domingo, 29 de novembro de 2015

Domingo de empates no Sulamericano Feminino Sub-20

Brasil e Colômbia não saíram do zero

A abertura do quadrangular decisivo do Campeonato Sulamericano Feminino Sub-20, realizado em um domingo de chuva fina, mas constante, na cidade de Santos, teve dois empates na Vila Belmiro. No primeiro jogo, a Argentina buscou a igualdade no marcador depois de estar perdendo por 2 a 0 da Venezuela. Depois, o Brasil foi prejudicado pela arbitragem, com um gol legal mal anulado, e não saiu do zero contra a Colômbia.

O primeiro confronto do dia era entre a segunda colocada do Grupo B, a Venezuela, e a primeira do A, a Argentina. E o jogo começou com a Albiceleste arriscando mais, principalmente com chutes de fora da área, fazendo com que a goleira venezuelana Franyely Rodriguez trabalhasse bastante.

A Venezuela, por sua vez, veio jogando do jeito que esta geração é conhecida, desde o título sulamericano sub-17 no início de 2014: atrai o adversário e utiliza os contra-ataques. Porém, nos primeiros 20 minutos de partida, praticamente só a Argentina atacava.

Argentina e Venezuela fizeram grande jogo

Mas como o time venezuelano é mortal quando vai ao ataque, pregou uma peça na Albiceleste aos 34 minutos. Yenifer Gimenez recebeu a bola fora da área e acertou um belo chute no ângulo do gol defendido por Solana Pereyra. Venezuela 1 a 0.

A Argentina sentiu o gol sofrido e a Vinho Tinto, percebendo a situação, pressionou as adversárias. Não demorou muito, a contagem foi ampliada. Aos 40 minutos, em escanteio cobrado pela direita, a zagueira venezuelana, Alexyar Graña, subiu mais que todo mundo e desviou a bola para o fundo das redes, fazendo 2 a 0 para a Venezuela.

Na segunda etapa, a Albiceleste foi para cima da Vinho Tinto, que por sua vez ficou esperando uma chance de contra-ataque. A Argentina esbarrava na defesa bem postada da Venezuela e não conseguia furar a retranca.

Disputa pela lateral

A Venezuela, por sua vez, não conseguia armar os contra-ataques perigosos, o que facilitava a pressão argentina. Porém, o tempo ia passando e a Albiceleste não conseguia passar pela retranca venezuelana, que cada vez mais abdicava de atacar e tentava segurar o resultado.

Mas quando todos na Vila Belmiro achava que a Vinho Tinto iria sair com os três pontos, a história começou a mudar aos 37 minutos, com um pênalti a favor da Argentina. A artilheira da competição Yamila Rodríguez bateu, a goleira Franyely Rodriguez cegou a tocar na bola, mas a rede balançou. No placar, 2 a 1.

As argentinas avançaram ainda mais, em busca do gol de empate e a Venezuela se segurava como podia. A quarta árbitra já tinha levantado a placa indicando os cinco minutos de acréscimo, quando Yamila Rodríguez aproveitou cruzamento da esquerda e cabeceou forte, sem chances para Franyely Rodriguez. E a partida terminou 2 a 2.

Gol de pênalti de Yamila Rodríguez

A venezuelanas, nervosas por terem cedido o empate nos acréscimos, chegaram a iniciar um princípio de confusão no gramado da Vila Belmiro. Porém, a turma do 'deixa disso' conseguiu acalmar os ânimos. Uma briga não poderia manchar o grande jogo.

Registrar as presenças de Flavio Hopp, Luiz Santos, Ricardo Russini Pucci e minha esposa Elis Rebouças.

Na segunda partida o Brasil, que entrou no gramado da Vila Belmiro com o lindo uniforme número dois exclusivo para a Seleção Feminina, com um degradê de azul, enfrentaria a Colômbia que, apesar de estar no quadrangular final, ainda estava devendo uma grande apresentação na competição. Uma pena o pequeno público no estádio, muito por causa da chuva.

O Brasil começou bem o jogo, com as investidas de Jennifer, Kélen e, principalmente, Gabi Nunes. A meia-atacante aproveitava-se de uma falha no lado direito do sistema defensivo colombiano, que não tinha cobertura naquele setor. A brasileira deu muito trabalho, por cerca de 25 minutos, à lateral Asprilla.

Gabi Nunes foi a grande arma do Brasil no início da partida

A Seleção Brasileira perdeu uma grande chance de abrir o marcador aos 21 minutos. Em bela jogada de Gabi Nunes, que cruzou a bola rasteira para a área, Jennifer fez o corta luz e Bruna, sozinha, finalizou para fora.

Após a parada para a hidratação, aos 27 minutos, a Seleção Colombiana acertou o seu problema de marcação no lado direito e equilibrou as ações. A partir deste momento, o jogo ficou muito concentrado no meio de campo e as equipes pouco atacaram. E o primeiro tempo terminou com o placar de 0 a 0.

A segunda etapa começou como terminou os primeiros 45 minutos. Bola concentrada no meio de campo, muita marcação e pouco ataque. A animação vinha das arquibancadas: um grupo de oito colombianos, com cornetas e chocalhos, fazia muito barulho. Em alguns momentos, até parecia que a seleção cafeeira jogava em casa.

Uma parte dos torcedores colombianos

A partida só foi esquentar aos 34 minutos. Em um ataque errado do Brasil, a goleira colombiana Angie Mina ficou com a bola no pé, tentando ganhar alguns segundos. Porém, displicente, ela vacila e Geyse, que acabara de entrar, deu um totózinho de leve na bola, tocando para o fundo das redes.

Gol do Brasil? Seria, mas a assistente paraguaia Nadia Weidler apontou impedimento de Gabi Nunes, confirmado pela árbitra Olga Miranda. Porém, a meia-atacante brasileira não participou da jogada. Portanto, o gol foi legal! O lance causou muita polêmica e protestos do técnico brasileiro Doriva Bueno, que não se conformou com o gol anulado.

Nos últimos minutos, o Brasil tentou o abafa, mas pecava nas finalizações. A Colômbia teve, ao menos, dois perigosos contra-ataques, mas erros no último passe evitaram com que as brasileiras fossem derrotadas pela primeira vez na competição. Ao fim dos 90 minutos, um 0 a 0 amargo e com poucas emoções.

A segunda rodada do quadrangular decisivo do Sulamericano Feminino Sub-20 será na próxima terça-feira. Às 17 horas, a Argentina enfrenta a Colômbia. Em seguida, o Brasil encara a Venezuela. As partidas serão realizadas na Vila Belmiro. Compareçam!
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações