sexta-feira, 16 de outubro de 2015

O dia que vi o Fortaleza jogar no Pici

O Fortaleza venceu com gol de Vinicius

Férias e futebol é algo que eu, Victor de Andrade, sempre que posso, tento conciliar, muito antes de ter o blog O Curioso do Futebol. A história que vou contar agora aconteceu em fevereiro de 2011: a experiência de ter visto um jogo do Fortaleza em seu próprio estádio, o Alcides Santos ou, simplesmente, Pici.

Ao saber que iria estar de férias em fevereiro de 2011, logo comecei a planejar para onde iria. Conversei com minha esposa, Elis Rebouças, e chegamos à conclusão de que Fortaleza seria um lugar legal para passear. Eu já conhecia a capital cearense em uma viagem que fiz com meus pais em 1996, quando tinha 17 anos. Portanto, seria perfeito voltar à bela cidade.

Logo quando eu cheguei ao estádio

Um fanático por futebol como eu não poderia apenas visitar as belas praias do litoral cearense. Eu queria muito assistir, ao menos, um jogo por aquelas bandas e comecei a me programar para ter esta experiência. Cheguei em Fortaleza no início da madrugada do dia 6 de fevereiro, um domingo. Neste dia, tinha o clássico Ceará e Ferroviário. Seria o último jogo do Castelão antes do fechamento para as obras da Copa do Mundo. Porém, como eu já tinha programado uma ida à praia do Cumbuco, perdi uma grande oportunidade de assistir uma das últimas partidas do antigo Castelão.

Mas ainda não tinha desistido de acompanhar um jogo em Fortaleza e vi que na noite do dia 9 de fevereiro, uma quarta-feira, o Fortaleza receberia o Quixadá em seu estádio, que é popularmente chamado de Pici, que é o bairro onde fica, no sul da cidade. Então, entre os passeios nas belas praias cearenses, deixei marcado em minha agenda a ida à esta peleja.

A partida era válida pela nona rodada do Campeonato Cearense. O Fortaleza estava pressionado pela torcida, já que três rodadas antes havia perdido o clássico para o Ceará por 2 a 1. Já o Quixadá vinha sendo, até aquele momento, um dos piores da competição. Mas, depois de tomar uma goleada por 6 a 1 do Guarani de Juazeiro, a equipe do interior do estado havia vencido seu último jogo, 2 a 1 contra o Limoeiro.

Chegando a hora do jogo, lá fui eu em direção ao Pici. Minha esposa não quis ir, preferiu descansar no hotel. Então peguei um ônibus para ir ao estádio do Fortaleza. Não tive dificuldades para chegar até o local. Até encontrei um senhor que disse ter parentes na cidade onde moro, Cubatão, e nas vizinhas da Baixada Santista. Inclusive, disse que precisava voltar para visitá-los.

O jogo foi na noite de uma quarta-feira

Na frente do estádio, comi alguma coisa, vi a movimentação na frente do local, que estava fervilhando, comprei o ingresso e entrei no Alcides Santos. Fui arrumar um lugar para me acomodar e fiquei atrás do gol à direita das cabines de transmissão e fiquei observando o movimento.

O Estádio Alcides Santos é pequeno, a capacidade hoje é de um pouco mais de 7 mil espectadores, mas curti a cancha. Ela é bem no estilo dos campos que gosto de acompanhar as partidas, como o Ulrico Mursa, da Portuguesa Santista, ou o Nicolau Alayon, do Nacional. Também gostei muito dos rolinhos de cana, que eram vendidos pelas arquibancadas.

Quando o Fortaleza entrou em campo, a torcida fez uma grande festa. Vale destacar que a torcida Leões da TUF não pára um minuto. Sempre incentivando o Tricolor de Aço. Quando o Quixadá entrou, uma grande vaia no time visitante.

Era para ser um jogo fácil, mas o Fortaleza conseguiu complicar. No início, a defesa do Tricolor de Aço quase 'entregou a rapadura' e o Quixadá não marcou por muito pouco. Mas a equipe da casa foi melhorando e Vinicius, aos 38 do primeiro tempo, abriu o placar para o Fortaleza.

Quem esperava mais gols no segundo tempo, se decepcionou. O Fortaleza, naquele dia, não praticou um futebol de primeira linha e o Quixadá, por mais que se esforçasse, não tinha qualidade suficiente para, ao menos, sair com um empate da capital cearense.

Pessoal chegando para a partida

Mas se o futebol dentro de campo não foi dos melhores, a experiência de ver um jogo em Fortaleza foi muito boa. Ao final da partida, fui até um supermercado em frente do Estádio e voltei de táxi para a Praia de Iracema. O motorista era torcedor do Tricolor de Aço e ficou me perguntando como foi o jogo.

No Cearense daquele ano, o Fortaleza perdeu a final do primeiro turno para o Ceará, que venceu também o segundo e foi campeão sem precisar das partidas decisivas. O Guarany de Sobral foi o segundo e o Tricolor de aço terminou em terceiro. Já o Quixadá foi o penúltimo e foi rebaixado.

Para mim, a experiência foi ótima e se eu tiver uma outra oportunidade de estar em Fortaleza, tentarei novamente ir ao Pici.

Melhores momentos da partida

Ficha Técnica

Fortaleza 1 x 0 Quixadá

Competição: Campeonato Cearense, primeiro turno.
Estádio: Alcides Santos, em Fortaleza (CE).
Data: 9 de fevereiro de 2011.
Árbitro: Élber Vieira.
Assistentes: Carlos Feitosa e Ricardo Dantas.
Renda: R$ 30.303,00.
Público: 3.051 pagantes.

Cartões amarelos: Plínio, André Luiz e Vinícius (FORT). Tony Belém, Mimi e Wellington (QUI).

Gol: Vinícius (38/1ºT). 

Fortaleza: Fabiano; Roniery (Felipe Almeida), Plínio, Gilmak e André Luiz; Ricardo Baiano, Leandro, Bismarck e Luciano Henrique; Maiquel (Reginaldo Júnior) e Vinícius (Felipe Klein) - Técnico: Flávio Araújo.

Quixadá: Tony; Aurélio (Gustavo), Tony Belém, Emerson e Wescley (Mailson); Leandro, Mimi, Eduardinho e Paulinho; Wellington e Leonardo - Técnico: Paulo Maurício.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações