segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Galícia campeão baiano de 1968

Galícia, campeão baiano de 1968. Em pé: Dudinha,
Roberto Oliveira, 
Haroldo, Touro, Josias e Nelinho.
Agachados: Nélson Leal, Chiquinho,
Valtinho, Carlinhos Gonçalves e Telê.

O Campeonato Baiano na década de 1960 era um dos estaduais mais disputados do Brasil. Ao contrário dos dias atuais, onde praticamente Bahia e Vitória brigam pelo título, com algumas surpresas como o Colo-Colo de Ilhéus e o Bahia de Feira de Santana, naquela época vários times chegavam no certame com chances de título.

O Bahia dominou o início da década, ainda com a base do time campeão da Taça Brasil de 1959. Mas Ypiranga, conseguiu ser vice-campeão, Vitória, Leônico e Fluminense de Feira brigavam pelos títulos. Além destes clubes, o personagem deste post também levantou uma taça em 1968: o Galícia.

Clube da colônia galega de Salvador, o Galícia havia sido campeão em 1937 e o tricampeonato entre 1941 e 1943. A fila era longa, mas em 1967, o clube chegou a colocar a mão na taça. Campeão do primeiro turno. A equipe teve duas chances para vencer a competição, mas perdeu a decisão do segundo turno e do campeonato para o Bahia. Porém, este vice-campeonato credenciou o Galícia para ser um dos favoritos no ano seguinte. A torcida estava esperançosa, acreditando que o título viria depois de 25 anos.

Para o Campeonato Baiano de 1968, 14 times estavam na disputa, divididos, na primeira fase, em dois grupos de sete equipes. Os quatro melhores de cada lado iriam para um octogonal final, onde seria decidido o campeão.

Alguns dos jogadores campeões

No Grupo A ficaram Bahia, Botafogo, Conquista, Colo-Colo, Fluminense, Leônico e Vitória de Ilhéus. O Galícia ficou no Grupo B, ao lado de Bahia de Feira, Flamengo de Ilhéus, Itabuna, São Cristóvão, Vitória e Ypiranga.

Apesar do favoritismo, o Galícia ficou atrás do Vitória no primeiro turno, mas garantiu a vaga na fase final da competição com a terceira melhor campanha no geral. No Grupo B, além das duas equipes, classificaram Itabuna e Bahia de Feira. Já no Grupo A, passaram Bahia, Vitória de Ilhéus, Conquista e Fluminense de Feira.

No Octogonal, a situação se inverteu. Com vários jogos realizados em rodada dupla na Fonte Nova, o Galícia dominou a classificação, sendo seguido sempre pelo Fluminense de Feira e o Vitória. Mas quis o destino que na última rodada Galícia e Fluminense de Feira, primeiro e segundo colocados, se enfrentassem.

O Galícia estava com 18 pontos e apenas uma derrota em todo o octogonal. Já o Flu de Feira tinha apenas um ponto a menos. O jogo foi nervoso, com o Fluminense tentando a qualquer custo um golzinho, que lhe daria o título. Porém, o Galícia foi forte na defesa, conseguiu segurar o 0 a 0 e garantir o título.

Este foi o último título estadual da primeira divisão do Galícia, que só voltaria a decidir o título baiano nos anos de 1980, 1982 e 1985. Mas os seus torcedores guardam na memória a conquista da Taça de 1968,

Mais uma da grande equipe do Galícia

Ficha Técnica

Galícia 0 x 0 Fluminense 

Data: Domingo, 15 de setembro de 1968 
Local: Estádio Otávio Mangabeira, Salvador 
Juiz: Enivaldo Magalhães 
Renda (NCr$): 75.978,00
Público: 19.930 pagantes
 
Galícia: Dudinha; Roberto, Nelinho, Haroldo (Helio Nailon) e Touro; Josias e Chiquinho Nelson, Carlinhos,Ouri e Ricardo - Técnico: Enaldo Rodrigues.

Fluminense: Mundinho; Ubaldo, Sapatão, Mario Braga e Nico;Chinezinho e Merrinho; Messias (Veraldo), Pinheirinho, Delorme e Noel.
←  Anterior Proxima  → Inicio

4 comentários:

  1. O Galícia, em 1968, aliou a experiência de Nelinho, Enaldo, Josias, com a jovialidade de Valtinho, Carlinhos e o irmão Ricardo. Porém, preciso destacar o bom futebol de Nelson, ponta direita, eu o vi jogar na Associação Desportiva Mata de S.João (BA). Em 1967, ele e o zagueiro Hélio Nylon, jogaram duas partidas amistosas contra o Periperi EC.(BA). No primeiro jogo, a ADM perdia ´por 2 x 0 e , no segundo tempo, empatou o jogo. Na volta, em Mata de São João, a ADM venceu por 3 X 1, com gol de Nelson. Era habilidoso, arisco. Cegou a ser cogitado, em 1970, a atuar pelo Santos FC, ao lado de Pelé.Eu assisti aos dois jogos.

    ResponderExcluir
  2. O telê da escalação por um acaso é o TELÊ que foi técnico?

    ResponderExcluir

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações