terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Brasileirão Feminino 2016 começa nesta quarta-feira

por Victor de Andrade* e Lucas Paes**


Nesta quarta-feira, 20 de janeiro, o calendário do Futebol Feminino no país tem início com mais uma edição do Brasileirão Caixa, apenas 45 dias após a final da edição de 2016. A temporada deste ano é importante para a modalidade, principalmente devido ao Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro. O Campeonato Brasileiro vem melhorando ano a ano e, apesar de várias falhas de organização da CBF em 2015, a grande maioria dos jogos teve uma boa qualidade.

O regulamento é o mesmo do ano passado. As 20 equipes estão divididas em quatro grupos de cinco, que jogam entre si em turno único. As duas primeiras colocadas classificam para a segunda fase, onde é formado dois grupos de quatro agremiações, que jogam em turno e returno. Os dois times melhores colocados de cada grupo classificam para a semifinal e a partir daí é mata-mata em ida e volta.

Corinthians volta ao Futebol Feminino em parceira com o Osasco Audax

Santos, Ferroviária, Iranduba, Tiradentes, Corinthians, Rio Preto, São José e Flamengo pintam como as equipes favoritas. A grande ausência é o Kindermann, que encerrou as atividades do Futebol Feminino após o trágico assassinato do técnico Josué Henrique Kaercher.

Cinco jogos abrem o Brasileirão Feminino 2016 nesta quarta-feira, dia 20: Flamengo x Vitória-PE, Caucaia-CE x Vitória-BA, Foz Cataratas-PR x São José-SP, São Francisco-BA x Duque de Caxias-RJ e Santos x Portuguesa. Já na quinta-feira, 21, três jogos completam a primeira rodada. Centro Olímpico-SP x América-MG, Rio Preto-SP x Vasco-RJ, Tiradentes-PI x Iranduba-AM. Confira toda a tabela da primeira fase da competição aqui.

Acompanhe a avaliação de cada uma das 20 equipes da competição abaixo.

Grupo 1 

Sereias da Vila esperam brigar pelo título em 2016

Santos – Depois de alguns anos sem atividade, as Sereias da Vila voltaram no ano passado e brigaram de igual para igual com os melhores times do país, tanto que conseguiram vitórias contra o campeão (Rio Preto) e vice (São José) jogando fora de casa. A base para 2016 foi mantida, mas o técnico Caio Couto ganhou reforços de peso. Entre elas, a atacante Daiane Moretti, ex-Foz e que estava no Kindermann e a meia Marcelinha, que também jogava no time de Santa Catarina.

Portuguesa – A Lusa, que caiu na primeira fase do Brasileirão do ano passado, não estava na competição deste ano, mas ganhou a vaga com o fim do futebol feminino do Kindermann. A equipe é uma incógnita e tendo caído em um grupo complicado, fazer prognósticos do time é uma tarefa das mais difíceis. O elenco deve contar com a experiente goleira Andreia Suntaque, que foi a camisa 1 da Seleção Brasileira por alguns anos.

Ferroviária – A equipe de Araraquara teve um 2015 de altos e baixos. Campeã da Libertadores, a Ferroviária caiu nas semifinais do Paulistão e não passou da primeira fase no Brasileiro. Para 2016, o time grená buscou a goleira Aline, que estava nos Estados Unidos, a zagueira Amanda, a volante Carol e Mariana Dantas, além das argentinas Paula e Mariana. Com certeza é uma das melhores equipes da competição e deve brigar pela classificação.

Tiradentes – A desistência do Náutico fez com que uma injustiça fosse corrigida. O Tiradentes do Piauí, quarto colocado no Brasileirão Feminino Caixa 2015 estava fora da edição 2016 na primeira lista de participantes e só foi confirmada a participação faltando 10 dias para o início. A entrada do Tigre da PM no campeonato só veio deixar o Grupo 1 ainda mais forte.

Iranduba – A equipe do Amazonas quer tirar a má impressão que deixou em 2015, quando fez apenas um ponto na primeira fase da competição. Para isso, o Iranduba se aproveitou do fim do futebol feminino do Kindermann e montou sua nova equipe com base no elenco que era da agremiação catarinense. Algumas atletas, inclusive, foram campeãs do Sulamericano Sub-20 no final de 2015, em torneio realizado em Santos.


Grupo 2

Rio Preto conquistou o título no ano passado

Corinthians - O Timão volta ao Brasileirão Feminino em parceria com o Grêmio Osasco Audax. Ou seja, a base é a mesma que jogou pelo Centro Olímpico no Brasileirão de 2015, onde conquistou a terceira colocação. O time será comandado pelo experiente Arthur Elias e terá a ex-zagueira Aline Pellegrino como supervisora. O time volta com ambição de título e conta com a artilheira do certame em 2015, Gabi Nunes.

Vasco da Gama - Marcos Silva treinará a equipe que terá muitas jogadoras que já passaram pelas categorias de base Cruzmaltinas (responsáveis pela revelação de Marta). A atleta mais experiente do Vasco é Estér, que passou pela Seleção Brasileira vice campeã olímpica em 2008. Junto a ela, vieram Bia e Giovana, que jogavam no Kindermann. Assim como o Corinthians, a agremiação volta depois de alguns anos de ausência.

América Mineiro - Sem grandes aspirações, o América Mineiro entra no grupo como azarão. O Coelho parou na segunda fase em 2015, mas não possui muita pressão para grandes resultados nesta temporada. O time foi vice-campeão estadual ano passado e vai buscar melhores resultados em 2016.

Rio Preto - Atual campeão, o Rio Preto chega para a disputa do Brasileiro Feminino de 2016 reforçado, trazendo muitas jogadoras recém-saídas da base de outras equipes, além das atletas que já faziam parte do elenco que conquistou o título de 2015. As atacantes Adriana Silva e Ludmila chegaram do Tiradentes e da Ferroviária, respectivamente. Além delas, chegaram a goleira Letícia Busato, que tem passagem pela Seleção Brasileira Sub-20, Letícia Silva, Daiane e Letícia Seabra.

Centro Olímpico - Semifinalista em 2015, o time paulistano vem praticamente inteiro Sub-20, contando com atletas formadas no próprio clube. Porém, isso pode não significar um time fraco, já que a agremiação conta com uma das melhores bases do futebol feminino do país. O Centro Olímpico foi campeão da primeira edição do Brasileirão Feminino, em 2013.


Grupo 3

São José foi vice em 2015

Vitória – A equipe baiana entra na competição abalada com a desclassificação na semifinal do campeonato estadual de 2015, onde foi eliminada pelo São Francisco no dia 10 de janeiro (sim, o Baiano 2015 virou o ano e deve ser decidido apenas no próximo dia 24). O técnico Quinho conta com uma equipe jovem e o Brasileirão deve ser apenas para dar mais experiência às jogadoras.

Caucaia – A equipe cearense vem para o Brasileirão 2016 tentando um desempenho melhor que o do ano passado, quando estreou com uma bela vitória por 4 a 0 sobre o Viana, mas fez apenas um ponto nos outros três jogos, caindo ainda na primeira fase da competição. Porém, para esta temporada, a equipe não conta com novidades de peso, o que pode atrapalhar as pretensões da agremiação.

Pinheirense – Apesar da má atuação no Brasileirão 2015, quando a equipe fez apenas um ponto em todo o campeonato, o Pinheirense espera mudar este panorama para 2016. A base da equipe é a que venceu o Campeonato Paraense, que terminou em novembro. O título, que não vinha a cinco anos, foi o terceiro da história do Pinheirense.

São José – Uma das melhores equipes do Brasil nos últimos anos, o São José entra na competição como um dos grandes favoritos ao título. O atual campeão paulista e vice-campeão brasileiro conta com jogadoras fortes em praticamente todas as posições e deve passar para a segunda fase até com certa facilidade, caso jogue com seriedade.

Foz Cataratas – Com a base do time sendo praticamente a mesma que disputou a competição no ano passado, o Foz Cataratas está se preparando para a temporada de 2016 desde o dia 5 de janeiro. A agremiação, que já foi uma das melhores do país, tem a pretensão de conseguir passar para a segunda fase do Brasileirão, algo que não aconteceu nas duas últimas edições do campeonato.


Grupo 4

O Rubro Negro vem para o campeonato pensando no título

Flamengo - Também eliminado na segunda fase no ano passado, o Flamengo busca o titulo depois de ganhar o estadual em 2015. A equipe, que tem parceria com a Marinha do Brasil, busca em 2016 o título brasileiro para aumentar a galeria de troféus no futebol feminino. O Flamengo não deve ter muitas dificuldades na primeira fase e é o principal favorito a liderar o grupo.

Duque de Caxias - Eliminado na primeira fase em 2015 sem marcar pontos, o Duque de Caxias tenta melhor sorte em 2016. Porém, o Tricolor da Baixada Fluminense não conta com grandes reforços. O Duque participou de todas as edições até hoje e teve sua melhor campanha em 2014, quando terminou na quinta colocação geral.

Vitória das Tabocas - O hexacampeão pernambucano de futebol feminino conta em seu elenco com diversas jogadoras jovens, com destaque para a meia Fernanda Palermo, que foi campeã do sul-americano sub-20 com a seleção brasileira. No ano passado, apesar da tradição na modalidade, o Vitória caiu na primeira fase da competição.

São Francisco – Há um fato curioso para o São Francisco: ao mesmo tempo em que a equipe inicia o Brasileirão, também está disputando a final do campeonato estadual, onde tem vantagem de três gols para a segunda partida, que ocorre no próximo domingo, dia 24. Dominante na Bahia, o clube busca melhor sorte no Brasileirão, já que foi eliminado na primeira fase em 2015.

Viana - Vice-campeão estadual em 2015, o Viana foi eliminado na primeira fase do último Brasileirão e busca melhores resultados em 2016. O time é o único representante do Maranhão na competição.

* Victor de Andrade é jornalista e editor de O Curioso do Futebol.
** Lucas Paes é estudante de jornalismo e colaborador de O Curioso do Futebol.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações