terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

No primeiro tempo, SPR. No segundo, Nacional!

No primeiro tempo era o SPR...

Neste 16 de fevereiro, o Nacional Atlético Clube, tradicional agremiação da Água Branca, bairro de São Paulo, completa 97 anos de seu registro jurídico, apesar de ter sido fundado em 14 de abril de 1895, com o nome de São Paulo Railway Athletic Club, conhecido também como SPR, já que era o clube da empresa inglesa concessionária da estrada de ferro Santos-Jundiaí, que cortava a capital paulista.

Em 1947, a concessão dada à empresa inglesa para a administração da linha férrea foi findada e a estrada de ferro foi nacionalizada. O clube passou pelo mesmo processo e para deixar claro que o comando passaria a ser brasileiro, nada melhor que colocar o nome de Nacional.

Para fazer a mudança do nome, foi marcado um amistoso no Pacaembu, no dia 23 de fevereiro de 1947, contra o Flamengo de Luís Borracha, Nilton e Norival. Biguá, Bria e Quirino. Adison, Tião, Pirilo, Vaguinho e Vevé. Foi a única vez em que o SPR/Nacional jogou com os dois nomes que marcaram sua história. Como? É o que vamos falar agora!

... no segundo foi o Nacional

Reforçado com jogadores de nome do futebol paulista, como Bauer, do São Paulo, Lorico, da Portuguesa de Desportos, Cláudio, do Corinthians, e Lima do Palmeiras, o time entrou em campo ainda como SPR e sua camisa tradicional branca, com uma listra vermelha e outra azul na horizontal, muito parecido com o do uniforme do São Paulo, além, é claro, do escudo no centro com as três letras e o short azul.

E o SPR começou bem a partida. Vicente abriu a contagem aos 2 minutos. Mas o Flamengo reagiu com Vaguinho, aos 5 e aos 10. Por causa de um toque de mão de Charuto, Pirilo marcou de pênalti, aos 15, ampliando para o Rubro Negro carioca. Vicente, outra vez, diminuiu para o SPR, aos 42. Assim, a partida foi para o intervalo com o placar de 3 a 2 para o Fla.

Antes de irem para os vestiários, os jogadores da equipe paulistana caminharam até o placar de bandeirinhas vermelhas, arriaram a bandeira do SPR, que estava ao lado das dos outros clubes da Federação, e colocaram em seu lugar o novo pavilhão do Nacional.

Os dois escudos

Não foi apenas a bandeira que foi trocada na partida. O time que jogou de branco no primeiro tempo veio para os 45 minutos finais com uma camisa listrada na vertical em azul e branco. Sim, pela primeira vez na história, o clube jogava com o nome de Nacional.

Vicente, aos 19 minutos, empatou novamente a partida, fazendo o primeiro gol da agremiação como Nacional. Porém, Adilson, aos 20, e Pirilo, aos 34, confirmaram a vitória Rubro Negra no Estádio Municipal de São Paulo que, naquela época, era o maior do Brasil.

A partida foi um sucesso de público. A renda chegou a Cr$ 112.433,00 (Cr$ = Cruzeiro), muito boa para uma época em que São Paulo tinha 2 milhões e 198 mil habitantes. Porém, o jogo deu início a uma nova história para o tradicionalíssimo clube da capital.

Ficha técnica

SPR / Nacional 3 x 5 Flamengo

Data: 23 de fevereiro de 1947
Local: Pacaembu

SPR: Ivo; Moacir e Dedão; Charuto, Wallace e Inglês; Crespo, Vicente, Jesus, Passarinho e Tim.

Nacional: Ivo; Moacir e Lorico; Charuto, Bauer e Inglês; Cláudio, Lima, Jesus, Vicente e Tim.

Flamengo: Luís Borracha; Newton e Norival; Biguá (Jacy), Bria e Quirino; Adilson (Velau), Tião (Perácio), Pirilo, Vaguinho e Vevé.

Gols
SPR: Vicente, aos 2' e 42' do 1T.
Nacional: Vicente, aos 19' do 2T.
Flamengo: Vaguinho, aos 5' e 10', e Pirilo, aos 15' do 1T. Adilson, aos 20', e Pirilo, aos 34 do 2T.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações