domingo, 27 de setembro de 2015

Lusa 'dá uma cabeçada' na pressão e se classifica na Série C

Portuguesa conseguiu a classificação com a vitória

Difícil, nervoso e no sufoco. Foi assim que a Lusa conseguiu garantir sua vaga nas quartas-de-final do Campeonato Brasileiro da Série C, fase que vai definir os quatro times que subirão para a Série B nacional. A Portuguesa venceu o Tombense por 1 a 0, com um gol de cabeça de Julinho, aos 32 do segundo tempo, e fez a alegria do torcedor lusitano na tarde deste domingo no Canindé.

Logo de cara, dava para perceber que não seria um jogo comum no Estádio Osvaldo Teixeira Duarte. Há muito tempo que a Portuguesa não tinha um público tão grande quanto hoje (mais de 4,8 mil pagantes), mesmo rolando o clássico São Paulo e Palmeiras, no Morumbi. Cheguei cedo e fiquei esperando meus amigos e, aos poucos, eles foram chegando. Primeiro veio Milton Haddad. Depois chegaram Paulo Afonso e Fernando Martinez, do genial Jogos Perdidos. Neste tempo, ainda encontrei o membro do grupo Futebol Alternativo no Facebook André Carlos Zorzi.

Mais de 4,8 mil pagantes no Canindé

Entramos no Canindé e, já na arquibancada, encontramos Mário Gonçalves, Genilton Lucas e o grande mito Passe Livre. Já ouvi várias histórias deste baluarte do futebol alternativo nacional, mas o conheci pessoalmente apenas hoje. Além deles, a jornalista Michelle Abílio, do grande site e livro Boteco da Lusa, estava no Canindé, mas não a encontrei durante a partida.

O clima no estádio era de festa, mas de um pouco de apreensão. Depois de uma fase de vários insucessos, com diversos rebaixamentos e problemas com o tapetão, a Lusa, finalmente, estava na luta por mais um acesso. E aí vinha a pergunta: será que os jogadores não sentirão a pressão do jogo decisivo?

Lusa iniciou nervosa a partida

Ao início da partida, a resposta foi a seguinte: sim, os jogadores da Portuguesa começaram o jogo nervosos e era claro que sentiam a pressão de ter que fazer o resultado. E era incrível como um gol poderia mudar tudo na classificação final do Grupo 2 da Série C. Vencendo, a Lusa poderia até ser a segunda colocada, decidindo o confronto do acesso em casa. Empatando ou perdendo, cairia até para sexto, ficando fora da zona de classificação.

Logo no início, veio as notícias: Brasil de Pelotas, Juventude e Guarani já saíram na frente no marcador e a Lusa estava em sexto lugar, jogando ainda mais pressão em cima dos atletas rubro-verdes. Tanto que demorou até que o primeiro lance mais agudo e perigoso acontecesse. Aos 37 minutos, um verdadeiro bombardeio lusitano. Escanteio da esquerda gerou uma testada de Anderson Luis, um chute de Guilherme Queiroz, uma finalização de longe de Julinho e uma cabeçada de Hugo. Melhor para a zaga mineira que travou as três primeiras tentativas e para o goleiro do Tombense, que espalmou a última.

Torcida do Tombense também presente

O lance animou o time, que sofria com o forte calor. Hugo fez o pivô para Guilherme que puxou o ataque e rolou para Milton Jr. De fora da área, o camisa oito arriscou um petardo, sobre a meta do time mineiro, que apenas se defendia. Aos 45 minutos, uma alegria que durou pouco. Hugo, de cabeça, fez o gol que foi anulado pelo auxiliar. Mas, foi o final que demonstrava o que viria pela frente.

No intervalo, pude perceber dois acontecimentos interessantes nas arquibancadas do Canindé. O primeiro, a presença de refugiados das guerras do Congo e da Síria que estão em São Paulo. Já o segundo, uma galera tietando o humorista Batoré, que por muito tempo trabalhou no programa A Praça é Nossa, do SBT, e que tinha o famoso bordão 'Ah, para ô!". E ainda o presenciei reclamando do bandeira.

Refugiados congoleses e sírios assistindo à partida

Voltamos ao jogo. A postura da Portuguesa no segundo tempo mudou. A equipe foi para cima, tentando a vitória, já que os outros resultados não favoreciam a Lusa. Em menos de um minuto, a Lusa já amedrontou o Tombense. Paulinho fez boa jogada pela direita e cruzou no primeiro posta para Guilherme Queiroz, que se antecipou ao zagueiro Heitor e desviou, com perigo, rente ao gol de Darley.

Com a torcida incendiando, a pressão seguiu. Aos três minutos, Guilherme ajeitou dentro da área, Hugo dominou e no giro, foi travado pelo último zagueiro adversário. Na sequência, Bolt arriscou de longe e Darley espalmou para salvar. No decorrer da etapa final, o Tombense começou a atacar e com isso, deixou espaços. E foi em um desses espaços que Paulinho, pelo meio, dominou, cortou a marcação e colocou a bola, com perigo. Porém, Darley fez segura defesa no canto direito.

Tombense ficou retrancado

Aos 20 minutos, após cruzamento na área, Guilherme aproveitou o rebote e mandou com perigo sobre o gol do Tombense. No minuto seguinte, Julinho chutou forte de fora da área e Darley espalmou com dificuldades. A cobrança de escanteio foi mais um susto no time mineiro. Renan testou firme no canto esquerdo baixo e obrigou ótima defesa do goleiro mineiro, que deu rebote, e Hugo de primeira encheu o pé, mas foi travado por Luan.

Sem deixar o jogo esfriar, Renan acertou a trave em cabeçada aos 30 minutos. Na sequência da jogada, nova bola alçada e Julinho, se antecipou ao goleiro e mandou para o fundo da rede. Este valeu e a Lusa incendiou de vez o Osvaldo Teixeira Duarte.

Goleiro do Tombense sai do gol para uma bela defesa

O que se viu a partir de então foi a sintonia entre time e torcida. A festa nas arquibancadas e um time mais leve e mais seguro em campo. Foi nesse ritmo que Guilherme Queiroz, em uma linda jogada, quase ampliou o marcador aos 40 minutos. Ele dominou no lado esquerdo, cortou o marcador e chutou forte, com muito perigo, mas para fora. E novamente Guilherme ficou quase quando, após jogada de Dieguinho, finalizou forte e cruzado, exigindo importante defesa de Darley.

Com isso, foi apenas aguardar o apito final e comemorar. De maneira suada, sofrida e merecida, a Lusa venceu e segue seu caminho rumo à Série B do Campeonato Brasileiro. Mais uma vez, time e torcida formaram uma combinação de sucesso e vitória.

Agora, a Lusa terá uma missão difícil pela frente. Vai encarar em dois jogos o Vila Nova, de Goiânia, pelo tão sonhado acesso à Série B do Brasileiro. A decisão final será no Canindé. A CBF deve anunciar amanhã as datas e horários das partidas.

Foto para a 'posteridade': Victor de Andrade (O Curioso do Futebol),
Milton Haddad, Passe Livre, Mário Gonçalves, Paulo Afonso,
Genilton Lucase Fernando Martinez (Jogos Perdidos)

Ficha Técnica

Portuguesa 1 x 0 Tombense

Campeonato Brasileiro – Série C
27/09/2015 – 16h
Estádio Dr. Osvaldo Teixeira Duarte (Canindé)

Portuguesa: Anderson, Osvaldir (Dieguinho), Anderson Luis, Luan e Julinho; Renan, Milton Jr, Victor Bolt e Paulinho (Diego Gonçalves); Guilherme Queiroz e Hugo (Guilherme Almeida). Técnico: Estevam Soares

Tombense: Darley, Alex (Harrison), Heitor, Luan e Jefinho (Douglas); Bruno Barba, Joilson, Xaves e Coutinho; Rafael Pernão e Daniel Amorim (Chico). Técnico: Marcelo Mabília

Cartão Amarelo: Coutinho, Luan e Alex (T)

Gol: Julinho, 32min/2T;

Renda: R$ 72.190,00
Público: 4.886 pagantes
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações