sexta-feira, 6 de novembro de 2015

10 anos do 'Eterno 7 a 1'

Tévez comemorando um dos gols do 'massacre'

Hoje completa 10 anos da, provavelmente, história mais triste do Santos Futebol Clube. Foi no dia 6 de novembro de 2005 em que o Peixe foi goleado pelo Corinthians por 7 a 1, em uma das derrotas mais humilhantes do clube. A partida foi realizada no Pacaembu e válida pelo Campeonato Brasileiro daquele ano. Era o '7 a 1' mais famoso do Brasil até a semifinal da Copa do Mundo de 2014.

O jogo foi válido pela 37ª rodada do Brasileirão (aquela edição teve 42 jogos para cada clube). O Timão tinha 74 pontos e já era líder do campeonato, com seis de vantagem sobre o Internacional. 

As duas equipes brigavam em posições diferentes no Brasileirão até aquela oportunidade. O Timão, que contava com um time com estrelas como Tévez, Mascherano e Nilmar, contratados a peso de ouro pela MSI, brigava pela ponta da tabela. Já o Santos, um pouco mais modesto, estava, naquele momento, lutando para cavar uma vaga na Libertadores.

Placar da partida

A verdade é que enquanto o Corinthians só crescia de produção ao longo do ano, o Santos esteve em momento de queda. O Peixe tinha iniciado o ano com a base campeã brasileira do ano anterior, mas começou a perder jogadores, inclusive o craque Robinho, negociado com o Real Madrid no meio do ano. A equipe que brigava pela ponta no início do campeonato, já estava com pretensões um pouco mais modestas. O Santos até contratou vários jogadores, 17 para ser mais preciso, entre eles o ídolo Giovanni e a equipe alternava boas e más atuações.

A tensão entre ambas as equipes só crescia durante a temporada. No Paulistão, o Santos venceu por 3 a 0 na Vila, com show de Robinho e uma partida apagada de Tévez. Pelo 1º Turno do Brasileirão, em um dos últimos jogos do 'Rei das Pedaladas' e um dos primeiros de Giovanni, o Santos ganhou por 4 a 2.

Mas aí teve a revelação do esquema Edilson Pereira de Carvalho, que havia apitado o 4 a 2. Foi comprovado que o árbitro estava envolvido em um esquema de apostas. O jogo foi remarcado e o Santos, já sem Robinho, perdeu para o Timão por 3 a 2. Os santistas ficaram revoltados com a arbitragem, e Giovanni, depois do terceiro gol corintiano, chutou a bola para fora do estádio, em protesto ao árbitro Cléber Wellington Abade.

Além disso, houve uma mudança que não agradou o elenco. O técnico Alexandre Gallo, que vinha com resultados medianos, mas tinha a confiança dos jogadores, foi trocado por Nelsinho Batista, que chegou afastando Léo Lima, Bóvio, Flávio e Diego (não o meia campeão de 2002 e sim o formado no Internacional, irmão gêmeo de Diogo). Esta atitude irritou demais os atletas.

Em todos os clássicos entre as duas equipes, esta faixa aparece

Diante de 21.918 pagantes, o Corinthians abriu o placar logo no primeiro minuto de jogo, com Rosinei. O empate de Geílson, aos 8, dava o prenúncio de um jogo equilibrado. Que nada! Com um ataque azeitado comandado por Tevez e Nilmar, ambos em grande forma, o Santos não teve qualquer chance.

O argentino fez três, o brasileiro outros dois, e o volante Marcelo Mattos, de falta, completou a goleada histórica aos 45 minutos do segundo tempo. O jogo se tornou um clássico da memória corintiana assim que o árbitro Evandro Rogério Roman decretou o apito final. Tanto que até hoje, o jogo é lembrando. É comum em clássicos entre Corinthians e Santos a torcida corintiana estender faixas com o "eterno 7 a 1" para provocar os rivais.

Após a partida, o técnico Nelsinho Batista declarou que os jogadores eram culpados pelo resultado. Quem acompanhava os treinamentos no CT Rei Pelé percebia que os atletas não suportavam mais o treinador. Não havia clima para um trabalho decente. Após o '7 a 1', Nelsinho foi demitido e Serginho Chulapa assumiu o Santos, interinamente, até o final do Brasileirão.

O Corinthians acabou conquistando o Brasileirão de 2005. Já o Santos, depois de ser o campeão do ano anterior, ficou apenas em 10º lugar.

Melhores momentos da partida

Ficha Técnica

Corinthians 7 x 1 Santos

Data: 6 de novembro de 2005
Local: Pacaembu, São Paulo.
Público: 21.918 pagantes
Renda: R$ 323.254,00

Cartões amarelos: Carlos Alberto, Rosinei, Bruno Octávio, Wendell e Kléber
Cartão vermelho: Rogério (SAN), aos 4 minutos do segundo tempo

Gols: Rosinei, a 1, Geílson aos 8, Tevez aos 20 min e aos 36 minutos do primeiro tempo; Tevez aos 8, Nilmar aos 12 e aos 32 e Marcelo Mattos aos 45 minutos do segundo tempo.

Corinthians: Fábio Costa; Eduardo Ratinho, Wendel, Marinho e Hugo; Marcelo Mattos, Bruno Octávio (Wescley), Rosinei (Dinélson) e Carlos Alberto, Nilmar e Tevez (Jô) - Técnico: Antônio Lopes

Santos: Saulo; Paulo César, Halisson (Wendell), Rogério e Kléber; Fabinho (Mateus), Heleno, Giovanni e Ricardinho; Geílson e Luizão (Basílio) - Técnico: Nelsinho Baptista.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações