sábado, 28 de novembro de 2015

Seleção Feminina joga mal e perde para a Nova Zelândia no Pacaembu

Nova Zelândia foi melhor que o Brasil no primeiro tempo

O romântico Estádio Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu, foi palco neste sábado de uma partida genial. A Seleção Brasileira Feminina, completa, inclusive com a craque Marta, enfrentou a Nova Zelândia em jogo amistoso. O placar não foi o ideal para o time do Brasil, que perdeu por 1 a 0.

O confronto era genial por si só. Mais fantástico ainda é porque foi a primeira cobertura de O Curioso do Futebol de dentro de campo no Pacaembu. Algo que emocionou este que escreve este artigo, já que pisar no gramado do tradicionalíssimo estádio, o mais importante para o futebol paulista, é uma sensação inexplicável.

No metrô, a caminho do Pacaembu, encontrei o grande amigo Mario Gonçalves, fomos na coletiva de imprensa de lançamento do Camp da Juventus de Turim (que será tema de matéria no site durante a semana), no Museu do Futebol, organizada por Julia Vergueiro, e, logo em seguida, encontrei o jornalista Rafael Alves, do grande Planeta Futebol Feminino. Alves e eu, junto com um membro da Comissão Técnica da Nova Zelândia, ajudamos a repórter da SporTV, Fabíola Andrade, a apontar a posição de cada jogadora do time da Oceânia no campo. Logo em seguida, encontrei com Fernando Martinez, do sempre excelente Jogos Perdidos, e fomos ao gramado.

Apesar do público decepcionante no Pacaembu, pouco mais de 3 mil pagantes, o Brasil começou o jogo empolgando a torcida. Com Menos de 10 minutos, foram três ataques, sendo que no último deles, por pouco Cristiane não abriu o placar.

Seleção Brasileira

Aos poucos, a Nova Zelândia foi equilibrando, aproveitando-se, principalmente, das falhas do sistema defensivo brasileiro. A Seleção Canarinho sentia falta das jogadas de Marta, que bem marcada era pouco acionada.

Aos 18 minutos, as neozelandesas chegaram com perigo. Amber Hearn foi lançada e a goleira Barbara teve que sair da área, chutando a bola para a lateral. Quatro minutos depois, novamente a atacante da equipe da Nova Zelândia preocupou a defesa brasileiro, cabeceando a redonda para fora.

Com o Brasil apático e tomando sufoco, o gol da Nova Zelândia amadurecia. E ele aconteceu aos 35 minutos. Em cobrança de falta ensaiada, a bola foi rolada para a direita, encontrando a atacante Hearn sozinha. Ela ajeitou e bateu cruzado, sem chances para Bárbara. Nova Zelândia 1 a 0.

Nova Zelândia posando para a foto no estilo britânico

Alguns presentes até ameaçaram a iniciar uma vaia, mas a maior parte dos torcedores, mesmo sob forte de calor, na casa dos 30 graus, apoiava a seleção. Porém, as equipes não tiveram mais chances e o primeiro tempo ficou mesmo no 1 a 0 para as neozelandesas.

O sol estava tão forte que até o nosso 'time da imprensa' foi se hidratar no intervalo. Porém, o calor deu uma pequena trégua na segunda etapa, o que ajudou as equipes. Se a Nova Zelândia foi melhor nos 45 minutos iniciais, o Brasil dominou a segunda etapa. A equipe teve mais posse de bola e fazia várias jogadas de linha de fundo, mas pecava nas finalizações.

Outro grave problema no time brasileiro é a falta de aproximação das jogadoras para tabelar ou mudar a jogada. Em vários momentos, as laterais tinham como única opção levar a bola até a linha de fundo e cruzar na área, pois ficavam sozinha com a bola e ninguém encostava.

Tentativa de ataque do Brasil

As neozelandesas, no segundo tempo, só se preocuparam em marcar Marta, tentando evitar alguma jogada individual da craque brasileira e se segurar para garantir o resultado. Pouco se viu a equipe da Oceânia passando do meio de campo nos 45 minutos finais. E, apesar da pressão brasileira na segunda etapa, o placar ficou mesmo no 1 a 0 para a Nova Zelândia.

Depois da partida, a ótima resenha entre Fernando Martinez, Mario Gonçalves, Sérgio de Oliveira, do Fatv Futebol Alternativo, e Luiz Gustavo Folego em uma mesa de bar, é claro. O tema do papo: os grandes campeonatos da década de 90. Pena que Ricardo Russini Pucci não ficou para a 'mesa redonda'.

As duas equipes se enfrentam novamente na próxima terça-feira, dia 2, na Arena Pantanal, em Cuiabá. Depois, o Brasil vai participar do Torneio Internacional Feminino, que acontecerá em Natal, no Rio Grande do Norte.

Pouco mais de 3 mil pagantes no Pacaembu

Ficha Técnica

Brasil 0 x 1 Nova Zelândia

Data: 28 de novembro de 2015
Local: Estádio do Pacaembu

Brasil: Bárbara; Poliana, Mônica, Rafaelle e Rilany (Tamires); Thaisa (Debinha), Formiga, Andressinha (Beatriz), Marta; Cristiane (Thais) e Andressa Alves - Técnico: Osvaldo 'Vadão' Alvarez.

Nova Zelândia: Erin Nayler; Ria Percival, Katie Duncan, Abby Erceg e Ali Riley; Rebekah Stott, Jasmine Pereira (Sarah Gregorius), Kirsty Yallop (Betsy Hassett) e Rosie White (Aimee Phillips); Amber Hearn e Annalie Longo - Técnico: Tony Readings.

Gol: Amber Hearn, aos 35 do primeiro tempo.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações