas chances para abrir o marcador. Mas neste momento surgiu a figura do goleiro juventino André Dias, que com duas belas defesas evitou o gol da equipe do interior. Com tudo isso, a partida terminou com o placar zerado.

Há um fato triste a se ressaltar: a torcida do Juventus ergueu duas faixas de protestos: uma perguntando ‘cadê a merenda?' e outra chamando a Federação Paulista de Futebol (FPF) de corrupta. O árbitro Mauricio Antonio Fioretti paralisou a partida aos 30min do segundo tempo exigindo a retirada das faixas, indo contra, inclusive, a determinação da própria FPF. A Polícia Militar retirou as faixas, alegando que os torcedores burlaram a revista, o que foi negado pelos juventinos. Em resumo: novo protesto e nova repreensão.

Faixa de protesto (foto: Breiller Pires - ESPN.com.br)

Com o empate, o Juventus foi a 14 pontos, mas poderia ter empatado com o Barretos, que fecha a zona de classificação para a próxima fase, mas permaneceu na 13ª posição, ainda perigosamente perto da zona do rebaixamento, que começa com o Independente, com onze pontos. Na próxima rodada, o Moleque Travesso enfrenta o Barretos na quarta-feira, dia 9, às 20 horas, no Estádio Fortaleza.

Com 21 pontos, o Mirassol é o terceiro colocado e perdeu boa oportunidade de encostar ainda mais no líder São Caetano, que tem dois pontos a mais, e de ultrapassar o segundo colocado Bragantino, com 22 pontos. Agora, a equipe enfrenta o Azulão, em casa, na próxima quarta-feira, dia 9, às 20h30.

* Ricardo Russini Pucci mora em São Paulo, é estocador, torce para o Juventus e é um fanático por futebol.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações